1. Spirit Fanfics >
  2. Desejo Ardente - Jeon Jungkook (Segunda Temporada) >
  3. Chapter 13.

História Desejo Ardente - Jeon Jungkook (Segunda Temporada) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noitinha 🧚🏻‍♀️

Voltei um dia antes do dia de postagem, quem amou? Ahaha

Esse capítulo está tenso, hein.

Perdão pelos erros ortográficos.
Boa leitura 💞

Capítulo 13 - Chapter 13.


Fanfic / Fanfiction Desejo Ardente - Jeon Jungkook (Segunda Temporada) - Capítulo 13 - Chapter 13.


 

Depois de longos minutos tentando processar o'que acabou de acontecer, eu finalmente saí da sala para poder consultar um cachorro. No entanto, a minha mente estava a mil por hora, eu não posso definir o que estou sentindo, são milhares de sensações ao mesmo tempo.

 

Raiva, magoas um verdadeiro misto. Eu sabia que Taehyung estava querendo algo, suas chantagens e perseguições não me desciam de jeito nenhum. E depois que ele deixou a última frase no ar e saiu me deixando sozinha, eu senti vontade de sentar naquele chão amadeirado e chorar como se não houvesse o amanhã. 

 

As coisas demoraram a acontecer e quando acontece veio tudo de uma vez só, deixando-me totalmente atônita e sem saber para onde correr. Mas o que me deixa mais intrigada é aquela maldita da Yerin, o que diabos aquela mulher ainda quer comigo?

 

Por que ela não me deixa em paz, o que eu fiz para ela? Nada, absolutamente nada! E o pior é que eu confiei no homem em que eu chamava de melhor amigo, eu confiei no Taehyung de olhos fechados. Nós dois crescemos juntos, brincamos juntos, rimos juntos, aprontamos juntos, demos duro juntos e no final tudo o que eu recebo é uma punhalada pelas costas. Ele debochando de mim, se achando o superior só porque agora é o meu chefe e está acima de mim, só mostra o quanto ele mudou, e para pior.

 

Eu juro que se eu não tivesse Sohye, largaria tudo para trás e voltaria para os Estados Unidos. Pelo menos lá eu tinha uma vida normal, medíocre e estava longe de problemas. 

 

Após terminar de colher o sangue do cachorro, pedi ao dono que retornasse no dia seguinte. O mesmo agradeceu sorridente, ele é muito simpático.

 

Abaixei minha máscara branca e caminhei para fora da sala, indo em direção ao banheiro. Lavei minhas mãos, em seguida passando o álcool em gel, e ao sair acabei dando de frente com Valerie. E a contrário daquele momento, agora, havia um semblante de preocupação residindo no rosto da mesma.

 

— Eu estava te procurando.

 

— O que você quer? - Respondo ríspida. 

 

— Me desculpa por ter lhe deixado sozinha...

 

— Não, eu não quero saber das suas desculpas. Na real, eu estou farta disso Valerie! - Eu simplesmente explodi, não me importando para mais nada ao meu redor. — Você sabia que ele só apareceu para me provocar e o que fez? Simplesmente saiu deixando-me sozinha com aquele insolente.

 

— Ele pediu e eu...

 

— Dane-se! Ele não manda em você. E quer saber? Eu simplesmente cansei, amanhã mesmo vou pedir a conta nessa merda e sumir daqui.

 

— Ei, não faça nada com a cabeça quente. - Valerie se pôs em minha frente, impedindo-me de passar para o lado de fora do banheiro.

 

— Depois da merda feita, você diz isso? Nossa, obrigada vai me ajudar muito agora. - Digo em tom de ironia, logo voltando a ficar séria.

 

— Eu já me desculpei, você quer que eu me ajoelhe e beije seus pés também?

 

— Não. Eu só quero que você me deixe em paz, pelo menos agora. - Respondi tirando seus braços que me impediam, e sai dali em passos rápidos e largos.

 

As pessoas parecem não enxergar a realidade, às vezes é tanto lamento pra algo tão pequeno, outras vezes é tanto descaso diante de algo tão grande e tosco. Como o que acaba de acontecer, e mais uma vez Valerie fechou os olhos. Eu não consigo entender absolutamente nada. E eu juro que quanto mais eu tento, menos eu chego a algo conclusivo. Na minha cabeça as coisas estão emaranhadas com rancor, dúvidas, incertezas e até medo.

 

" Medo de descobrir a verdade que muitos escondem.”

 

Como vou seguir em frente? O que é o certo a fazer? Ou pelo menos a forma mais segura para o meu coração. Pois tudo o que eu fiz até agora se voltou à mim.

 

Essas são as perguntas mais frequentes que me ocorrem.

 

Hoje meu ápice da paciência chegou no limite, espero que ninguém me torre mais do que Taehyung já fez

 

Voltei ao meu trabalho e como sempre foi uma correria só. E eu amo tanto o que eu faço, porém trabalhar aqui,  já não está sendo mais agradável ou divertido como antes.



 

                                       [...]

  

 

— Eu e Nayeon conversamos por esses dias e decidimos a data da nossa festa de noivado.

 

— Oh! E quando vai ser? 

 

— Sábado que vem. 

 

— Tirando esse o outro que vai entrar? – Indaguei meu pai um tanto assustada.

 

— Isso mesmo. Como queremos algo mais íntimo entre a nossa família, pensamos que vai ser mais fácil  planejar tudo durante essas semanas. E eu conto com a sua ajuda, caso esteja livre.

 

— Claro pai. Com certeza. - Respondo empolgada.

 

— Yeonjun também vai ajudar, não é? - Papai pergunta para o outro que assentiu positivamente. — Você pode ver a decoração para a mesa do jantar.

 

— Se permitir eu posso chamar com a sua filha para me ajudar. Porque por mais que eu conheça os gostos da minha mãe, é sempre bom ter uma opinião feminina.

 

— Perfeito! O que achou, (S/N)?

 

— É... Eu apoio essa ideia pai. Pode contar comigo para essa parte também. – Sorri forçado tentando disfarçar minha frustração.

 

Meu pai começou a falar sobre a festa animadamente, porém meus pensamentos estavam longe dali. O que me deixou mal por ele.

 

— Ei (S/N), o que acha da idéia de irmos até a floricultura? – Yeonjun me despertou.

 

— Oi? Ah, eu acho bem legal. – Respondi sem ao menos ter prestado atenção no que ele havia dito.

 

— Você está bem filha? 

 

— Estou ótima. - Sorri novamente. — Só estou cansada.

 

Bom, meu pai e ninguém da minha família soube que eu terminei com Hyun. Os únicos que estão cientes é o Jeon e Valerie, e sinceramente? Eu não sei se eu devo contar agora ou esperar um pouco mais.

 

— Aproveita que Sohye está na casa da sua mãe e vai descansar um pouco.

 

— Eu realmente preciso.  - Levantei-me do sofá. — Qualquer coisa vocês entram em contato comigo.

 

— Pode deixar. - Ambos responderam em uníssono e então, eu me despedi deles e sai indo em direção ao meu carro.


 

15 minutos depois.


 

O caminho até minha casa foi rápido, eu só queria poder relaxar e tomar um bom vinho. Parece que todo mundo me tira do sério, principalmente as pessoas que estão comigo o dia todo.

 

Ao adentrar em minha, acendo a luz e antes de eu fechar a porta, Jungkook aparece fazendo-me levar um grande susto. Por que ele sempre faz isso?

 

— Qualquer dia eu vou cair dura no chão, de tanto que você me assusta.

 

— Vira sua boca pra lá.

 

— Você estava me esperando?

 

— Não. Na verdade, eu cheguei trinta segundos depois de você.

 

Não respondi e calcei meus chinelos, um 

 silêncio maldito se formou entre nós dois. Então, eu fui em direção a cozinha e peguei uma garrafa de vinho na geladeira a deixando em cima da pia, em seguida me afastei e inclinei meu corpo para pegar duas taças que estava guardada bem no fundo do armário em frente ao balcão.

 

Voltei para o cômodo onde ele se encontra, e depositei a garrafa já aberta na mesa de centro. 

 

O silêncio estava se ampliando, talvez pelo fato de nenhum de nós dois querer quebrar o gelo que havia se formado. E para mim está sendo maravilhoso assim. No entanto, como nem tudo é como queremos, Jeon pegou a taça e a garrafa de vinho, ele se serviu e me olhou pronto para se pronunciar. 

 

— Sohye brincou tanto que acabou de machucando. - Ele diz, fazendo-me arregalar os olhos.

 

— E por que você me veio falar agora?

 

— Eu pedi para a sua mãe te avisar, mas não foi nada grave, Sohye só ralou o joelho.

 

— Passou algum remédio?

 

— Sim, a minha irmã passou um apropriado para ferimentos, e depois de alguns minutos Hye voltou a brincar como se nada tivesse acontecido.

 

— Hum, ela não chorou?

 

— E você ainda pergunta? 

 

— Grosso. - Respondo, bebericando meu vinho.

 

— Hye chorou um pouco, mas como eu havia dito, ela logo voltou à brincar.

 

— Eu acho bom você cuidar corretamente da minha filha.

 

Nossa filha. - O moreno deu ênfase na frase, em seguida me olhando fixamente. Eu tratei de desviar meu olhar do dele, não quero ter de cair em seus encantos ardilosos novamente. — Taehyung implicou com você hoje? - Indagou o moreno, mudando de assunto.

 

— Não me fale daquele miserável. - Suspiro fortemente e de repente sou tomada por uma raiva crescente e latente. — Eu vou seguir em frente com o que você me disse, e pedir a demissão.

 

— Isso é sério?

 

— Sim, e hoje foi a gota d’água para mim, você não tem noção Jeon. - Mordo os lábios, nervosa. — Ele citou a Yerin, e disse que a mesma me mandou um grande abraço. 

 

Jeon engoliu em seco e rapidamente fitou o chão como se tivesse subitamente perdido.

 

— O que foi? - Questiono. Meu cenho franzido já denunciava a minha confusão. Ele nada respondeu, esse silêncio e mistério está começando a me dar nos nervos. — Ei, Jeon!

 

— Oi. - O tatuado ergueu seu olhar para mim.

 

— Por que ficou assim? - Pergunto desconfiada.

 

— Eu só me lembrei de uma coisa, mas não é nada relacionado aquela mulher. - Explicou-se, mas não foi o suficiente para me convencer. 

 

— Por que eu não consigo acreditar nas suas palavras? Você de repente ficou tenso, o que está me escondendo?

 

E novamente sou tomada pela dor de cabeça, e parece que voltamos a estaca zero. Tudo, absolutamente tudo se repetindo como antes.

 

— E por que eu estaria mentindo para você, (S/N)? - Ele questiona ainda me olhando.

 

É extremamente ridículo eu ter que me preocupar com isso, mas eu sinto, no fundo do meu coração, que tudo teria sido diferente entre nós dois se ele não tivesse feito o que fez. E não, eu não estou dizendo que sou perfeita, todos estão sujeitos a errar e eu errei muito, todavia, por causa de um erro a nossa relação, principalmente vinda da minha parte, sempre será cheia de desconfianças.

 

— Por que quando se tratava dessa mulher, você simplesmente inventada uma mentira mal contada. - Digo o óbvio. — Não é porque transamos que eu confio 100% em você, Jungkook. - Respondo com um semblante sério. Desenterrar esse assunto delicado do nosso passado, é longe é uma das piores coisas.

 

— Eu tenho asco dela, será que você não percebe isso, (S/N)?

 

Não, eu não percebo merda nenhuma!

 

— Sinto em lhe dizer, mas não. 

 

Ele riu em descrença.

 

— As pessoas estão realmente conseguindo foder com tudo. - Esbravejou. — Amanhã eu vou dar um jeito de conversar com o Kim, vamos resolver isso por bem ou por mal.

 

— Eu não estou pedindo para você me defender, deixa aquele idiota pra lá e não se meta no caminho dele.

 

— A partir do momento em que você está no meio disso, eu me vou me intrometer. E não adianta me pedir para não tomar providências, suas palavras vão ser em vão.

 

Suspirei fundo e comprimi os lábios. É, não vai ter jeito.

 

— Eu só quero que você me fale a verdade, você tem algum tipo de contato com, Yerin?

 

— Não, eu posso te jurar isso.

 

— Certo. Pois fique ciente de uma coisa. - Me levantei do sofá e aproximei-me do moreno vagarosamente. Jeon continuo sentado na mesma posição, apenas me olhando atentamente. — Se eu descobrir qualquer coisa de você relacionado aquela mulher, esqueça de uma vez por todas que eu existo, entendeu? 

 

— Pode ficar despreocupada, eu não tenho mais nenhum contato com Yerin.- Ele responde firmamento, mantendo suas orbes escuras em contato com as minhas.

 

Mesmo relutando com esse sentimento, eu não posso me controlar. E eu sei que não posso conceder demais à minha desconfiança, visto que, agora, as coisas já não são mais as mesmas, mas esse sentimento é tão complicado de se controlar.

 

Eu estou perdida e sem saber o que fazer de agora em diante.





 


Notas Finais


Esse capítulo foi tenso, né?

Coitada da nossa protagonista 🥺os problemas voltaram novamente, e agora vem a pergunta: Por que Jeon ficou tenso com a SN citando o nome da, Yerin? Vocês conseguem pensar em algo? Alguma coisa que está escondido que a SN ainda não saiba?

Vejamos que Taehyung está aprontando, Hein.

Comentem para a tia Ge 💜seu comentário é muito importante para mim.

Me sigam no meu perfil: @lovggukz
e na minha conta secundária: @gukfait

Até a próxima anjinhos 🧚🏻‍♀️✨ ( provavelmente amanhã eu domingo )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...