História Desejo incontrolável - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Totalmente Demais
Personagens Germano Monteiro, Liliane "Lili" de Bocaiuva Monteiro
Tags Gerlili Germano Lili
Visualizações 105
Palavras 600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie, sei que demorei e peço perdão.
Um capítulo aqui, e logo sai o outro, espero que gostem!

Capítulo 23 - A verdade para seus pais.


Depois que viram Gilda ir embora, os dois foram ajudar os empregados a arrumar a bagunça da casa. Tudo estava virado, principalmente a sala onde ficava a enorme televisão. Escutaram a campainha tocar, e Germano mandou a governanta da casa abrir.

L: Você está esperando por alguém? - perguntou Lili estranhando. Quase ninguém aparecia por ali.

G:Não, nem liguei para a polícia. - estranhando também. - Pode abrir lá a porta, por favor?

E: sim senhor. - sorriu e saiu para ir até a porta, onde a campainha tocou com mais insistência.

L: Será que alguém ficou sabendo do acontecido?

XxX: Mas, o que foi que aconteceu por aqui?

Lili sentiu seu corpo congelar completamente. O coração faltou sair para fora e não mexeu um músculo sequer do seu corpo, enquanto Germano, largava uma cadeira que tinha em mãos temendo no pior que poderia acontecer. Era o pai dela, o pai dela estava ali. O que eles fariam? O que eles iriam dizer? O tempo de esconder aquela gravidez havia chegado ao fim.

G: Entraram em nossa e esculhambaram tudo. - respondeu com a voz acelerada.

Eva: Mas vocês estão bem, certo? - perguntou a mãe de Lili preocupada. Germano assentiu. - Lili minha filha, está tudo bem? - Lili que até então ainda estava de costas, virou-se lentamente para olhar sua mãe. Sentia seu corpo tremendo de certo modo que parecia que a qualquer momento suas pernas a traísse e fizesse com quê a caísse no chão.

Felipe: Você... Mas... Como? Você está grávida? - com um olhar surpreso e pesado para a filha.

Lili: Estou papai... - falou determinada. De repente toda aquela raiva que sentira apareceu dentro de si. Lembrou-se do contrato que seu pai fez seu marido assinar. Lembrou-se mais ainda pelo fato de quê seu pai a fez perder quatro anos passados de casamento, sendo que poderia ter sido diferente.

Eva: Que maravilha, minha filha. - abraçou-a. - Não sabe o quanto me alegra saber que vai me dar um neto.

Lili: Uma netinha, mamãe.

Eva: já sabem até o sexo? Que coisa mais linda. - Lili pôde por fim concluir que sua mãe realmente não sabia nada sobre o suposto contrato.

Felipe: eu não acredito que você foi capaz disso. - olhando sério para Germano, via-se sair quase sangue de seus olhos. - Não acredito que passou por cima do contrato e foi capaz de tocá-la. Você assinou um termo onde dizia que nunca, NUNCA poderia tocar nela. Eu vou acabar com a sua vida, eu vou te matar.

Felipe estava dernorteado por tudo. Chegou rapidamente próximo de Germano pegando-o pela gola da camisa. Em um ato rápido e brusco Lili segurou o braço do pai, não iria deixar mais o mesmo impor mais nada em seu casamento, muito menos fazer algum mal ao homem que amava.

Lili: Você pode parar com isso, por favor? -Felipe não a olhava. - Eu sei exatamente tudo que você fez. Sei que fez o MEU marido assinar um maldito de um contrato antes de se casar comigo, e sinto-lhe muito papai, mas o seduzi de certo para tocar-me. Eu queria e assim o fiz, ninguém vai impor mais nada em meu casamento, estou bastante grandinha para isso.

Felipe: DO QUE VOCÊ ESTÁ FALANDO, LILI? ESSE CARA NÃO PRESTA, NÃO PODERIA TER LHE TOCADO.

Lili: ah, e por que não papai?

Felipe: ESSE CARA É UM ESTRUPADOR.

Lili: O que?

Lili falou isso quase que um sussurro. Do que seu pai estava falando? Como assim seu marido era estripador? Onde que ele pensou tudo isso dele? Não conseguia entender mais nenhuma daquelas palavras. 


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...