1. Spirit Fanfics >
  2. Descobrindo Você >
  3. A Bela Adormecida

História Descobrindo Você - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Yooo, pessoal 😬
Voltei depois de quantos séculos?? Kkkkkkkk e provavelmente vou demorar pra atualizar de novo, por causa das minhas outras fanfics e provas que eu infelizmente vou ter (odeio minha escola, vai tomar no cu)
Então, minha escrita mudou um bocado e eu percebi isso (lógico kkkkk), ainda mais porque, essa é uma estória de comédia e nesse capítulo eu foco muito num acontecimento, que vocês já vão ler, que meio que impossibilita a comédia INICIALMENTE. Claro, depois vem umas piadocas que, honestamente, eu nem acho que sejam tão engraçadas como as antigas, mas fé kkk 😹

Bem, espero que gostem e..

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A
!!! ❤

Capítulo 18 - A Bela Adormecida


Capítulo Anterior:

Porradas na porta do quarto. Me assustei com as batidas altas e grosseiras, logo imaginando que deveria ser Sasuke, e o próprio gritou do outro lado da porta.

- ITACHI, SOCORRO! EU MATEI O NARUTO! - A voz desesperada e chorosa era capaz de ser ouvida do outro lado da rua de tão alta.

Ao ouvirmos aquilo nossa reação foi instantânea.

- O QUÊ? - Dissemos em uníssono.

Capítulo Atual:

P. O. V. Sasuke

Depois de alguns segundos, que pareceram horas, Itachi abriu a porta do seu quarto, revelando o casal, que estava com os cabelos desarrumados e roupas ameaçadas, completamente eufóricos.

- O que aconteceu? - Meu irmão perguntou, segurando nos meus ombros, me olhando com o semblante sério. - Onde está o Naruto?

Não pude falar nada, estava muito nervoso, então apenas peguei um dos pulsos do Itachi e o do Deidara, levando eles para o meu quarto. Chegando lá, entramos no cômodo e vimos o meu loirinho deitado na minha cama, com os olhos fechados e sono profundo. Corri pra cama, largando os dois que me seguiram até a mobília. Subi no colchão e toquei a face adormecida do Naruto, chamando o seu nome baixinho e pedindo pra ele acordar, mas o mesmo não respondia aos meus estímulos. Senti meus olhos marejarem, então me abaixei e abracei o loiro, pondo meu rosto na curvatura do seu pescoço, tentando não chorar.

- O que houve? Por que ele não acorda? - Perguntou o Deidara, enquanto sacudia um dos braços do rapaz adormecido sob meu corpo.

- Ele me disse que estava com dor de cabeça, então eu fui na caixa de primeiros socorros, peguei um remédio de dor de cabeça e um pouco d'água, ele tomou e, depois de uns cinco minutos, começou a ficar sonolento. - Minha voz já estava embargada pelo choro, além de abafada pelo ombro alheio. - Eu trouxe ele pra cá, assim ele poderia descansar um pouco, mas ele dormiu e não quis acordar mais. Eu chamei e chamei, mas ele não quer acordar de jeito nenhum. - Esfreguei meu rosto na curvatura do seu pescoço, apertando-o mais contra meus braços.

- Há quanto tempo isso? - Perguntou o moreno mais velho, transbordando ansiedade.

- Umas três horas.. eu pensei que ele só estivesse cochilando, não imaginei que ele estava nesse estado. - Respondi, sentindo uma pontada no peito.

- E onde está o remédio? - Perguntou Deidara, com um tom sugestivo. Levantei o rosto, que está apenas úmido agora.

- Está na cozinha, dentro das caixa de primeiros socorros. Ela fica dentro do armário preto, em baixo da pia. O remédio tem uma embalagem azul e é uma pílula branca. - Vi o loiro concordar e seguir pra lá com pressa, me deixando sozinho com Itachi e Naruto.

Coloquei minha cabeça sobre o peito do mais novo, sentindo sua respiração profunda e lenta me acalmar um pouco, mas não o suficiente para tirar minha aflição interna. Senti meu cabelo ser afagado, sabendo que se tratava do meu irmão mais velho. Suspirei, pedindo em minha mente que o loiro acordasse, falasse com sua voz chatinha e adorável que está bem e me provocasse por ficar tão preocupado.

Ouvi passos apressados em direção ao quarto, vendo que o Yamanaka voltou com o remédio em mãos.

- E então? - Ouvi Itachi perguntar, tirando sua da minha cabeça e seguindo para o namorado.

- Sasuke, o remédio que você deu pra ele foi esse? - Perguntou, balançando a embalagem na mão. Concordei, esperando o outro prosseguir. - Faz sentido. Eu trouxe esse remédio pra cá quando eu tinha operado a minha mão. - Olhei-o atento, ficando preocupado de ter dado algo que realmente matasse Naruto. - Na época que eu tomava, cortava um comprimido em quatro pedaços com a faca e tomava um pedaço dele por dia com água, já que é muito forte. Aqui tem uma grande taxa de morfina, eu ficava dopado rapidinho e ele tirava toda a minha dor. - Ele explicou, me olhando sério. - Você deu metade do comprimido pra ele, Sasuke? Isso com certeza faria ele dormir sem acordar, pelo resto do dia.

Olhei para o Itachi e para Deidara, depois encarando o Naruto.

- Eu dei o comprimido inteiro.. - Me virei novamente para o namorado do meu irmão, vendo sua expressão de surpresa. - Mas ele vai ficar bem, certo? Isso não vai ter efeitos colaterais.. ele.. ele vai acordar, certo? - Falei, não segurando mais as lágrimas por ver o menor desmaiado em meus braços por minha culpa, sem poder fazer nada para reverter.

- Dei, temos que levar ele para o hospital. - Itachi ia se aproximar, mas foi impedido pelo loiro mais velho.

- Ele vai ficar bem, só vai dormir pelas próximas uma ou duas horas, aparentemente. - Ele falou, se aproximando de mim. Sua mão tocou meu ombro, me fazendo o fitar. - Tome conte dele por ora, eu e o seu irmãos vamos na rua comprar algo reforçado pra ele comer quando acordar. E, sim, ele vai acordar, só tem que esperar um pouquinho. - Falou ele e tocou minha testa com os dedos indicador e médio, imitando o gesto que o Itachi usa comigo como demonstração de carinho.

Vi ele se afastar e seguir com o Itachi para fora do quarto. Deitei ao lado do loiro, para não incomodar seu sono, e fiquei o encarando por uns 20 minutos, até ouvir o som da porta de entrada ser batida, indicando que os dois haviam saído.

Voltei minha atenção ao rosto adormecido do menor, tocando a face bronzeada e fazendo carinho nela, passando meus dedos pela sua bochecha com marquinhas, pelo contorno do seu maxilar, me focando naqueles pontos. Mesmo dormindo ele consegue ser lindo, com uma expressão tão calma e meiga, como se fosse um anjinho. Mas eu já estava com saudades de ver seus olhos azuis abertos, olhando, de preferência para mim, com um brilho que só aquelas turquesas possuem. Aproximei meu rosto do seu, podendo olhar melhor cada pequeno traço, os cílios claros e compridos, o nariz fino e pequeno, as bochechas marcadas e cheinhas, sua boca avermelhada que, desde que me entendo por gente, foi o meu desejo mais íntimo e profundo.

Minhas mãos passeavam nas suas madeixas loiras, enquanto nossas faces se encontravam perto o suficiente para que eu pudesse sentir sua respiração mesclar com a minha. Em algum momento, naquela apreciação velada por não sei quanto tempo, lembrei de um conto de fadas sobre uma princesa loira que foi amaldiçoada à dormir para sempre, até que.. recebesse um beijo de amor verdadeiro. Corei profundamente com o pensamento, mas não conseguia me repreender por tê-lo pensado.

Com cuidado, me mexi na cama, levando meu corpo pra cima do de Naruto; sentei em seu colo e abaixei meu tronco, deixando nossos rostos ficarem tão próximos quanto antes. Senti novamente sua respiração contra a minha, meu coração batia no meu ouvido, me deixando completamente aturdido. Sem mais delongas, aproximei meus lábios dos seus, deixando um selinho repleto de carinho nos lábios macios do loiro, mal o precionando contra o meu. O toque de lábios se pendurou por alguns segundos, mas logo me pus a afastar-me. Entretanto, senti minha cabeça ser precionada para baixo, tornando a colar meus lábios com os de Naruto. O que antes pressionava minha cabeça, agora se enroscava no meu cabelo enquanto eu sentia a língua quente se arrastar na minha boca. Senti que a língua retornou a boca do loiro recém desperto, então aproveitei a situação para adentrar a cavidade com a minha língua.

- Nhwm.. - Pude ouvir o gemido surpreso que o Uzumaki soltou.

Seu corpo estava debaixo do meu, nossos braços enroscavam os corpos um do outro e sua boca era quente e úmida, com uma língua atrevida que explorava a minha boca na mesma medida em que percorria a sua. Naquele momento, senti como se tudo finalmente estivesse em seu devido lugar, Naruto estava no lugar ao qual pertence; meus braços. Chupei sua língua durante o ósculo, ouvindo um suspiro manhoso e erótico do loiro. Tudo nele é erótico, seu jeito, sua aparência, seus movimentos, sua respiração, seus sons.. é como a sinfonia do inferno, composta pelo próprio pecado em forma de loiro gostoso.

Separei meus lábios para que pudéssemos respirar. Se uma vez já pensei que o Nirvana não existia, pude ter certeza de que ele é real ao ver como o loiro abaixo de mim se encontrava. Seus cabelos estavam bagunçados e seu corpo afundado no colchão e travesseiro, sua respiração era tão descompassada quanto a minha, mas era incomparável, seus olhos estavam brilhando em desejo e sua face se encontra vermelha, assim como seus lábios inchados. Tudo isso somado com o quão fodidamente lindo e sexy Naruto consegue ser. Sua mão saiu dos meus cabelos e seguiu para meu rosto, acariciando minha bochecha com tanto cuidado que parecia que eu iria quebrar ao toque.

- Suke.. - Me arrepiei por completo ao ouvir o meu apelido de infância ser dito por um Naruto sorridente, esse filho da Dona Kushina (descanse em paz) nem tenta disfarçar a malícia na voz. - Ou eu deveria ter chamar de Nii-chan? - seu sorriso se alargou mais à medida que eu corava como um tomate. Ele já está cem porcento bem!

- Olha.. - Tentei dar alguma desculpa, sabendo o que estava por vir.

- Não acredito que meu futuro irmão mais velho me tentou me assediar.. O que nossos papais vão dizer? - Ele perguntou cinicamente, claramente debochando da situação.

- Você fica muito mais gostoso quando não está falando, sabia? - Perguntei retoricamente, sentindo sua mão voltar ao meu cabelo e suas pernas cruzarem minha cintura. Isso seria muito mais fácil se ele não fosse tão.. ele.

- E o que você poderia por na minha pra eu ficar bem quietinho? - Ele indagou, me fazendo sorrir e voltar a me aproximar para um próximo beijo, mas seus dedos pousaram em meus lábios e ele riu baixinho, negando com a cabeça. Levantei uma sobrancelha, confuso com a situação. - Acho que você não entendeu.. O que você poderia por na minha boca pra eu ficar bem quietinho, Sa-su-ke? - Ele repetiu, sibilando meu nome de maneira tão promíscua que eu entendi exatamente o que ele queria.

Não é possível que esse dobe esteja falando disso, não é possível de nenhuma forma!

Ouvi a porta ser batida, me lembrando que o Uchiha mais velho e sua Sailor Moon travestida tinham ido na rua por causa desse capeta em forma de Uzumaki Namikaze. Saí de cima do meu loirinho com muito custo, desejando que aquela maldita versão da deep web de Barbie e Ken sumissem da face da Terra. Eles subiram conforme eu me arrumava e arrumava o meu futuro meio irmão e (se Kami-sama colaborar) futuro esposo.

- Otouto, chegamos! - o fuinha quase arrombou a porta, ficando em choque quando viu meu neném acordado e vivinho da silva. - ELE ACORDOU?!

- Não, Aniki, você acabou de cair em um ninjutsu de ilusão. - Falei e vi o mesmo revirar os olhos pelo meu comentário.

- E parece que o espírito emo revoltado voltou a habitar o corpo do Sasuke. - Disse o Yamanaka, fazendo todos rirem, menos eu, que fiquei indignado com esse emo oxigenado vindo falar de mim. - Você tá bem, Naru? Me diz como está se sentindo. - O franjinha da turma da Mônica jovem perguntou. Automaticamente olhei para o Uzumaki.

- Estou sim, só com um pouco de fome.. - Ele murmurou, pondo-se sentado e apoiando sua cabeça no meu ombro. - Eu tinha pedido agorinha pro Sasuke me dar de comer, né? - Sorri ouvindo isso. Um verdadeiro puto, isso que ele é.

- E o que você quer comer? - Deidara perguntou. - E não pode ser Ramén, senão você vai acabar desmaiando por desnutrição.

O garoto escorado em mim estava matutando o que queria, com aquela carinha pensativa fofa que só ele sabe fazer, mas sua resposta não foi nada fofa.

- Algo com leite! - Sorriu largo, animado. - Talvez um mingau de maizena.

Corei instintivamente, desejando esganar esse maldito pervertido.

Eles concordaram e desceram, não antes de me pedirem pra ajudar o Naruto a descer para a cozinha. Ele obviamente tentou esmolar que eu o levasse no colo, "Como uma noiva!", ele insistia. Depois de alguns segundos de falsa resistência, decidi pegá-lo em meus braços sem aviso prévio, lhe dando um susto.

- Por que você fica tão manhoso quando está mau? - Perguntei, sem realmente querer uma resposta.

Ele se segurou no meu pescoço e levou a boca ao meu ouvido.

- Porque eu sei que você vai me mimar.. - Depois dessas palavras e com o semblante divertido e convencido, ele me selou os lábios, separando-os e deixando um sorriso radiante tomar posse da face bronzeada. Sorri um sorriso provavelmente idiota para si, mas eu não me importava com isso. Só me importo única e exclusivamente com ele e com esse nosso momento.


Notas Finais


Eaii?? Gostaram?? Não gostaram??? O que acharam da minha escrita? Talvez vocês prefiram minha antiga escrita (eu era mais engraçada e criativa na época kkkkk)
Lembrem-se, comentários sempre serão respondidos e eu vejo vocês depois ❤😸

Beijinhos de Nutella e baybay 😽💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...