História Descobrindo Sentimentos (Frans) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin, W. D. Gaster
Tags Chara, Frans, Frisk, Hentai, Humanos, Monstros, Sans, Undertale
Visualizações 50
Palavras 1.971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem gente espero que gostem da primeiro capítulo da fic
O começo pode até parece com o jogo mas vai mudando aos poucos a história e tendo mais revelações

Capítulo 1 - Início de uma nova jornada


Fanfic / Fanfiction Descobrindo Sentimentos (Frans) - Capítulo 1 - Início de uma nova jornada

Monte Ebott 201X

Uma menina de cabelos castanhos escuros, pele parda, uma camisa azul claro com duas listras  cor-de-rosa, shorts da mesma cor da camiseta e sapatos pretos aparentava ter uns 15 anos, ela corria para o Monte Ebott chorando, enquanto corria ela tropeçou em um galho e caiu em um buraco.


Frisk on

- Que lugar e esse? Ainda bem que eu cair em cima dessa flores, mas que lugar será esse?,  Talvez seja o tal subsolo.

Espera isso é um mito, Não e real!, provavelmente e uma caverna *eu olho para cima*

- uma caverna muito grande - digo ainda olhando para cima-Bem e melhor eu achar a saída- começo a anda pela "caverna" até que me deparo com uma flor.

- Opa! Como vai! eu sou Flowey , Flowey a flor!- A flor fala com um sorriso doce e gentil, mas o mais estranho e que ELA É UMA FLOR FALANTE!.

- Prazer sou Frisk - Digo sorrindo para ela.

- Humm é sua primeira vez no subsolo, né?. Tudo deve parece  tão confuso - Eu que tenho um treco eu realmente estou no subsolo então ele existe, Tento não mostra que não estou surpresa - Por que você parece surpresa? Os seres humanos não falam muito sobre nós?

- D-Desculpa e porquê eu nunca tinha visto um monstro antes - falo passando a mão na cabeça

- Bem acho melhor você fica atenta, mosntros podem ter atacar - Flawey fala me explicando - Bem vamos fazer uma demonstração, e como você pode ser defende ok - eu concordo com a cabeça. Derrepente tudo fica preto e branco e no meio da minha camisa aparece um coração vermelho - Ta vendo esse coração, ele e sua alma a própria culminânção do seu ser!. Sua alma agora e Fraca mas ela pode fica forte se você aumentar seu LV, oque LV significa, Ora Love e claro, você que Love não quer?- eu respondo dizendo "Sim" - Aqui embaixo Love e compatilhado por pequenas e branca balinhas de amizades, vamos pegá o máximo que conseguir - Assim que eu toco em uma das "Balinhas" eu sofro um dano e caio no chão - IDIOTA.. AQUI É MATA OU MORRE!!! - ele joga mais ataques em mim, até que e atingido por uma bola de fogo eu olho para quem a lançou.

Era uma mulher que aparentava ter uns 30 anos, era albina olhos azuis e usava um vestido roxo com um símbolo no meio o qual eu não conheço.

- Que criatura horrível atacando uma alma tão inocente - Ela estendia a mão para me ajudar a levanta - Olá minha pequena sou Toriel, guardiã das ruínas, eu venho aqui diariamente pra ver se alguém caiu - Eu pego sua mão e levanto, ela e muito mais alta do que eu - Você e o primeiro humano a vim aqui a muito tempo, venha eu te guiarei através da catacumbas.(Aí tem aquele tutorial que todo mundo conhece e eu não tô afim de descrever)

Estou andando nas ruínas já faz um longo tempo, onde será que a Toriel está ?

- Oh céus! isso demorou mais do que eu esperava - Eu escuto a voz dela e corro na direção da voz - Minha pequena oque faz aqui está ferida? - Eu balanço a cabeça negativamente - ainda bem...Acho que não posso mais esconde isso, venha comigo.

Andamos em direção a uma casa, ela era tão fofa e arrumada isso me deixa cheia de Determinação, entramos na casa e sentim um cheiro era de torta.

- Supresa fisso torta de Caramelo e Canela, achei que devíamos comemorar a sua chegada. - ela me leva até a frente de uma porta - Esse é seu quarto, espero que goste - sentimos um cheiro de queimado - fique a vontade vou olha a torta - ela sai quase correndo, eu entro no quarto e vejo tudo em minha volta, deito na cama.

Estou exausta, antes que eu perceba eu durmo quando acordo vejo uma fatia de torta do lado da minha cama, eu levanto e vou até o final do corredor que leva a sala onde toriel estava lendo um livro.

- Já de pé minha pequena - eu me aproximo - estou lendo um livro sobre lesma e caracóis que saber sobre?.

-Sim.

-Sabia que a lesma, são péssimas em amarra os sapatos.

-Sério porquê?

-porque elas não tem mãos - nos duas rimos e logo em seguida faço a pergunta, que estava com medo dela se senti mal se eu falasse.

- Quando irei pra casa? - digo meio insegura ,nem sei o porquê eu perguntei, já que não tenho pra onde volta, mas eu quero volta a vive com os humanos, não com seres que só possuem aparência de seres humanos.

-Tenho que fazer algo com licença- Toriel levanta e eu corro atrás dela, e a sigo até o final das escadas e entro em um corredor estreito com as paredes e chão com a cor roxa escuro, e vejo Toriel de costa para mim - Deseja tanto assim volta para "Casa", a frente existe uma saida para o resto do subsolo eu irei destruila...Se você continua eles e Asgore, irão atrás de você minha pequena volte esse e o último aviso - Eu continuo a seguir a Toriel até paramos e frente de uma porta, provavelmente a saída para o resto do subsolo. - Se deseja continua prove que é capaz, prove a mi que é forte o suficiente para sobreviver sozinha.

Entramos em modo de luta e toriel começa a me ataca eu a poupo todas as vezes.( e tem aqueles fala que a toriel fala para frisk e a deixa ela ir) eu atravesso a porta e contínuo andando, até que me deparo novamente com a flor.

- Então vocês poupou ela - um sorriso malicioso apareceu na face da flor - uma hora você vai te que MATA alguém, ou irá morre e morre denovo? Até que chegará um momento que matará por pura frustação - Flowey da uma risada maligna e desaparece eu continuo andando até chegar em uma floresta.

Estava muito frio por causa da nevada eu chegava até treme de tanto frio, vou andando até percebe que estou sendo seguida, ando com mais preça até para em frente de uma ponte eu acho que é uma ponte.

-Ei Humana você não sabe comprimenta um novo amigo? Vire-se e aperte minha mão! - um arrepio sobe até minha espinha gelada de medo e frio eu viro e aperto a mão do desconhecido.

Buzz... (sim e esse o barulho)

- A pegadinha da almofada de de pum na mão sempre tem graça - Diz o rapaz rindo.Era um rapaz poucos centímetros maior do que eu, era albino com os olhos pretos e as pupilas brancas usava uma blusa de capuz azul com zíper aberto, um suéter branco, uma bermuda preta e um par de patunfas brancas provavelmente ele também era um monstro

Fiquei por um tempo sem reação era a primeira vez que via alguém com os olhos pretos, ele era diferente demais me pergunto que tipo de monstro ele e?

-Oiiii!! você tá viva? - disse o albino balançando a mão na frente do meu rosto - Você e um humano certo ?

- E....S-sim - Falei voltando a realidade - e você quem e ?

-Sans! Sans o esqueleto - Me assustei na hora que ele disse esqueleto, mas até que fazia sentindo do porque os olhos dele serem pretos - É você quem e?

- Frisk - Disse com um sorriso.

- Você e uma humana certo?

- Sim...Como Você sabe? - O olhei com a cara meio confusa.

- Isso já é outra história - Eu não entendi o que ele quis dizer, mais apenas permaneci calada - Agora eu deveria está procurando humanos. Mas que saber eu não dou a mínima pra procurar por eles - Ele continua falando enquanto colocar as mãos nos bolso da camisa - Já meu irmão Papyrus, ele é um caça-humanos fanáticos, embora ele nunca tenha visto um.

- Eu posso fazer uma pergunta? - Ele olha para mim e eu entendo isso como um sim - Porquê você deveria estar procurando humanos? - Ele me olha por um momento.

- Por que precisamos das almas humanas - Ele abre um grande sorriso, oque me assusta um pouco, porque vão ter que me mata para pegar a minha alma! - Mas fica tranquila ele não gosta de mata - Realmente ouvi me confortar um pouco.

Um vento forte e gelado sobra me fazendo treme de frio.

- Você seres humanos realmente são tem a pele tão fraca.

- É você não sente frio?

- Não pois sou um esqueleto, essa aparência de humano e apenas uma ilusão.

- Como assim?

- Realmente você não conhece os monstro - Ele fala com o sorriso ainda no rosto,e sério ele nunca para de sorri? - Tenho uma ideia, você pode passa por essa coisa tipo um portão, meu irmão fez as barras muitos largas.

Nos atravessamos e avia uma espécie de pedágio ali e um abajur de forma muito conveniente.

- rápido se esconde ali - Eu como um ser humano bastante inteligente, me escondi atrás daquele pedágio, pois atrás do abajur não ia dar certo.( só no jogo mesmo)

Um jovem mais alto que o Sans, apareceu ele também era albino com olhos negros, as pupilas brancas, usava um cachecol vermelho, uma camisa branca sem mangas, com outra por dentro preta escondida pela a outra, mas as mangas longas ficavam a mostra e luvas vermelhadas, um short azul e uma meia grande preta e sapatos vermelhos, parecia uma fantasia

Pelo oque eu ouvi da conversa ele é o Sans são irmãos o Papyrus que entra na Guarda Real e ele deu branca no sans por ele está fazendo nada mas o Sans sempre respondia com uma piada sobre ossos depois que ele vai embora

-Ei Kiddo já pode sair - Eu saiu

- Eu tenho nome! - Falo com a cara séria

- Eu sei mais vou te chama de kiddo.

- Por que?

- Por que eu quero - Ele da um sorriso maior ainda do que o outro.

- Tá... tchau - Eu viro de Costa e saiu andando, até que ele me chama e eu me viro de novo.

-Oque foi?

-Sabe meu irmão tá muito pra baixo esses últimos dias - Ele olha pro lado - Acho que ver um humano faria o dia dele

- Entendi - Após dizer eu saiu andando pela floresta

O tempo passa alguns monstro me atacaram mais eu poupei todos, até que eu chego que eu encontro o Sans de novo junto com o Papyrus eles ficam me olhando e se olhando por um tempo.

-AI MEU DEUS!!!... SANS AQUILO É UM HUMANO - Ele diz isso com um  brilho nos olhos, o Sans olha para atrás de mim

- Eu acho que aquilo e uma pedra -ele fala se referindo a pedra atrás de mim que desanima o albino maior - Oque e aquilo na frente da pedra?

- AÍ MEU DEUS!!! UM HUMANO 

- ....

-HUMANO, EU NÃO DEIXAREI VOCÊ PASSA DESSA ÁREA, EU IREI TE CAPTURAR E ENTREGALO PARA Á CAPITAL , APENAS ESPERE. - Ele sai correndo.

-Viu só ele se animou bastante - Fala Sans andando em minha direção.

- Ele realmente nunca viu um humano? - Eu começo a anda e ele me acompanha.

- Sim, você que sair do subsolo certo? - Eu balanço a cabeça positivivamente - Então eu vou te ajudar.

- Como assim? 

- Em outras palavras vou te acompanha até a barreira 

- Porquê?

- Isso já e outra história. 

Eu me pergunto, por ele sempre fala que outra história? Continuamos a anda eu enfrentei outros monstro em formas de pessoas, ate que Sans para de caminha.

- Bem logo você vai encontrar o Papyrus ,então eu vou está lá com ele até - após ele dizer isso , ele desapareceu 

(Aí te ver todos aqueles quebra-cabeças do Papyrus até que chegar á luta dela e do Papyrus)


•••••••••••••••••••♡•••••••••••••••••••


Notas Finais


Gente comente se querem continuação e me avisem se tive algum erro ok😉
No próximo capítulo terá momentos Frans
Eu também posto essa história no amino passem la ok
http://aminoapps.com/p/8jhqfp


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...