História Forbidden wishes - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Incesto, Yaoi
Visualizações 72
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


espero que gostem, não tenho muito o que falar... então boa leitura!

Capítulo 1 - Cap. 1


      PIETRO~

 

 

Acordo de mais um sonho que eu queria que fosse verdade, me levanto sem muito animo e vou em direção ao banheiro, já que estava cedo resolvi ficar na banheira para poder refletir um pouco sobre como minha vida mudou dramaticamente.

            Flashback-

Quando eu completei 14 anos meio que comecei a me sentir diferente, fiquei mais sensível, e depender mais do meu irmão, não que eu já não dependia, mas eu queria ter ele por perto, sentir seu cheiro, poder tocá-lo.

Isso era todos os dias, passei a dormi em seu quarto e ele nem se importou, ele já era grudado em mim desde de quando eu nasci e meio que meus pais não tiveram outra escolha, já que quando eu era tirado do seu lado eu chorava e esperneava.

No meu aniversário de 15 anos eu meio que me assumir para minha irmã, e a sua reação foi sorri, pelo que ela disse sempre quis ter uma irmãzinha menina e agora tem meio que uma, meus pais ainda não sabem, nem meu irmão... a pessoa que eu estou com mais medo de conta, tenho medo da sua rejeição do olhar de nojo que ele pode me olhar, minha irmã falou que não devia ficar com isso já que como ele mesmo disse “nos nossos amamos”, mas se um dia ele soubesse que o amor dele não e o mesmo que eu sinto? Não gosto nem de imaginar.

          Flashback off-

 

E agora estou eu aqui um garoto de 16 anos de idade que é apaixonado com o seu irmão mais velho, eu sempre tenho sonhos com ele, me toco pensando nele, mas para que? Ficar me iludindo pelos cantos da casa como uma garota que se ilude pensando que vai se casar com seu príncipe encantado e vai morra num castelo no topa da montanha!

-Estou com falta de alguma coisa. -Falei/pensei alto.

Me recostei na banheira e fiquei por lá, por mais um tempo.

 

 

 

DIEVO_

 

Acordo cedo e me ajeito correndo para poder volta para casa, já que eu estou na casa do meu primo, fiquei até tarde conversando com minha tia já que ela e a única tirando a minha irmã que eu me abro de verdade.

Troco de roupa correndo e desço para a sala pego a chave dele e saio, a casa dele não e muito longe da minha, mas mesmo assim que chegar em casa rápido, não porque tenho que ir para o colégio mais sim porque estou com vontade de abraça meu pequeno nos meus braços e não soltá-lo mais.

Ontem aproveitei que estava na casa da minha tia e desabafei com ela, desde de sempre ela soube da minha suposta paixão platônica pelo meu irmão.

Ela nunca falou que isso era errado, mas sempre me alertou que tem pessoas em nossa volta que não entendem que o coração não escolho por quem se apaixona.

Ela sempre vai ser meu porto seguro e eu acho que ela meio que aceirou isso de pois da cena que eu fiz um ano atrás.

           flashback-

Era o aniversário de 15 anos do Pietro, a festa estava animada e bastante divertida para os convidados, ele mesmo que deveria está aproveitando a festa, estava comigo agarrado no meu braço sem falar nada apenas respondendo os parabéns e dando sorrisinhos de leve para os convidados.

No meio da festa vem uma pigmeia para o nosso lado e tenta puxar assunto com ele, e o mesmo apenas se virou para mim como se me perguntasse se devia ou não, se fosse por mim seria não, mas como nossos pais estão olhando eu dou um sinal de confirmação e ele se solta um pouco do meu braço.

Me senti sozinho sem ter ele ao meu lado, comecei a conversa com uns garotos mais velhos que provavelmente só foram para levar seus irmãos, até que escuto um gritinho e volto minha atenção para o lado que tinha vindo ele estava ela, a baixinha dos infernos falando/gritando que seria a noiva do meu irmão, ele não falava nada, nem negava nem afirmava, eu sair de lá na mesma hora com uma carranca na cara batendo pé, foi uma atitude infantil minha? Foi, eu me arrependo? Nem um pouco.

Já que não se passou dois minutos o Pietro já estava nos meus braços pedindo desculpa pro não ter intervindo com e baixinha.

De pois disso minha mãe me perguntou o que foi a quilo e nem dei ao trabalho de responde, até ela apelar e chamou minha tia, já que ela e a única que eu me abria na época, eu expliquei tudo para ela e quando eu sair do quarto minha mãe ela estava quieta num canto com um sorrisinho no rosto, sabe como e ne tias são suas maiores aliadas quando a ameaça e sua mãe

 

           Flashback off-

 

 

 

 

Quando eu entro em casa percebo que a mesa de café já estava pronta e que tinha um bilhete da aminha irmã falando que já tinha saído, subo e percebi que tem alguém no banheiro, mesmo sabendo que e sigo direto para o meu quarto e separo a roupa que irei usar.

Se um tempo e eu ouso a banheira sendo esvaziada então me levanto e vou em direção ao banheiro, espero a porta ser aberta e minha respiração para quando olho para o meu irmão, ele estava usando somente uma calça preta que o deixa mais sexy do que ele já, e já que estava sem blusa tive a visão privilegiada de seu troco banquinho e lisinho que acabou por me dá agua na boca.

-Bom dia DI!

-Bom dia Pit, o café já está pronto só vou tomar um banho rápido e te acompanho. -Falei tentando sair o mais natural possível. 

-Claro, estarei e esperando. -Passou por mim e me deu um beijo na bochecha.

Eu entro no banheiro e tiro a roupa que estava usando e percebo que alguém se animou por ver o irmãozinho do aquele jeito.

-Você ainda vai me matar estou vendo isso. – Liguei o chuveiro na agua fria e me aliviei.

 

 

PIETRO-

 

Quando eu saio do banheiro meu coração quase para me deparo com meu irmão me olhando intensamente... não pode ser deve ser só minha imaginação me iludindo, mas eu tenho certeza que ele babou.

-E melhor eu me arrumar logo.

Pego minha blusa xadrez vermelha e meu tênis e desço, vejo a mesa do café pronta e tenho certeza que não o DI que fez ele não sabe nem frita um ovo sem queima.

Sento na mesa e o espero, quando o vejo descendo da escada abro um sorriso bobo, mesmo sem ele percebe ele começo a ter um estilo igual ao meu e eu adoro isso.

-Vamos tomar o café logo porque já estamos atrasados.

Ele apenas confirmou e tomamos nosso café, depois disso pegamos as nossas mochilas e fomos em direção a escola, e como já e de costume qualquer garoto ou garota que olham para mim ele olha feio e me abraça como se fosse para mostra que eu já tenho dono, infantil, mas não posso negar que eu não gosto mesmo ele falado que só faz isso para me proteger.

Mas eu não posso falar nada pois eu sou igual, qualquer garota que eu percebo da mole ou se insinuar para ele eu já olho feio e me agora ainda mais nele.

O nosso trajeto para escola e um tanto normal para as pessoas a nossa volta, já que elas sabem que ele e meu irmão e que nãos somos muitos ciumentos um com o outo, na escola não e muito diferente já que as pessoas sabem que se mexer comigo vai vim um garoto com fogo nos olhos para cima deles, tirando isso e meio normal.

Quando chegamos na escola graça a Deus não nos atrasamos, o DI fez questão de me levar na sala de aula, parece que nesses dias para cá ele ficou mais protetor ainda, eu sempre duvidei dos sentidos que os irmãos têm com os mais novos, só não esperava que ele descobrisse tão rápido, mas mesmo assim não irei conta não hoje.

 

 

DIEVO-

 

Quando chegamos na escola eu levo o Pietro até a sala, já não e de hoje que eu estou reparando que quando chega na escola ele muda, fica mais atento e nervoso, quando eu perguntei para ele o motivo ele falou que era apenas para nenhuma garota se aproxima de mim, mas eu sei muito bem que não e isso.

Ele sempre foi horrível em mentir para mim e não vai se agora que ele vai aprender, eu tenho meus contatos na sala dele se posso dizer assim, tudo o que acontece com ele lá ela me conta eu sei que ele sabe já que a pessoa que me conta tudo e a amiga dele.

Vou para minha sala com uma pulga a mais atrás da minha orelha, chegando lá sou surpreendido por uma garota que não me estranha.

-Olá Dievo, a quanto tempo em? -Pera aí esse sorriso, essa cabeleira loira, a não poder ser verdade essa praga voltou dos confins do inferno só para me incomoda?

-O que você está fazendo aqui Vitoria?


Notas Finais


espero que tenham gostado, essa fic eu ainda não tenho dias certos para posta então ate la vai saindo caps. quando de, ate a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...