História Desde o Primeiro Encontro - Vauseman - Capítulo 54


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Adolescentes, Alex Vause, Drama, Festa, Lgbt, Orange, Piper Chapman, Revelaçoes, Romance, Tensão, Vauseman
Visualizações 78
Palavras 4.589
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!

Mais um capitulo fresquinho!

Perdoem qualquer erro, e meus agradecimentos aos que estão acompanhando, comentando!
Adoro vocês! Vocês é que dão animo pra gente continuar mesmo com a correria do dia a dia e a falta de tempo!

Perdoem qualquer erro!

Capítulo 54 - Primeira DR


Fanfic / Fanfiction Desde o Primeiro Encontro - Vauseman - Capítulo 54 - Primeira DR

ALEX POV

No dia seguinte após a aula me encontrei com Piper no Star Café, nós duas conversávamos cheias de chamego no balcão do bar que já enchia de alunos famintos para o almoço, como sempre o bar era local de encontro de todos do colégio, nós duas não conseguíamos segurar os olhares e mesmo sem poder toca-la ali, meu coração batia forte só de estar perto dela.

— Amor me encontra na pracinha daqui a pouco? Naquela outra da rua de cima, Quero te fazer um convite? — Disse me segurando pra não tocar em sua mão em cima do balcão.

Piper percebeu a presença de Silvia e então quis se retirar.

Piper assentiu com a cabeça — Bom, já está na minha hora né, depois a gente se fala. — Saiu acompanhei com meu olhar enquanto ela saia.

Silvia percebeu a aproximação de nós duas e se aproximou, se colocando no local onde Piper estava.

— Alex..

Olhei pro lado oposto a ignorando.

— Alex — Silvia insistiu

A fitei, mas nada disse..

— Olha bem na minha cara e me responde com toda sinceridade tá, o que que esta rolando entre você e a Piper em?

Garota insuportável do caralho, será que nunca vai me dar paz? Agora vou ter que mentir..

Cocei meus olhos por traz dos óculos — Piper? Como assim eu e a Piper do que você está falando em?

— Alex não me enrola tá, você e a Piper estão juntas ou não?

Me levantei irritada — Claro que não, de onde você tirou essa ideia Silvia, você ficou louca? Você sabe que eu odeio a família dessa garota!

— Que você odeia a família dela eu sei Alex, mas será você odeia a Piper também?

Engoli em seco — É claro que eu odeio a Piper, hoje mesmo eu tive uma discussão feia com ela, você não viu? A gente estava discutindo antes de você chegar.

— Uhum, então já que vocês não estão juntas, então porque que você esta sozinha Alex? Você nunca fica sem peguetes, o que que esta acontecendo?

— Porque sim, eu to sozinha porque eu quero, resolvi seguir carreira solo por enquanto não posso? — Percebi que não devo nenhuma satisfação pra essa garota irritante — O Silvia o que que foi? Virou central de informação agora? Que interrogatório é esse em?

— Nada, eu só estava querendo saber de você..

— Eu to muito bem obrigada, agora da licença que eu tenho aula de capoeira e isso é tudo que você tem que saber!

— Mas hoje não é dia de aula!

Não é possível que essa garota sabe até dos meus horários, Anda me seguindo por acaso?

A fitei — É aula particular Silvia, aula extra tá? Agora me da licença que eu to atrasada!

Fui direto pra pracinha, mas me certifiquei que a maluca da Silvia não me seguia, graças a Deus nem sinal dela atrás de mim!

— Alex essa pracinha é sempre muito romântica, mas nessa hora não é perigoso a gente ficar aqui não? Olha que povo estranho.

Piper perguntou enquanto caminhávamos, parecia tensa, a pracinha era mal frequentada mesmo nessa hora do dia, e ela toda meiga e delicada tinha medo, é compreensível.

Mas ainda me preocupava com a Silvia na nossa cola.

— Olha Piper eu prefiro dar de cara com qualquer assaltante do que sermos pegas pela Silvia!

Piper se estressou, pois não pode nem ouvir o nome “Silvia” Que já fica irritada.

Me encostei nas costas de um banco a sombra de uma arvore, ela ficou a minha frente toda irritada de braços cruzados.

— Essa garota é pior do que filme de terror né? Quando a gente pensa que ela já morreu ela volta com tudo pra assombrar! Vem cá, ela ta dando em cima de você de novo é?

Maneio a cabeça em negativa, ajeito meus óculos no rosto — Não, muito pior do que isso Pipes ela esta desconfiada do nosso namoro, me fez o maior interrogatório hoje!

— E o que que você falou pra ela?

— Eu comecei enrolar ela né, daí eu percebi que não tinha que dar satisfação nenhuma, dei um passa fora nela e fui embora.

— É, como se a gente não tivesse problemas o suficiente né? Agora mais esse, “Silvia” o que que eu fiz pra merecer isso em?

Sorri maliciosamente, pois fico louca quando ela fica irritadinha assim, e ainda mais quando fica com ciúmes, peguei sua cintura a trazendo mais perto — Se apaixonou por mim! — Acariciei seu rosto

Ela deixou a irritação de lado e se rendeu — Então vale a pena qualquer sacrifício! — Com ousadia tomou meus lábios, Piper fica assim quando sente ciúmes, parece que quer mostrar que é dona de mim, e ela é mesmo!

Nos beijamos, mas ela se afastou rapidamente — Você ouviu um barulho? Será que é alguém nos vigiando?

— Não, ninguém viu a gente vindo pra cá — Sai do encosto do banco onde estava encostada e a encostei nele ficando agora em seu lugar tomando conta da situação, como eu gosto, olhei em volta e não vi nada, somente uns nóias sentados mais a frente fumando maconha, o cheiro estava horrível, gosto de beber mas drogas, cigarros tenho pavor e Piper também  — Acho que não foi ninguém — A cerquei nas costas do banco com uma mão de cada lado — Acho que foi só o meu coração batendo forte — Falei em seu ouvido e em seguida a beijei, não poderia aprofundar o beijo como desejava, pois era uma praça em plena luz do dia, o que iriam pensar né? Duas garotas se pegando!

— Vai ter baladinha no Star Café a noite, vai ter DJ e tudo vamos? — Perguntei 

— Vamos, mas não podemos dar bandeira lá na frente das pessoas, se controla!

Ri — Vai ser difícil me controlar, mas vale a pena, precisamos nos divertir um pouco não acha?

Ela concordou e então ficamos de nos encontrar a noite no Star Café, pois teria DJ e uma festinha bem animada com a galera toda. O que pra nós é bem melhor né? A noite, escurinho... Mais fácil de passar a despercebido e eu posso aproveitar mais a minha namorada.

Já era noite, me arrumei, coloquei uma calça preta justa e uma blusa cinza com um colete jeans por cima, deixei minha tatuagem a mostra, cabelos soltos e uma make mais forte. E fui pro Star Café para encontra-la. No caminho encontrei Nicky encostada em seu possante tomando uma cerveja, estava sozinha.  

— Ai Nicky, você não vai no Star?

— Vou mana, to esperando a Lorna aqui, mas ela ta mega atrasada, deve estar escolhendo uma blusa até agora, aquela lá pra se arrumar leva horas nunca vi, e ó, você tem que tomar cuidado mana, fui lá pegar uma cerveja e a Silvia tava lá, veio com uma conversa pra cima de mim, ela ta desconfiada que você voltou com a Piper não fala em outra coisa, ta perguntando Deus e o mundo.

Bufei levando as mãos na cintura — Eu sei Nicky, ela me pressionou, fez o maior interrogatório hoje!

— É, então, toma cuidado, aquela lá desconfia de tudo em, é cobra.

— Tá, Agora deixa eu ir, que de repente ela já foi e eu consigo ficar numa boa lá com a Piper.

— Não, não, não, ela tá lá, acabei de sair de lá não te falei, mas tomara que hoje você esteja com sorte e ela já tenha ido.

— É, tomara!

Quando entrei no bar, estava escuro, apenas com aluminação colorida das luzes de baladinha e do globo que girava no teto to bar, a musica era agitada e o pessoal dançava animado. Caminhei pelo bar procurando pela Piper, pois ela poderia ter chegado antes de mim, olhei pelo bar inteiro mas ela ainda não tinha chegado.

Eu caminhava entre a pista de dança com meu olhar atento, iria ficar no balcão mesmo tomando uma cerveja enquanto a esperava. Bom esse era o plano né!

Silvia surgiu, pulou em minha frente do nada se agarrando em meu pescoço.

Gritou, parecia ter bebido — Oiii, oi Alex, eu estava só esperando você chegar pra gente dançar, você esta mais gata hoje que o normal em! Eu sei que você adora essa musica! — Ela se insinuava pra mim dançando

Retirei suas mãos de mim e dei um passo para traz — Silvia eu não to afim de dançar!

— Como assim você não ta afim de dançar? O que que você veio fazer aqui então?

— Vim ver a galera não pode?

— Huuum — Voltou a me agarrar — Você esta muuuito estranha, não quer dançar, quer ficar ai sozinha, qual é? Eu acho que você esta escondendo alguma coisa em!

Essa garota é fogo, eu preciso dar um jeito dela sair da minha cola, vou ter que dançar com ela pelo menos pra disfarçar, não vai ter jeito.

— Eu não to escondendo nada — Revirei os olhos — Tá bom, eu sei que você não vai desistir, mas só uma musica em!

Ela se agarrou em mim, e e sem que eu menos me desse conta me beijou, tentava aprofundar o beijo enfiar sua língua, mas travei a minha, fazia força pra afastar ela de mim mas ela não saia, quando por fim usando de mais força e sendo bem estupida consegui afasta-la.

— Silvia não faz isso, pirou foi?

Fitei Piper de braços cruzados a minha frente, vendo tudo... Ela estava muito linda, um vestido curto amarelo, super produzida, maquiada, cabelos soltos, Puts agora eu to encrencada mesmo, ela vai entender tudo errado que merda!

Meu coração acelerou e minhas pernas até tremeram com o olhar que ela me dava, dava pra perceber a quilômetros de distancia que ela estava furiosa!

Silvia continuava se insinuando — Vai dizer que você não gostou Alex? São só uns beijinhos pra matar a saudade!

Piper passou por nós a sangue frio, o que eu não sei se é bom ou ruim, as vezes preferia que ela fizesse um escândalo, me batesse ou batesse em Silvia do que me olhasse daquele jeito, me dava medo. Ela se foi sem dizer nada, Silvia não a viu.

Empurrei Silvia — Silvia não, chega disso!

— Porque não? Pelo que eu me lembre você sempre gostou dos meus beijos!

Vi que Piper ainda olhava de longe...

— Silvia, eu não quero mais,  vê se entende isso, que droga!

— Vem cá, de uns tempos pra cá você só me da essas respostas evasivas né? Que vai ficar sozinha porque sim, não quer ficar comigo porque não ta afim, o que que esta acontecendo Alex fala? — Silvia estava alteradíssima por conta da bebida

E eu já estava uma pilha, minha vontade era dar na cara dela e sair correndo atrás de Piper, mas não poderia dar bandeira assim. Silvia iria perceber na hora.

— Silvia, eu não quero mais ficar com você porque não tem mais nada a ver, eu não tenho mais vontade de ficar com você entendeu?

Ela entristeceu seu olhar — Entendi.

— Desculpa ter sido rude e direta com você, mas você me obrigou!

Sai do bar e passei por Piper sem dizer nada, eu também já estava uma pilha, ela apenas me fuzilou com aquele olhar duro, fui pra rua, fiquei entre uns carros que estava mais afastado sem ninguém por perto.

Piper me seguiu é claro, nem precisa falar em como ela estava furiosa. E com razão eu no lugar dela nem sei o que teria feito.

Cruzou os braços, seus olhos saíam faíscas de ódio — O que foi aquilo Alex?

Retirei meus óculos — Pipes desculpa, ela estava cheia de neura, ela me obrigou a dançar com ela e me agarrou!

— Obrigou nada, você dançou com ela porque quis, você deu condições pra ela!

— Piper se eu não dançasse com ela, ela ia ficar me enchendo, ainda mais desconfiada como ela esta, você queria que eu desse mole?

— Ah mais acabou dando um mole muito maior pra ela te beijar!

— Piper eu odiei aquele beijo, eu tenho nojo daquela garota. — Peguei sua nuca a trazendo perto do meu rosto — Você sabe muito bem que a única garota que eu gosto de beijar é você!

Ela se desviou bruscamente evitando meu beijo — Não, sai, sai Alex, não vem me beijar não, com essa boca de quem acabou de beijar aquela nojenta lá!

— Ta bom, eu vou limpar a minha boca então com o meu colete olha, se for preciso eu bebo até gasolina pra desinfetar — Peguei a barra do meu colete limpando mesmo, o colete ficou todo sujo com o batom vermelho que eu usava.

Ela correu pra minha frente — Não, não precisa — Acariciou meu rosto, enlaçou seus braços em meus ombros — Deixa que eu tiro a Silvia daí com os meus beijos!

Arqueio o cenho, ri de canto, um tanto quanto aliviada — Muito melhor!

Me beijou carinhosamente, graças a Deus, meu coração voltou aos batimentos normais, mas ainda continuava com um frio enorme na barriga, acho que foi o medo de que ela entendesse tudo errado e terminasse comigo.

Terminou o beijo, mais ainda com um beicinho — É, mas você esta me devendo essa, e também uma dança!

— Ah é, e pode ser agora? — Peguei sua mão e a levei para traz do carro pra que ninguém nos visse juntas.

Começamos a dançar, ela disse maliciosa — Você como uma dançarina é uma ótima professora de capoeira.  

Tomei sua cintura a beijando, levando seu corpo para traz.. — Não sou não.

— Ahh mais é muito bonitinha!

Voltamos a nos beijar.. ficamos horas conversando e nos pegando, Piper não parava com as provocações se não estivéssemos na rua eu nem sei! Nossos encontros estavam cada vez mais quentes, estava difícil me segurar viu, ainda mais com aquele vestido, ela fazia de propósito só pode, porém eu usei e abusei, aproveitei o vestido se é que me entendem!

PIPER POV

O dia amanheceu, me arrumei e desci pra tomar café com meus pais, estava mesmo era cheia de fome.

Eu já tinha comido várias torradas e devorava um bolo delicioso de chocolate, enquanto minha mãe servia o suco e meu pai lia seu jornal concentrado.

— Huum, to com uma fome mãe, vem cá me da mais um pedaço desse bolo ai que esta uma delicia!

— Olha você esta muito animada pra quem chegou a hora que você chegou essa noite, por onde a senhora andou em? — Peguntou Carol.

Meu pai deixou seu jornal de lado para ouvir minha resposta.

Ri — Ué, no Star ué, teve uma festinha lá ontem, tinha um DJ maravilhoso que só cantou, quer dizer só tocou musicas muito legais.

Carol fez uma carinha animada — Hum, sei, e com quem que você dançou?

— Ué, com minhas amigas, a galera do colégio!  A Lorna, a Nicky, o Bonnet, a Flacka, e tinha mais uns garotos também.

— Filha não pega mal você dançar assim com tantos garotos?

— Que isso mãe, são meus amigos ué..

— Isso é um absurdo, um absurdo — Disse meu pai fitando o jornal

— O que foi pai?

— Olha isso, “Médico salva menino destinado a cadeira de rodas” de quem que ele ta falando? Do Miguel é claro!

— Ué, mais é legal que eles prestigiem o médico que operou o Miguel pai. — Tomeu um gole do meu suco

— Mais era o meu nome que era pra estar aqui o meu, fui eu que fiz a parte mais difícil que era descobrir o que ele tinha, eu lutei por ele, esse prestigio era pra ser meu, era o meu nome que tinha que estar aqui, e só não esta por culpa daquele merda do Lee Vause e a sua filha aquela delinquente, aquela família nasceu pra acabar com a minha vida, pra me arruinarem de vez. Eu perdi a fome, da licença. — Jogou o jornal na mesa e saiu furioso.

Meu celular tocou era a Alex me ligando logo de manhã.. Meu coração bateu forte e não segurei o sorriso em meus lábios, era sempre assim!

Fui correndo pra sala pra atender, me joguei no sofá..

— Bom dia meu amor, que isso? já é saudade de mim logo cedo?

— Então, é que eu não aguentei esperar até o colégio, aquela musica não saiu da minha cabeça a noite inteira! E aquele vestido eu adorei viu, pode usar sempre!

Gargalhei me lembrando dela quase me deixando nua no meio da rua.. 

— Deixa de ser safada.. Eu adorei dançar com você no meio da rua, você é muito louca!

— Eu também amei sabia? Eu demorei horas pra dormir pensando em você!

Ri melosa

— Eu também demorei pra dormir meu amor!

— E você sonhou comigo?

— Claro que eu sonhei com você!

— E o que você sonhou me conta fiquei curiosa agora!

Corei, meu sonho foi um tanto quando erótico.

— Não, nem tenho coragem... Depois eu te conto, fico com vergonha! Eu não sei se acontece a mesma coisa com você, mas eu to cada vez mais apaixonada por você!

— Piper.. — Minha mãe gritou atrás de mim.

Dei um pulo do sofá, Meus olhos se arregalaram — Ai mãe que susto — Levei a mão no coração...

— A minha mãe ta aqui depois eu te ligo.

Finalizei a ligação..

— Piper você esta com namorado novo? Quem é? É uma garota?

Caminhei pela sala — Mãae, eu não acredito que você estava ouvindo a minha conversa!

— Não, eu chegui no final, mas o amor estava no ar, você não vai me contar quem é o seu namorado? É uma garota? Pode me contar filha eu sou a sua mãe! Você não vai me contar?

Dei de ombros — Não, eu não to namorando ninguém!

— Você não vai me contar quem é filha? Tem algum problema? Quem é me conta filha eu sou sua mãe! — Ela insistia 

— Não, não tem problema nenhum mãe, imagina, ée, é ai mãe, a garota, é uma garota, a garota ée, ée, é a Nicky mãe, é isso!

Me lembrei do dia do bilhete.. e só me veio a Nicky na cabeça, só assim pra minha mãe me deixar em paz.

Seus olhos se arregalaram — Não, a Nicole? Vocês estão namorando? Já estão namorando filha?

Eu não sabia como dizer, sou péssima com mentiras me embaraço toda..

— Não, quer dizer, sim mãe, aaiii, não sei, mais ou menos, eu, eu ainda to decidindo é isso!

Cerrou os olhos — Decidindo?

— É mãe! Eu acho a Nicky uma garota legal ee, ee bonita sei lá!

— Legal? Eu não acredito filha que você tinha o Lerry Bloom na sua mão e esta trocando por essa garota ai!

— A não manhee, mãe, lá vem você de novo com essa ladainha de Larry, o bonito, fino e educado né? A não, pode parar, parou.. — Peguei minha bolsa no sofá — Da licença que eu to atrasada pro colégio!

***

Assim que Piper saiu Bill entrou na sala..

— O que esta acontecendo aqui?

— Você acredita que a nossa filha esta querendo namorar aquela tal de Nicky, a Nicole? Olha eu não sei o que se passa mais na cabeça dessa juventude viu!

— Ué, eu acho que nessas horas é melhor não forçar a barra não em, e tem outra ela já foi sincera conosco quando nos disse que gostava de garotas, prometemos tentar aceitar, então é melhor não impedir ela é nossa filha, precisa do nosso apoio, você se lembra do que o comandante nos disse!

— Acho que eu exagerei né? É que é difícil me acostumar com isso, na minha época não era assim, eu fico confusa Bill!

— Tá, sabe o que a gente pode fazer? A gente não ia sair pra fazer umas compras? Então, depois a gente passa no colégio pegamos ela e almoçamos juntos no clube o que acha?

— Isso, isso, ótima ideia Bill, ai eu me desculpo com ela né?

***

Call esperou que todos tomassem seu café da manhã na casa dos Vause e chamou Daya para o quarto. Pegou rapidamente um envelope de sua mochila a entregando. Ele parecia nervoso e agitado.

— Daya eu preciso que você esconda esses exames no apartamento da Lorna, nunca, jamais deixe que ninguém os encontre.

Daya pegou o envelope confusa — O que é isso Call?  

— Isso é a prova de que meu pai errou na cirurgia do Lee Daya, são as radiografias mal tiradas que não serviam pra nada, muito menos pra uma cirurgia daquelas.

Daya arregalou seus olhos levando a mão na boca — Onde você pegou isso Call?  

— Eu estava no quarto da Alex arrumando a bagunça que a gente faz com as camisetas e por acaso eu encontrei, e no mesmo dia eu ouvi umas conversas estranhas enquanto eu fingia que dormia, mas eu não sei ainda o que vou fazer com elas, eu gosto muito do Lee, mas é meu pai né?  Eu sinceramente ainda, não sei.  

— Call isso é muito sério, mas você pode confiar em mim, ninguém nunca vai encontra-las eu te prometo.

— Obrigado amor, eu conto com você até eu resolver o que fazer.

Daya guardou os exames em sua bolsa e antes da aula deixou escondida em seu quarto no apartamento de Lorna, e eles foram juntos pro colégio.

***

A aula já tinha terminado quando Bill e Carol chegavam no colégio, os alunos saiam e eles ficaram a espera de Piper ainda de dentro do carro.

— A Piper vai adorar a surpresa Bill, olha nós temos que nos desculpar com ela e mostrar que estamos dispostos a aceitar qualquer namorada que ela resolver escolher — Disse Carol empolgada

— Carol, calma, olha a Nicole ali, vamos falar com ela! — Bill desceu do carro seguido de Carol.

Nicky conversava com Lorna toda cheia de chamego no portão.. Nicky insistia em dar uns beijinhos em Lorna que se recusava brincando.

Carol viu aquela cena e tomou as dores de Piper, pois achava que Piper estava namorando com Nicky e Nicky estava a traindo.

Eles passaram pelas meninas e Carol levou a mão na boca assustada.

— Bill você viu, a tal da Nicky agarrando a Lorna bem na cara da gente?

Bill fitou o casal — Molecada sem vergonha, bem que eu nunca confiei muito nessa Nicky.

— Mas nós vamos contar tudo pra Piper,

— É, vamos falar sim, minha filha não vai ser enganada por uma garota dessas não!

— É, vamos ali no Star Café, a gente tem que pensar em como vamos contar isso pra Piper coitadinha!

Bill entrou com Carol no bar e se sentaram em uma das mesas.

Carol continuava inconformada com a suposta traição de Nicky — Ainda bem que a gente estava aqui e viu Bill, se não a Piper nunca ia saber quem é essa namorada dela, uma sem vergonha!

— Ah meu Deus.. — Bill levou a mão na cabeça ao ver Lee entrando no bar.

Lee se dirigiu a eles com um sorriso cínico no rosto — Oh Dr Bill Chapman, tudo bem? Espero que você esteja bem mal!

— Vamos embora Bill. — Carol chamou, já sabendo que poderia dar treta

Bill olhou para Lee — Eu não espero que você esteja mal não Lee Vause, eu só espero que você pare de inventar mentiras pros meus pacientes.

Bill levantou sua perna, a que era menor do que a outra — Mentira? Aqui ó,4, 4 centímetros a menos se eu não falasse pra mãe do Miguel o médico que você é o garoto estaria ferrado agora!

Bill se levantou — Olha aqui, agora você passou dos limites, chega, eu vou arrebentar a sua cara, pra você parar de inventar mentiras.

— Então vamos ver quem vai arrebentar a cara de quem aqui.

Todos no bar fitavam os dois brigando, eles estavam muito alterados.

PIPER POV

Sai do colégio com Alex iriamos pro Star Café.. Ouvimos uma gritaria, e pra variar eram nossos pais quase se pegando no tapa..

Encarei Alex revirando os olhos.. ela também fez uma cara de reprovação, acho que nenhuma de nós aguentava mais isso, meu sangue ferveu, corri pra segurar meu pai e ela o dela.

—  Pai para.. que isso! — Gritei exaltada em sua frente 

— Não, tudo bem, eu não vou sujar as minhas mãos com um canalha como você não! Com licença!

Meu pai saiu com minha mãe, os acompanhei até o carro e voltei pro bar.

Dei de cara com Lee que saia do bar furioso, xingando meu pai de tudo o que era nome.

Eu já estava bastante nervosa com a situação, que saco também!

Encarei Alex — Olha o seu pai não perde a chance de armar um barraco em?

Alex retirou seus óculos e os parou no ar esticando seu braço — Olha Piper pega leve tá..

Como eu já estava bem nervosa, não queria pegar leve... E não me segurei acabei explodindo. 

— O Lee roubou um paciente do meu pai você queria o que?

— O seu pai ta com raiva porque não conseguiu se promover as custas do Miguel,

Então lá estava nós duas discutindo mais uma vez na frente de todo mundo. 

— Meu pai ia operar o Miguel de graça e só não fez isso por causa das mentiras que o seu pai inventou sobre ele!

— O seu pai só queria aparecer no jornal, como o médico que salvou um garotinho, família de gente falsa!

Franzi o cenho incrédula — A é? Você também acha que eu sou falsa Alex? É isso? — Ela me olhou e nada respondeu, parecia tentar se segurar depois da besteira que disse, mas meu sangue fervia nas veias, meu rosto já queimava de raiva — Fala, eu sou falsa é isso?

— Não, não é isso Piper, mas que droga — Alex levou seus cabelos para traz com a mão —  Você acredita mesmo que o seu pai ia operar o Miguel só porque ele é bonzinho?

— Não, porque ele é um médico, por isso!

Começamos a ficar alteradas, uma gritava de um lado e a outra do outro, o bar enchia de gente para assistir ao espetáculo.

— Oportunista! Ele queria se aproveitar do Miguel é isso!

—  Isso é mentira Alex, o seu pai é que é um complexado covarde que precisa colocar a culpa nos outros pra enfrentar o problema dele! Olha aqui Alex, para de ofender o meu pai eu não vou aguentar mais isso!

O pessoal começou a gritar porrada, porrada... Silvia parecia gostar bastante do espetáculo.

Então eu me toquei do que estava acontecendo ali... Meus olhos se inundaram em lágrimas, assim como os de Alex, que estavam verdes iluminados em mim. 

Sai correndo daquele lugar, e Alex me seguiu.. quando estávamos em frente ao portão do colégio puxou meu braço.

— Espera Piper por favor.

Puxei meu braço com força — Sai Alex, sai, me larga tá!

— Amor desculpa eu perdi a cabeça, eu não queria magoar você!

— É, mais é nessas horas que se diz exatamente o que se pensa!

— Eu não quis te ofender, só que toda vez que você vai defender o seu pai você ofende o meu, não tem jeito! A gente tem que passar uma borracha em cima disso, foi só uma DR, namorados tem DR de vez em quando mesmo!

fechei meus olhos com força — Ai ta bom Alex, mas não da pra passar uma borracha no que eu estou sentindo agora, e o que eu to sentindo agora é raiva, muita raiva de você! — Disse entre os dentes e dei as costas.

Ela me puxou de novo, parecia desesperada — Espera Piper não fala isso — Me puxou e colou nossos lábios em um beijo urgente, eu não queria ceder no começo mas não resisti acabei dando entrada para sua língua, mas quando ela tentou aprofundar o beijo ainda mais, me afastei um pouco atordoada — Sai Alex — Minha voz mal saiu

Ela juntou nossas testas — Eu te amo Piper!

Me afastei e a encarei nos olhos — Olha Alex, depois eu te ligo tá? — Uma lágrima rolou em meu rosto..

Dei as costas e ouvi ela esbravejar — Que droga!  

Fui pra casa..

 

 

 

 


Notas Finais


Oi amores!!!
E ai curtiram o capítulo?
Nem tudo são flores não é? Primeira DR de muitas... Afinal sem brigas não tem graça kkkk

Alguém estava com saudades da Silvia? Ela estava muito quietinha né? Pois bem, se preparem porque ela esta voltando!

Será que no próximo capitulo tem reconciliação? Acho que Alex deve um bom pedido de desculpas, pegou pesado chamando Piper de falsa né?

Acho que ninguém esperava que o ladrão das radiografias era o mala do Call não é? Pois bem, e agora? o que será que ele vai aprontar com elas? Algum palpite?

Até logo! ♥
Quem sabe hoje tem mais um!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...