História Desencantada - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Bianca di Angelo, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Frank Zhang, Grover Underwood, Hazel Levesque, Jason Grace, Júniper, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Treinador Gleeson Hedge, Will Solace
Visualizações 125
Palavras 3.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eiiiiii.
Esse capítulo foi rápido, porque na verdade já estava metade pronto. rs
Como vocês só vem aqui por um hentai, então está entregue. Na minha humilde opinião está um ótimo capítulo.
Bom capítulo gnominhos.
Sz

Capítulo 10 - Baile II


Fanfic / Fanfiction Desencantada - Capítulo 10 - Baile II

PVO ANNIE

 A semana passou rápida, em vista que tínhamos o baile para nos preocuparmos. Thalia estava paranóica, gritava com todos, e depois vinha deitar em meu colo e reclamar que ninguém fazia nada certo.

Já era sexta-feira, por toda a semana só conversei o necessário com Percy. Eu não deveria, mas fiquei com raiva e ciúmes dele ter beijado Calipso. Que droga, aquele menino era um idiota. E o pior é que aceitei a carona de Lia para o baile, que iria com Luke, ou seja, iria ficar de vela. A aula da manhã passou normalmente, acabamos indo embora mais cedo para nos arrumarmos, e os meninos ficaram na escola para terminar os preparativos.

Estava na frente do espelho, terminando de passar meu batom, quando ouço Lia buzinando que nem louca, como de costume. Pego minha bolsa de mão, e desço as escadas.

Quando abro a porta acabo ficando em choque. Ele estava li, parado me encarando. E estava lindo, com um smoking preto e uma gravata azul, já que era sua cor preferida. Mas quebro nossa troca de olhares, saindo daquele momento de tensão que se formava.

- Oi - sua voz sai quase num sussuro, mais acabo ouvindo. Ao vê-lo ali constatei o óbivio.

- A Thalia não vem, não é - minha pergunta era retórica

- Quer ir como minha acompanhante? - sua cara era de cachorro pidão.

- Acho que você chegou tarde Percy.

- Droga, eu sou um imbecil - ele se vira de lado se lamentando.

- Eu to brincando, não tenho par - A felicidade era evidente em seu rosto com a minha resposta - e você? soube que recebeu muitos convites. - acabei implicando com o moreno, pois sabia que aquilo era verdade.

- Não mais que você tenho certeza. - ri de sua réplica.

- Vamos então? -  Fechei a porta de casa, e coloquei a chave na minha bolsa. Quando me viro para ele seu braço está estendido para que ele possa me conduzir.

- Mi Lady - Aceito seu braço e vamos para o carro.

A viagem foi calma, tocava You're Somebody Else do Flora Cash na rádio. Eu estava de olhos fechados, apenas apreciando a música.

- Sabe, ainda bem que você é notada por sua inteligencia e não por sua voz saidinha - Ele ria enquanto olhava para o trânsito. Eu devia ter cantado em algum momento.

- Ainda bem que eu prefiro que elogiem meu cérebro.

- Certo, me desculpa - ele parecia ter ficado tenso - Olha, eu quero explicar... sobre o lance com a Calipso.

- Não tem an da pra explicar Perseu - Minha voz saiu com mais desânimo do que eu queria. E ele acabou percebendo

- Viu só - disse apontando para mim - me chamou por aquele nome

- Mas é o seu nome, memso que você não o use

- Você tem razão - suas mãos apertaram o volante - Olha eu não beijei a Calipso. Bom não na festa da Drew, a Calipso é uma ex namorada, de quando eu estava em Miami. - Ele começou a despejar as palavras, e tive que prestar bastante atenção já que uma saiam atropeladas - Eu terminei com ela alguns meses antes de voltar, eu não sabia que ia voltar, mas sabia que não gostava dela. - ás vezes me olhava de canto de olho, talvez para ver minhas reações - Annabeth, essa semana foi um saco. O primeiro dia foi bom, mas o resto não, você mal falava comigo, e me ignorava. Eu me senti excluído de sua vida, mas nós podemos voltar a ser o que éramos antes. Sabe você me entende, eu quero voltar a conversar com você todos os dias. Me desculpa por ter parado de falar com você, mas é que a distância doía. Me deixa voltar pra sua vida Sabidinha. - havíamos chegado no estacionamento. Minha mente estava confusa, ela dizia para não deixar, eu queria dar uma chance para o Moreno novamente, e com certeza isso vinha do meu coração.

Faça o que o seu coração mandar, dizia meu pai. Mas na verdade meu coração que estava mandando em mim naquele momento

- Tudo bem - Minha voz saiu quase num sussuro. Sua cara era de surpresa, acho que ele esperava menos que eu essa resposta. - Vemos isso depois do baile - disse o encarando.

- Veremos isso a hora que você quiser Loira - Dito aquilo, ele desceu do carro sorrindo, foi até a minha porta e abriu para mim.

Estendeu o braço para me ajudar a sair do carro. Não havia troca de palavras, apenas de olhares. Seguimos para a quadra, quando adentramos, ela estava com uma decoração maravilhosa, o esforço realmente valeu apena.

- Percy - era Calipso chamando o moreno, ela se aproximou de nós - Estava esperando você chegar, não quer dançar comigo? - ele fica um pouco tenso, mas olha para mim, entrelaças nossas mãos

- Desculpa Cali, mas essa noite eu ou ficar com meu par - E levantou as nossas mãos entrelaçadas, mostrando elas para ela, enquanto me olhava nos olhos.

- Nossa, desculpa não sabiam que vocês estavam juntos.- soltou uma risada debochada - Sabe pensei que ia demorar pra me esquecer, já que falou que me amava. Sabe essa Loira aí - disse pontando para mim- Ela vai te deixar na primeira merda que você fizer, e depois você vai vir correndo para mim - Ela praticamente cuspiu as palavras na cara de Percy, e saiu dali.

Percy estava cabisbaxio, seu rosto transmitia culpa. E evitou olhar em meus olhos.

- Ignora ela ok - com minha mão, virei seu rosto para o meu. Fazendo nossos olhares se prenderem, ele deu um leve aceno positivo com a cabeça.

-Ei! - Chamou Thalia - ela dançava uma música lenta com Luke, que estava rindo de nós dois ali parados. Provavelmente já tinham bebido muito, já que estavam dançando totalmente atrapalhadas e nem percebiam - Dançem também - mandou Thalia - Parecem dois idiotas parados aí sem fazer nada.

Ele me olhou nervosamente, e em seguida, para as garotas no ginásio.

- Hã, quem eu devo tirar para dançar.

Eu dou  um soco em sua barriga por ser tão estúpido

- Eu, Cabeça de Alga.

-Ai ! Só tava brincando ok, não precisava disso tudo.

Vamos para a pista de dança, ele se jeita em minha frente, apoiando as mãos em minha cintura. Coloco minhas mãos em volta de seu pescoço. Começamos a balançar lentamente de um lado para o outro, ás vezes ele me rodava, e íamos assim por todo o salão.

- Sabe, até que pra alguém que da última vez, pisou várias vezes no meu pé - rosto estava sério- você está um ótimo dançarino.

- Eu, pedi pra minha mãe me ensinar alguns passos - Seu rosto estava vermelho, envergonahdo de sua confissão.

Chego mais perto, praticamente grudando nossos corpos.

Nossa dança se torna num simples balançar de corpos. Como ele era mais alto que eu, mesmo estando de salto, meu rosto ficou próximo ao seu queixo, ele abaixou sua cabeça, e a deixou ao lado de minha orelha, seu abraço apertou em minha cintura. Podia ouvir sua respiração e seu coração acelerados.

Eu causara nisso nele. E mal sabia ele que tinha o mesmo efeito em mim.

A música acaba e começa uma música mais agitada, Me & You do Alok. Nos afastamos, mas continuamos ali dançando. O pessoal, ia chegando e se juntando a nós. Algum tempo depois fomos todos sentar em uma mesa.

Alguns de nosso amigos já estavam alterados por causa da bebida. Jason e Piper tinham ido, para um canto do ginásio e estava quase se comendo ali. Frank e Hazel estavam dançando junto com Leo Clarisse e Chris. Thalia e Luke estavam sentados na mesa com a gente, já que nem conseguiam mais levantar de tão bêbados.

Eu e Percy não bebemos, apenas dançamos e convrsamos com nosso amigos a noite toda. Já eram quase duas da manhã, eu estava com Lia no banheiro, segurando seu cabelo enquando ela vomitava, abraçada na privada. A siuação era muito boa, então tirei uma foto.

Quando saio do banheiro, o moreno estava com Luke, que também estav num estado deplorável.

- Preciso levar ele embora, ele vai morrer se não - Sua cara não era de quem estava nada feliz, com o amigo bêbado pendurado nele.

- Tudo bem - concordei - Lia também precisa ir embora

Colocamos os dois no banco de trás do carro, eles estamvam um pouco melhores, pois tínhamos dado água e comida para eles. Percy estava dirigindo e eu estava no banco do carona

- Morena - Ouvi Luke sussurar - Fica comigo essa noite, e a próxima - olhei pelo retrovisor, a cara de Lia era de confusão. Mas acabou acenando positivamente. Então ele deitou a cabeça no colo de Lia.

Deixamos os dois na casa de Luke. Percy levou Luke para um banheiro, e eu levei Thalia para outro. Joguei ela dentro do box, e vi que ela conseguia tomar banho sozinha. Deixei ela lá, e fui para o carro. Alguns minutos depois Percy desce.

  - Desculpa por ter estragado sua noite - Disse enquanto ligava o carro.

- Na verdade você salvou minha noite - Tentei acalmá-lo - Foram os doiS bêbados que estragaram.

- Mesmo assim.

- Ei, ta tudo bem eu já queria vir embora de qualquer jeito.

Ele acenou com acabeça e acelerou. Estávamos indo para minha casa.

PVO PERCY

Desço do carro e corro para abrir a porta, a Loira ri do meu gesto, estendo minha mão e ela aceita. Sai do carro e acompanho até a porta de braços dados. Quando chegamos na porta de casa ela solta nossos braços, abre sua bolsa de mão e apanha a chave, abre a porta da casa e vira pra me encarar.

Cinza no Verde. Aquela bolha de tensão novamente apareceu. Vejo que ela abre a boca pra tentar falar algo mas fecha em seguida, fazendo isso não só uma, mas várias vezes como se a coragem tivesse ido embora, o que era uma coisa rara vindo de Annabeth Chase. Então eu percebo que eu estou do meso jeito, e meu cérebro parece mais com gelatina, ou melhor, algas.

Um barulho vindo do muro quebra nosso contato visual, quando nos viramos era apenas um gato preto, justo agora gatinho? Acabo aproveitando a deixa que o gatinho deu para dizer algo.

- Está entregue, pode entrar em casa.. já que e sua, sabe, então está entregue - Droga cérebro agora não, que frase idiota que você NÃO formou, parabéns. A loira percebe minha enrolação e tenta esconder o sorriso com mão.

E então ela fica séria, e eu percebo que ótimo ela ficou chateada, até que sua expressão fica indecifrável. Sinceramente tenho medo quando ela faz aquela cara. Mas o que aconteceu foi totalmente diferente, ela agarrou sua mão em minha gravata, e a puxou, selando nossos lábios.

De início fiquei um pouco surpreso, mas logo me deixei ser levado pelas emoções e correspondi o beijo. Um beijo calmo e doce, como se nossos corpos estivessem esperando aquilo a muito tempo.

Coloco minhas mãos envolta de sua cintura e a puxo mais perto de meu corpo, ela entende como um passa livre, e sobe suas mão para meus cabelos, atrás da minha nuca uma mão enrolada num tufo de cabelo o puxando para trás, me causando arrepios e desejo, a tensão entre nós dois, pedi passagem com a língua e ela cedeu, o beijo que antes era calmo agora estava rude, quase feroz,  passando minhas mãos por suas costas nuas, sinto sua pelo se arrepiar sob meu toque, e aquilo me da mais prazer ainda.

Aquilo não foi um simples beijo, foi o beijo, o melhor beijo de minha vida. Não que aqueles que recebi na casa da Drew no dia da festa não tivessem sido bons, mas estávamos bêbados e nem se quer nos beijamos de língua. Nos separamos quando faltou ar, nossas testas encostadas , as respirações ofegantes,  podia até sentir seu coração de tão forte que batia. Ou seria o meu?

- Percy voc..- antes dela terminar a frase, boto dois dedos em sua boca.

- Eu sinto algo muito forte por você Annabeth, desde que nos conhecemos. Por favor não me manda embora depois desse beijo. Significou muito pra mim, e pelo que eu senti pra você também.- Ela ri de minha expressão desesperada, pelo medo de mesmo que ela tenha me beijado eu ainda poderia levar um fora. Ela tira meus dedos que a calavam.

- Eu ia apenas te convidar pra entrar- consegui apenas murmurar um "adoraria" antes de colocar minha mão em sua nuca e a puxar para outro beijo. Seus olhos tinham uma faísca diferente. Desejo, Amor talvez, não saberia dizer.

Se o beijo antes fora calmo, agora estava selvagem, como se fossem drogas e nossos corpos prontos para consumi-la. Ela me empurra para dentro de casa, fecho a porta com um empurrão, um de seus braços rodou minha cintura e trancou a porta.  

A loira subiu a mão por dentro de minha camisa e arranhou minhas costas, me fazendo puxá-la ainda pra mais perto se é que isso era possível. Já sentia meu membro apertando contra a minha coxa, Annabeth pulou no meu colo e eu prensei contra a parede. Minhas mão passeavam por seu tronco, desci uma de minhas mãos por sua coxa e a outra apertei com força sua bunda, ouvi um grunhido de satisfação da loira, suas mão iam de meu cabelo para minhas costas a arranhando de lentamente mas com bastante força.

Ela se afasta de mim, desce do meu colo, puxa minha gravata pra fora do blazer e começa a me puxar para a escada. Ela estava me levando para o seu quarto. Ela nos fez parar na porta de seu quarto vi que ela estava um pouco tensa, a abraçando por trás, depositei um beijo em seu pescoço. Vi os pelos de sua nuca arrepiados.

- Se você não quiser fazer isso,ta tudo bem -  o que mais me surpreendeu foi aquelas palavras saindo da boca dela. Virei seu corpo para ficar de frente ao meu.

- Eu nunca quis tanto alguém como quero você Loira - Com minha resposta ela abriu aquele sorriso maravilhoso, pulou  novamente em meu colo, e agarrou meus lábios.

Fui caminhando até a cama onde a deitei, me ajoelhei em cima da cama à sua frente, ela sentou e foi retirando minha gravata enquanto espalhava beijos por meu pescoço, desabotoou meu blazer e minha camiseta, retirando os dois de uma vez. Ela parou por alguns instantes e encarou meu corpo.

- Apreciando a vista Sabidinha - Digo e vejo suas feições ficarem coradas. Ela murmurou um idiota e voltou a me beijar. Suas mãos trabalhando no cós da minha calça, ela abaixou a calça, me fazendo levantar e retirar o resto da peça junto aos sapatos e a meia. Ela se põe de pé a minha frente, e vira de costas, me indicando os botões a suas costas para abrir.

Primeiro dei atenção a seu cabelo, este que esta amarrado num coque, cheio de grampos. Fui os retirando e colocando em cima da escrivaninha de seu quarto.  A cada grampo que vou retirando, feixes de cabelo vão caindo lentamente em suas costas nuas.

Logo depois fui abrindo os botões lentamente, não por que eu queria minha vontade era de arrancá-los daqui num puxão, mas eles realmente eram difíceis de se abrirem. Quando terminei nos botões, levo minhas mãos aos seus pés, retirando seus saltos. Volto minhas mãos aos ombros e empurro a alça do vestido para o lado, o fazendo o tecido de ceda azul cair em volta de seus pés, percebo que ela estava sem sutiã, o que aumenta ainda mais minha vontade de ter meus lábios passeando por seu corpo. Beijo o lóbulo de sua orelha enquanto a abraço por trás, ela empurra seu corpo contra o meu pressionando meu membro, e ri quando sente minha ereção.

- Já está excitado assim Jackson - não a deixo falar por muito tempo, desço minha mão até sua calcinha, puxo ela para o lado e passo os dedos por cima de seu clitóris, ela solta um pequeno gemido de aprovação.  

Ela já estava muito molhada, eu penetro um dedo, e ela arqueia as costas, o que me  incentiva a ir mais fundo e mais rápido. Dou pequenas mordidas em seu ombro, pescoço, passo minha língua por seu lóbulo e o chupo.  Suas mãos encontram minhas coxas e ela aperta. Tiro meu dedo de dentro dela.

Viro ela de frente, e a visão dos seus seios desnudos é lindo. Ela agarra nuca e voltamos a nos beijar, vou empurrando ela lentamente até a cama, acabo calculando mal a distância e acabamos caindo. Ela solta uma risada, que me faz acompanhá-la, e depois volta a me encarar.

- Annie, se em algum momento você quiser parar, é só falar - Minha fala é séria, mas vejo sua expressão serena me encarando.

- Não sou virgem Percy, se é essa sua preocupação - Senti um incômodo talvez, pelo fato de outro homem já ter encostado em seu corpo - E eu quero isso, quero ficar com você.

Quando a Loira termina de falar, a puxo para mais perto de mim, chego próximo ao seu rosto, e distribuo beijo por todo seu rosto, vou descendo por seu pescoço com a trilha de beijos, passo pelo vale entre seus seios, ela agarra meu cabelo com as duas mãos. Negando seu pedido, continuo descendo até a borda de sua calcinha onde a desço lentamente por suas pernas torneadas. Na volta subo beijando suas pernas, beijo sua intimidade, ela se contorce sob mim pedindo por mais.

Volto minha boca para seus seios, enquanto chupo o esquerdo estimulo o direito com uma mão, e a outra eu volto a  penetrá-la. Ouço ela murmurando meu nome, apenas seus beijos tinham me deixado excitados, e agora vê-la nua em minha frente, estava me deixando louco ao passo que já sentia dor na virilha.

Quando me afasto de seu corpo, perco alguns segundos a observando. Eu podia sentir seu cheiro preenchendo meus sentidos. Ela inverteu nossas posições, e sentou em cima de mim.

- Se desconcentrou apreciando a vista Jackson - ela repetiu as mesmas falas que eu tinha dito antes, mas ela estava com um sorriso malicioso que me fazia sentir vontade de beijá-la pro resto de nossas vidas.

E com aquele sorriso, eu sabia que ia começar uma sessão de tortura. Ela colocou minhas mão por cima de cima cabeça, e pegou algo que não sabia o que era, até o momento que amarrou minhas mãos, e lembrei de minha gravata. Sentada em cima da minha cintura, começou a rebolar em cima de meu pau, com apenas as roupas íntimas separando nossas intimidades. Aquilo me estava me deixando sem um pingo de consciência. Aquele pedaço de pano agora era um problema.

- Annabeth não faz isso, você ta me matando - se eu estava implorando pra ela tirar minha cueca e desamarrar minhas mãos? sim eu estava, precisava tocá-la e não conseguia.

- Se comporte garotão - Simplesmente ignorando meu pedido, ela tirou minha cueca para fora, meu pau já totalmente ereto, ela começou a chupá-lo, com movimentos ora rápidos ora lentos, me torturando bem lentamente. Queria envolver minhas mãos em seus cabelos, mas a gravata amarrada em minhas mãos me atrapalhava.

- Annie .... -  Eu estava quase chegando no ápice, de tanto prazer que estava sentindo. Quando ela percebeu, parou de chupar meu pau.

Depois ela voltou para cima de mim, segurou minhas mãos atrás de minha cabeça, e começou a cavalgar, seus seios pulavam a minha frente mas ela matinha minhas mãos para trás , não podendo agarrá-los ou chupá-los. Num momento de descuido consegui me soltar do nó da gravata. Agarrei sua cintura e nos virei na cama. Ela passou as pernas em volta de minha cintura, me trazendo para mais o mais próximo possível dela. Comecei a penetrá-la lentamente, e aos poucos fui aumentando a velocidade.

Minhas estocadas estavam num ritmo perfeito ao seu, e pela maneira como a loira arranhava minhas costas, com certeza ficariam marcas ali, e puxava meu cabelo, o que me fazia ir mais fundo ao encontro de seu corpo.

Eu estava em êxtase. E quando olhei para a Loira, vi que ela também estava em êxtase.

Eu conseguia ouví-la algumas vezes murmurando coisas incompreensíveis, e outras vezes chamando meu nome, como se estivesse em  delírio. Creio que não estava muito diferente dela, já que me encontrava totalmente perdido em todo seu corpo.

Ela arqueou as costas,jogou sua cabeça para trás e suas mãos estavam segurando fortemente os lençóis, enquanto suas pernas enlaçadas em meu corpo, apertavam fortemente minha cintura, ela solta um gemido alto, me indicaram que ela tinha chegado em seu ápice. Vendo-a daquela forma, em êxtase, completamente entregue, foi o meu ápice, acabei me deixando levar pelas sensações, e com mais algumas estocadas acabei gozando dentro da Loira.

Cansado acabei por cair em cima dela, e rolei para o lado. Olhei para seu rosto, feixes de cabelo grudados em seu corpo por causa do suor, sua respiração ofegante igual a minha. Me virei de lado e ela se virou de frente mim, nos encaramos por um tempo. Então puxei uma coberta por cima de nós, e envolvi sua cintura em meu abraço e a puxei para meu corpo.

Ela descansou uma de suas mãos em meu abdômen, fazendo pequenos círculos, e sua outra mão estava em meu cabelo, fazendo um leve cafuné. Fechei os olhos me deliciando daquela situação.

Acordei  mais cansado que o normal. Já que passamos toda a madrugada acordados, pois mais tarde termos nos encontrados na cozinha, quando tivemos nós dois tivemos a ideia de ir beber água, e acabou por rolar outras vezes. Olho no relógio e  vejo que já são 14:45. Volto a encarar sua expressão serena enquanto dormia. Ela estava linda, na verdade sempre foi, mas depois que finalmente deixamos nosso sentimentos tomarem controle, foi como seu eu a tivesse conhecido novamente.

Eu finalmente me sentia feliz novamente, desde minha partida, este fora o melhor momento. E novamente o cansaço me venceu, e acabei adormecendo agarrado ao corpo da minha Sabidinha.


Notas Finais


Se você gostou do capítulo não esqueça de deixar seu fav e comentário que ajuda muito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...