História Desejos Ocultos - Jeon Jungkook - Capítulo 6


Escrita por: e Blussy

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook)
Tags Adultério, Amor Proibido, Família, Jisoo, Jungkook, Lisa, Taehyung
Visualizações 909
Palavras 1.225
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Desejos Ocultos - Jeon Jungkook - Capítulo 6 - Capítulo 6

Puxei-a para fora, sem que ninguém percebesse, e a levei até os fundos da casa, onde não havia pessoas.

 

 

— Para de me tratar como se fosse sua filha. Eu não sou uma criança, sei o que é melhor para mim ou não. — Gritou com a voz arrastada.

 

— Não estou-te tratando como filha, apenas quero o seu bem. E quando digo que ele não é uma boa companhia, pode ter certeza que sei do que estou falando. — Retruquei, e respirei fundo tentando-me acalmar. — O que houve naquele quarto? — Tomei coragem e perguntei, já imaginando o pior.

 

— Você quer saber se transamos? — Riu alto e assenti. Aposto que a mesma já havia bebido. Estava bem mais soltinha.

 

— Não, Jeon Jungkook. Apenas nos pegamos, está satisfeito? — Arqueou uma sobrancelha. — Mas se você não estraga-se o momento, acho que poderia rolar. — Riu novamente.

 

Realmente aquela não era a (S/N), em sã consciência ela jamais agiria assim.

 

—Não diga besteiras. Vem vamos para casa.

 

— E a sua noiva?

 

— Não me faça mais perguntas. Apenas venha, é melhor te levar. — Depois de muita insistência, a mesma concordou se apoiando em mim, e indo até meu carro. Por sorte ninguém havia-nos visto.Coloquei-a no banco do passageiro, e dei a volta entrando no carro e trancando as portas. Prendi os cintos, e dei partida rumo à nossa casa.

 

No meio do caminho, olhava para ela para ver se estava tudo bem, e ela mantinha o olhar fixo nas ruas. Sem querer abaixei o olhar até suas pernas, e percebi que o vestido estava levantado até demais. Deixando a mostra sua calcinha.

 

Engoli em seco, e tentei não olhar mais para aquele lugar. Mantive minha sanidade e resolvi avisá-la.

 

— (S/N). Pode por favor abaixar esse vestido. — Ordenei sem olha-la.

 

— Por que Oppa? Não gosta do que vê? — Disse risonha e os levantou mais.

 

Olhei a cena, e apertei forte o volante.

 

— Não faça isso por favor. Não quero-me desconcentrar. — Disse autoritário antes que piorasse. Ela arrumou o vestido e ficou quieta, com um sorrisinho malicioso nos lábios.

 

*

 

Entrei em casa com ela apoiada em mim, e subimos os degraus com um pouco de dificuldade. Chegamos em seu quarto, e a coloquei sentada na cama.

 

— Você precisa de um banho.

 

— Você me ajuda? — Perguntou sonolenta.

 

Assenti, e fui até a suíte ligando o chuveiro, quando me virei ela já estava ali descalça esperando.

 

Tentei não pensar bobagem, e a ajudei a tirar o vestido, de costas para mim. Fechei meus olhos assim que ela se despiu ficando apenas de calcinha. E sai dali até que ela tomasse seu banho.

 

Peguei um roupão branco em seu guarda-roupa e quando ouvi o chuveiro ser desligado. Entrei olhando para baixo e estiquei o mesmo para ela por. Já que seria mais fácil de se vestir sozinha, e sai dali. Esperando-a do lado de fora.

 

Logo a mesma apareceu com o roupão, fechando o apenas com suas mãos. Me aproximei, e sem dizer nada, amarrei-o corretamente.

 

Eu poderia-me aproveitar da situação? Poderia. Mas não era assim que eu a desejava. Queria ter ela para mim em sã consciência. Por mais errado que fosse esse sentimento.

 

Se deitou na cama, e não demorou muito para adormecer. Me sentei ali, e fiquei acariciando seus cabelos, passei meus dedos contornando seus lábios e desejei beija-los. Mas me contive. E sai dali apagando a luz, antes de cometer alguma besteira.

 

Logo que sai do quarto, ouvi meu celular tocar. Olhei e era Jisoo.

 

(Jeon, onde você está? Você é louco? Por que saiu da sua própria festa?)

 

"(S/N) passou mal, tive que trazê-la para casa. Já estou voltando."

 

(Ah sim... Tudo bem volte logo!)

 

Mesmo contra minha vontade tive que voltar, não queria que as coisas ficassem tão óbvias para Jisoo, e assim fiz.

 

*

 

(S/N) on

 

No dia seguinte acordei com uma dor de cabeça enorme, me sentei na cama, e ao me olhar notei que estava só de roupão, sem minhas roupas íntimas.

 

Abracei meu corpo sem entender o que houve. Não conseguia-me lembrar de nada, só rezei para que fosse Jisoo que tivesse-me ajudado. Me levantei e vesti minhas roupas. Depois desci, indo para a cozinha. Apenas Jisoo estava ali.

 

— Bom dia (S/A).

 

— Bom dia Jisoo. — Puxei uma cadeira para me sentar.

 

— Hum. Fiquei sabendo que conheceu meu priminho, o que achou dele? — Perguntou animada.

 

— Ele é uma boa pessoa.

 

— Deve ser bom em outras coisas também, olha essas marcas. — Riu e tampei meu pescoço com as mãos.

 

— Você precisa se soltar mais. Min Yoongi é o homem ideal para você. Poderoso, rico e lindo. Vai fundo! — Fez um fighting com as mãos e sorri. — Alias a empresa parou essa semana. Deram uma pequena férias para todos. Enfim irei viajar hoje mesmo, espero que fique bem.

 

— Ficarei. Desejo boa viagem a vocês.

 

— Vocês? Só eu irei. — Sorriu.

 

— Mas e o Sr. Jeon? — Perguntei sem entender.

 

— Jungkook não irá. Prefiro assim, sempre que ele vai fica enchendo minha paciência para voltar logo. Então não o levarei.

 

— Entendo... — Fiquei um pouco tensa em pensar que ficaria sozinha com ele naquela enorme casa.

 

— Mas vou-te pedir uma única coisa. — Assenti. — Fica de olho nele para mim. Observe seus passos, e me diga se houver algo estranho, ou saídas fora de hora. Jungkook está muito estranho ultimamente, estou desconfiada que ele tem outra. — Revirou os olhos. — Ele sempre foi carinhoso, e agora está sempre distante. Enfim não deixe nenhuma vadia se aproximar.

 

— Sim. Pode deixar que te manterei informada. — Dei um sorriso mínimo.

 

— Boa menina! Por isso que confio em você. Sei que não me decepcionará. — Beijou meu rosto e me abraçou forte, saindo dali em seguida.

 

*

 

A noite havia caído e Jisoo já havia ido viajar, e agora estávamos sozinhos na casa.

Me sentei no sofá, e liguei um filme qualquer para tentar-me distrair. Até que Jungkook desceu a escada se aproximando do sofá.

 

— Posso assistir também? — Coçou a nuca.

 

— Claro. — Assenti. Havia dois sofás enormes naquela sala. Mas o mesmo fez questão de se sentar bem ao meu lado.

 

Não havia conversado com ele desde ontem. E não entendo o porquê toda vez que ele se aproximava ficava tensa.

 

Abaixei o olhar por um momento, e quando dei por mim estava olhando para suas pernas, que estavam apoiadas uma sobre a outra. E que coxas eram aquelas expostas, por seu short curto. Pareciam tão firmes, que por um momento desejei toca-las. Balancei a cabeça em negação e me repreendi internamente por tais pensamentos, afinal Jungkook era comprometido.

 

Voltei minha atenção na televisão, afim de me distrair. Quando uma cena nada agradável começou a passar. Não era nada demais, apenas um casal se beijando enquanto a mulher estava no colo do homem. Mas ver junto com alguém do lado não era confortável.

 

Me remexi no sofá, e tentei me levantar. Mas senti meu pulso ser segurado.

 

— Não precisa ficar constrangida. Somos amigos não somos? — Perguntou sorridente.

 

— Sim. — Respondi um pouco nervosa. A sala estava um breu só pela imagem estar escura e todas as luzes apagadas.

 

Ao voltar a me sentar acabei errando o rumo, e senti as coxas de Jungkook abaixo de mim. Meu coração disparou, mas ao tentar levantar rapidamente, suas mãos seguraram minha cintura, me fazendo ficar ali em seu colo.

 

 

 

 

Olhei para ele um pouco assustada com a atitude, e o mesmo fitava meus lábios em silêncio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...