História Desejo Proibido (Jikook) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jikook, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 235
Palavras 6.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei com mais um capítulo! Boa leitura ❤️

Capítulo 6 - Funcionário novo


Fanfic / Fanfiction Desejo Proibido (Jikook) - Capítulo 6 - Funcionário novo

POV'S JIMIN

– O que está acontecendo aqui?– Era Jungkook, ele abriu a porta com brutalidade se deparando com Yoongi e eu bem próximos um do outro. Imediatamente, Yoon dirigiu o olhar a Jungkook, com uma expressão de pânico em seu rosto, eu nao estava diferente...e agora?

– Kook...– Eu disse totalmente sem reação.

– Que porra esse garoto tá fazendo, Jimin??– Eu fiquei estático, não tinha reação, apenas o encarava com os olhos arregalados, por conta do nervoso.

– Eu.... eu não fiz nada. – Yoongi tentou amenizar a situação.

– CALA A BOCA MULEQUE, NÃO SE DIRIGA A PALAVRA A MIM, DEU PRA VER O QUE VOCÊ ESTAVA FAZENDO!

– Jungkook, para, não começa..– Eu falei em um tom alterado colocando Yoongi para trás de mim.

– QUE PARA O QUE PORRA, VOCÊ NÃO NOTOU O QUE ELE ESTAVA PRESTES A FAZER???– Jungkook gritava e gesticulava apontando para Yoongi, vindo em nossa direção.

– Yoon, é melhor você ir embora.– Sussurrei em seu ouvido. O mesmo apenas assentiu e fez o que eu pedi.

Yoongi saiu da porta de minha casa se dirigindo em passos curtos até a calçada, mas antes dele sair, eu percebi algumas lágrimas escorrendo por suas bochechas pálidas, a pele de Yoongi é bem branca, então realçava a vermelhidão de quando ele está chorando. Claramente ele estava triste, e pra Yoongi chorar, alguma coisa devia estar o deixando muito abalado, porque o mesmo é fechado demais. Eu me culpei por não saber o por que, mas uma coisa é certa, ele estava tentando me dizer alguma coisa, mas o que...? Não tive nem tempo de pensar em minha própria pergunta, Jungkook me puxa para dentro.

POV'S YOONGI

"MAS QUE MERDA, QUE MERDA! EU SOU UM INÚTIL MESMO, UM IDIOTA. "

Eu estava em uma verdadeira batalha contra minha própria mente, andava pelas ruas em passos fundos, bufando, meu sangue fervia em minhas veias. Não aguento mais isso, juro que vou explodir se tentar segurar mais, não dá. Será possível?.... Será possível que eu sou tão inútil assim? Tão covarde ao ponto de não tomar uma mísera iniciativa? Ele estava lá, bem na minha frente, e eu não fiz nada, ABSOLUTAMENTE NADA, mas que merda. Não tive nem a coragem de enfrentar o babaca do irmão dele, eu simplesmente travei, que ódio de mim, o que ele poderia fazer? Me bater? Que bata. Vocês provavelmente não devem estar entendendo nada, pois bem.

Há alguns anos eu sou completamente apaixonado por Jimin, meu deus, eu não tenho palavras para dizer o quanto, mas desde mais novo, eu sempre escondi esse sentimento dele, e de todos. Tudo por conta de meu Appa, nunca vi um homem tão rancoroso e arrogante em toda minha vida. O velho sempre me tratou como um peso, ele sempre falou desde que me entendo por gente, que eu sou uma vergonha para a família, minha Omma segue a linha de raciocínio dele. Um dia meu Appa me pegou vestindo algumas roupas de minha Omma e me deu uma surra, foram tantos murros na cara que perdi a consciência por uns minutos, ele dizia que se algum dia me visse com um garoto, que eu não iria mais abrir os olhos e as coisas só pioraram depois que minha omma se foi, ela amenizava os conflitos entre eu e meu appa as vezes. A partir desse momento eu resolvi esconder esse "meu lado". Sou obrigado a namorar uma pessoa que não amo, meu Appa que me arranjou esse relacionamento. Um dia em uma festa da família, os melhores amigos de meu Appa apareceram com sua filha, e o velho logo apresentou a menina a mim, que hoje em dia é minha namorada, Susan. Logo quando nos conhecemos, senti uma conexão muito forte com a mesma, e aparentemente foi recíproco. Nenhum de nós dois tínhamos interesse um no outro, nos tornamos melhores amigos, porém existia uma pressão muito forte da parte de nossos pais para ficarmos juntos. Susan sabia que eu gostava de garotos, e sabia que eu precisava de ajuda quanto ao meu pai. Contei tudo para ela, desabafei tudo. Acabamos ficando juntos, porém não passava de uma armação, figiamos ser um casal na frente de todos, Susan fica com outras pessoas, mas eu não me importo, já que não a amo, eu só precisava de um relacionamento falso para tirar meu Appa do meu pé. Porém eu não consigo mais esconder meus sentimentos pelo Jimin, cada segundo que eu passo com ele, é incrível, ele me deixa tão leve, eu o amo, e muito, tudo nele me atraí, aquele olhar tão belo e doce, seu sorriso tão lindo, me ilumina, seu corpo estrutural.. Eu sou louco por Park Jimin, eu ando criando coragem a um tempo para me abrir pra ele, mas é muito difícil, eu tenho medo dele se afasta de mim, e eu sei que não vou ser correspondido, é o que mais dói.

Alguns longos minutos depois caminhando, me torturando em pensamentos... chego em minha casa. Adentro a mesma e logo vejo meu pai bêbado no sofá da sala (como sempre), Ele estava dormindo, com uma garrafa de vodka na mão, apenas o olhei com uma expressão de desprezo. Subi para meu quarto e me tranquei lá. Me afoguei em lagrimas, e naquele momento, tudo que eu queria era sumir.

POV'S JIMIN

– DA PRA ME EXPLICAR QUE PORRA FOI AQUELA???

Jungkook explodia de raiva como sempre, e eu já estava de saco cheio daquilo. Ele andava pela sala bufando, e falou comigo de forma muito grosseira. O que deu nele?

– Não grita comigo.– Eu disse em tom rude. – Já tô de saco cheio dessas suas palhaçadas.

– PALHAÇADA??? PORRA ELE IA TE BEIJAR, JIMIM!

– Você que é paranóico! Você não tem direito algum de falar assim com o meu amigo, Jungkook!

– AMIGO???? ELE TA DANDO EM CIMA DE VOCÊ, SERÁ QUE VOCÊ NÃO PERCEBE ISSO?? ELE IA TE BEIJAR PORRA! – Jungkook esbravejava.

– POIS QUE BEIJAR ENTÃO, QUE SACO!– Falo, logo em seguida subindo as escadas deixando Jungkook falar sozinho.

– NÃO VIRE AS COSTAS PARA MIM!– Apenas o ignoro, entrando em meu quarto e o tranco.

Jungkook já foi longe demais, essas paranóias dele só vão piorando, pode acabar nos afastando desse jeito. Eu já tô cansado disso tudo, não dele mas é que... eu tô mal, e Kook sabe disso, eu me sinto sozinho, precisava dele do meu lado e tudo que ele faz é brigar, isso chateia, e agora tô preocupado com Yoongi.. não sei o que pensar, ou o porquê dele estar assim, e essas brigas com JungKook só me fazem ficar pior.

E agora eu parei pra pensar, sobre mais cedo e...por que será que Yoongi estava daquele jeito? O que ele tinha? Estava triste, eu percebi isso. Ele ia me dizer alguma coisa, eu sinto, ou será que...Ele ia me beijar mesmo? Não, claro que não Jimin, ele é seu amigo. Não se deixe levar pelos surtos do JungKook. Eu não sei... não sei o que aconteceu, não sei como ajudá-lo, estou me sentindo péssimo. Ah quer saber? Acho melhor eu ligar pra ele, ou mandar mensagem sei lá, é.. é melhor.

Tentei ligar três vezes mas só caia na caixa postal, então resolvi mandar mensagem.

*Mensagem on*

Jimin: Yoon, tá tudo bem?? [ 22:01]

Jimin Yoongi, quando chegar em casa me fala. [ 22:30 ]

Jimin: Yoon, eu tô preocupado, nem o celular vc atende, da algum sinal de vida, por favor [ 23:10 ]

*Mensagem off*

Resolvi parar de insistir, a hora que ele ver, vai me responder, eu espero. Eu não queria descer porque sabia que Jungkook estaria jogado no sofá da sala como sempre, e eu ainda estava muito bravo com ele pra me dirigir a palavra ao mesmo, mas a fome falou mais alto então tive que ir.

Desci as escadas e como previsto, Jungkook estava jogado no sofá, dormindo, quase caindo, não deu pra não sorrir, mas logo em seguida voltei a fazer bico lembrando que estava bravo. Tentei passar de fininho pra não acorda-lo, mas uma infeliz almofada no chão me fez tropeçar e cair a sua frente, Kook acorda no mesmo instante. Eu saio na hora, me dirigindo até a cozinha, ele me segue com o olhar porém não diz nada.

Eu estava tentando pegar uma caixa de cereal na prateleira de cima mas minha altura não colaborou para que eu conseguisse, até que sinto alguém atrás de mim se aproximando, e vejo Kook pegando a caixa. Ele segurou a caixa em minha frente para eu pega-la;

–Acho que queria isto...– Eu me viro para encara-lo, e quando ia pegar a caixa, ele a afasta de mim.– Mas antes, quero conversar com você.

–Me dá isso logo, Jungkook, não tenho nada pra conversar contigo.– Falo tentado puxar a caixa de sua mão e ele continua a afastando.– Que saco, Jungkook, me dá isso!

Ele não diz nada, apenas sai correndo pela cozinha e eu vou atrás. Ficamos correndo em círculo em volta da mesa e eu o xingava de todos os nomes possíveis, Kook saí correndo pra sala e eu vou atrás, corro o máximo que dá e consigo chegar até ele, o empurrando em cima do sofá, caímos alí e eu fiquei por cima dele, ele ria da minha cara e então inverte as posições e fica por cima de mim, prendendo meus braços do lado da minha cabeça. Um clima muito intenso tomou conta do ambiente, uma frenética troca de olhares se fez presente, respiravamos ofegantes em silêncio. Kook chegava perto de mim lentamente, sua proximidade me deixou com falta de ar.

– Podemos conversar agora?– Kook para no meu ouvido e sussura, sinto sua respiração batendo no meu pescoço, fazendo meu corpo todo estremecer. Apenas assinto com a cabeça e ele sai de cima de mim.

– Sobre o que quer conversar?

– Queria te pedir desculpa.. pelo meu comportamento em relação ao.. Yoongi.– Notei Jungkook travando quando disse "Yoongi."

– Mas você já fez isso antes, pediu desculpa e fez de novo.

– Eu nunca pedi desculpa antes sobre ele, é a primeira vez, Jimin. E eu vou ser sincero com você, eu tô me desculpando agora, mas provavelmente eu vou fazer de novo mesmo, eu não consigo me controlar quando se trata dele, eu sinto muito.– Conforme Jungkook falava, ele ia diminuindo seu tom de voz até abaixar a cabeça, aquilo me deixou um pouco amolecido..

– Tá, eu te desculpo.– Falo pegando em seu queixo e levantando fazendo ele olhar para mim.– Mas, tenta, só tenta se controlar um pouquinho? Porque ele é meu melhor amigo...e eu fico magoado com você quando você faz essas coisas, e não gosto desse clima ruim entre a gente.

– Tá, eu posso tentar, mas eu não garanto, ok? É difícil, Jimin.

– Eu só não entendo porque essa implicância com ele...

– Porque.. – Eu sentia Kook tentando achar as palavras certas pra não gerar outra briga dependendo do que ele falasse, ele estava realmente se importando.– Porque você não percebe, mas ao meu ver, ele realmente da em cima de você, eu vejo o jeito que ele te olha... e não é que eu me sinta inseguro porque eu sei o quanto sou incrível.– Jungkook para e me olha com um olhar sensual o que me fez rir. – Mas eu fico com raiva sabe, você é meu e ponto.

– Eu sou seu??  eu acho que você está se achando muito senhor Jeon Jungkook.– Falo me aproximando dele.

– Não me acho, só estou falando a verdade.– Kook também se aproxima e me dá um selinho, sinto minhas bochechas ruborizarem e eu desvio o olhar sorrindo.– Ta vendo, e eu nem fiz nada, já ficou vermelho, imagina quando eu fizer. – Kook fala a última frase baixo mas ainda sim eu consigo escutar.

– Quando fizer o que??– Pergunto curioso.

– Nada não, voltando ao assunto. Eu fico com raiva dele, fora o jeito marrento que me estressa.

– Você fala do Yoongi mas é mais marrento que ele né. – Falo bagunçando seu cabelo.

– Jimin, posso fazer uma pergunta? Seja totalmente sincero.– Eu assinto com a cabeça e ele continua.– Você realmente não notou que ele ia te beijar quando se aproximou de você?

– Não, Kook, eu sei que ele não faria isso, não tem porque, confia em mim tá?

– Ok...

– Tá, agora dá pra me dar minha caixa de cereal, Kook? Tô com fome.

– Não, você tem que se alimentar melhor, vou preparar a janta.

– Aish, ok

– Fica comigo na cozinha? Não quero ficar sozinho.

– Claro que fico, vamos.

QUEBRA DE TEMPO

Kook já tinha feito nosso jantar, é incrível como ele cozinha tão bem, ele havia preparado Bibimbap, minha comida favorita, acho que foi um jeito de se redimir, é fofo o modo como ele tenta se desculpar não usando apenas palavras. Estávamos na mesa da cozinha ainda conversando sobre coisas aleatórias.

– Kook, vamos ver um filme juntos? Faz tempo que não fazemos isso né?

– Verdade, vamos, quer escolher enquanto eu faço a pipoca?

– Pode ser, vou lá.

– Ok.

Vou pra sala e sento no sofá escolhendo algum filme, acabo parando num Dorama que me interessou e deixo pronto pra quando Kook viesse com a pipoca, era só dar play. Não demora muito e ele aparece com uma tigela enorme de pipoca e se senta ao meu lado, apertei o botão do controle e o filme começou.

Não demorou muito e eu já estava jogado no ombro dele como sempre, Kook passa seu braço por cima do meu ombro e me dá um beijo na cabeça;

– Eu amo quando você faz isso sabia?– Ele sussurra praticamente.

– Quando eu faço o que? – Falo me jogando ainda mais, me fazendo de desentendido.

– Exatamente isso..– Kook fala colocando sua mão em minha perna depositando um carinho alí, me fazendo corar no mesmo instante. Essa relação entre a gente ainda é coisa nova pra mim... É tão estranho mas ao mesmo tempo eu o desejo.

– Jimin– Kook fala ainda sussurando. Olho para ele e o mesmo me fita com os olhos, se aproximando mais e mais de mim, chegando perto da minha boca, e ele me dá outro selinho, e dessa vez eu dou outro de volta, o vejo sorrir com a minha atitude, e então ele me beija de novo, dessa vez mais demorado, sua boca era tão quente, sua língua acariciou meu lábio inferior, pediu passagem e eu logo cedi, coloquei minha mão em sua nuca e fiz um carinho alí. 

Kook pega minha perna me fazendo subir pro seu colo sentando de frente para ele, nos beijávamos intensamente, suas mãos que estavam em minha cintura, descem pra minha bunda e a apertando, acabo soltando um gemido entre os beijos que foi percebido por Jungkook na hora, ele repete o ato de apertar, me tirando mais um gemido. Afasto nossas bocas e vou em direção ao seu pescoço e deixo beijos molhados alí, sinto Kook se arrepiar, e logo sua mão que estava em minha bunda, sobe para meu quadril, fazendo eu me mexer em movimentos de frente e trás, aquilo me deixou... excitado.

Eu rebolava em cima dele, cada vez mais rápido. Nos beijávamos intensamente, enquanto ele passava as mãos por todo o meu corpo, parando em minha bunda e dando leves apertões. Eu arfava e suspirava, aquilo estava muito bom. Não consegui segurar mais um gemido, percebendo olhares maliciosos de Kook sobre mim. Ele arfava com meus movimentos. Eu rebolava cada vez mais rápido e logo pude sentir uma ereção no meio de suas pernas, ele solta um gemido rouco que me deixou ainda mais excitado.

Jungkook agarra minha cintura com possessividade, fazendo com que eu me esquecesse como se respira por um breve momento, ele me levanta de seu colo, me colocando no sofá logo em seguida deitando-se por cima de mim, voltando a me beijar com mais desejo, ele mexia seu quadril fazendo seu membro se fricçar no meu. 

Kook fica de joelhos no sofá logo tirando sua camisa, ele me encara por uns segundos com um olhar malicioso, percebendo minha fixação em seu abdômen definido, não consigo me segurar e me inclino um pouco acariciando seu peitoral. Ele volta a me beijar e levanta a barra da minha camisa fazendo menção de também tirar... eu paralisei com seu ato, simplesmente travei.

Eu não achei que um simples beijo fosse chegar a esse ponto, fiquei em pânico, eu não tô preparado, eu não sei o que fazer, tô nervoso, aí meu deus não é a hora certa, eu me deixei levar, não sei o que deu em mim, mas não posso fazer isso agora, não dá...

– Jimin, tá tudo bem? Eu te machuquei? – Kook pergunta preocupado, percebendo minha expressão de desespero.

– Hy-hyung... eu não... é que...e-eu nunca...– Eu digo envergonhado, não conseguindo terminar a frase, desvio o olhar para um canto qualquer.

–Jimin... você é virgem?– Ele diz acariciando meu rosto, de forma compreensiva.

–S-sim, é...me desculpa..– Digo com o olhar baixo.

– Não, pequeno...não tem porquê pedir desculpas, eu é que tenho que me desculpar por ter ido rápido demais.– Ele diz se levantando e sentando no sofá. Puxa meu braço com delicadeza, me fazendo sentar ao seu lado.–Eu não vou te apressar em nada, ok? Espero o seu tempo.

– Obrigado, Kook... – Eu disse abraçando minhas pernas e me encolhendo nos braços de Kook.

POV'S JUNGKOOK

Aquele beijo foi incrível, eu sentia meu coração palpitando enquanto um misto de sensações invadiam meu corpo manifestando por todo o meu interior.

Eu nem acredito que cheguei a esse ponto com Jimin, eu já fiquei com muitas pessoas na minha vida, mas Jimin é diferente, é tão... único. Ele é especial, quando estou com ele nada mais importa, ele me deixa instável, é um sentimento inexplicável... mesmo sendo irmãos, não há desconforto já que o sentimento é verdadeiro.

Mas eu estou me sentindo um pouco mal, acho que fui rápido demais, eu não devia ter apressado tanto as coisas, me precipitei. Eu já suspeitava que Jiminie fosse virgem, ele é tão puro, tão ingênuo... um anjo mesmo, Jimin é incrível, mas no momento eu me esqueci completamente de tudo, queria te-lo pra mim, espero não ter o assustado, eu não vou mais o apressar, terei paciência com ele, esperaria seu tempo.

– Você ...me acha idiota por isso? – Jimin perguntava ainda olhando para baixo.

– Claro que não, Jimin. – Falo pegando em seu rosto, não contendo abrir um sorriso.– Cada um tem o seu tempo, tá tudo bem.

– Mas eu cortei o clima né?

– Jimin, não precisa se preocupar, ok?

– Ok...

– Vou dar um pulinho no banheiro tá?– Eu precisava me aliviar depois de aquilo tudo.

– Ta.

Me levanto rapidamente indo em direção às escadas.

– Kook– Jimin me chama e eu me viro. Pude notar seu olhar descendo de meu rosto e parando na região da minha cintura e arregalando os olhos, um sorriso tímido se fez no seu rosto.– Não é nada....– Ele diz rindo baixinho e olhando pro chão, suas bochechas estavam vermelhas.

Subi pro banheiro e comecei a me tocar, não parava de pensar em tudo que tinha acontecido, eu estava desesperado pra ter Jimin, seus beijos eram tão quentes, sua bunda rebolando em cima do meu membro me deixava cedento por mais... então eu comecei a me aliviar desesperadamente, o som ecoava por todo o banheiro.

POV'S JIMIN

Fiquei esperando Jungkook na sala por um bom tempo, ele disse que ia ser rápido... Eu já estava quase dormindo no sofá, então resolvo ir atrás dele, subi as escadas, o corredor estava todo escuro, vi apenas um ponto de luz no fim do corredor, que saía da brecha da porta do banheiro, estava entreaberta, fui em sua direção e me aproximei lentamente. Quanto mais eu chegava perto, mais sons estranhos eu ouvia, o que me deixou intrigado a descobrir mais da onde vinha aquele fragor, e....meus Deus.

Eu fiquei completamente sem ar quando vi o porque da demora de Jungkook, eu fiquei parado alí, só observando, eu sabia o que ele estava fazendo e porque, mas eu nunca tinha feito, nem visto, parecia ser bom.. ele estampava uma expressão em seu rosto, que me deixou excitado. Kook acaba sumindo da pequena brecha que eu tinha liberdade de o observar, indo para algum canto do banheiro, mas eu.. eu não queria parar de ver, então eu afasto mais um pouco a porta, porém a maldita faz um barulho estridente, que logo é percebida por Kook que agora olhava em minha direção, eu não sabia o que fazer, nem o que dizer, então eu... eu corri, eu saí correndo descendo as escadas e voltando a sentar no sofá, minha respiração se encontrava ofegante nesse momento, eu suava, minhas mãos suavam.

                            [....]

Passados mais alguns minutos, minha respiração já estava instável, e logo Kook aparece no topo da escada.

– Ei, vem, dorme comigo hoje?– Acho que Kook tinha tomado banho, ele estava só com uma calça moletom e sem camisa, seus cabelos pareciam molhados.

– Durmo, tô subindo...– Eu estava morrendo de vergonha por causa do ocorrido de minutos atrás, ao contrário de Kook que parecia bem tranquilo. Enquanto subo as escadas lentamente, noto Jungkook me seguindo com o olhar até eu parar em sua frente.

– Vamos.– Ele diz estendendo a mão e eu assinto, segurando na mesma.

Fomos para o seu quarto, ele entra primeiro já se deitando. Eu parei na porta, encarava seu abdômen definido, acho que ele percebe e dá uma risada baixa;

– Vai ficar aí parado?– Kook fala ainda rindo. Eu não digo nada, apenas saio da porta a fechando e me deitando na cama. Kook me acolhe com seus braços e eu coloco minha cabeça em seu peito, não consigo evitar e minha mão desliza para sua barriga, fico fazendo um carinho alí, pude perceber ele se arrepiar ao receber meu toque. Ficamos longos minutos assim. Depois de algum tempo ele corta o silêncio;

– Quer dormir de conchinha?– Ele pergunta passando a mão em meus cabelos. Eu assinto e me viro, ele abraça minha cintura colocando seu rosto em meu pescoço. Sua respiração batia na minha pele me causando intensos arrepios.– Você é bem curioso, sabia?– Jungkook fala sussurando no meu ouvido, logo senti minhas bochechas ruborizarem.

– E-eu... me desculpa..– Eu gaguejava.

– Tudo bem. – Ele dizia dando uma risadinha. – Você sempre foi curioso.– Eu não respondia nada, estava muito sem graça. Depois de uns minutos, eu me dirijo a ele;

– Kook..– O chamo.

– Hum?– Ele parecia estar quase dormindo já.

– Você vai fazer aquilo comigo?– Pergunto de um jeito tímido.

– Você quer?

– Sim... eu quero. – Acho que agora eu estava mais vermelho que pimentão. Sinto ele se aproximar mais ainda do meu pescoço;

– Então eu faço.– Kook sussurra perto do meu ouvido, logo em seguida mordendo meu lóbulo, ato este que causou arrepios por todo o meu corpo.– Você. – ele diz e beija meu pescoço– Gostou do que viu?–. Suas respiração estava quente, sua voz se encontrava tão sexy, baixa e rouca.

– Gostei.. gostei bastante..

– Quando você se sentir a vontade...– Ele suspira.– eu faço tudo que você quiser.–

paralisei por um segundo, não tive reação, mas ao mesmo tempo foi muito excitante. A voz rouca de Jungkook ecoava em meu ouvido, em uma perfeita sincronia a sua respiração ofegante... era tão maravilhoso.

– T-ta. – Foi tudo que consegui dizer.

–Vamos dormir.– Ele diz beijando o meu pescoço e apertando mais minha cintura fazendo nossos corpos se colarem.

– Boa noite, Kook. – Falo repousando minha mão em cima da sua que me envolvia.

– Boa noite, Pequeno.

Eu tentava dormir, porém minha mente conturbada não colaborava com isso. Não parava de pensar nas coisas que Kook havia me dito, não conseguia tirar da cabeça seus beijos tão viciantes...seus toques...seu carinho... Tudo. Absolutamente tudo. Acabei adormecendo depois de um tempo.

POV'S JUNGKOOK

Acordei com os primeiros raios de sol que batiam em meu rosto. Ainda estava sonolento, então abri os olhos lentamente por causa da claridade. Olhei para o lado e percebi um sorriso bobo se formando em meu rosto, Jimin dormia como um anjinho, era tão fofo, seus olhos formavam dois risquinhos, a coisa mais linda que se possa ver. Me aproximei mais dele deixando um beijo em sua bochecha, e acariciando o local, logo em seguida, um leve selar em sua testa... esse garoto é tudo pra mim.

Me levantei da cama com cuidado para não acorda-lo. Ele ainda dormia, então saí do quarto lentamente logo fechando a porta. Desci as escadas indo até a cozinha. Um relogio que havia lá, marcavam 11 da manhã em ponto. Resolvi fazer alguma coisa para eu e Jimin comermos, e acabei me lembrando de que hoje seria a festa da empresa, aqui em casa. Droga... Tenho que comprar algumas coisas ainda. Fiz o café e preparei a mesa, tudo muito rápido, não podia me atrasar. Depois de terminar tudo, Jimin ainda não tinha acordado, então eu teria que ir acorda-lo, o que é bem perigoso... Ele acorda meio raivoso as vezes, eu corria sérios riscos de levar um socão bem no meio da cara, mas eu tinha que ir.

 Subi novamente as escada me dirigindo até meu quarto, abri a porta lentamente, e lá estava ele, dormindo como um neném. Me aproximei devagar ajoelhando ao seu lado, ele não se movia nem um centimetro. Apoiei minha mão em sua bochecha na intenção de desperta-lo...tentativa falha. Chamei diversas vezes por seu nome mas ele não dizia uma palavra. Não consegui pensar em nenhuma outra forma de acorda-lo, pelo menos sem que ele me agredisse. Mas pensando bem...tem uma sim. Me aproximei de seu rosto sentindo sua respiração bem próxima de mim, observei cada traço tão delicado de seu rosto, era mesmo uma obra de arte. Selei nossos lábios em um beijo calmo. De início ele não correspondia, mas depois começou a mover seus lábios, ele já tinha acordado então. Graças a deus, e da melhor forma possível.

Logo ele abre os olhinhos de uma forma muito fofa, e sonolenta;

– Kook?.... – Ele diz se espreguiçando.

– Bom dia meu pequeno. – Dou um beijo em sua testa.

– Bom dia, Hyung.

–Desculpa ter te acordado, mas eu precisava...– Falei e logo percebi uma expressão confusa em sua face.

– Precisava?... por que?

– Hoje é a festa da empresa, esqueceu?–Sorri pra ele. – Tenho que sair para comprar algumas coisas.

–Ah sim, eu tinha me esquecido, desculpe. – Ele disse sentando na cama.

– Tudo bem, anjo. Venha, vamos descer.– Peguei em sua mão e saímos do quarto.

QUEBRA DE TEMPO

Eu já estava me preparando para sair. tinha que ir até o centro da cidade comprar algumas coisas que faltavam para a festa. Jimin pediu para ir comigo, eu deixei, já que não queria deixá-lo sozinho. Ele já estava se arrumando e eu o esperava na sala, como demora esse garoto, meu deus.

Passaram 10... 15... 20 minutos, e nada de Jimin descer. Já estava ficando irritado com sua demora, então resolvi subir até seu quarto para ver o que estava acontecendo. Bater na porta já não era mais um costume meu, então entrei, sem nenhum aviso prévio.

– Va...– Me deparei com Jimin virado de costas. Ele estava totalmente nú, o que me deu a visão magnífica daquela bunda farta. O olhei de cima a baixo admirando seu corpo escultural, mas logo pude perceber um olhar envergonhado do mais novo. Ele sorriu pra mim e virou de costas novamente.– Va- vamos? Você está demorando...

– Okay, já vou.– Ele disse e logo começou a se vestir. Eu ia me retirar, mas estava imóvel com aquela cena, por mais que quisesse, não conseguia. Fiquei observando cada movimento dele, tão singelos...e sexy ao mesmo tempo, até parecia estar me provocando.– Vai ficar aí parado?– Jimin pergunta virando seu rosto para mim, mas não totalmente, me olhando de canto de olho. Eu não falo nada, apenas sento em sua cama e o espero. 

Depois de mais uns minutos indeciso com o que vestir, ele finalmente fica pronto e vem em minha direção.– Você me chamou de curioso, mas eu te vi me olhando tá.– ele diz com um sorriso bobo em seu rosto, parando em minha frente.

– Não teve como não olhar– Falo o puxando pelo cós da calça.

– Aé?...E porque não? – Ele diz colocando seus braços em volta do meu pescoço, fazendo com que nos aproximassemos mais.

– Porque você me excita. – Vejo ele corar na mesma hora e logo em seguida colocando seu rosto em meu pescoço para se esconder. Não pude conter um uma risada, como ele pode ser tão fofo e sexy ao mesmo tempo?– Vem cá. – Falo e seguro em seu queixo o fazendo olhar para mim, boto a mão no seu pescoço e aproximo nossas bocas deixando um selar em seus lábios, foi uma coisa rápida, mas o suficiente pra eu querer mais, infelizmente o tempo estava curto e eu precisava sair logo, então o afasto e seguro em sua mão.– Vamos.

QUEBRA DE TEMPO

Estacionei o carro em uma praça que fica próxima ao centro, só mais alguns minutos de caminhada e já teríamos chegado. Eu já estava com tudo que teria que comprar em mente: bebidas(não alcoólicas), comida, taças, pratarias, Cds, uma caixa de som, e um bolo; tudo como planejado, mas algo estava me incomodando, Jimin estava muito quieto, eu percebi algo de estranho nele desde a hora em que pegou seu celular após sairmos de casa, ele não disse uma palavra de lá até aqui, e eu estranhei. Ele parecia triste, será que tem algo que não queira me contar?

–Jimin...ta tudo bem?– Eu disse o olhando, em tom receoso.

– Sim, Kook. – Ele não retribui meu olhar.

– Não parece...

– Eu estou bem.

– Não, Jimin, não está, me conta o que aconteceu.

– É que.... ah, deixa pra lá.–Sua expressão era triste.

– Pode me dizer, pequeno, você pode me falar qualquer coisa, lembra?

– Hum... Promete que não vai ficar bravo?

– Claro que não vou, Jiminie, prometo.

– É o Yoongi...

Pois é, eu fiquei bravo. Bravo nem é a palavra, eu fiquei é puto isso sim, mas não vou descontar isso em Jimin, vou tentar ser coompreesivo porque eu prometi a ele que não ia mais causar briga por causa de Yoongi, estou tentando conter o meu ciúme, por mais que seja difícil.

–... Estou preocupado com ele.– Ele disse abaixando a cabeça, provavelmente para esconder... suas lágrimas?

– Ei, meu amor, não chora, por favor. – Eu disse o abraçando para conforta-lo.

– Eu não sei o que fazer Kook... – Ele se agarrou mais aos meus braços e escondeu seu rosto em meu pescoço. Se desmanchava em lágrimas, aquilo partiu meu coração.

– Calma, pequeno, não fica assim. Me diz o que houve. – Acariciei seu rosto enquanto secava suas lágrimas com os dedos. Ele se afundava cada vez mais em meu abraço, parecia que ia desmoronar, então o levei até um banco da praça que ficava alí. Ele se sentou e eu também ao seu lado, não nos separamos do abraço e ele continuava a chorar.

– Ontem... – Fungou. – Yoongi tinha alguma coisa para me dizer ontem... mas eu não sei...não sei o que é. Eu mandei mensagem para ele, liguei, tentei de tudo, mas ele não responde, não sei como ele está. Ele sumiu, e eu já não faço ideia de como ter notícias dele...

– Ele pode estar ocupado, não sei. Se ele ainda não te respondeu, é porque não teve tempo, quando ele tiver, com certeza vai te responder. Não se desespere, ta tudo bem. Confia em mim, ok? – Eu disse segurando seu queixo o fazendo olhar pra mim, acariciando suas bochechas levemente.

–Ok...

–Você esta melhor?

– Sim, eu estou. Obrigado Kook, você me acalma... – Ele disse me abraçando, com um sorriso fraco em seu rosto.

– Que bom, Jiminie, e que bom que eu consigo.– Retribui o abraço, e dei um beijo em sua testa. – Agora vamos?

– Vamos.

Segurei em sua mão e a entrelaçei na minha, assim seguimos o breve caminho que restava. Não demorou muito para chegarmos até a primeira loja, adentrei o local e logo pedi o que desejava ao vendedor, ele me trouxe e depois me dirigiu até o caixa, paguei e o agradeci pelo ótimo atendimento.

 O processo se repetiu em todas as cinco lojas que fui, já tinha comprado quase tudo, só faltava uma última coisa, CD's. Havia uma loja de discos a algumas quadras dali, então apertei o passo caminhando até lá. Jimin me acompanhava em passos lentos, e não pude deixar de notar uma expressão aflita em seu rosto, o que me deixou confuso, mas apenas preferi deixar pra lá. Chegamos na porta da loja, e bom... eu não teria entrado se soubesse o que aconteceria.

POV'S JIMIN

Eu sabia que não deveria entrar naquela loja, encontrar aquele vendedor abusado de novo era a última coisa que eu queria, e agora com JungKook... seria bem pior, ele é bem mais explosivo que Yoongi. Eu tentei o convencer de que não queria entrar, mas ele achou estranho, o que o fez fazer mais questão de que eu entrasse, devido a minha atitude.

Assim que entramos na loja, o vendedor de cabelos compridos já me encarou de uma forma nada agradável, me comeu com os olhos pra ser mais específico, o que aparentemente chamou atenção de Jungkook, pois sua cara fechou na hora, lançou um olhar mortal para o rapaz atrás do balcão.

– Oi, baixinho, você por aqui de novo? Gostou mesmo de mim né...– Ele disse provocando. O que fez Jungkook me olhar confuso.

– De onde você conhece esse garoto Jimin??– Ele disse respirando fundo, seu rosto estampava uma expressão de fúria, eu a conheço bem, quando ele fica assim...fudeu.

– Eu não conheço ele, mas eu já vim aqui antes, com Yoongi, e esse cara meio que...

– Meio que o que, Jimin???

– Ficou dando em cima de mim, sendo que eu não queria, se não fosse Yoongi pra se meter no meio... eu não sei o que aconteceria. – Eu disse cabisbaixo, me lembrando do ocorrido. Jungkook ficou ainda mais vermelho, pude notar seus punhos fechados, aquilo me assustou.

O vendedor veio até nós, se intrometendo em nossa conversa;

– Garanto que você ia gostar... Se tivesse me deixado continuar naquele dia. – Ele disse se aproximando de mim e sorriu de um modo malicioso.

–NÃO CHEGA PERTO DELE. – Kook fala num tom alto o empurrando.

– Porra ta maluco? Quem você pensa que é pra me empurrar assim mano?– O rapaz diz se levantando do chão vindo em nossa direção com raiva, isso não ia acabar bem..

– Sou alguém que vai fazer da sua vida um inferno se você ousar tocar um dedo em Jimin. – Kook falava num tom tão assustador que até eu fiquei com medo, mas ao mesmo tempo ele estava fofo, pois ele falava me puxando pelo braço, me colocando pra trás dele como demonstração de proteção.

– Hyung, chega, vamos sair daqui.– Falei baixinho perto de seu ouvido, e... eu fui ignorado com sucesso.

– Você é o que dele por acaso? – O vendedor perguntou, e pude notar no tom de sua voz que o mesmo parecia estar se sentindo intimidado por Jungkook.

– Irmão dele, e sempre vou o proteger de imundos como você.

– Sabe, seu irmão é bem gostoso sabia? Se eu pego esse garoto... ele fica sem andar por um dia.– O rapaz de cabelos compridos tinha um sorriso sinistro em seu rosto, o que me causou arrepedios, fazendo eu me encolher mais ainda atrás de Kook.

– COMO É QUE É???? – Não dá tempo de eu dizer nada, nem o impedir, Jungkook simplesmente parte pra cima do rapaz, segurando em seu pescoço e o levantando, o rosto do garoto estava vermelho, parecia não conseguir respirar, e eu também não conseguia, eu estava em choque com a situação.– REPETE O QUE VOCÊ DISSE. REPETE PORRA. – O menino se rebatia nas mãos de Jungkook que ainda o segurava com força pelo pescoço, o impedindo de falar qualquer coisa.– É A ÚLTIMA VEZ QUE EU VOU FALAR, NÃO SE APROXIMA MAIS DO JIMIN, DEIXA ELE EM PAZ, ENTENDEU?– Kook diz e joga o vendedor em cima de uma estante de CD's, fazendo tudo cair em cima do rapaz, inclusive a estante, o barulho faz um estrondo na loja e Jungkook me pega pelo braço, me puxando em direção a saída da loja.

– Hyung...não precisava de tudo isso...– Eu continuava em choque.

– Jimin, não fala nada tá? Vamos pra casa, já comprei tudo que tinha comprar.

– Mas.. e os CD's?– Pergunto.

– Eu não sei, vou pedir pro Hoseok trazer alguns, só quero ir pra casa.– Eu não falo nada, apenas o acompanho até o carro, e então seguimos até em casa.

POV'S JUNGKOOK

Eu estava furioso, tentado me controlar para não quebrar tudo que via pela frente, nunca achei que isso fosse tão difícil, um dia eu ainda vou acabar tendo um ataque cardíaco.

Já estávamos em casa, o caminho de lá pra cá foi um silêncio total, e assim continuava até aqui, até que Jimin resolve dizer alguma coisa;

– Kook...quer a-ajuda pra arrumar... as coisas pra festa?– Ele parecia com medo, media suas palavras com cautela. Larguei o que eu estava fazendo na mesma hora, quando percebi seu tom de voz receoso, ele estava com medo de mim?

– Jimin...– Falo indo em sua direção. – Está com medo de mim? Não né?– Ele recoou, o que me deixou preocupado. – Ei, porque se afastou de mim??– Ele se encolhia cada vez mais no canto da cozinha. – Jimin, fala comigo, qual o problema?

– N- nada.. eu... eu só estou um pouco assustado com você.. você foi muito mal com aquele cara...– Então era isso, ele tava com medo da minha atitude.. droga, não queria assustar ele.

– Pequeno, não precisa ter medo de mim tá? Eu jamais iria encostar um dedo em você. Vem cá, eu sou seu irmão, e mais um pouco...– Falei e ele deu um sorriso tímido.

– Kook, você nunca faria nada de ruim comigo, né?

– Claro que não, pequeno, você é tudo pra mim, sabe como eu te protejo.– Falo dando um abraço apertado nele e o mesmo retribui.–Eu te amo.

– Eu também te amo, Kook.– Ficamos abraçados por um tempo, até que eu me ligo na hora, estava ficando tarde demais.

– Tá, agora me ajuda a arrumar as coisas? Já está ficando muito tarde, e Namjoon pediu para eu ir na empresa buscar o novo funcionário.

– Porque você tem que buscar ele? Porque ele não pode vim sozinho?

– Namjoon disse que ele é novo na cidade e não conhece nada, e Nam não pode buscar ele pois está ocupado, então sobrou pra mim.

– Entendi..

– Quer vir comigo?

– Não, eu vou adiantar as coisas pra você aqui, pode ir lá.

– Ok, vou lá então.– Falo me aproximando de Jimin e selando nossos lábios com um beijo rápido, quando nos afastamos, ele segura minha nuca, começando outro beijo, mais demorado dessa vez. Jimin parece estar se soltando aos poucos, não consegui segurar um sorriso devido a sua atitude. Nos despedimos e eu saí de casa, entrei no carro e dei a partida.

A ida até a empresa até que foi bem rápida, para minha alegria não tinha muito engarrafamento, pois já estava ficando um pouco tarde, eu não podia me atrasar, onde já se viu uma festa sem o anfitrião?

Alguns minutos depois, chego na empresa e saio do carro andando em direção a entrada, só tinha um problema, eu não sabia onde o funcionário estava dentro daquele vasto local, Namjoon não tinha me dito e meu celular havia ficado em casa, então não dava pra eu ligar para ele perguntando, o jeito seria eu sair a procura mesmo.

Andei por todos os lugares da empresa, e nada do rapaz aparecer, cheguei a pensar que ele havia desistido e indo embora, todas as salas estavam com as luzes apagadas, estava tudo desligado, não tinha ninguém, só eu e o grande silêncio que me rondava, até que eu vejo uma luz acesa, que por coincidência é o meu escritório, o único lugar onde eu não tinha olhado. Me dirijo a sala e abri a porta...Até que enfim, lá estava ele, acho que o rapaz não percebeu minha presença, ele estava de costas, olhando minhas fotografias na estante;

– Hrum Hrum. – Limpei a garganta tentando chamar atenção dele. Percebo ele tomando um pequeno susto, mas ainda se manteve de costas.– Acho que você é o funcionário novo...certo? Você não devia estar aqui, é o meu escritório. – Falo e ele ainda continua virado, qual o problema desse cara? – Me diz seu nome pelo menos.– Finalmente ele se vira e repousa seus olhos em mim.

– Prazer, meu nome é Kim Taehyung.



Notas Finais


Espero que tenham gostado!❤️
Gente, eu tô muito insegura com a fic, está boa?? ( Sem vácuo por favor)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...