História Desejo Ilícito - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kushina Uzumaki, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Rin Nohara, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara
Tags Drama, Guerra, Naruto, Perigo, Romance, Sasusaku, Traição
Visualizações 282
Palavras 2.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola meus queridos leitores!!<3
Eu sei, demorei bastante dessa vez ne. Peço perdão<3
Estou muito ocupada com o novo trabalho, e tive q dedicar um tempo especial pra minha outra fic que estou finalizando
Por isso o capitulo de hoje tá pequeno :(
Espero que vcs gostem♥

Capítulo 8 - Capítulo VIII - Beijo de Traição


⊱❉⊰ 

Capítulo VIII - Beijo de Traição

⊱❉⊰ 

 

Quando acordou, sentia-se revigorada, imersa em uma bolha de deleite. Sentia-se viva e algo dentro de si vibrava. Antes mesmo de abrir os olhos, ela abriu um pequeno sorriso. Foi instintivo. Mas, conforme sua consciência despertava, sua mente trazia de volta a lembrança do que acontecera na noite anterior. Ela ainda se sentia em êxtase, porém um sentimento de preocupação também se fez presente.  

Abriu os olhos lentamente. Piscou algumas vezes até seu olhar desfocar. E então se deparou com olhar, o qual se encontrava fixo em seu rosto. E ao contrário do olhar cheio de desejo e fogo com o qual ele lhe fitara na noite anterior, agora ele lhe olhava com frieza e severidade.  

Sasuke se encontrava deitado de frente para si, seus corpos estavam próximos, e Sakura repousava a cabeça sobre o braço musculoso do general. O casaco preto cobria seu corpo como um pequeno edredom.  

A claridade do dia iluminava parcialmente a caverna. Ao lado deles, a só restara cinzas dos galhos que alimentavam a fogueira.  

Sakura observou as feições duras do rosto no Uchiha. Parecia que ele estava acordado a algum tempo. E não parecia contente.  

— O que foi? — A princesa perguntou com tom fraco e sonolento. Sasuke apertou o maxilar, e puxou seu braço com brusquidão, tirando o conforto da Haruno que tinha seus bíceps como travesseiro.  

Ele se sentou, apoiando os cotovelos sobre os joelhos e entrelaçando as mãos uma na outra. Sakura não conseguia ver seu rosto, mas imaginava que ele estava sério, considerando a posição de tensa de suas costas.  

— Você ainda pergunta? — Ele cuspiu, sua voz soou mais áspero que o normal, com um tom duro e severo.  

Sakura se ergueu, apoiando-se nos cotovelos e observou as costas tensas do moreno.  

— Falando assim... parece até que você não gostou. — Ela murmurou, um pouco hesitante. Se sentia desconfortável com jeito que ele lhe fitou quando acordara. Para ela, tudo havia sido maravilhoso. Agora, se passava por sua cabeça que para ele não deveria ter sido tão bom.  

O que ela não sabia, é que ele estava mal-humorado daquele jeito justamente porque havia sido bom. Para ele, havia sido mais que bom. Sabia que não deveria achar isso. Pelo diabo, isso sequer deveria ter acontecido.  

— Essa não é a questão. — Ele esbravejou com tom rude, virando o rosto para encara-la por cima do ombro. Seu semblante se contorcia com certa aflição e inquietude, tudo dentro estava uma confusão. — Será que você não tem ideia do erro que cometemos? Você não entende quão grave isso é? 

Sakura engoliu em seco, desviando o olhar. Escutar ele falando do que aconteceu como tanto repudio contorcendo sua face, como se tivesse sido algo muito mais que pecaminoso, algo hediondo, provocava nela um sentimento de magoa.  

— Não fale assim... — Ela sussurrou, sentando-se e rodeando os braços em volta de si mesma, de repente sentindo-se afetada com a frieza que emanava do Uchiha.  

— Quer que eu fale de que jeito? Eu acabei de cometer o maior erro da minha vida! — Ele gritou, sua testa franzida com irritação, transparecendo a raiva que sentia por ela e por si mesmo.  

Sakura se encolheu, abraçando seu próprio corpo com mais força. As palavras dele lhe perfuravam como adagas venenosas, lhe dilacerando e contaminando toda sensação boa que sentira ao acordar.  

— Erro? — Ela repetiu a palavra que reverberava em sua mente, incrédula e decepcionada.  

— É lógico que foi um erro. — Sasuke rebateu, balançando a cabeça como se não tivesse acreditando que cometera um equivoco tão grave. Seu olhar duro cravou sobre ela. —  Você é a princesa. — Ele voltou a olhar para frente, impedindo Sakura de enxergar sua feição. — É casada com o príncipe herdeiro de Konoha. — Seu timbre de voz abaixou, ficando mais intenso.  — Meu melhor amigo.  

Sakura então entendeu a razão dele estar assim. Apesar de ter se deitado com a princesa que era casada, a culpa pesava em sua consciência de forma mais dolorosa porque fora Naruto quem eles traíram. Ele traiu seu melhor seu amigo e isso era o que o fazia sentir-se pior.  

Sakura se pôs de joelho, apertando o casaco em volta do seu corpo para se cobrir, e aproximou-se do Uchiha. Levemente hesitante, ela estendeu a mão e pousou no ombro dele. Ela sentiu os músculos se retesaram com seu toque.  

— É um casamento diplomático, Sasuke. — Ela falou, tentando alivia-lo da culpa. E aliviar a si mesma, também. — Foi uma união forçada por nossos pais, nenhum de nós queria se casar um com o outro.  

Sasuke voltou o olhar gelado para ela. Os olhos estavam estreitos, a expressão rígida.  

— Ainda assim — Seu tom rouco reverberou por todo corpo da princesa. — Você é a mulher dele. Eu nunca deveria tê-lo traído dessa forma. — Desviou o olhar, apertando sua mandíbula forte com tensão.  

A rosada deslizou a mão pelas costas rígida do Uchiha, sentindo um calor se iniciar em seu ventre apenas ao toca-lo.  

— Naruto não me ama. Ele nem se importa comigo, e fica dias a fio sem me ver.  

De repente, Sasuke se levantou, afastando-se dela. Sakura pode apenas observar, confusa e apreensiva enquanto ele limpava os resquícios da fogueira, para não deixar rastros para trás.  

Ele não olhou em sua direção quando pegou sua espada e embainhou em sua cintura.  

— Vamos. — Ele simplesmente disse, encaminhando-se para a saída da caverna.  

Sakura demorou para se mover. Ainda tentava processar a curta conversa que tiveram. Era de se esperar que Sasuke se sentisse culpado depois na noite de ontem. Mas ela não podia evitar ressentir-se com o modo frio que ele lhe tratara. Se entristecia ao ver repudio e arrependimento cintilando nos olhos escuros dele.  

Ela sabia que se fosse possível voltar no tempo, Sasuke jamais teria tocado em si. E se sentia uma tola, pois, ao contrário dele, ela faria tudo de novo e não mudaria nada. Ele se lembraria daquela noite como um erro terrível, enquanto para ela fora como um sonho. Ainda podia sentir um formigamento nas partes de seu corpo que ele tocara, por onde deixara os rastros de seus dedos calejados e quentes, seus lábios macios marcando sua pele e esmagando sua boca com ânsia, a sensação prazerosa, e um pouco dolorosa, dele lhe preenchendo... 

Seu coração afundou dentro peito, sua garganta se apertou, fazendo ela engolir um gosto amargo. Um incomodo se instalou dentro de si, e as lágrimas começaram a turvar sua visão. Mas, ao invés de se deixar levar pela tristeza, ela piscou, suspirou profundamente, levantando-se para segui-lo.  

Ajeitou sua vestimenta rapidamente, amarrando sua anágua e colocando por cima o vestido, mesmo que a essa altura, o tecido estivesse em surrado, sujo e em farrapos. Com o casaco dele enrolado em seus braços, ela se dirigiu para a saída da caverna.  

Sasuke estava esperando por ela do lado de fora, os braços cruzados sobre o peito e o olhar fixo em um ponto distante no horizonte. Continuou parado, mesmo quando escutou os passos hesitantes dela se aproximando. Sakura se colocou em sua frente e estendeu o uniforme em suas mãos para lhe entregar. O moreno lançou um rápido olhar em sua direção, logo desviando os olhos. Pegou o casaco das mãos dela e se virou, começando a caminhar sem dizer mais nada a ela.  

E assim continuou pelo resto do percurso. Sakura sabia que ele não era um homem que gostava de falar muito, e estava acostumada com a falta de diálogo entre eles. Porém, dessa vez, o silencio era diferente. Um silencio pesado e denso como uma nuvem negra pairando acima deles, carregado de tensão. O desconforto entre eles era quase palpável.  

Sakura caminhava de cabeça baixa, com pensamentos perdidos. Tentava evitar ao máximo que sua mente fosse tomada por devaneios negativos. Ela não queria se sentir culpada por algo que fora tão bom. Não queria pensar em Naruto, o marido que ela traíra da forma mais baixa possível.  

As lembranças das lições que sua mãe lhe ensinara passaram por sua mente; a mulher deve obedecer e respeitar seu marido, ser submissa e fiel, mesmo que essa fidelidade não lhe seja devolvida. O fato é que, segundo as tradições e protocolos da corte, Naruto poderia lhe trair quantas vezes quisesse, porém ela não poderia fazer o mesmo. Enquanto as traições do príncipe eram vistas como algo simplesmente travesso, e até natural, se descobrissem que ela tivera a mesma atitude, não haveria perdão. Sakura sentiu seu coração se apertar ao ´pensar nas graves consequências que tudo isso poderia acarretar.  

Mesmo assim, ela procurou algo dentro de si que se sentisse ao menos um pouco arrependido. Mas não encontrou. Nenhuma parte de si se arrependia, e ela se sentia péssima por isso, com a culpa pesando em seus ombros. É importante estar realmente arrependida, não basta sentir-se culpada 

Estava tão perdida em seus pensamentos que nem notara que estava andando devagar demais, e à sua frente, Sasuke se distanciava, com passos longos e apressados. Quando percebeu, já era tarde demais. O Uchiha havia sumido do seu campo de visão e ela se desesperou.  

— Sasuke! — Ela chamou, avançando rapidamente para tentar alcança-lo. Ela correu, tomando a trilha por onde achava que ele seguira. Porém, não o encontrou. Ela girou o corpo, olhando em volta, e de repente todas as arvores pareciam iguais e os caminhos entre elas também. Sakura olhou para todos os lados sentindo seu coração acelerar, sem saber qual direção ir e se desesperando ao pensar que se perdera do Uchiha. — Sasuke! — Ela gritou esganiçada.  

Sua respiração ficou ofegante conforme ela avançava por entre arvores, correndo desesperadamente, o medo e nervosismo tomando conta de si. A sol começava a se pôr, levando consigo a luz do dia. Sobre a luz fraca do fim de tarde, que escurecia mais a cada segundo que se passava, a princesa perdida andou pela floresta á esmo, gritando pelo general com sua voz tremula de desespero.  

Ela abraçou o próprio corpo, sentindo o frio no ambiente se intensificar conforme a noite se aproximava. Sakura sentiu seus olhos arderem, mas não era por causa do vento.  

— Sasuke, onde você está... — Ela balbuciou com tom tremulo, as lágrimas começavam a escorrer por seu rosto. 

Escutou o farfalhar das folhas, o som de galhos sendo pisados. Ela se virou, com um suspiro de alivio preso em sua garganta, ela esperava ver Sasuke aparecendo entre as árvores.  

Ela se enganou amargamente. Antes mesmo de enxerga-lo, ela escutou seu rosnado baixo. Era maior que um cachorro, e Sakura mal conseguia vê-lo com sua pelagem negra se camuflando na escuridão parcial da floresta, não fosse pelos brilhantes olhos amarelos, selvagens.  

Sakura recuou um passo para trás, devagar, sentindo seu coração ficar preso na garganta. Ela estava certa de que aquele seria seu fim. Sua vida inteira passou diante de seus olhos enquanto ela encarava a pantera com olhos esbugalhados, tremula, com seu corpo paralisado de medo.  

Quando o animal rugiu e avançou para cima de si, um grito rasgou sua garganta. Tudo aconteceu em um instante. Ela recuou, tropeçou em um galho e caiu de bunda no chão. Fechou os olhos e instintivamente ergueu os braços para se proteger, mesmo que fosse inútil. Ela fechou os olhos, e um grito rasgou sua garganta. E esperou sentir os dentes afiados da pantera dilacerando sua carne.  

Mas isso nunca aconteceu.  

Sakura abriu os olhos e viu botas de couro em frente. O corpo da pantera jazia no chão, e poucos centímetros de si, Sakura viu a cabeça decepada. Seu rosto se contorceu com horror.  

Ergueu os olhos e se deparou com Sasuke segurando o cabo da espada manchada de sangue. Ele olhava com frieza para o corpo sem vida do animal que a poucos instantes estava prestes a devorar a princesa. E quando seu olhar se voltou para ela, Sakura viu algo queimar em suas íris ônix.  

— Você. Ficou. Louca? — Ele disse pausadamente com tom duro e rouco. Seu peito subia e descia com sua respiração ofegante, como se ele tivesse corrido bastante. 

Sakura o fitou boquiaberta e sem reação. Seu corpo ainda estava congelado devido ao pavor e sua mente atônita demorou para se recuperar. Enquanto isso, Sasuke a encarava com olhar intenso flamejando de irritação, sua feição enrijecida, e a testa franzida com o que parecia preocupação.  

— Sas...ke? — Sua voz falhou devido ao torpor de emoções que lhe assolavam. Susto, alivio, medo, preocupação, e receio, pois pelo modo como o general estava lhe encarando, ele não parecia nem um pouco contente.  

— Qual é o seu problema, Sakura? — Ele cuspiu com tom irritado, se esquecendo completamente ou ignorando o fato de que estava falando com uma princesa, mandando o respeito para com sua Alteza para o quinto do inferno. Ele estava possesso de raiva e pouco se importava em ser delicado. — Eu mandei você não sair de perto de mim, sua tola. O que pensa que estava fazendo tentando perambular nessa floresta selvagem sozinha? Se eu não tivesse chegado a tempo, você estaria morta agora! 

Sakura se encolheu diante da fúria dele, abraçando o próprio o corpo em postura defensiva.  

— Não fiz por querer... Eu me perdi, Sasuke. De repente, não vi mais você. Eu juro. — Ela ainda tremia e olhava para o Uchiha com olhos amedrontados.  

Sasuke continuou lhe encarando com olhar firme e intenso, os olhos ligados nos seus. Em seu olhar, ele pode enxergar o quão assustada ela estava.  

Ele fechou os olhos e suspirou profundamente, tentando trazer à tona paciência, e afundando o nervosismo. Quando voltou a olhar para ela, sua expressão ainda estava tensa, porém a dureza em seus olhos suavizou um pouco.  

Sakura lhe fitou com receio quando ele lhe estendeu a mão. Lentamente, ela ergueu o braço e sua mão tremula foi acolhida pela palma fria dele. Ele lhe ajudou a levantar, impulsionando seu corpo para cima, com leveza e delicadeza, o que fez ela ficar surpresa.  

Quando estava em pé diante dele, sentiu Sasuke apertar sua mão, e ela quase resmungou de dor com a força que ele lhe segurava. Os olhos dele se prenderam nos seus, e Sakura viu um brilho estranho em seu olhar, o qual ela não pode distinguir o significado, mas se sentiu quase sufocada com a intensidade que suas orbes ônix cintilavam. Havia tanta coisa naquele olhar que Sakura não pode enxergar a preocupação no fundo de seus olhos, mas ela estava ali.  

Sakura não pode enxergar o quanto ele ficara desesperado quando descobrira que ela havia sumido. O quanto ele praguejara e gritara por ela, á beira de um surto, enquanto corria para encontrá-la. Seu coração apertado batente mais forte de forma quase dolorosa, esmagando seu peito, fazendo respiração ficar pesada. O desespero literalmente quase o sufocara.  

E quando se deparou com ela prestes a ser devorada por uma pantera, seu corpo foi tomado por algo sobrenatural. Ele agiu rápido e se moveu com velocidade que ele mesmo não sabia que possuía.  

Jamais se perdoaria se não tivesse conseguido protege-la.  

— Não faça isso de novo. — Ele declarou, sua voz era grave e carregada de tensão. Encarou a princesa por longos segundos com um olhar que provocou nela arrepios por todo seu corpo, e fizera algo em seu interior se remexer.   

Quando ele se virou para tomar o caminho, continuou segurando a mão dela. E não soltou mais.  

 


Notas Finais


Pois é, se Sasuke nao agir com frieza nao é Sasuke kkkk ele é muito mais rigoroso que ela, e consciente de que o que fizeram era proibido. Sakura também sabe disso, porém ela pouco se importa kkkkk mas o sasuke tem um lado racional muito forte, por isso ele ta agiu assim com ela, sendo frio para afasta-la
Mas sasuke surtou quando percebeu que ela havia sumido♥
algo me diz que nao vai demorar muito tempo pra ele cair em tentação de novo...

Eh isso, nao deixem de comentar o que estão achando e o que acham que vai acontecer daqui pra frente.. to louca pra saber.
Em breve eles voltaram pro palacio e ai sim a treta vai começar hehe
Até o proximo<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...