1. Spirit Fanfics >
  2. Descompasso >
  3. Gosto de Você

História Descompasso - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Meu Deusssss, nem sei o que escrever aqui pra expressar minha felicidade pelos mais de 100 favoritos!!!! Pode parecer pouco pra vocês, mas saber que tem 100 pessoínhas lendo e gostando do que eu escrevo me deixa bobinha.
Mas pulando minha emoção, quem não gosta de uma ceninha hot pula fora hahaha (mentira, pulem só a cena mesmo) e boa leitura 😘

Capítulo 13 - Gosto de Você


A tensão na sala silenciosa estava me estressando. E eu não sabia dizer qual era pior, a tensão de irritação ou a tensão sexual que pairava entre Naruto e eu.

Estávamos mais uma vez estudando e eu havia, de propósito, aproveitado que meu pai trabalharia ao dia para pagar sua falta, coloquei apenas uma camisola curtíssima com decote e passei um perfume suave que impregnava. Meu cabelo estava preso, para deixar a pele mais a mostra possível e eu sentia que estava enlouquecendo Naruto Uzumaki. Estávamos a mais de uma hora sentados em cima da cama, o que dava um clima pior (melhor) ainda e ele não conseguia se concentrar em nada do que eu explicava.

Mas apesar da provocação, eu estava irritada com ele. Queria pergunta-lo logo se ele estava mesmo ficando com Yukata, o que ele tava pensando da vida com todo esse joguinho, mas eu não era nada dele pra isso. Então resolvi entrar no game sádico.

- O que você não entende? — perguntei, vendo o olhar dele em meus peitos. Quase sorri.

- Não entendo nada — ele respondeu alheio.

- Que parte? — eu me levantei, andando ate minha mesinha rebolando mais do que o necessário e voltei para a cama com uma borracha na mão.

E é óbvio que eu não precisava de uma borracha.

- Naruto?

- O que há entre você e o Sasori? — ele disparou de repente.

- O que há entre você e a Yukata? — revidei, aproveitando a deixa.

- Nada! — ele respondeu rápido e suspirou. — Sakura-chan, a última vez que nos beijamos foi no jogo e eu já disse que não estou nem aí para ela. Você a única que eu gosto.

- Hm...

- E o cabeça de menstruação?

- A gente já ficou algumas vezes... mas não temos nada.

- Já ficou com ele? — Naruto perguntou, chocado. Eu abaixei a cabeça.

- Sim...

- Por que você só não fica comigo? — ele perguntou sério e eu o olhei, confusa.

- Como assim, Naruto? Você fala como se eu ficasse com todo mundo! Eu só fiquei com ele e o Sasuke.

- Era pra eu ter sido o seu primeiro... em tudo — falou firme e eu senti aquela coisa que só ele me fazia sentir, de novo. Que droga.

- Não precisa ser o primeiro. Só precisa ser o melhor... — falei o que passou por minha cabeça e depois quis morrer ao ver o quão oferecido pareceu.

- Se você me deixasse ser... — ele deitou na minha cama, esquecendo dos estudos e a visão dele todo lindo esparramado em meus lençóis me deu arrepios por todo o corpo. — Mas você não gosta de mim, não, é? — ele jogou verde, soando provocativamente gostoso.

Eu nunca pensei que gostaria tanto de alguns dias de suspensão.

- Acha que eu não gosto? — provoquei de volta e pude ver seus olhos brilharem, como se eu fosse a melhor coisa do mundo. — Você é o meu melhor amigo — dei um sorriso sacana e levantei uma sobrancelha. Ele riu, me olhando.

- O que estamos fazendo? — perguntou com um sorriso no rosto e eu dei de ombros. — É sério, Sakura-chan... se estiver brincando comigo eu vou ficar muito magoado com você — seu sorriso foi sumindo e meu coração disparando mais.

- Por que acha que estou brincando?

- Porque parece um sonho. Só vou acreditar que é real quando... — ele parou e eu o encarei. Naruto fechou os olhos parecendo pensar e eu mordi os lábios, pensando em como ele era sexy.

Não sei o que deu em mim, mas não me contive. Subi em seu colo de uma vez, com uma perna em cada lado de seu corpo e ele, ainda deitado, abriu os olhos e me encarou assustado. Seria até engraçado se eu não estivesse tão excitada.

- Está acreditando agora? — indaguei, fora de mim.

Eu tinha certeza que morreria de vergonha depois que o momento passasse.

- Sakura... chan — ele pareceu não estar conseguindo nem respirar e eu fiquei quente com seu olhar.

Apesar dos olhos azuis, eu só enxergava chamas ali.

Eu havia dito para Ino que sentia vontade de tirar a roupa quando estávamos juntos, mas preferi subir a camisa dele devagar, seria menos constrangedor.

- É melhor parar... — ele fechou os olhos, sentindo minhas mãos passarem por sua barriga e eu senti outra coisa roçando no tecido da minha calcinha, me enlouquecendo.

Meu Deus, quem eu tinha me tornado.

- Parar? — perguntei, me inclinando um pouco para frente, só para ficar com o decote na altura de seus olhos.

- Se não parar agora... vai se arrepender depois — disse sedutoramente.

- Eu não vou me arrepender de nada — disse com convicção e ele me encarou sério.

- Você não é só mais uma pra mim, Sakura-chan — declarou e eu dei um pequeno sorriso. Eu não me sentia mais desconcertada com suas declaração como antes.

Eu me sentia feliz.

- Eu sei — falei, tímida e ele parecia esperar por algo. Eu suspirei. — Você também não — foi o que eu consegui dizer e ele ficou sério. Quando me dei conta, eu estava sendo virada e agora ele quem estava por cima, me encarando com um sorriso sacana.

- Lembra do que eu disse na cozinha? — perguntou e afundou o rosto no meu pescoço, distribuindo vários beijos molhados ali, enquanto friccionava seu corpo contra o meu, o que era muito gostoso, já que eu estava apenas com uma calcinha fina.

Quem diria, eu, Sakura Haruno, rendida aos encantos de Naruto Uzumaki.

- Admita — sussurrou em meu ouvido e eu sorri.

- Admitir o que? — me fiz de boba.

- Que me ama — meu sorriso morreu.

Ok, eu estava atraída por Naruto, sentia um tesão surreal por ele e até gostava dele, mas amar...

Dei graças a Deus quando meu telefone tocou, mas ele não me soltou.

- Ignora — ele pediu choramingando.

- Pode ser importante. Tinha uma chamada perdida da minha mãe — ele me soltou rápido e eu atendi o celular sem nem ver.

- Alô?

- Sakura, estou aqui em baixo! Como vi a moto do Naruto na rua, eu não quis bater... está ocupada?

Graças a Deus interrompeu, Ino.

- Eu já vou abrir — desliguei.

- Quem era? — Naruto perguntou com uma careta.

- A Ino. Ela está lá em baixo. Eu esqueci que tinha marcado com ela.

- Vocês estão mesmo amigas. E marcado quê?

- De a ir a sua casa. E eu preciso da sua ajuda — fiz um biquinho e ele suspirou.

Naruto foi na frente de moto e já estava a par do meu plano. Ino estava nervosa. Custou a concordar, mas por fim se rendeu. Ela estava mesmo a fim do Gaara, pelo visto.

- E se não der certo?

- Se não der certo, você não perdeu nada — dei de ombros e tocamos a campainha. Naruto atendeu e nós entramos, vendo Temari no sofá. Ele subiu, nos deixando sozinhas e então Temari e Ino se encararam. As duas não se suportavam mesmo.

Quem suportava Ino também?

- Hm... Ino, talvez eu tenha te julgado mal. Achei que pularia no Shikamaru assim que terminássemos — Ino fez uma careta.

- Seu ciúmes é sem fundamento. Shikamaru e eu somos e sempre fomos apenas bons amigos.

- Acho que eu estava meio afetada por causa do Naruto e da Sakura — eu a olhei confusa. — Que é? Só burro não vê o lance entre vocês. Desde sempre. Então como vocês quatro eram melhores amigos antes da merda toda com o Sasuke, achei que ele e Ino se gostavam, assim como você e o Naruto.

- Eu não gosto do Naruto!

- Sakura, para — Ino disse, fazendo pouco caso e então encarou Temari. Que atrevida! — Mas seguinte, eu te ajudo com o Shikamaru, mas preciso que me ajude com uma coisa também.

- No que eu poderia ajudar você? — Temari estava confusa.

- Ela está apaixonada pelo seu irmão — mandei na lata.

- O que? O Gaara? — Temari fez careta. — De onde isso surgiu? Vocês só deram um beijinho.

- Apaixonada é muito forte, Sakura! — Ino me repreendeu.

Se era muito forte então era melhor ela tomar cuidado.

- Eu não sei se quero você como minha cunhada, mas caso eu não estivesse nem aí, no que eu poderia ajudar? Gaara não ouve nada do que eu digo. — eu suspirei.

- Não é bem ajudar... é só concordar — eu forcei um sorriso e ela me encarou.

- O que está aprontando, Haruno?

- A Ino precisa de um lugar pra ficar, aí eu pensei que ela podia ficar aqui.

- O QUE? De jeito nenhum! E que história é essa de lugar pra ficar? Que eu saiba ela vive em uma mansão enorme.

Ino suspirou e contou vagamente sobre a situação, mas Temari não estava convencida.

- Pensa só. Ino vai poder ficar perto do Gaara e o Shikamaru sempre vai vir visita-la, além dela fazer uma ponte entre vocês e todo mundo fica feliz.

- E onde ela vai dormir? No meu quarto?

- No do Gaara — eu sugeri, rindo.

- Sakura! — Ino exclamou.

- Eu não acho uma boa ideia — Temari estava muito relutante.

- Temari... eu perdi tanta coisa e pessoas enquanto estava com Sasuke, mas principalmente perdi a minha felicidade. Agora que eu estou melhor, que quero seguir em frente, quero deixar para trás tudo o que me faz mal. Inclusive qualquer briga idiota que nós já tivemos. Eu preciso e estou aqui pedindo a sua ajuda. Não é só por causa do seu irmão. Eu não aguento mais aquela casa. Não me deixe voltar para lá. Minha malas já estão até na casa da Sakura, porque achei... achei que você aceitaria, porque te acho uma boa pessoa.

O discurso de Ino havia impactado Temari. Eu percebi pelo olhar dela. E na verdade, havia me impactado também. Eu me sentia como ela. Queria deixar tudo o que me fizesse mal para trás. Dali em diante eu só me importaria em ser feliz.

- Hm... você pode ficar no meu quarto. Mas se tocar em algo meu eu te esmurro — Temari desviou o olhar e nós duas gritamos, indo abraçá-la.

- Temari, a Ino precisa de um lugar. Não seja tão egoísta! — Naruto desceu dizendo o que havíamos ensaiado e eu ri.

- Ela já aceitou, baka. No fundo ela tem coração sim.

Meu celular começou a tocar e era um número que eu não conhecia. Temi que fosse minha mãe.

- Alô? — atendi e então me assustei.

- Sakura? É o pai da Hinata.

- Hm... oi, Hiashi-san — respondi nervosa e três cabeças viraram para me olhar.

- A Hinata está com você? — eu gelei. E se ela estivesse escondida com Sasuke e precisando que eu acobertasse.

- Hm... — fiquei sem saber o que dizer.

- Nós tivemos um desentendimento hoje. Eu queria saber se ela está bem. Neji está como um louco a procurando.

- Ah, sim... ela está comigo sim. Mas ela não quer ver ninguém agora. Sabe como é, né? Está muito chateada com o senhor. Mas está tudo bem — menti na cara de pau sem nem saber o que estava acontecendo.

- Que alívio. Só peça a ela que volte amanhã cedo. Tenham uma boa noite — ele disse todo formal e desligou.

Eu entrei em pânico e pedi o celular da Ino.

- Sakura, que foi?

Eu cacei o número de Sasuke e botei pra chamar, enquanto ruía as unhas.

- Que foi, Ino?

- Sasuke, é a Sakura. A Hinata tá com você?

- Não, por quê?

- Hm... ela brigou com o pai e saiu de casa.

- Eu vou procura-la.

- Se achar, manda ela me ligar.

- Certo.

- A Hinata sumiu? — Naruto perguntou quando desliguei.

- Parece que sim.

- Garota problemática — Ino implicou.

Nós sentamos os quatro no sofá e ficamos esperando algo, enquanto olhávamos para o nada. Temari e Naruto estavam impacientes, enquanto Ino pensava porque ela fugiu. Eu estava nervosa, só queria notícias.

Depois do que pareceu uma eternidade, meu telefone tocou e eu atendi rápido.

- Sakura — era a voz de Hinata. Respirei aliviada.

- Ainda bem! O que aconteceu?

- O de sempre. Eu não aguento mais esse castigo! Mas eu estou bem. Te conto tudo mais tarde. Posso dormir na sua casa?

- Claro! Eu estou aqui no Naruto, mas já estou indo embora.

- Não se preocupe. Eu vou ficar um pouco aqui com o Sasuke-kun — eu sorri, achando bonitinho.

- Tudo bem... se cuida.

- E aí? — Temari perguntou.

- Está tudo bem — garanti e respirei aliviada.

- Então, Ino, vamos lá conhecer o quarto. Um dos meninos busca as suas malas na Sakura depois — Temari disse de má vontade e Ino assentiu. Elas subiram e eu fiquei a sós com Naruto.

Admito que fiquei nervosa. Aquela pergunta dele me deixou encabulada. Estava ecoando em minha mente ainda.

- Eu vou indo...

- Eu te levo.

- Não precisa!

- Faço questão — ele riu e saiu correndo para o andar de cima. Logo voltou com dois capacetes, me olhando sugestivo. Eu suspirei.

- Hoje é aquele dia que eu te falei uma vez — falei e ele me encarou confuso.

- Que dia?

- Que você pode me internar porque enlouqueci — falei, pegando o capacete de sua mão e Naruto riu.

Assim que montei na moto atrás dele, fiquei embriagada com seu perfume. Me segurei em sua cintura firmemente, com medo de cair e ele arrancou sem a menor delicadeza, me fazendo fechar os olhos.

- Não acredito que você está na minha garupa. Agora eu sei que você está caidinha por mim! — ele gritou e eu abri os olhos, apertando ele com minhas unhas.

- Cala a boca — falei, envergonhada e vi que andar de moto nem era tão ruim. Na verdade, era gostoso sentir o vento batendo no rosto. Uma adrenalina engraçada.

- Está gostando?

- Uhum — confessei.

- Finalmente podemos parar de andar de bicicleta então — eu sorri de canto. Hoje em dia andar de bicicleta com ele nem me parecia ruim.

Tudo sobre Naruto havia ficado subitamente bom para mim.

Quando ele estacionou na minha porta, eu desci da moto feliz, tirando o capacete.

- Eu adorei! — disse com sinceridade e ele sorriu, me olhando.

- Você está diferente. Está mais... colorida.

- Colorida? — fiquei confusa.

- Sim. Parece uma flor que desabrochou — apreciei sua comparação e o encarei de volta.

- Eu me sinto assim mesmo... — entreguei o capacete. — Mas, bom, você podia levar uma das malas da Ino. São três malas super exageradas, mas ela está sem nada lá — eu sugeri e Naruto assentiu. Nós entramos e eu apontei para as malas lilás enormes. Naruto fez uma careta.

- Temari vai surtar — eu ri.

- Pode escolher qual você quer. Eu vou subir e tomar um banho. Fecha a porta quando sair!

Enquanto eu me deliciava na água quente do chuveiro, pensava em Hinata. Ela nunca fugiria assim, preocupando o pai. Alguma coisa tinha acontecido e Sasuke e ela estavam tão íntimos. Ele a achou tão rápido.

Sorri.

Bem que dizem que dá tudo certo no final.

Quer dizer, ela e Sasuke estavam juntos, o que era muito louco parando pra pensar. Ino estava bem sem Sasuke e agora tudo se encaminhava para que ela ficasse mais bem ainda com o Gaara e Temari com o Shikamaru.

Saí do banheiro pensativa, enrolada na toalha e vi Naruto jogado em minha cama.

- O que foi? — perguntei com timidez e quase voltei para dentro do banheiro. Ele me encarou.

- Eu queria saber se você tem uma corda para amarrar a mala.

- Tenho... — o celular dele tocou e ele bufou quando olhou o visor e recusou.

- Quem era? — perguntei desconfiada, mas ele não respondeu. — Já sei quem era. Naruto, sai do meu quarto. Eu quero me trocar. A corda está num armário lá na área de serviços — apontei para a porta e ele se sentou na cama.

- Por que ficou tão brava?

- Por que essa garota não larga do seu pé! — falei como uma doida e ele me olhou todo cafajeste.

- E que culpa eu tenho? — perguntou como se fosse o maior santo do mundo.

- Se ela se sente a vontade para te ligar é porque você dá liberdade! — acusei e ele levantou, se aproximando.

- Por que você está brigando comigo?

- Por que você é um canalha! — surtei de ciúmes e ele me puxou pela cintura. Só havia uma toalha impedindo que eu ficasse nua. Isso era perigoso.

- Sabe que isso não é verdade. Ignorei todas as ligações dela desde o jogo.

- O jogo que vocês se beijaram na frente de todo mundo!

- E você que estava beijando o Sasori dentro da minha casa! — ele acusou de volta e eu fechei a cara.

- A gente não tava se beijando!

- Por que eu cheguei!

- Fala a verdade. Você gosta dela?

- E você? Gosta dele?

Eu me estressei.

- Eu gosto de você! — nós dissemos juntos. Ele me encarou. Os olhos brilharam e as sobrancelhas ergueram de uma vez.

- O que você disse? — eu olhei para baixo, tímida agora. Eu e minha boca grande.

- Disse... que gosto de você — repeti e fechei os olhos com força. Isso era tão constrangedor. Me soltei de Naruto, me virando de costas e dando passos lentos. Ele me seguiu, me abraçando por trás.

- Você jura? Jura que não está brincando comigo? — ele perguntou, desacreditado, parecendo maravilhado com o fato de eu gostar dele.

Eu, toda sem sal e ele, super gato. Aiai.

Me virei, olhando em seus olhos e aquela imensidão azul me inebriou. Peguei sua mão e ignorei o fato de que estava só de toalha, a colocando no meu coração. Naruto me encarava sério.

- Ele sempre bate assim quando estou com você — sussurrei e ele se aproximou de mim, segurando em minha cintura. Seus olhos surpresos, passaram para desejosos e eu senti algo em mim se contorcendo. Eu ia surtar.

- Eu posso mesmo...? — ele pediu, agora bem próximo de mim e eu sorri leve, achando fofo.

- Você pode fazer o que quiser — sussurrei.

Cada parte do meu corpo tremeu quando ele encostou os lábios dele nos meus. Foi devagar, pois ele parecia estar com medo de algo acontecer. Eu fiquei na ponta dos pés e o abracei. Naruto aprofundou o beijo e quando sua língua tocou a minha, eu jurei que estava no céu. O beijo que começou tímido, agora estava urgente e desesperado, como se aquilo fosse a melhor coisa do mundo.

E era.

Beijar Naruto, era definitivamente, a coisa mais gostosa que eu já havia feito em toda minha vida. Nem se comparava com outros beijos. Beijar quem a gente gosta é maravilhoso.

O beijo foi ficando safado, com as mãos dele me percorrendo de cima a baixo e então ele cambaleou até a cama, me puxando junto e caiu sob ela. Nem assim eu me desgrudei de seus lábios. Sentei em seu quadril pela segunda vez naquele dia e ele me beijou desesperado, como se fosse a última coisa que faria na vida.

O desepero parecia até um desejo reprimido de todos esses anos. Um desejo que eu nem sabia que tinha, mas Naruto sabia muito bem, pelo jeito que me agarrava com afobação.

- Sakura-chan... — ele sussurrou e eu o puxei pra cima, o fazendo sentar. Tirei sua jaqueta e depois sua blusa com urgência e quando abracei seu dorso nu, um vulcão explodiu dentro de mim. Eu estava quente, excitada e muito molhada. Naruto aproveitou a posição e arrancou a toalha de mim como um animal, encarando meus seios bem pertinho de seu rosto. Meu ventre se contorceu. Era visão mais erótica que eu já havia visto na vida.

Ele me olhava como se eu fosse a coisa mais gostosa do mundo, babando.

- São lindos... — ele tocou meu piercing direito e eu me mexi inquieta em seu colo, o fazendo fechar os olhos. Quando ele abriu de novo... era outro Naruto.

Gemi ao sentir sua boca em meu seio e eu deveria parar de dizer que era a melhor sensação do mundo, pois estava percebendo que as coisas com Naruto ficavam cada vez melhores.

Suas duas mãos foram parar em minha bunda, apertando, enquanto ele foi para meu outro seio e eu gemia como louca, quase gozando só daquele jeito. Naruto me virou na cama e se levantou tirando o resto de sua roupa e quando eu o vi nu, quase pirei, apertando meus dedos do pé e me contorcendo de prazer só de olha-lo.

Ele deitou sobre mim e me beijou. O beijo dele era tão gostoso, ainda mais com seu sexo friccionando o meu. Isso era realmente o céu.

- Naruto... — gemi em seu ouvido, fazendo ele apertar minha cintura com força e grunhir em resposta. Naruto beijou meu pescoço, meus seios e minha barriga, mas quando desceu mais, eu contraí as pernas. Ele me olhou como um animal faminto, totalmente delicioso e gostoso.

- Abre — ele mandou, com a voz rouca de excitação. Eu estava com tanto tesão que não conseguia raciocinar. — Você é linda. Quero te ver... e te provar inteira — eu perdia tudo para Naruto. Fechei os olhos e abri as pernas, sentindo meu corpo todo quente demais. — Abre os olhos. Quero que me veja te chupando. Quero que veja que é minha — ele disse sensualmente e eu poderia morrer de prazer só de ouvi-lo falar. Abri os olhos, que estavam até marejados e pisquei inteira ao ver sua cabeça entre minhas pernas. Ele encaroou minha intimidade como se fosse melhor que todos seus lámens e se aproximou, chupando com força. Eu gemi alto e continuei gemendo conforme ele chupava.

Deus, se eu soubesse que era tão bom, tinha dado para Naruto antes.

- Sua boceta é tão gostosa. Você é deliciosa — ele dizia, insanamente, me fazendo delirar cada vez mais. Eu não consegui mais deixar os olhos abertos. Seu dedo brincou na minha entrada e eu rebolei contra sua boca, o fazendo gemer baixinho. Estava tão, tão, tão... bom.

- Na... ruto — praticamente gritei, sentindo todo meu corpo estremecer e meus dedos se contorcerem, enquanto uma sensação avassaladora me tomava, me fazendo querer gritar, seguida de um relaxamento divino.

Era isso. Eu tinha chegado no céu.

- Gozou pra mim, é? — ouvi Naruto dizer e se deitar novamente em cima de mim. Ele estava enlouquecido.

- Quero você — pedi baixinho e o beijei profundamente. Naruto me apertava como se eu fosse uma massinha, mas naquele momento tudo me era excitante. Inclusive seu pau roçando na minha boceta extremamente molhada. — Quero você em mim agora... — sussurrei em seu ouvido e ele grunhiu contra meu pescoço.

- Sakura... tem certeza de que quer fazer isso comigo? — ele me olhou, cheio de tesão, mas arrumando controle para me perguntar uma coisa dessas.

Era realmente o Príncipe encantado.

- Você é a única pessoa com quem eu quero fazer — confessei, fazendo seu olhar mudar. Ele me encarou carinhosamente. Eu dei um leve sorriso e ele se levantou, caçando sua calça e quando achou a carteira, ficou procurando algo ali, mas parecia não estar achando.

Logo me toquei que era a camisinha.

- Hm... Sakura-chan... — ele chamou, enquanto eu encarava seu membro ereto, apontado para mim. Minha curiosidade se aguçou.

- Hm?

- Não tenho camisinha — o olhei séria. Eu também não tinha, mas havia outros planos em minha mente.

Levantei da cama e andei até ele, que me olhou confuso. Eu o empurrei para sentar na cama e quando me ajoelhei, seus olhos se abriram assustados.

- Sakura, você não...

- Quero te dar prazer — o interrompi e seu olhar ficou ansioso em mim.

Eu encarei meu mais novo brinquedo com curiosidade e pus a mão fechada em volta dele. Senti os músculos de Naruto retesarem e sua respiração ficar pesada. Minha boca salivou e eu me aproximei, lambendo. Ele gemeu. Botei a boca de uma vez e suguei a cabeça, ouvindo ele gemer mais alto um palavrão. Aprofundei minha boca até onde consegui e comecei a subir e descer, ouvindo seus gemidos deliciosos por minha causa. Ele dizia coisas que faziam meu interior ferver. Me chamou até de puta e eu amei.

No que o tesão transforma a gente?

Em uma hora ele segurou em meu cabelo e começou ele mesmo a enfiar em minha boca, enquanto eu me deliciava com sua loucura. Aquilo era maravilhoso.

- Sakura-chan... — gemeu baixo e sua velocidade aumentou, fazendo minha boca aberta doer um pouco, mas nem me importei. Ele gemeu um pouco mais alto e então eu senti um líquido quente jorrar na minha boca.

Eu me senti orgulhosa.

Me levantei, indo ate o banheiro cuspir na pia, pois não estava acostumada a essa consistência esquisita ainda e voltei, deitando ao lado dele. Naruto estava todo sorridente e me abraçou.

- Essa foi a melhor foda da minha vida — ele falou alheio e eu sorri. Seu peito subia e descia rápido.

- Mas a gente nem transou.

- Imagine como será incrível então — ele suspirou e eu me mexi, me deitando por cima de seu corpo e olhando seu rosto bonito.

- Você... gostou mesmo? — ele sorriu carinhosamente e fez carinho no meu cabelo.

- Você foi perfeita — eu sorri.

- Agora acredita que eu gosto de você? — perguntei infantilmente e ele assentiu.

- Acho que vou acordar no meu quarto e isso vai ser só mais um dos sonhos eróticos que eu tenho com você — eu fiz uma careta. — Nem acredito que você me deixou... te tocar assim.

- Nem eu — assumi. — Mas eu devia ter deixado antes — seus olhos brilharam ao me olhar. Ele ia dizer algo, mas eu ouvi um barulho no andar debaixo e corri para trancar a porta.

- Sakura-san? — ouvi Hinata chamar lá de baixo. — A porta estava aberta. Sasuke entrou comigo porque achamos estranho...

- Eu tenho um arma — ouvi a voz de Sasuke falando idiotamente e arregalei os olhos. Naruto começou a rir.

- Quem é o imbecil que anuncia que tem uma arma? — debochou.

- Dobe? — Sasuke chamou. — Vocês estão transando e deixaram a casa toda aberta?

- A gente não tá transando! — eu gritei, morta de vergonha. — Naruto, eu não pedi pra fechar o caralho da porta? Veste logo a roupa! — sussurrei para ele e peguei uma roupa para vestir. Quando estávamos devidamente descentes, eu dei uma penteada no cabelo e nós descemos. Hinata estava totalmente vermelha, enquanto Sasuke tinha um sorrisinho sujo na cara.

- O que vocês estavam fazendo? — ele perguntou debochado e eu fechei a cara.

- Não é da sua conta! — Naruto e Hinata me encararam surpresos.

É, aquela era primeira vez na vida que eu respondia Sasuke Uchiha.

Então eu comecei a rir. Eu estava tão feliz ultimamente.

Só não sabia que logo essa felicidade viria por água a baixo.

Continua...


Notas Finais


Admito que sinto vergonha de escrever cenas de sexo, pois não sei o que cada um espera, mas fiz do meu gosto, espero que tenha agradado 🙈 e quem aí achou quem iam transar mesmo hein? Kkkk
Mas o auge mesmo foi a Sakura finalmente andando de moto com o mozão, né? Hahahaha
Gostaram do capítulo? Espero que sim porque a partir daqui vocês vão querer bater no Naruto 🤭
Beijos e até o próximo 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...