1. Spirit Fanfics >
  2. DESEJA - ME - Série Possessivo - Livro 2 >
  3. Capítulo 12

História DESEJA - ME - Série Possessivo - Livro 2 - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Capítulo 12


   C H E G U E I no prédio que moro por volta das seis e meia e fui para o elevador. No meu andar — O último — voo direto para a minha porta do meu apartamento mas lembro que Calista falou para ir no seu apartamento então dou meia volta e bato na porta do seu apê.

   Demora alguns segundos e nada então bato de novo. Penso que aconteceu alguma coisa com ela então força a maçaneta só para ver que a porta está destrancada.

   Estranho que não tem ninguém na sala e na cozinha. Olho todos os cômodos do andar de baixo chamando pelo seu nome e chego à conclusão de que ela só pode estar no andar de cima.

   Subo as escadas meio hesitante, penso até em voltar para a porta e ligar para ela mas quando já vejo estou no corredor que dá acesso aos quartos. A casa é a mesma planta que a minha, então vou para o quarto principal.

   Ao entrar observo que as luzes estão apagadas dou uma geral procurando pela Calista e tomo um susto ao ver uma silhueta no canto do quarto.

   — Calista...?

   — Benyzinho quero que sente na cama. — Escuto sua voz dizer e mesmo hesitante vejo a cama dela e me sento.

   Respirando fundo vejo a sua silhueta andar pelo quarto e o barulho do salto alto acompanhar.

   — Tenho uma surpresa para você. — Ela diz. Procuro por alguma luz que ilumine o quarto mas as cortinas das grandes janelas de vidros estão fechadas e só tem uma frestinha do meu lado do quarto que ilumina um pouquinho a cama.

   De repente escuto uma música começar a tocar baixinho, Calista aumenta o volume aos poucos e consigo detectar que começa com notas de piano suave.

   Ouço seus passos andar no quarto então vejo uma luz de lanterna pequena sendo ligada, iluminando o chão de madeira. Confesso que isso desperta a minha curiosidade e observei mais atentamente.

Climb on board

(Suba a bordo)

We'll go slow and high tempo

(Iremos devagar e em ritmo elevado)

Light and dark

(Claro e escuro)

Hold me hard and mellow

(Abraça-me com força e delicadeza)

   A luz da lanterna ilumina somente os pés com salto alto, e quando os estalos dos dedos começam a Calista faz que a lanterna suba centímetros conforme o ritmo.

I'm seeing the pain, seeing the pleasure

(Eu estou vendo a dor, vendo o prazer)

Nobody but you, 'body but me 'body but us

(Ninguém além de você, ninguém além de mim, ninguém além)

Bodies together

(Dos nossos corpos juntos)

I'd love to hold you close, tonight and always

(Eu adoraria te abraçar esta noite e sempre)

I'd love to wake up next to you

(Eu adoraria acordar ao seu lado)

I'd love to hold you close, tonight and always

(Eu adoraria te abraçar esta noite e sempre)

I'd love to wake up next to you

(Eu adoraria acordar ao seu lado)

   Então os dedos brancos da mulher loira aparece quando a lanterna está sobre a coxa, ela arranha sua perna deixando um rastro fino, porém vermelho dos seus dedos apertando a pele que parece muito macia.

   O beat da música música muda e por alguns segundos me concentro na letra só para me perder segundos depois ao ver sua camisola preta transparente.

So we'll piss off the neighbors

(Então iremos acordar os vizinhos)

In the place that feels the tears

(No lugar que sente as lágrimas)

The place to lose your fears

(O lugar de perder seus medos)

Yeah, reckless behavior

(Yeah, comportamento imprudente)

A place that is so pure, so dirty and raw

(Um lugar que é tão puro, tão sujo e cru)

Be in the bed all day, bed all day, bed all day

(Ficar na cama o dia todo, cama o dia todo, dia todo)

Fucking in, and fighting on

(Fodendo com você e brigando)

It's our paradise and it's our war zone

(É o nosso paraíso e a nossa zona de guerra)

It's our paradise and it's our war zone

(É o nosso paraíso e a nossa zona de guerra)

   Engulo em seco quando seus dedos vão para o triângulo no meio das suas grossas coxas, ela coloca o dedo do meio lá sob a calcinha e não demorou muito já que sua mão segurou o vestido preto transparente e mostrou a barriga pálida.

   Com a lanterna seguindo sempre o movimento da sua mão acariciando seu corpo senti toda a minha respiração sair dos meus pulmões ao observar ela agarrar o seio esquerdo e apertar fazendo-os quase transbordar do pano fino.

   Naquele momento eu já estava quase entrando em pânico, com as mãos suando, sentindo todo o meu corpo quente. As batidas do meu coração parecia ter ido para o corpo inteiro, podendo jurar para mim mesmo que até as minhas veias estavam pulsando igual o órgão que bombeia todo o sangue do meu corpo.

   E os meus exercícios de abrir e fechar as mãos para me deixar um pouco mais calmo não adiantou em nada quando vi suas pernas lentamente se mover na minha direção.

   Trabalhando a respiração para não ter um desmaio vi ela parar na minha frente e sentar no meu colo colocando as duas pernas de cada lado do meu quadril.

   Ele já estava acordado faz tempo, e tudo o que eu queria era me levantar e me trancar no banheiro e deixar a ansiedade e a sensação do medo de fazer alguma coisa de errado sumir.

   Calista direcionou a lanterna para sua boca e a coloração vermelha muito bem pigmentada me chamou a atenção, por ser um vermelho bem vivo e pelo desenho da sua boca ser tão convidativo para mim.

Pillow talk

(Conversa de travesseiros)

My enemy, my ally

(Minha inimiga, minha aliada)

Prisoners

(Prisioneiros)

Then we're free, it's a thriller

(Quando estamos livres é um terror)

   Calista cantarolou a música, com sua voz baixa trazendo uma sensualidade deixando minha cabeça girando.

   Sussurrando as frases contra a minha boca, consigo sentir o hálito quente fazer cosquinha na minha pele. Seguro sua cintura apertando, ao sentir seu quadril mover lentamente com a volta da batida da música.

   A mão livre que não está segurando a lanterna faz uma leve carícia na minha nuca e estremeço quando sua boca se aproxima da minha orelha e ela canta com um tom de voz rouco fazendo que ele pulse contra a calça.

I'm seeing the pain, seeing the pleasure

(Eu estou vendo a dor, vendo o prazer)

Nobody but you, 'body but me 'body but us

(Ninguém além de você, ninguém além de mim, ninguém além)

Bodies together

(Dos nossos corpos juntos)

   Me sinto totalmente sensível ao seu toque e quando Calista roça seu nariz na linha do meu maxilar e fica com o rosto de frente para o meu de novo encaro sua boca e sinto seu dedo polegar passar sobre meus lábios e solto a respiração de uma vez. A música é esquecida por mim e a única coisa que eu quero é colar nossas bocas.

   — Vou te beijar... — O murmúrio rouco de aviso é ouvido por mim antes de sentir seus lábios macios tocarem os meus.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...