História Desde o Primeiro Encontro - Vauseman - Capítulo 71


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Adolescentes, Alex Vause, Drama, Festa, Lgbt, Orange, Piper Chapman, Revelaçoes, Romance, Tensão, Vauseman
Visualizações 75
Palavras 5.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite!

Mais um capítulo pra vocês!

Perdoem os erros.

Agradeço a força nos comentários, estou amando debater, se me der corda eu vou longe já deu pra perceber né?
E agradeço também os que estão favoritando! fico muito feliz!

Boa leitura!

Capítulo 71 - Um preço pela liberdade!


Fanfic / Fanfiction Desde o Primeiro Encontro - Vauseman - Capítulo 71 - Um preço pela liberdade!

ALEX POV

Eu sinceramente estava com um pé atrás em entregar as radiografias do meu pai pro Dr Bill, Pelo motivo obvio, eu estaria traindo meu pai de verdade dessa vez, porém Piper estava certa, essa era a única chance que tínhamos dele começar a me ver com outros olhos, e ver que eu realmente não quero mal algum a eles e muito menos a Piper, seria uma prova do meu amor por ela!

Eu pensei bem quanto a tudo isso antes de ir até a casa de Piper, eu vou sim entregar as radiografias, mas depois avisarei meu pai quanto a elas, pra que ele possa as solicitar no processo, é o mínimo que eu posso fazer, afinal é o meu pai e eu sei dessa prova, e como Piper também concorda que ele as solicite então está tudo certo!

Piper é uma pessoa justa e sensata, e esse é um dos motivos pelo qual eu amo perdidamente, e no fundo, no fundo ela sabe que seu pai esta com o rabo preso nessa história toda, afinal ela me disse que ele não tinha dado ainda nenhuma explicação convincente por não ter solicitado outras radiografias durante a cirurgia, pelo contrário ele ficou furioso quando ela as perdeu.

Quando cheguei à casa de Piper com as radiografias percebi que a porta estava entre aberta, achei estranho, pensei que talvez fosse a Piper que havia deixado e que eu pudesse entrar, não tinha ninguém na sala e estava tudo muito silencioso, Fui surpreendida quando  dois policiais me abordaram, tentei sair correndo pulando pelo sofá tamanho foi o susto que tomei, mas não adiantou, eles me pegaram e me mobilizaram, me algemaram em seguida, fazendo com que as radiografias que estavam em minha mão caísse pelo chão, foi tudo muito rápido, não consegui dizer nada, eu não entendi nada daquilo, Piper ficou desesperada, mas de nada adiantou, me imobilizaram e me algemaram, disseram que eu estava presa por invasão e tentativa de agressão, tudo isso por conta de uma denuncia anônima, bom, agora eu estou sendo levada pra uma cela acompanhada pelo delegado!

A gente nunca imagina como pode ser cruel uma penitenciaria até ser uma detenta em uma delas, bom eu nunca me imaginei em um lugar desses... Imagina só se o meu pai sonha que eu fui presa? Não vou negar tive medo e muito, As celas uma ao lado da outra, cercadas apenas com grades, o lugar fedia a suor velho e urina, muitas mulheres em um lugar só, umas tristes pelos cantos e outras bem mal encaradas me encarando, me olhavam de cima embaixo, como se eu fosse uma carne nova pronta para ser devorada. Eu segurei com minhas duas mãos na grade e ali fiquei, sem saber no que pensar e em como eu iria sair daquele lugar.

O delegado entrou junto com dois policiais que traziam mais uma mulher, sempre que entrava alguém às mulheres começavam a gritar, eu conhecia o delegado, era o mesmo que nos atendeu no processo que o Bill moveu contra mim por causa da briga com o Call.

— Delegado, você veio me tirar daqui não foi?

— Olha Alex, o Bill Chapman já tinha dado outra queixa contra você, foi à segunda em menos de três meses.

— Mais como assim delegado, eu não fiz nada!

Quando eu disse isso às mulheres da minha cela juntamente com as da cela ao lado começaram a gritar..

— Eu também não fiz nada!!! — Virou uma falação!

O delegado voltou a me encarar — Todo mundo aqui é inocente como você Alex!

— Delegado pelo amor de Deus, do que eu estou sendo acusada? Eu não fiz nada!

— Tentativa de agressão Alex, e como você não é mais ré primaria, pois tentou pegar o filho do Dr Bill aquela vez de pancada eu sinto muito, mas você vai ficar aqui agora, a sua situação não é boa!

Fecho meus olhos maneando a cabeça em negativa — EU não tentei agredir ninguém delegado!

— Você foi pega em flagrante tentando invadir a casa do Dr Bill!

— Quem disse que eu invadia casa dele?

— Nós recebemos uma denuncia anônima, avisando que você pretendia atacar o Dr Bill!

Bato nas grades, meu estresse eu acho que hoje chegou a seu grau mais extremo — É mentira! Quem foi que inventou essa mentira?

Deu de ombros — Se é denuncia anônima como você quer que eu saiba em?

Coloco a mão em punho em minha testa, ajeito meus óculos para fitá-lo — Quer dizer que alguém liga e diz um absurdo e vocês acreditam é isso?

— De jeito nenhum Alex Vause, meus homens foram averiguar e no seu caso a denuncia procedia, você foi pega em flagrante o que complica muito mais pro seu lado! Agora eu não posso fazer nada, você vai ter que aguardar o julgamento aqui na cadeia, eu sinto muito!

O delegado já ia me dando as costas!

— Espera delegado! Eu quero falar com o meu advogado, eu tenho direito!

As mulheres começaram a zombar de novo, eu as olhava e engolia em seco!

— ta bom, ta bom, Calem a boca todas vocês como é que é em? — Gritou —  Tudo bem Alex, você tem direito a um telefonema sim! O Souza... Abre a cela e leva a garota pra ela fazer uma ligação!

Um dos policiais me levou pra uma sala, eles tinham tirado meu celular na entrada, na verdade tiraram meu celular e o meu relógio, achei que tirariam também o meu pingente, mas graças a Deus não, o meu medo era só ser roubada pelas detentas mal encaradas!

Eu não sabia o celular do advogado de cor, e não queria ligar pro meu pai, eu não quero que ele saiba que eu fui presa... Isso só complicaria ainda mais a minha vida, a única pessoa que poderia me ajudar e que eu sabia o numero de cor era a Nicky.. Porém eu liguei três vezes e ela não me atendeu, mas então eu me lembrei de que ela disse que estaria viajando hoje com o pai dela e nem com a Lorna iria poder falar, Ou seja? Eu estava mesmo fodida!

Depois das tentativas frustradas eu perguntei se poderia ligar de novo a noite, pois a noite Nicky me atenderia, os guardas me levaram pra cela de novo! Disseram que era problema meu que ela não tinha atendido!

***

— Bill que confusão é essa Bill você vai deixar ela trancada ai no quarto mesmo?

Carol estava em estado de aflição depois de ver toda aquela confusão em sua casa...

— Confusão essa que vai acabar hoje Carol, com essa marginal presa as nossas vidas voltaram ao normal, não deixe a Piper sair daquele quarto por nada me ouviu? Eu vou até a delegacia! E depois falarei com meu advogado!

Bill saiu deixando Carol pela porta, deixando Carol na sala!

Carol caminhou rodeando o sofá e viu o envelope com as radiografias caído no chão.

— O que é isso aqui? Meu Deus, são radiografias — Leu o nome que estava em baixo no envelope em letras pequenas — São as radiografias perdidas do Lee Vause, meu Deus eu ouvi um dia a Piper discutindo com o Call sobre essas radiografias, elas podem prejudicar o Bill no processo contra o Lee, o que isso esta fazendo aqui?

***

PIPER POV

Depois que o meu pai me jogou no quarto e trancou a porta eu gritei e chorei bastante batendo naquela porta, porem chegou em um momento que eu acho que as minhas energias já haviam se esgotado e nem havia mais lágrimas pra que eu pudesse chorar.

Fui ao banheiro joguei uma água no rosto na intenção de me acalmar, eu precisava me acalmar e pensar em algo, primeiramente eu precisava sair daqui.

Alguém tinha que me ajudar destrancar a porta pelo lado de fora, minha mãe nunca que destrancaria, pois faz tudo o que o meu pai manda...

Polly... Levei minha mão em meus bolsos peguei meu celular — Graças a Deus que você esta aqui!

Liguei pra Polly ... — Atendeee... vai anda!!

— Oi Pie!

— Polly graças a Deus!

— O que foi amiga?

— Polly, olha não da tempo de ficar falando, você tem as chaves daqui de casa ainda não tem?

— Tenho Pie tenho sim, por quê?

— Ótimo, vem aqui em casa entra vem até o meu quarto e abre a porta por fora pra mim, meu pai me trancou aqui, vem rápido que eu te conto tudo o que aconteceu!

— Tá, eu vou pegar um uber, daqui uns 20 minutos eu to ai!

— Se puder chegar em 5 eu agradeceria!

— É uber não helicóptero!

Desliguei....

Da minha cama eu fitava a janela, só lembrava da cena da Alex saindo daqui algemada! Encolhi minhas pernas e as abracei fitando o guarda-roupa a minha frente..

Era um aperto tão grande que eu tinha em meu coração que as vezes me faltava até o ar!

Eu nem vi quanto tempo passou, mas ouvi quando alguém destrancou a porta de vagar. Olhei pra ver se era a Polly.. Mas nem me movi, do mesmo jeito que eu estava eu fiquei.

— Minha mãe te viu entrando?

— Não, eu nem vi ela!

Polly fechou a porta caminhou até mim e beijou minha testa.

— Ohh amiga, como que terminou a história das radiografias? Porque você esta trancada aqui? O que aconteceu em? — Fez uma série de perguntas em sequencia..

Ah encarei, só tinha uma resposta pra todas essas perguntas — A Alex foi presa Polly!

— Que?? — Seu semblante era de total espanto — Como assim foi presa?

— Algum maluco fez uma denuncia anônima falando que a Alex vinha aqui pra agredir o meu pai! Dois policiais vieram aqui pra casa e ficaram esperando por ela... — Fecho os olhos e minhas lágrimas voltam a rolar — Coitada da Alex, quando chegou e ela nem teve tempo de falar nada, já foram logo algemando e levaram pra delegacia!

Polly se levantou ainda sem acreditar — Meu Deus do céu, coitada da Alex, mais e o seu pai? O que que ele fez?

Enxuguei as lágrimas e revirei os olhos — Tá lá na delegacia, eu não sei mais o que eu faço Polly, meu Deus do céu, estava tudo dando tão certo..

Polly se sentou a minha frente — Calma, olha ainda pode dar certo calma, perai, vocês ainda tem as radiografias não tem? É só a Alex entregar pro seu pai assim que ela sair da cadeia, assim da tudo certo não dá?

Pensei um pouco — As radiografias — Me levantei caminhando pelo quarto — Claro Polly, eu tinha esquecido, eu já sei, eu não vou esperar ela sair de lá não, eu mesma vou entregar elas pro meu pai e explicar tudo, e provar que a Alex não veio aqui pra agredir ninguém!

— Isso, ai até quem sabe o seu pai não retira a queixa sobre ela, cadê as radiografias?

— Hum, eu acho que elas devem estar caídas lá na sala, é porque mesmo porque eles algemaram a Alex ela não tinha como segurar, deve estar lá!

— Vamos lá pegar então!

Corremos escada abaixo pra chegarmos na sala...

Eu e Polly já estávamos engatinhando pela sala, até embaixo do tapete eu olhei

Polly se levantou — Ahh sumiram, essas radiografias sumiram Piper, elas não estão aqui!

— Tem que estar aqui Polly, eu tenho certeza, a Alex foi algemada ela não tinha como segurar..

— Tá, então olha aqui vai — Polly ergueu o sofá bufando de fazer forças

— Nãaao! — Resmunguei depois de olhar

Polly cafungou, cafungou de de novo — Oh Piper, você esta sentindo esse cheiro de queimado? Acho que esta vindo da cozinha, não sei!

Cafunguei também — Tem alguma coisa pegando fogo na cozinha Polly, vamo lá ver! — Sai correndo e Polly atrás de mim.

Tava um fogareiro no fogão e minha mãe do lado — Mãe, o que é isso mãe, o que que você esta queimando ai?

— Isso aqui filha! — Sorriu erguendo um pedaço da radiografia que ainda não estava queimado, mas na verdade estava bem derretido...

Puta que pariu... Só podia ser as radiografias que estávamos procurando! 

Quando olhei bem tinha uma panela em chamas por dentro — Mãeee a senhora tacou fogo nas radiografias do Lee Vause? — Sem pensar em mais nada corri até ela — Mãe, mãe sai daqui, apaga isso mãe — Joguei a tampa na panela pra abafar o fogo e ver se sobrava alguma coisa, a fitei e ela ainda estava sorrindo — Mãe, isso aqui são as radiografias do Lee Vause você sabia?

— Eu sei Piper! — Sorriu feliz.

— Se você sabe então porque você colocou fogo, mãe olha o estado que elas ficaram, estão destruídas!

Pronto... Agora é que não ia ter jeito de nada mesmo! Eu não me conformava com aquilo! 

— Ué filha eu encontrei essas radiografias na sala, e eu achei que poderia prejudicar o seu pai e achei melhor acabar com elas de uma vez!

— Tia a senhora destruiu provas de um processo! — Disse Polly

Maneio a cabeça em negativa — E acabou com as chances que a Alex tinha pra provar que ela quer paz, mãe, a Alex veio aqui pra entregar esses raio-x pro papai! Eu não acredito! — Levo a mão na testa 

— Aquela moça ela veio aqui em casa pra entregar as radiografias? — Perguntou minha mãe confusa..

Maneio a cabeça em positivo a fitando — Veio mãe, só que os policiais nem deram tempo pra ela falar, e agora? Olha isso olha o que restou, nada!

— Eu queria ajudar o teu pai Piper!

— Pois quando ele souber ele vai dar um ataque! — Falo enfurecida, pois quem está a ponto de ter um ataque agora sou eu.

— Não sei porque, eu... eu acabei com essas malditas provas Piper!

Minha mãe não estava entendendo nada, estava achando um máximo o que tinha feito!

— Mãaaeee, e quando o Juiz pedir pro papai apresentar essas radiografias em juízo? Hã? O que ele vai fazer?

— Eu não sei, éee, ele vai dizer que foi um acidente doméstico!

— Mãaaae, radiografias não pegam fogo assim acidentalmente não, todo mundo vai achar que o papai queimou isso aqui de propósito, pra esconder alguma evidencia que podia incriminar ele!

Acho que nesse momento minha mãe caiu em si, se dando conta do estrago que tinha feito..

— Eu não tinha pensado nisso filha! — Disse quase chorando

— Aham, pois devia ter pensado, e agora?

Mamãe começou a caminhar em desespero — Ai meu Deus do céu, ai, ai, ai, quando o Bill souber ele vai querer me matar, Piper, pelo amor de Deus, não conta nada pro teu pai filha!

Franzo o cenho e meu queixo cai — Você esta pensando em esconder do papai que você queimou as radiografias?

— Éee, ee, pelo menos esperar um momento mais tranquilo, é muita coisa, é muito problema pra cabeça do teu pai, Por favor filha eu estou te pedindo, não conta nada pra ele, por favor!

Fico confusa, e fico com pena da minha mãe também em vê-la tão atordoada.

— Ahh, mãe, ee ele também nem sabia dessas radiografias, eu não sei! — Coloco as mãos na cintura.

— E é melhor também não estressar o seu pai mais ainda agora né — Polly disse na tentativa de me convencer, acho que ela também sentiu pena da minha mãe.

— Ah.... ta bem mãe, eu não vou contar nada pro papai não.... Mas agora eu preciso arrumar outro jeito de tirar a Alex da prisão! — Fito minha mãe — E não vai ser trancada aqui não!

Corro e pego a chave no porta chaves..

— Não, não o seu pai proibiu Piper... — Minha mãe gritava atrás de mim... — Polly faz alguma coisa!

— Eu vou fazer sim tia, eu vou é com ela! Fui! Piper me espera! — Polly veio correndo atrás de mim e nós duas saímos!

Eu e Polly fomos direto pra delegacia, ela entrou primeiro pra perguntar se meu pai ainda estava lá, e depois me fez sinal que ele já tinha ido embora que eu poderia entrar!

Esperamos um pouco pra poder falar com o delegado!

Foi quando um policial me chamou, dizendo que ele iria me receber!

Engoli em seco enquanto abria a porta, Polly me acompanhou — Oi Delegado, boa tarde!

Ele se levantou — Oi Piper, tudo bom, olha o seu pai esteve aqui, mas já foi! — Voltou a se sentar 

Me sento um pouco acanhada — Delegado eu não vim pra saber do meu pai, a Alex Vause esta aqui?

Ele fez uma cara de quem não tinha gostado nada da minha pergunta — Está sim Piper, ela vai ficar presa até segunda ordem!

Estreito meu olhar nele com a mão sobre sua mesa — Como assim segunda ordem?

— Olha a situação da Vause é muito complicada, ela já não é ré primária e foi pega em flagrante, seu pai registrou a queixa, ou seja pra ela sair daqui ela vai precisar de um advogado muito bom e ainda assim pode demorar alguns dias ou só mesmo se o seu pai tirar a queixa!

Eu estava desesperada, não sabia o que fazer não sabia o que dizer!

— Delegado, ela não fez nada delegado, ela não pode ficar aqui!

— Piper, todas as evidencias dizem é o contrário disso! Escuta, porque você esta defendendo ela se ela invadiu a sua casa pra agredir o seu pai?

 Seguro as lágrimas — Delegado, eu, eu estou aqui porque eu sei que ela é inocente, eu não sei se você vai me entender, mas eu a amo!

Estreitou seu olhar — Que loucura é essa menina?

— Não é loucura delegado, é a verdade, eu, eu olha eu sei que você não pode quebrar as regras ai da sua delegacia, são as leis eu entendo, mas pelo menos me deixe vê-la? Eu te imploro! — Meus olhos estão cheios d’água.

— É seu delegado, deixa a gente ver ela pelo menos então, por favor! — Polly argumentou pra me ajudar! — Além de tudo ela é nossa amiga.

— Ok, tudo bem, vocês podem ver ela! Vocês fiquem ali de fora e aguardem até que alguém as chame!

Fecho meus olhos e suspiro aliviada!

— Obrigada delegado!

Eu e Polly ficamos por mais de uma hora sentadas em um corredor, policiais passavam, detentas entravam.. Ali parecia ser um lugar preventivo sei lá, tinha homens e mulheres também!

Um policial pediu para nós o segui-lo — É por aqui meninas!

Polly e eu grudamos no braço uma da outra quando entramos em um corredor um lugar cheio de celas, tinha celas do lado direito e do lado esquerdo, ali só havia mulheres presas, eu nunca vi um lugar mais asqueroso na vida, as mulheres enfiavam os braços pelas grades tentando nos tocar, aquilo me deu muito medo, minha respiração começou a ficar acelerada.. Eu não poderia acreditar que a Alex a minha Alex estava presa em alguma dessas celas com essas mulheres. 

As mulheres gritavam pra mim e para Polly, nem dava para entender o que elas diziam mas eu apertava o braço dela e agradecia a Deus por ela estar aqui comigo!

O policial gritou, acho que nem ele sabia onde a Alex estava — Alex Vause!!!

— Eu, Eu, Eu... — As mulheres gritavam, uma mais mal encarada do que a outra, elas riam, faziam careta, me olhavam como se fossem me devorar.

Vi Alex de pé entre as grades, eu me segurei pra não vir às lágrimas da forma como ela me olhou..

— Visita pra você, Vocês tem 10 minutos! — Disse o policial que nos guiou. — Se alguém lhes faltar com respeito aqui é só me chamar!

—  Tá — Apenas concordo

Alex encostou na cela, parecia brava agora — Piper o que você esta fazendo aqui? Esse lugar é muito barra pesada pra você!

Ela parecia cansada, ou talvez tivesse chorado sei lá... 

— Eu vim ver você, e a Polly veio comigo pra eu não chegar sozinha! — Eu e Polly estávamos encolhidas uma na outra — Alex eu estou desesperada, a minha mãe queimou a radiografia do seu pai!

— O que? — Coçou seus olhos por traz dos óculos — Piper não pode ser, aquelas radiografias eram a única prova que o meu pai tinha de se defender no processo, porque que ela fez isso?

— Eu não sei, eu acho que ela ficou nervosa, ela viu as radiografias no chão e resolveu dar um fim nelas!

Alex escorou na grade inconformada — Que droga, que droga! Meu pai não vai me perdoar nunca quando souber que eu perdi a única prova que ele tinha!

— Calma, calma Alex, também não foi culpa sua, quem ia saber que teria dois policiais lá te esperando? — Disse Polly ao meu lado.

— Deram uma denuncia falsa contra mim só pra em incriminar! Se eu pego quem fez isso! — Alex esmurrou as grades.

Alex estava muito nervosa, e eu me sentia péssima em vê-la ali, daquele jeito atrás daquelas grades como se fosse uma criminosa.

— Alex, primeiro você tem que sair daqui!

— Eu sei Piper, só que eu não quero que o meu pai saiba e eu não consigo falar com ninguém!

Maneio a cabeça em negativa — Não podemos esperar você falar com alguém, você não pode passar a noite aqui nesse lugar horrível  — me aproximei tocando suas mãos nas grades — Eu vou dar um jeito de tirar você daqui! Eu te juro!

Ela me olhou com seus olhos verdes quase vindo as lágrimas...

Passei minha mão pela grade e peguei sua nuca a beijando, nos beijamos como deu, pois tinha uma grade nos separando, ela também passou suas mãos pela grade segurando meu rosto.

As mulheres que estavam presas com ela começaram a gritar...

Colamos nossas testas — Eu te amo Piper, mas não vem mais aqui, isso aqui não é lugar pra você!

— E nem pra você, eu vou te tirar daqui!

— Acabou o tempo meninas! — Disse o policial atrás de nós.

Me afastei, ela deu um breve sorriso.

— Eu te amo! — Disse antes de dar as costas!           

Eu e Polly fomos no Star Café, eu precisava pensar no que fazer antes de voltar pra casa e meu pai me prender de novo! Meu celular tocava sem parar, uma hora era ele, outra hora minha mãe!

Saímos muito tarde da delegacia e já era noite.. e ainda estávamos lá no Star Café, uma olhando pra outra! 

— Polly eu não consigo, eu não consigo nem me lembrar, você viu que lugar horrível que colocaram a Alex Polly? — Apoio minha cabeça em minha mão.. 

— O pior não é nem o lugar Piper, são as coleguinhas de cela dela, você viu cada bandidona? Aquelas pessoas sim são perigosas, Meu Deus eu nunca tive tanto medo... Ai meu deus! Deus ajude a Alex a passar a noite lá — Olhou pra cima.

Maneio a cabeça em negativa, me da repulsa só de pensar na Alex tendo que passar a noite naquele lugar — A Alex não vai passar essa noite na cadeia de jeito nenhum, eu vou tirar ela de lá.

— Piper? Olha você esta assistindo muitas séries policiais, você esta maluca, armar uma fuga é muito perigoso!

Reviro os olhos — Que fuga Polly? Eu vou pra minha casa, vou implorar de joelhos, ou melhor vou me rastejar no chão pro meu pai retirar essa queixa contra ela, você ouviu o que o delegado disse, pra ela sair de lá só se ele retirar a queixa!

Polly prensou os lábios — Só me resta desejar boa sorte amiga, mas pensa bem, pensa bem se essa é mesmo a ultima coisa que te resta a fazer! Pensa bem tá!

— Vamos embora Polly, eu não posso perder mais tempo!

Polly foi pra casa de Lorna, coitada estava ficando sozinha lá, e eu? Eu fui direto pra minha casa pra tentar todos os argumentos possíveis com o meu pai pra fazer ele ir lá e retirar essa maldita queixa absurda!

Eu entrei e bati a porta! Fitando meu pai na sala, uma raiva absurda me possuía! 

— Muito bem, muito bem mocinha, eu já sei de tudo, você fugiu de casa pra ver aquela garota na delegacia! — Disse entre os dentes erguendo a mão como se tivesse mostrando a delegacia.

— Fugi mesmo! Fugi sim, e eu vou continuar fugindo pra ver a Alex até eu conseguir tirar ela de lá!

— Você esta me desafiando, esta me desafiando não é?

— Não pai, mas eu estou dizendo que eu não vou deixar a mulher que eu amo sozinha, correndo risco de vida com aquelas marginais! — Estreito o meu olhar — Vem cá, você tem ideia de como é a cela que colocaram a Alex?

— Eu sei que o sistema penitenciário brasileiro deixa muito a desejar, agora aquela sem vergonha!

O interrompo — Pai, você esta dizendo como que se a Alex fosse uma daquelas bandidas, e ela não é! E você sabe muito bem disso! — Lhe aponto o dedo.

— Eu estava me sentindo ameaçado!

Rio debochada — Ah, você estava se sentindo ameaçado? Então ela que se ferre em uma cela cheia de bandidos! — Abro os braços, não consigo segurar a minha raiva..

— Olha Piper...

— Paaai, você acha justo que a Alex corra risco de vida pro causa de uma, de uma.. de uma picuinha, de um capricho seu?

— Olha aqui, sinceramente, eu não queria ter chegado a esse ponto, agora foi a única maneira que teve de fazer aquela moça, aquela garota ficar longe da gente, longe de você!

Respiro fundo, mil pensamentos em minha cabeça agora!

— Pai, você esta querendo me dizer que a Alex foi presa por minha causa? Pra você conseguir me manter longe dela?

— É claro que esse é o principal motivo! Se eu tivesse certeza de que vocês não iriam mais se encontrar eu não teria feito isso, é claro, evidente!

Por um momento minha respiração parou, eu engoli em seco.

As lágrimas começaram a cair de meus olhos e rolar pelo meu rosto deixando a tristeza tomar o lugar da raiva, meu pai estava de costas para mim eu me aproximei.

Abaixei meu tom de voz — Pai, pai você esta querendo me dizer que se — Fito o chão, respiro fundo — Que se eu terminasse o meu namoro com a Alex você retiraria a queixa contra ela?

Ele se virou procurando meus olhos — Espera, você esta querendo me dizer que se eu retirar a queixa contra a Alex você termina com ela?

— Só se você me obrigar!

— Ah Não, não jogue nas minhas costas o peso das suas decisões!

—Ta pai, ta, olha eu faço qualquer coisa pra tirar a Alex daquela cadeia!

Eu nunca em minha vida cogitaria terminar com a Alex, em nenhuma situação que já passamos eu cogitei isso por nenhuma só vez, nunca, mas ela estava presa por minha causa, eu já estava desesperada não sabia mais o que fazer!

— É, até mentir né? Dizendo que vai terminar com ela ai ela sai da cadeia e vocês voltam novamente!

— Eu nunca menti pra você pai, se eu estou dizendo que eu vou terminar é porque eu vou!

— Tá bom, então você jura pela saúde da tua mãe?

Meu mundo caiu.

Mordo em meu lábio inferior e fito o chão.. As lágrimas caem ao chão e nada é mais doloroso, meu peito aperta de um jeito que parece que alguém esta tentando arrancar um pedaço de mim

— Eu juro! — Fecho meus olhos tentando voltar a respirar.

— Eu vou acreditar em você minha filha, eu acho que você não faria uma promessa dessa em vão!

Me recomponho — Eu vou cumprir com a minha parte sim pai, e você? Vai cumprir com a sua?

— Eu vou cumprir a minha sim, eu vou a delegacia agora e retiro a queixa e agente acaba com tudo, não é isso que você quer? Acabar com tudo? — Me fitou

Respiro fundo, me sento no sofá — É pai!

Ele se sentou ao meu lado — Oh minha filha, com o tempo você vai perceber que essa foi a melhor decisão, você vai ver! — Acariciou meus cabelos.

— Pai, eu quero que você me prometa outra coisa também, porque o preço que eu estou pagando é muito alto, então eu acho justo!

— O que você quiser.

— Você ficou de rever o caso do Lee Vause, mas não me disse mais nada, eu quero que você faça isso, os Julgamentos estão se aproximando, essa guerra precisa acabar!

— De novo isso? Você sabe que eu sou inocente!

Olho em seus olhos — Eu não sei, você só fica repetindo isso, eu quero que você reveja isso, mas que seja imparcial, seja honesto como eu estou sendo agora, mesmo que te doa! Porque esta doendo muito o que você esta fazendo comigo! — As lágrimas rolavam e rolavam..

Ele se levantou respirou fundo, fitou a sala — Tudo bem, então temos um acordo? Mas você vai cumprir mesmo com a sua parte não é?

Minhas lágrimas não sessavam, eu já estava até soluçando — Você tem a minha palavra! Agora pelo amor de Deus não demora mais nenhum segundo, tira a Alex daquele lugar!

— Eu estou confiando em você Piper!

— Vai pai pelo amor de Deus, eu não quero nem ouvir e nem dizer mais nada, agora pelo amor de Deus tira a Alex de lá!

— Ta bom, você avisa pra sua mãe que eu fui lá, já são 10 da noite e eu acho que isso pode demorar um pouco!

— Vai pai, anda logo!

Me recolhi no sofá, medo, angustia, tristeza? Não sei.. Acho que tudo isso, e tudo o que eu fazia era chorar, chorar e pensar na Alex naquela prisão, naquele lugar horrível, mas eu chorava ainda mais em me lembrar do preço que iria pagar para poder tira-la de lá! Fiquei ali eu acho que por uns 15 minutos e a almofada que eu abraçava já estava encharcada!

Carol se sentou ao meu lado no sofá, acariciou meus cabelos, mas não a olhei — Oh Piper, você continua chorando por causa daquela garota?

Me virei de vagar pra ela — O papai foi na delegacia retirar a queixa contra ela mãe!

— Que bom filha, eu confesso que eu estava preocupada, porque as cadeias de hoje estão tão perigosas, tão cheias de marginais... Mas se a Alex vai sair da prisão porque você continua chorando filha?

A encarei novamente — Porque eu tive que prometer pro papai mãe que eu nunca mais me encontraria com a Alex se ele fosse lá e retirasse a queixa contra ela! — Disse entre os soluços do meu choro incontrolável

— E você esta pensando em quebrar a promessa depois que o seu pai tirar a Alex da prisão?

Maneio a cabeça em negativa e afundo meu rosto em minhas mãos — Não mãe, não.

— Que alivio filha!

Me ergo e me ajeito no sofá a fitando — Mãe, pelo amor de Deus mãe, faz o papai voltar atrás nessa condição faz?

— Não me mete nisso Piper!!! — Disse com um olhar pesaroso

— Mãe por favor, eu te ajudei no negócio das radiografias mãe, eu não contei nada pro papai que você queimou todas elas, você podia me ajudar agora!

— É uma coisa pela outra? você vai chantagear a sua mãe Piper?

Enxugo meu rosto com minhas mãos — Não mãe, é claro que não, mas é que você é a unica pessoa que pode me ajudar agora, você é a única que sabe que a Alex veio aqui com a melhor das intenções, você podia falar isso pro papai mãe, ele podia aceitar o nosso namoro! 

— Eu não posso fazer isso Piper, mesmo sabendo que a Alex não é uma má pessoa você sabe que eu nunca aceitei o namoro de vocês! 

— Porque não mãe?

— Porque ela só trouxe sofrimento pra você e pra toda a nossa família até agora! 

— Ah mãe, a Alex só me fez feliz até hoje, só isso! Que pena que vocês preferem me ver assim do que me deixarem ser feliz! Você era a minha ultima esperança mãe! — Ela me abraçou, a afastei de mim — Me deixa sozinha por favor, eu não quero ver e nem falar com ninguém, por favor mãe, me deixa aqui! 

Mamãe saiu e eu continuei no sofá, eu iria esperar até a hora que fosse até meu pai chegar e me dizer que a Alex não estava mais presa naquele lugar horrível por minha culpa! 

 

 


Notas Finais


Eu sei... eu seeeeiii!!! Ta difícil né? não pensem que eu goste disso, porque eu fico muito mal também! Acho que esse foi o capítulo mais difícil até agora!

Sei que não esta fácil gente, mas eu avisei, essa reta final vai ser um pouco dolorosa, mas tudo vai se ajeitar, confiem em mim e na Piper!

Sei que estão morrendo e sofrendo comigo... Me perdoem mas a história é assim!

Só uma pergunta, o que vocês fariam no lugar da Piper?


Amo vocês! ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...