História Desejos Ocultos - Jeon Jungkook - Capítulo 5


Escrita por: e Blussy

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Adultério, Amor Proibido, Família, Jisoo, Jungkook, Lisa, Taehyung
Visualizações 220
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Desejos Ocultos - Jeon Jungkook - Capítulo 5 - Capítulo 5

Mensagens:

[Mas nem sei seu nome ainda.]

"Vamos nos encontrar amanhã a noite? Eu prometo-te contar cada detalhe, que queira saber sobre mim"

[Eu adoraria, mas terei que ir em uma festa.]

"Que coincidência, também iria-te convidar para me acompanhar em uma festa"

[Ah é mesmo? E onde seria essa festa?]

" É em uma casa alugada pela empresa, em que o noivo da minha prima é sócio. Vão comemorar a evolução da empresa, e o aniversário dele."

Senti um leve frio na barriga, ao perceber que iríamos na mesma festa. E sorri imediatamente com a notícia. Afinal não queria ser vela do casal, e nem ao menos ficar perdida no meio de desconhecidos.

[Se for a mesma festa do Jeon Jungkook, é exatamente para lá que eu vou.]

" Uau, tudo parece estar ao nosso favor. Quer que eu te busque, em sua casa?"

Perguntou-me, e lembrei do que Jeon disse sobre ficar afastada do mesmo. Seria melhor que ele não soubesse dos meus planos. E achei melhor não.

[Melhor não, mas nós encontraremos lá, tudo bem? Preciso dormir agora.]

"Como desejar princesa. Até amanhã, não vejo a hora de te conhecer melhor rs"

[ Boa noite, homem misterioso.]

E assim adormeci, feliz da vida por ter um " Encontro" depois de tanto tempo.

Noite da festa.

Jisoo logo tratou de me ajudar a se arrumar. Me maquiou, e fez prancha em meus cabelos. Eu amava o cuidado que ela tinha comigo. Era a irmã que eu nunca tive.

Depois de uma hora me arrumando, enfim havia terminado. Já estava com o vestido e os saltos. Me olhei no espelho da penteadeira, e estava irreconhecível. Fiquei por alguns minutos me admirando, sem acreditar.

— Você está maravilhosa! Tenho certeza que os homens vão babar, quando você entrar. — Disse se apoiando, em meu ombro.

— Obrigada por tudo, Jisoo. — Me virei e a abracei, sendo retribuída.

— Você merece, já sofreu muito, agora é hora de arrasar! — Disse sorridente e assenti. — Vamos então?

Saímos do quarto e a mesma desceu a escada primeiro, sendo seguida por mim. Jungkook estava ali parado de costas, e quando se virou e seu olhar encontrou o meu, pareceu não acreditar no que via. Abaixei minha cabeça tímida, e ele estendeu a mão para me ajudar a descer, depois de quase me desiquilibrar.

— Você viu amor? que linda nossa menina. — Ela sempre me chamava assim.— Ela vai arrasar corações naquela festa.

— Vi sim... — Me olhou. — Ela está linda.

Senti-me um pouco desconfortável, com o modo que ele me olhava. Não nego que Jungkook estava perfeitamente lindo. Todo de social e cabelos penteados para o lado. Mas não era o certo pensar assim dele. Agradeci e me afastei.

Entramos no carro. Jisoo e Jeon na frente, e eu sentada no banco traseiro. Seguimos o caminho, e de vez em quando sentia seu olhar sobre mim pelo retrovisor, e imediatamente desviava o meu.

Enfim chegamos na tal festa, era uma casa enorme alugada pela empresa. Descemos do carro, e o casal entrelaçou os dedos, entrando na frente, e eu logo atrás. Havia muitas pessoas bem vestidas, com taças de vinho em mãos, e uma música animada pelo DJ.

Sentia olhares sobre mim, e alguns homens me olhavam como se fossem-me devorar. Me senti um pedaço de carne, jogada a feras selvagens.

O casal parou para conversar com algumas pessoas. E resolvi-me sentar no sofá de couro, que havia ali no canto da enorme sala. Olhava de um lado para o outro, ansiosa para que visse logo o homem de ontem. Assim não me sentiria sozinha ali.

Estava distraída, até que meu olhar parou em um certo homem. Meu coração acelerou, e senti vontade de sair correndo, ou desabar ali mesmo. Uma mistura de raiva e tristeza me dominou.

Me levantei na intenção de me afastar dali antes que ele me visse, mas não adiantou. Ele me chamou, e continuei andando apressadamente sendo seguida por ele.

— (S/N)!! Me espera por favor! — Segurou meu braço, me impedindo de continuar. — O que está fazendo aqui?

— Se o senhor interessa-se mais pela vida da sua filha, saberia. — Puxei meu braço, me desfazendo de suas mãos.

— Meu amor, não fale assim comigo. Você não me entenderia, mas eu nunca quis-te deixar. — Seus olhos estavam marejados.

— Entender o que? Que o Sr. preferiu uma amante, do que a nossa família? O senhor pensa que dinheiro na minha conta todo mês, paga o amor que me faltou da sua parte? — Falei com desprezo. — Eu o tinha como meu herói, mas agora não me passa de um desconhecido. — Me segurei para não agredi-lo. — Sua filha foi despejada da própria casa, e sabe quem me acolheu? Sabe quem tem cuidado de mim? Seu querido sócio e sua noiva. Agora esqueça que eu existo! Gong Yoo.

O mesmo se encontrava derramando lágrimas, mas nada disso me comoveria. Apenas sai andando apressadamente, deixando-o sozinho. Queria chorar, queria gritar, mas meu desprezo por Gong era tão grande que nem lágrimas desciam.

— Onde a garotinha vai tão apressada? — Ouvi aquela voz me chamar. Aquela voz que mexia com meu coração em tão pouco tempo.

— Eu realmente não sei. Só quero sumir dessa sala. — Disse parando de andar, para olha-lo.

— Venha comigo, eu sei onde podemos ir. — Segurou em minha mão, e subimos a grande escada que havia ali, seguindo por um corredor até chegarmos em uma porta. O homem abriu e deu espaço para mim.

Era um quarto muito bonito e aconchegante.

— Agora está salva. — Deu um sorriso.

— Então me diga seu nome, homem misterioso. — Perguntei-me sentando na beirada da cama, devido ao cansaço de usar aqueles sapatos.

— Min Yoongi. — Se sentou do meu lado.

— Bonito nome! O meu é (S/N).

— O seu também, tão lindo quanto a dona. — Segurou uma de minhas mãos com a sua, e sorri com o ato. Parecia estar enfeitiçada por sua beleza, seu olhar era profundo e me hipnotizava.

Conversamos por alguns minutos e nos conhecemos melhor. Yoongi era super atencioso, e diferente do que Jungkook havia-me dito, parecia ser uma ótima pessoa.

— Se você quiser posso-te fazer esquecer seus problemas. — Me sugeriu após, contar para ele o motivo de estar aflita.

— E como faria isso? — Eu sabia o que ele queria dizer, mas queria ouvir da sua boca.

— Posso mesmo? — Assenti. — Segurou meu rosto entre suas mãos, e começou a dar selares sobre minha face, indo para meu pescoço, e beijando-o com vontade. Suspirei, e senti uma de suas mãos agora em meus cabelos, os puxando levemente para trás.

Fechei meus olhos com a sensação boa que estava sentindo. E logo senti seus lábios nos meus, iniciando um ósculo cheio de desejo. Estávamos de frente um para o outro na beirada da cama. Suas mãos deslizavam sobre minhas coxas, apertando-as.

— Você é tão gostosa. — Disse ofegante entre o beijo. — Já ficou com um homem mais velho? — Disse e mordiscou meu lóbulo.

— Eu só tive um namorado em minha vida. — Respondi baixo.

— Posso-te ensinar muitas coisas. Basta você querer. Prometo que não irá se arrepender.

— Vamos com calma, acabamos de nos conhecer. — Me afastei um pouco.

— Prometo que terei, me desculpe se me empolguei. Aceita um vinho? — Perguntou e assenti.

Estava cansada de ser essa garota frágil que todos viam como a vitima da história. E Min Yoongi seria a passagem para essa mudança.

JK on

Jisoo se afastou quando Lalisa apareceu, e senti falta da (S/N) ali por perto. Procurei-a em todos os cantos daquela casa, e nada da mesma aparecer.

Fiquei angustiado, e vi Gong Yoo um pouco aflito vindo em minha direção.

— Por que não me disse que (S/N) estava morando com você? — Perguntou sério.

— Foi um desejo dela não te contar. Mas não se preocupe, ela está bem em nossa casa.

— Fico tranquilo que esteja com vocês. Cuide bem da minha menina por favor. Não deixe o namorado dela fazê-la sofrer. Só isso que te peço.

— Eu cuidarei, fique tranquilo. Mas que namorado é esse? Ela nunca nos contou nada. — Me senti aflito e com o coração apertado.

— Eu a vi subindo de mãos dadas com um homem, pálido de cabelos negros.

Droga! Não acredito que aquele imbecil está aqui. Me despedi rapidamente de Gong, e subi aqueles degraus o mais rápido que podia. Passei pelo corredor abrindo cada porta, até que quando cheguei na última estava trancada.

Não pensei duas vezes em bater na porta. Ninguém me atendia, então bati mais forte.

— Eu sei que você está aí (S/N)! por favor abra essa porta agora! — Gritei imaginando, que ele poderia se aproveitar da mesma, e meu sangue ferveu.

Logo a porta foi aberta, e a mesma me olhou um pouco assustada, seus cabelos estavam bagunçados, e vi uma marca avermelhada em seu pescoço.

— Jungkook....

— Vamos embora agora. — Disse tentando manter minha calma.

— Deixa ela Jeon. Ela está bem acompanhada. — O pálido apareceu com os botões da camisa abertos, e ela sorriu para ele.

— Você vem comigo agora! — Mesmo contra sua vontade, segurei em seus pulsos e a puxei dali.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...