História Desenvolvimentos Inesperados ( Lurry ) ( Harry Potter ) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Lucius Malfoy
Tags Gravidez Masculina, Harry Potter, Lucius Malfoy, Lucius X Harry, Lucius×harry, Luciusxharry, Lurry
Visualizações 136
Palavras 3.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


📌📣📌

Helloy pequeninos!!<3
Estão bem?

Essa Fanart é para ajudar vocês a imaginar o Lucius de como eu imagino nessa Fanfic ksksks;w;

Capítulo 1 - Descobertas.


Fanfic / Fanfiction Desenvolvimentos Inesperados ( Lurry ) ( Harry Potter ) - Capítulo 1 - Descobertas.

______________________________



Capítulo Um.


Harry gemeu enquanto esfregava a crescente enxaqueca em suas têmporas, ele não tinha ideia do que diabos ele ia fazer agora. Ele sabia, sabia a noite, depois sentiu a mudança, a mudança em seu corpo e a mudança em sua magia. Ele sabia sem precisar ser informado, mas ainda precisava checar.


Ele realmente não sabia como ele conseguiu se safar com isso, a Ordem o estava protegendo fortemente, ele praticamente percebeu que não podia espirrar sem que um deles soubesse. Mas ele os observou e usava seu conhecimento do bairro para fugir. A diferença entre Mundungus e Fred trocando de lugar onde eles normalmente conversavam enquanto Dung dava a Fred qualquer mercadoria nova que os gêmeos precisassem era o momento perfeito. Ele havia saído pelos fundos e atravessado o painel traseiro solto e correu pela rua. Ele usara o dinheiro que roubara dos Dursley para pegar um ônibus e depois viajar para Londres.


De lá, ele fez o seu caminho de memória para o St. Mungo's, usando o capuz para cobrir o rosto, dirigiu-se ao departamento certo e, vergonhosamente, viu um médico e uma enfermeira que confirmaram suas suspeitas.


"Sr. Potter ... acho que é um choque", disse a enfermeira, hesitante, dando tapinhas em suas costas.


"Só um pouco. Você ... você não pode contar a ninguém sobre isso, certo?" Harry disse desesperadamente tentando reunir sua mente.


"Não, não podemos contar a ninguém, estamos vinculados por nossa mágica de que não podemos divulgar as informações de nenhum de nossos pacientes. Não para a imprensa, nem para ninguém", assegurou o médico. Suspirar Harry cobriu o rosto e pensou sobre isso. "Sr. Potter, você quer abortar a gravidez?"


"O que não!" Harry estalou, virando os olhos horrorizados para o médico que levantou as mãos.


"Tudo bem, considerando sua reação, eu tive que verificar. Ok Sr. Potter, você gostaria de discutir os detalhes da gravidez?"


"Eu ... com certeza suponho que é melhor", Harry sorriu fracamente, sentando-se na cama e aceitando os panfletos que a enfermeira havia chamado.


"Tudo bem, de acordo com o meu feitiço, você está atualmente com 10 semanas, são dois meses e meio. Após a concepção, sua mágica formou um útero mágico para segurar o bebê. Isso funcionará completamente como o útero de uma mulher faria. é um pouco mais… frágil do que a gravidez feminina, você precisa cuidar de si mesma e do bebê. Vou lhe dar um plano de dieta para você seguir, você também precisa evitar o estresse o máximo possível. enjoo matinal?"


"Sim, muito mesmo", Harry suspirou enquanto folheava os panfletos.


"Tudo bem, bem, eu posso lhe dar algo, a poção ajudará a aliviá-la, mas não se livrará dela completamente, mas deve começar a diminuir em breve. Quando você tiver doze semanas, poderemos fazer uma varredura para você poder ver o bebê e ouvir os

batimentos cardíacos ... "


"Eu poderei ouvir o batimento cardíaco?" Harry olhou para cima, sentindo uma pontada de excitação.


"Sim, Sr. Potter, você vai. Erm, desculpe-me por perguntar, mas o pai?" O Dr. olhou para ele. "Na gravidez masculina, você é chamado de portador, o outro, pai".


"Oh ... eu não acho que o ... pai ficará feliz em ouvir sobre isso", Harry hesitou mordendo o lábio com um suspiro.


"Ah, Sr. Potter ... desculpe, mas ... a lei bruxa exige que você tenha que informar o outro pai do bebê, cara a cara ou através de uma carta", o médico disse a ele parecendo desconfortável. Harry empalideceu e esfregou a enxaqueca que se instalara bem e verdadeiramente.


"Tudo bem, Sr. Potter, acho que é o suficiente por hoje. Se você tiver outras perguntas, por favor, venha e me pergunte. Aqui está uma lista de livros que serão úteis para você. Você pode encomendá-los em Flourish and Blotts ou Bundles e eles garantirão a discrição do cliente.Eu lhe enviarei uma coruja quando você terminar sua digitalização.Vá descansar Sr. Potter, é extremamente importante para os dois. Aqui está sua lista de dietas, vejo você em duas semanas, "O médico sorriu.


"Obrigado, doutor", Harry sorriu fracamente, juntando suas coisas, puxando o capuz de volta pelo rosto e saindo do hospital.


____________________________________________________


Harry estava sentado em seu quarto de hotel lendo uma das dezenas de livros que encomendaram através de Flourish, Blotts and Bundles. Depois de encomendar o primeiro lote de livros que recebeu, ele conseguiu um catálogo da Bundles. Ele fez outro pedido de mais livros e alguns itens para tentar torná-lo mais real para ele. Depois de deixar o St. Mungo's, ele hesitou antes de seguir para o Beco Diagonal. Uma rápida parada de Gringotts lhe deu seu anel de senhorio Potter, o que significava que ele poderia acessar seus cofres de qualquer estabelecimento mágico. Algumas palavras rápidas com o duende com quem ele lidara lhe deram o endereço de um hotel chique, mas discreto, no Mathos Alley, perto de Diagon.


Ele tinha-se reservado, onde, como prometido a recepcionista mal tinha piscou quando ele deu o seu nome e, em seguida, teve principalmente se trancou afastado no quarto com seus livros uma vez que ele conseguiu. Ele pediu serviço de quarto para comida e não bebe querendo mostrar seu rosto muitas vezes no caso de alguém o viu, ele não tinha dúvidas de que a Ordem estavam caçando para ele agora.

Três dias depois de ter confirmado suas suspeitas, ele passou quase oito horas meticulosamente elaborando a carta que legalmente tinha que enviar, e perdeu a conta de quantas vezes precisou reescrever a carta sem ter certeza de como deveria dizer ao pai exatamente esta notícia. Ele pensou em escrever a várias outras pessoas para dizer-lhes o que tinha acontecido, mas sabia que a resposta geral para ele ter um bebê seria, não. Então as cartas que ele começou para Hermione, Ron, Sirius, Remus, Arthur, Molly, Bill, os gêmeos e até Tonks estavam sentadas em vários níveis de conclusão depois que um motivo lhe ocorreu por que ele não podia contar.


Ele estava seguindo o plano de dieta que o médico lhe dera, apesar de não saber o motivo pelo qual estava muito disposto a fazer as refeições em torno do plano. Atualmente, ele estava sentado no confortável sofá que a sala mantinha mordiscando palitos de pepino que ele estava mergulhando em um sorvete de limão derretendo levemente - o que lhe fez uma pequena pausa antes de ter certeza de que isso lhe seria trazido - e lendo exatamente como desenvolveu o bebê era agora quando houve uma batida em sua porta. Franzindo a testa, deixou o livro de lado e pegou sua varinha, ninguém deveria estar batendo na porta, pois ele não havia pedido nada e ninguém sabia onde ele estava.


Ele percebeu que estava sentado em um leve estado de pânico, e também esperando que quem quer que fosse fosse embora se não ouvissem nada do interior quando houvesse uma série de batidas mais fortes antes que uma voz assustadoramente familiar viesse pela porta.


"Potter! Potter, eu sei que você está aqui! Abra a porta!" Apesar de familiar, a voz também parecia extremamente diferente da que Harry estava acostumado a ouvir, a superioridade estava faltando e o tom era realmente confuso e ansioso. Olhando para trás, ele não tinha certeza se era essa diferença ou apenas instinto, mas antes que ele pudesse realmente pensar nisso, ele estava destrancando a porta e abrindo-a para revelar um homem extraordinariamente desgrenhado e de olhos arregalados parado do outro lado.


"Você ... é melhor você entrar", Harry disse depois de alguns momentos olhando um para o outro. Balançando a cabeça bruscamente, o homem visivelmente se recompôs um pouco e entrou na sala, indo até o sofá e sentando-se pesadamente enquanto Harry trancava a porta. "Como você me achou?" Harry exigiu girar e assistir enquanto o livro que acabava de ler era recolhido.


"O bebê, não importa o quão desenvolvido esteja conectado à minha magia, como o pai que eu acabei de usar, ele atuou como um encanto e me trouxe aqui", veio a explicação como se fosse óbvio. Harry realmente queria se sentar agora, mas o sofá tinha apenas dois lugares e ele realmente não queria ter que sentar ao lado dele agora. "Fiquei chocado, pensei que você estaria escondido na sede da Ordem, foi por uma chance que eu procurei"


"Ninguém além do médico que me viu sabe", Harry suspirou. "Se você está aqui para me dizer para me livrar disso, você perdeu sua jornada porque eu ..."


"O quê? Você acha que eu faria ... não, não é por isso que estou aqui".


"Então por que você está aqui, Lucius? Eu lhe disse, você não tem o dever de nenhum de nós, fui obrigado por lei a dizer isso," Harry disse com cautela, perguntando-se por que ele estava aqui, apesar da explosão com a idéia dele. livrar-se do bebê o levou a esperar que, apesar de suas palavras, ele não estivesse tão sozinho quanto pensava estar.


"É isso que você deseja? Você não quer que eu faça parte da vida do bebê?" Lucius perguntou firmemente seus olhos prateados brilhando.


"Eu não sei o que você quer, Lucius, essa não é exatamente uma situação em que alguém se encontrou! Tenho dezesseis anos, estou grávida quando descobri há apenas seis meses que bruxos poderiam engravidar, estou me escondendo em um quarto de hotel dos membros da Ordem porque eles me fariam matar meu bebê, se os Comensais da Morte me virem, estarei na frente de Voldemort antes que você possa dizer sequestro! Estou meio que brincando de ouvido! " Harry estalou antes, horrorizado, sentindo lágrimas brotando nos olhos quando tudo o atingiu. Lucius olhou para ele por um segundo antes de ficar de pé e guiar Harry para se sentar, mantendo a mão enquanto se empoleirava na mesa de café, de alguma forma fazendo com que parecesse elegante.


"Acho que começamos isso errado, compreensível, mas ainda errado. Não estou aqui para dizer para você se livrar do bebê, gostaria muito de fazer parte da sua vida e da vida dele e vim ver se você me permitiria isso - Lucius falou suavemente, seus olhos examinando o rosto de Harry quase desesperadamente.


"Não minta, o bebê que eu posso entender, mas eu não sou nada mais do que uma incubadora ambulante para você agora", Harry fungou sem fogo, sem permitir que nenhuma esperança surgisse com as palavras e o toque.


"Harry! Você não é uma incubadora ambulante para mim! Você sabe que sala era, ouviu o que eles disseram. 'Ainda bem que você não gosta de Malfoy e que ele não gosta de você Harry, essa é a sala do desejo. , '. Eu pesquisei Harry, qualquer um que entrar lá exibirá o nível de desejo que sente pela pessoa que mais sente no coração na próxima vez que a vir. Você está realmente me dizendo que eu não a quero? mentir, "Lucius sorriu fracamente.


"Você é casado", Harry apontou, piscando quando Lucius bufou.


"Sim, um casamento arranjado com uma megera, que é uma mulher, que eu toco o mínimo possível por medo de ficar congelado. Draco foi concebido em nossa noite de núpcias com poções e não dormimos na mesma ala do Desde então, não que tenhamos dormido juntos naquela noite em que ela exigiu outro quarto logo depois. Eu tenho provas suficientes dos casos dela para se divorciar dela, eu só não tinha um motivo para me importar antes agora. "Lucius admitiu suavemente estendendo a mão e hesitando pouco antes tocando Harry, seus olhos procurando para ver se estava tudo bem. Respirando fundo, Harry estendeu a mão e pressionou a mão maior na bochecha, fechando os olhos com o toque que havia sido queimado em sua mente desde o momento em que estavam juntos.


"Draco?" Harry perguntou baixinho.


"Ele vai aparecer, ele sempre quis um irmão ou irmã, mas Narcissa não podia esperar para dar à luz para se livrar dele, outra criança não era uma possibilidade", Lucius balançou a cabeça com raiva, seu toque suave ainda como o dele. quase inconscientemente, parecia

roçar a bochecha de Harry.


"Então fazemos o que agora?" Harry perguntou timidamente.


"Bem, primeiro eu acredito que tiramos você disso ... como você disse ... ah sim 'maldito quarto de hotel', meu irmão tem uma casa na Grécia, você gostaria de ir para lá?" Lucius perguntou antes de franzir a testa para o olhar no rosto de Harry que ele não conseguia traduzir. "Se você não quiser, então existem outros lugares onde podemos ir? Eu pensei que você gostaria de ir a algum lugar privado, mas eu vou ..." Ele piscou algumas vezes, fazendo Harry rir quando pressionou um dedo nos lábios de Lucius para parar o leve divagar.


"Não é que seja apenas ... ninguém realmente me perguntou se eu quero fazer algo que geralmente me dizem", Harry admitiu calmamente. Lucius segurou seu rosto, fazendo-o encontrar seus olhos.


"Harry, eu não vou pedir para você, somos iguais, qualquer relação que você quiser de mim, faremos as escolhas, a menos que eu realmente pense que é para sua segurança", Lucius prometeu fazendo Harry rir levemente no final Adição. "O quê? A sua e a segurança do bebê são a minha preocupação número um"


"Obrigado, então Grécia? Eu nunca estive fora do país antes", disse Harry, pensativo.


"Então, definitivamente, estamos deixando o país. Agora, meu irmão tem uma linda casa na Grécia, em uma pequena ilha com uma vila próxima. Mas eu também tenho uma casa na Itália e uma na França que Narcissa não sabe nada, então estaremos perfeitamente seguro, a escolha é sua - explicou Lucius, sentando-se enquanto falava. Harry parecia pensativo enquanto pegava sua tigela de volta e mordiscava um palito de pepino distraidamente. Ele estava acostumando seu corpo a comer lanches regulares, como recomendado, e mal começara a comer quando Lucius bateu. "Acho que você está tendo desejos?" Lucius perguntou divertido distraindo Harry.


"O que?" Ele perguntou confuso.


"Eu não acho que pepino e sorvete sejam uma mistura normal, a menos que seja um costume trouxa estranho?" Lucius sorriu, deixando a respiração de Harry presa ao ver.


"Erm ... sim, é um desejo, começou ontem, o médico disse para ir com o que eu imaginava, pois era meu corpo me dizendo que eu precisava. Oh ... eu posso fazer uma varredura em uma semana para ver e ouvir o bebê, se nós deixar o país isso será um problema? " Harry mordeu o lábio.


"Harry, eu vou lhe arranjar um curandeiro particular, o melhor que eu puder encontrar, eles virão até nós", Lucius riu.


"Oh, você não precisa fazer o que eu posso ..."


"Harry, você e o bebê vão ter o melhor de agora em diante, você vai ter que se acostumar com isso", Lucius disse com firmeza. Harry corou e tentou desviar o olhar, mas Lucius segurou seu rosto novamente. "Harry, eu não estou por perto para o bebê. Não consigo parar de pensar em você desde aquele dia, gostaria muito de ter um relacionamento com você, para que sejamos uma família".


"Uma família ... eu gosto do som disso", Harry sorriu largamente, uma mão segurando o pulso de Lucius e a outra se movendo para o resto do inchaço que seu estômago havia formado. "Eu também não consegui parar de pensar em você, e não por razões óbvias"


"Então você vai me dar uma chance?" Lucius perguntou esperançoso.


"Não me machuque", Harry disse seriamente dizendo tudo a Lucius nessas três palavras.


"Nunca intencionalmente, e farei tudo o que estiver ao meu alcance para corrigi-lo se eu estragar sem querer", Lucius prometeu antes de escovar os lábios juntos, selando a promessa.


Harry suspirou no beijo e pressionou mais perto de Lucius, passando os braços em volta do pescoço enquanto eles se beijavam gentilmente, promessas, sentimentos e pura esperança sendo trocados entre eles no beijo. Lúcio lentamente se afastou, mas pressionou vários beijos leves nos lábios que ele sonhara.


"E eu nunca vou machucá-lo intencionalmente", Harry sussurrou alto o suficiente para Lucius ouvir contra seus lábios, seus olhos verdes se erguendo para encontrar os surpreendentes de prata que suavizaram e revelaram o que ele suspeitava. "A Grécia parece legal", Harry disse depois de alguns momentos apenas olhando um para o outro. Lucius levou um segundo para clicar antes de sorrir.


"É a Grécia então. Você quer esperar até amanhã ou ir agora?" Lucius perguntou.


"Prefiro ir agora, prefiro diminuir o risco tanto quanto possível da Ordem me encontrar", Harry suspirou.


"Ok, termine seu pepino e sorvete e eu vou arrumar suas coisas", Lucius sorriu beijando Harry suavemente contra antes de se levantar e puxar sua varinha. No momento em que ele terminou dirigir todas as coisas Harry volta descompactado em seu tronco Harry tinha acabado o seu lanche e empilhou todos os livros que tinha comprado na mesa e colocou o saco de coisas extras que ele tinha comprado. "O que é tudo isso?" Ele perguntou voltando para se sentar ao lado de Harry no sofá, o baú encolhido no bolso.


"Coisas que eu comprei, o médico aconselhou os livros e os Pacotes me enviaram um catálogo de pedidos de corujas, então eu pedi algumas outras coisas", disse Harry corando levemente, fazendo Lucius curioso.


"Posso?" Lucius perguntou pegando a bolsa. Ao aceno de Harry, ele olhou ansiosamente para dentro, erguendo uma sobrancelha, ele puxou os três itens e os colocou no colo. Um par de minúsculas sapatinho de bebê branco, um babador verde com uma cobra branca fofa e um urso fofinho amarelo.


"Eu precisava de algumas coisas além dos livros para torná-lo real, eu não quero comprar muito, caso isso aconteça, mas eu queria algumas coisas", Harry divagou corando um tom mais escuro de vermelho.


"Eu gosto deles, especialmente o babador, e temos muitas estreias que podemos comprar juntos", Lucius riu, esfregando o pêlo macio do urso.


"Eu queria que ele tivesse algo do papai, quando vi que não podia resistir. Você já fez isso antes, pelo menos saberá o que precisamos", Harry sorriu para Lucius antes de franzir a testa quando viu o olhar. a cara dele.


"Narcisa contratou alguém para comprar todas as coisas que Draco precisaria e um elfo doméstico cuidou dele quando ele nasceu. Entre a trama de meu pai e eu, tive muito pouco a ver com Draco até os oito anos", Lucius admitiu, conversando baixinho. o urso. Estendendo a mão, Harry segurou o ás de Lucius e virou-o para encará-lo.


"Vamos comprar todas as coisas que o bebê precisará, e eu me recuso a que um elfo doméstico crie meu bebê", Harry fez uma careta, mas seus olhos brilhavam de brincadeira.


"Tudo nós mesmos?" Lucius perguntou começando a sorrir.


"Sim, tudo, seja através de catálogo ou fazendo compras nós mesmos", Harry assentiu.


"Isso parece perfeito", Lucius suspirou, segurando a nuca de Harry e beijando-o profundamente. Harry fechou os olhos de felicidade e afundou no beijo, permitindo o acesso da língua de Lucius quando ele a percorreu ao longo dos lábios. Lucius correu a língua sensualmente na boca de Harry provocando sua língua com o seu próprio e aproveitar a oportunidade de beijar e tocar Harry como tinha sonhado desde a sua primeira vez juntos antes de se afastar com um beijo leve persistente. "Você tem um gosto delicioso", Lucius suspirou contra os lábios de Harry, fazendo-o rir.


"Vou provar uma mistura de pepino e limão"


"E você, delicioso", Lucius sorriu pressionando outro beijo nos lábios de Harry antes de relutantemente se afastar. "Você está pronto para ir, então amor?" Lucius perguntou.


"Sim, como vamos chegar lá?" Harry perguntou em pé e se movendo para calçar os sapatos e o casaco.


"Meu anel nos permitirá aparatar pelas enfermarias com você, todas as propriedades de Malfoy são protegidas por sangue. Nós iremos para lá e então irei ao hotel para dizer que você saiu, assim como meu advogado para iniciar o processo de divórcio, ele está esperando que eu faça isso há anos, "Lucius explicou enquanto encolheu os livros e a bolsa de Harry e os colocou no bolso.


"Você tem certeza que quer fazer isso?" Harry mordeu o lábio quando terminou de vestir o casaco e olhou para Lucius inseguro.


"Harry, você está me oferecendo uma chance de felicidade, de uma família adequada, de amor, em oposição a um casamento frio, solitário e indesejado com uma mulher pela qual nunca fui atraído, nunca gostei de quem não tem personalidade e nem sequer espere até nos casarmos quatro meses antes que ela comece a me trair. "Lucius disse firmemente caminhando até Harry.


"Mas você disse que Draco foi concebido para o seu ... oh", Harry franziu o cenho, olhando tristemente para Lucius.


"Não tenha pena de mim, Harry", Lucius virou-se sentindo-se humilhado por nunca ter confessado isso a ninguém em voz alta.


"Eu não tenho pena de você Lucius, eu nunca faria isso. Sinto por você que você teve um casamento tão infeliz e estou com raiva por você e com nojo dela. Também estou completamente atordoada que ela possa trair você, que qualquer um poderia," Harry sorriu tomando as mãos de Lucius.


"Harry ..." Lucius fez uma pausa antes de repente abraçá-lo e beijá-lo feroz e apaixonadamente, sua língua cortando a boca de Harry e deixando o beijo um pouco molhado, mas não menos dobrado no joelho. Harry soltou um pequeno suspiro antes de agarrar o topo dos braços de Lucius e beijar de volta o melhor que pôde. Finalmente Lúcio se afastou e olhou para baixo divertido Harry piscou os olhos verdes vidrados para ele.


"Wow ... o que fez com que me diga e eu vou lembrar para não usá-lo contra você em público," Harry respirou sem largar o braço de Lucius por medo de fazer algo embaraçoso como desmaiando.


"Você ... é ... perfeito", Lucius dividiu cada palavra com um beijo nos lábios de Harry.


"Não muito, mas obrigada", Harry riu acariciando a bochecha de Lucius com ternura.


"Você é. A coisa que eu mais temo em ter outro relacionamento, embora qualquer tipo de relacionamento seja melhor do que o que vivi nos últimos dezesseis anos, foi que eu seria traída. Embora possa ser reconhecidamente um pouco possessiva e ciumenta de você acabou de colocar minha mente em repouso. "Lucius sorriu para Harry.


"Eu não acredito em enganar Lucius. E, sabendo o que sei agora, especialmente nunca machucaria você assim!" Harry disse com firmeza.


"Obrigado. Quero que saiba que, apesar de tudo, tive muito poucos amantes, justamente quando a solidão se tornou demais e você ... você é o primeiro que realmente senti e desejei tanto. Mesmo sem o bebê, eu gostaria uma vida com você, eu apenas pensei que não tinha chance, "Lucius admitiu.


"Isso faz de nós dois", Harry riu.


"Venha amHelloy pequeninos!!<3

Estão bem?

Essa Fanart é para ajudar vocês a imaginar o Lucius de como eu imagino nessa Fanfic ksksks;w;or, você está pronta?" Lucius suspirou abraçando o corpo de Harry contra o seu.


"Pronto," Harry bateu seus próprios braços ao redor de Lucius e fechou os olhos ao sentir a aparitação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...