1. Spirit Fanfics >
  2. Deserto Uivante >
  3. 06 - Fazendo as pazes

História Deserto Uivante - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oie oie povo!
Demorou mais saiu! Desculpem o atraso, meu dia foi uma loucurada que não acabava mais.
Mas enfim, finalmente vamos ver o desfecho da luta entre Gaara e Lee (que já sabemos qual é) e como a Sarang está se sentindo com tudo isso.
Também temos ela indo pedir desculpas para o Keita, e um certo ruivinho sentindo falta dela ❤️

Boa Leitura!

Capítulo 7 - 06 - Fazendo as pazes


Fanfic / Fanfiction Deserto Uivante - Capítulo 7 - 06 - Fazendo as pazes

Sarang não conseguiu conter o grito. Após ver Lee atingir o chão, carregando o corpo de Gaara, ela simplesmente não conseguiu ficar quieta. Isso, é claro, chamou a atenção de vários ninjas que estavam por perto. Ela até caiu de joelhos, trêmula, segurando as grades.

— Ué, porque você tá assustada desse jeito? Nem parece que fez quase a mesma coisa quando lutou com o Keita! — Naruto protestou, estranhando o jeito da garota.

— É uma longa história, Naruto. — Um apressado Haru chegou, ajudando sua irmã a se levantar. — Vamos, nee-chan.

Haru levou Sarang para perto de Shirai, que ainda estava com Kurenai. A Jonin também estava estranhando aquilo tudo. Nunca viu sua aluna agir daquele jeito. Certo que ela sabia de coisas que ninguém mais na aldeia sabia, como a condição da menina. Mas nunca viu Sarang se emocionar tanto como nesse dia.

A garota estava tremendo e chorando, como se tivesse acabado de perder um ente querido. Shirai franziu o cenho e pôs uma mão no ombro da aluna.

— Sarang? Por que está chorando? — Shirai tentou perguntar o mais calmamente possível, para não assustá-la.

A kunoichi ergueu os olhos marejados, encarando sua professora de perto. Novamente, ela agarrou o colar em seu pescoço.

— Ele é meu amigo... — Sarang respondeu, de maneira quase ininteligível.

Shirai suspirou, surpresa. Ela direcionou seu olhar para a arena, mirando os dois garotos que lutavam. Gaara estava deitado, no meio de mais uma cratera feita por Lee, enquanto este, estava do outro lado, ofegando de cansaço. Tinha uma parte desta história toda que estava oculta. E ela iria descobrir o que era.

— Haru... — Ela se virou para seu aluno. — Você e eu precisamos conversar mais tarde.

O garoto assentiu, engolindo seco. Ele não gostava muito de falar sobre passado. Ainda mais sobre as antigas amizades de sua irmã. Ele olhou para os lados. Haviam outros encarando a situação. Provavelmente, achando que Sarang era louca, ou algo do tipo. Parte de si queria bater em todos, por sequer pensarem em insultar sua irmã. Mesmo assim, sempre havia aquela parte que concordava com todos eles.

Sarang estava acostumada com os olhares de desdém sobre si. E com piadas e insultos também. Não foi surpresa quando ela ouviu a voz de Ino Yamanaka a chamar de “cenourinha pirada”, após ter presenciado sua crise. A ruiva apenas ignorou, como sempre fazia. Não valia a pena gastar tempo com pessoas que não gostavam dela.

Voltando seus olhares para a luta, viu que Gaara, na verdade, não tinha sido atingido pelo golpe de Lee. Ele usou um clone de areia no lugar, se materializando em outro ponto da arena. Ela sentiu alívio por ele estar bem. Mas não gostou nada do olhar que ele mantinha em seu rosto.

“Esse não é o Gaara que eu conheço...”

*~*

Gaara estava adorando tudo aquilo. Viu que não seria uma luta comum, em que iria se aborrecer e acabar com o outro oponente de maneira rápida. Lee tinha potencial, isso era verdade. Seria muito prazeroso satisfazer sua sede de sangue com ele.

Ele será todo seu logo, mãezinha... Gaara conversava com a voz em sua cabeça. A raiva que estava sentindo naquele momento, por mais que fosse causada pela resistência desse garoto em reconhecer que, não importasse o quanto ele lutasse, não iria escapar, também era pelo grito que o desestabilizou, alguns momentos antes.

Todas as vezes que ele olhava para ela, era uma sensação agonizante diferente. Todos os seus pensamentos se dividiam em vários pedaços, e ele não sabia a qual emoção reagir. Seus instintos lhe diziam que, após acabar com essa luta, o que mais lhe satisfaria e o faria se sentir vivo, era tirar a vida daquela garota.

Era isto. Ele precisava saciar a sede de sangue do demônio dentro de si. E faria isso hoje. Primeiro, com esse garoto de penteado estranho. E depois, com ela. Sua antiga melhor amiga.

Gaara aproveitou que Lee estava fraco e começou a manipular sua areia para golpeá-lo. Porém, Lee continuava desviando, mesmo visivelmente cansado. Agora, essa luta havia evoluído para outro nível. Ele precisava usar seu caixão de areia nesse garoto.

Foi quando Lee usou outra de suas técnicas proibidas. Ele começou a abrir seus portões de chakra, para usar a Lótus Oculta. Uma técnica muito mais poderosa que a anterior. Gaara estava encurralado. Não sabia se podia lidar com tanto poder. Ele estava muito mais rápido e forte que antes...

*~*

— Não consigo ver isso, eu não posso... — Sarang disse, cobrindo os olhos, ainda cheios de lágrimas.

Ela estava prestes a correr para fora da arena. Seu desespero estava quase a matando. Ela não queria ver Gaara sofrer, de maneira nenhuma. Queria tirá-lo dali e levá-lo com ela para bem longe, onde ninguém poderia atacá-los novamente.

— Sarang... você o conhece, não é? — Shirai perguntou, seriamente. — Sei que nem vocês e nem Keita são próximos de Rock Lee. E que vocês dois vieram de Suna. Você conhece esse outro garoto? O Gaara?

Sarang secou as lágrimas de seu rosto. Novamente, ela estava com o rosto vermelho e inchado de tanto chorar. Olhando para sua sensei, ela apenas assentiu com a cabeça, sem falar uma palavra.

— Ele é seu amigo? Aquele que você disse antes? — Shirai perguntou, outra vez. Sarang apenas voltou a assentir.

— Shirai-sensei... é melhor não falar disso com ela agora. — Haru a aconselhou. — Nós conversaremos depois, como você sugeriu.

Shirai suspirou outra vez, surpresa com a atitude de Haru. Tudo bem, ela estava ensinando este trio de Genin há pouco tempo, apenas alguns meses. Mas já era hora de ela saber mais sobre os seus alunos.

Sarang permaneceu com os olhos fechados o resto da luta. Não queria ver como isto iria acabar. Só voltou a abrir quando ouviu a voz de Gaara gritar em som alto e claro na arena.

— Caixão de Areia!

E então, os gritos agonizantes de Lee tomaram conta do recinto. Sarang se inclinou para ver o que estava acontecendo. Mesmo no chão, Gaara ainda teve forças para machucar Lee, que também não estava bem, por conta da energia que suas técnicas demandavam.

A Akari se horrorizou com o que aconteceu ali. Várias memórias de momentos calorosos vividos ao lado de Gaara vieram em sua mente. De como ele era um menino amoroso e meigo, que sempre estava com ela nos momentos de dificuldade. Esse que estava na frente dela não era mais esse menino...

Ela mirou o irmão dele, que ainda estava ao lado de Naruto. Kankuro a encarou de volta, com um olhar que dizia “nós te avisamos”. Ela abaixou o olhar, com vergonha. Ainda não queria acreditar que Gaara havia se tornado o que ele é hoje. Ela começou a se culpar, pensando que se não tivesse ido embora, ele não estaria assim.

Era mais uma culpa para Sarang carregar. O coração dela já não suportava tanta decepção. Eu estou nesse mundo para causar sofrimento para os outros... talvez, eu devesse sumir. Ela pensava, com o coração partido. Grossas lágrimas voltaram a despencar por seu rosto.

Ela permaneceu em um estado apático pelo resto da partida. Não esboçou reação quando Guy interviu na luta para salvar Lee. Nem quando Lee teve que ser levado às pressas para o hospital, pois Gaara havia cometido danos muito severos em seu corpo.

Sarang não mexeu um músculo quando a luta se deu por encerrada e Gaara foi vitorioso. Nem quando a próxima luta, entre Choji e Dosu Kinuta, ocorreu e acabou rapidamente, finalizando a rodada de lutas preliminares.

Pois bem, ela teve que se mexer, quando Hayate chamou sua atenção para descer até a arena, junto com os outros classificados. Eram dez classificados, no total.

Sarang e Temari eram as únicas garotas que conseguiram se classificar, sendo Sarang a única kunoichi da folha. Para prosseguir para as rodadas finais, cada um precisava tirar um número de uma caixa.

Sarang acabou tirando o número dez, o que significava que ela participaria da última luta. E seu oponente era Dosu Kinuta, do time do som. O garoto que havia derrotado Choji. Ela não havia prestado atenção nos movimentos dele em sua luta, o que acarretaria em vários problemas para ela.

— Pois bem, é melhor desistir agora, porque eu não vou hesitar em fazer picadinho de você, garotinha. — Dosu a ameaçou, enquanto eles ainda estavam em fileira. — Não pense que eu me assustei com aquele seu jutsu monstruoso.

Sarang não podia se deixar intimidar por uma provocação tão barata. Mesmo que estivesse acostumada a ouvir insultos, isso era diferente.

— Pois tente. — Foi a única coisa que ela respondeu, tentando intimidá-lo de volta.

— Era melhor terem colocado as duas meninas para lutarem entre si... — Shikamaru reclamou, com aquela sua típica pose. — Não acredito que vou ter que lutar contra uma garota de novo.

— Deixe de ser tão machista! — Temari o repreendeu. — As mulheres ainda podem te dar uma surra, sabia?

Sarang concordou muito com o comentário de Temari. Claro, mesmo que ela e Kankuro estivessem tentando afastar Sarang de Gaara, o posicionamento da loira ainda fazia sentido. As kunoichi precisavam ser mais respeitadas. Até mesmo duas tontas como a Sakura e a Ino...

Pois bem, as lutas ficaram marcadas em cinco partidas. Naruto iria enfrentar Neji. Ele vai vingar a Hinata... Sarang pensou, torcendo para que o Uzumaki fizesse valer sua palavra. Na segunda luta, Sasuke enfrentaria Gaara. Ela não podia negar que ficou um pouco nervosa com isso. Seria, com certeza, a luta mais intensa do torneio.

Já Kankuro e Temari enfrentariam, respectivamente, Shino e Shikamaru. Se um deles vencesse, ou Kankuro ou Temari iria para a próxima rodada com Sarang, caso ela também vencesse. Ou talvez, ela tivesse que enfrentar os dois, já que o número de participantes se tornaria ímpar.

Pois bem, os classificados foram dispensados para treinarem durante um mês até a batalha final. Sarang suspirou, aliviada pelo Exame não continuar no mesmo dia. Ela não sabia se teria condições se continuar lutando após tudo o que aconteceu hoje.

Sarang disse que não queria ir direto para casa. Ela queria passar no hospital para visitar Hinata e Keita. Enquanto isso, Shirai aproveitou para finalmente conversar com Haru e descobrir o que estava acontecendo com seus alunos. Os dois foram até a Amaguriama, para conversar enquanto comiam castanhas torradas.

— Está bem, pode falar. O que está acontecendo com a Sarang? — Shirai perguntou, séria, comendo uma castanha. — Acha que eu já não sei das condições dela? Que ela pode se transformar em um lobo e sair por aí matando todos que atravessam o caminho dela?

— Ok, sensei, não precisa falar tão alto... — Haru tentou fazê-la se acalmar. — Vou contar o que aconteceu hoje. O que ela disse é verdade. Ela realmente conhecia o Gaara, quando morávamos em Suna.

Haru contou sua versão dos fatos. Que Gaara e Sarang eram duas crianças que ninguém mais queria por perto, e acabaram se afeiçoando por estarem sozinhos. Explicou o porquê de as outras pessoas terem medo deles.

— A Sara-chan você já sabe. Ela tem esses poderes que a deixam toda estranha. Mas, com o Gaara, era outra coisa. Algo muito pior... — Haru continuou.

Ele contou sobre os boatos de Gaara ser a arma suprema da aldeia da areia. Alguém que a aldeia toda temia e não queria por perto. Bem, todos menos sua irmã.

— Então é uma história trágica... — Shirai se compadeceu por sua aluna. — Faz todo o sentido ela ter reagido daquele jeito.

— Ela não o vê há muito tempo. Na verdade, achávamos que ele estava morto... — Haru respondeu, comendo uma castanha. — Ver que ele estava vivo foi um baque enorme para ela.

— Entendo. Ela vai precisar de ajuda se quiser resolver esses problemas na cabeça dela. — Shirai respondeu. — E se quiser treinar para a fase final do Exame Chunin.

A Yuhi olhou para o céu. O sol estava se pondo, e algumas estrelas já pairavam sob o céu da folha. Aquela seria uma noite de lua cheia.

— Agora, é melhor você ir atrás dela e a levar para casa. — Shirai o aconselhou. — E fiquem por lá. Não vai ser nada bom se ela ficar na rua em uma noite de lua cheia...

Haru assentiu, se despedindo de sua sensei e passando a caminhar pelas ruas de Konoha, em busca de sua irmã. Ela disse que iria visitar Hinata e Keita no hospital. Deveria estar lá até agora.

Shirai soltou outro suspiro, desta vez, de agonia. Ela terminou de comer a última castanha e jogou o palito na lixeira. Em seguida, voltou a sentar onde estava, pensando no que faria. Seus pensamentos foram interrompidos por uma figura familiar.

— Tendo complicações com seus alunos, não é? — A voz de Kakashi Hatake perguntou, se sentando ao lado dela. — Conheço você, Shirai. É tão agitada quando o Guy, não consegue ficar quieta por muito tempo.

— Você anda me observando, Kakashi? — Shirai perguntou, sarcasticamente. — Pensei que não tirasse os olhos desse seu livro...

— Consigo observar muita coisa ao mesmo tempo. — Kakashi respondeu, direcionando seu olho descoberto para ela. — Seu problema é o mesmo que o meu. Temos alunos muito poderosos que não sabem se controlar em batalha.

— É, você fala do Sasuke Uchiha, não é? Fiquei impressionada com a luta dele. — Shirai respondeu, juntando suas mãos. — Na verdade, fiquei impressionada com muitos daqueles Genin.

— É verdade. Tem muito problema ali. — Kakashi respondeu, pensando em Neji, Gaara e na própria Sarang. — Por isso, vou levar o Sasuke para treinar fora, até o dia do torneio final. Você deveria fazer o mesmo com sua aluna.

— Você tem razão. Todos irão focar nos vencedores, eu vou fazer o mesmo. — Shirai respondeu, pensando nos outros Jonin, que também tinham trabalho para fazer.

Cada equipe teve, ao menos, um vencedor. Durante o próximo mês, Asuma iria treinar Shikamaru, por mais que esse garoto fosse preguiçoso. Guy iria treinar Neji, por mais que o punho suave do clã Hyuga já fosse uma técnica impressionante. A irmã mais velha de Shirai, Kurenai, iria treinar Shino. Kakashi iria se encarregar de Sasuke, o que a fez pensar sobre quem iria treinar Naruto.

Enquanto Shirai ficou encarregada de treinar Sarang. Ela precisava pensar em uma maneira de fazer isso. Precisava fazer com que aquela garota controlasse esses poderes e fosse capaz de vencer uma luta sem estraçalhar o inimigo.

— O que você vai fazer com o Naruto Uzumaki? — Shirai perguntou, curiosa para saber.

— Ah, o Naruto... eu vou enviar um especialista para cuidar dele. — Kakashi respondeu, soltando um riso irônico. — Ele vai ter uma surpresa e tanto...

Era uma das coisas que Shirai gostava em Kakashi. Ele era completamente imprevisível. Dava para esperar qualquer coisa dele. Tanto em uma sacada genial, quanto algo terrivelmente idiota. Como ele ter deixado um apagador cair em sua cabeça no primeiro dia com o novo time, por exemplo.

— Preciso ir. Tenho que ver o Keita no hospital antes de começar o treinamento da Sarang. — Shirai disse, se levantando, prestes a partir.

Ela se foi antes que Kakashi pudesse responder alguma coisa. No fundo, ele também gostava da kunoichi. Mas estava ocupado demais para pensar nisso.

*~*

O hospital estava mais tumultuado que o normal. Todos os ninjas derrotados, que ficaram em estado grave, nas preliminares do Exame Chunin, foram transferidos para lá. Sarang chegou perto do fim da tarde. Ela estava levando duas florzinhas de mato com ela, já que não teve tempo de comprar flores de verdade na floricultura.

Ela foi permitida de visitar Keita, já que ele já havia sido medicado e estava desperto, deitado na cama, com seu pé engessado e para cima. O garoto estranhou muito a visita de sua colega de time, já que ela fora a responsável por colocá-lo ali.

— O que faz aqui, Sarang? — Keita perguntou, rispidamente. — Veio terminar o serviço e me matar?

— Não fale assim, você sabe que não me deixou escolha naquela batalha! — Sarang respondeu, de maneira defensiva. — A intenção nunca foi matar você. E é por isso que eu vim. Para poder me desculpar.

— Se desculpar? Mas porquê? — O garoto ficou perplexo. — Até onde eu entendi, nós dois estávamos lutando para matar naquela batalha.

— Então, quando você colocou suas espadas no meu pescoço... a intenção era me matar de verdade? — Sarang perguntou, se afastando dois passos.

Keita se atrapalhou com a resposta, balbuciando e gaguejando. Agora, ele não tinha certeza se realmente queria matar a companheira de time, ou era tudo um reflexo de batalha. Ele era muito intenso. Se deixava levar pelo calor do momento quando as coisas ficavam sérias. Muito parecido com Naruto...

— Eu fiquei confuso, tá legal? Você nunca tinha dito nada, nem uma só palavra! E, só nessa semana, eu te vi dilacerar um cara na floresta e eles ainda te botaram para lutar comigo! — Keita respondeu, nervoso. — Fiquei pensando que você poderia fazer a mesma coisa comigo, e fez! Não vou andar por um bom tempo por causa do que você fez comigo!

Sarang segurou os braços, abraçando a si mesma, em sinal de defesa. Era verdade. Tudo isso que ele estava dizendo era verdade. Mesmo assim, ela não podia deixar de se magoar pelas palavras ríspidas dele.

— Eu sinto muito... não queria machucar você... — Sarang respondeu, sem olhar nos olhos dele. — Haru já explicou que eu não controlo...

— Por que não desistiu da luta, Sarang? Não sabe o quanto é perigoso expor outros ninjas a um poder desses. — Keita desabafou, de maneira sincera. — Se o Haru tivesse lutado em seu lugar, um de nós dois teria passado para a final.

— Porque eu me tornei uma ninja por isso, Keita. Para poder controlar esse poder que eu tenho. — Sarang respondeu, também de maneira sincera. — E para entendê-lo também. Se eu não lutar, eu nunca vou conseguir ter esse controle...

— E como você vai controlar isso? — Keita perguntou, cruzando os braços.

— Eu vou treinar, e vou me tornar forte. — Sarang respondeu, determinada. — Isso que eu tenho agora... é um inferno, Keita. Esses poderes fazem meu corpo doer quase o tempo todo. Eu preciso achar um jeito de fazer isso parar! Só espero que você possa me perdoar... você foi um acidente.

— Eu vou pensar nisso. — Keita respondeu, antes que ela pudesse sair, deixando uma das flores na mesinha ao lado da cama.

Ela respirou fundo. Ao menos, tinha tentado acertar as coisas com seu companheiro de time. Agora, precisava ver como Hinata estava. Ela seguiu por alguns corredores, até chegar ao quarto onde a Hyuga estava sendo tratada. Entretanto, os médicos disseram que Sarang não poderia entrar, porque Hinata estava em um estado muito grave.

Ela simplesmente só podia olhar pela pequena abertura da porta. Hinata estava desacordada, na cama, enquanto alguns médicos realizavam ninjutsu curativo na garota. Isso, além de todos os outros tratamentos cardíacos que a perolada precisaria realizar.

Os médicos disseram para Sarang que ela só poderia visitar Hinata em alguns dias, quando o tratamento começasse a fazer efeito. Desapontada por não poder ver sua amiga, ela se pôs a caminhar para sua casa. As primeiras estrelas estavam no céu quando ela deixou o hospital. Para sua surpresa, seu irmão havia acabado de passar pelo portão do local.

- Sara-chan, você já visitou os dois? – Haru perguntou, surpreso por encontrar a irmã assim de cara.

— Já sim, Haru. Não me deixaram ver a Hina, ela ainda está muito mal. — Sarang respondeu, de cabeça baixa. — Mas o Keita vai ficar bem. Já está até acordado.

— Talvez eu devesse ir vê-lo... — Haru pensou por um minuto. — Não, já está tarde. Eu venho amanhã. Vamos, nee-chan.

Sarang o acompanhou pelas ruas de Konoha. Era estranho ver a vila de novo após cinco dias trancados no meio de uma floresta assassina. Eles passaram pelo restaurante Ichiraku, onde viram Naruto comendo vários pratos de lámen. Ele deveria visitar a Hinata também... Sarang pensou, enquanto continuava a caminhar.

Os gêmeos chegaram em casa e cumprimentaram sua mãe. Sadako, obviamente, se espantou com o estado em que os filhos voltaram da segunda fase. Principalmente Sarang, que estava muito pior que Haru. Pelo menos, ele explicou que era normal que eles se arrebentassem um pouco em missões ninja, e que seria comum ela ver os dois desse jeito mais vezes. Principalmente se os dois evoluíssem para Chunin.

Após jantarem em família, os gêmeos se limparam e cada um foi para seu quarto, para terem uma boa noite de descanso. Sarang não tinha certeza se conseguiria dormir, cheia de coisas em sua mente. Fora sua conversa com Keita, ainda tinha que procurar Shirai para o treinamento das finais. E toda aquela confusão com Gaara...

Mesmo assim, a garota estava muito cansada pelos esforços do dia. E, para piorar, seu corpo estava doendo mais que o normal, por conta da lua cheia, onde seus poderes estavam mais fortes. Sua sorte era já ter bebido sangue o suficiente para não morrer.

A dor em seu corpo era maior que o sono e o cansaço. Derrotada, a ruiva se levantou da cama, passou por sua janela e subiu no telhado de casa. Em cima de sua casa, de pé, ela se pôs a praticar algumas poses de luta, como forma de aliviar a dor de suas articulações, torcendo para que a luz da lua ajudasse nesse processo.

*~*

Gaara havia entrado em conflito com seus irmãos e seu professor outra vez. Ele não gostava de ficar trancado no mesmo lugar por muito tempo. E aquele quarto de hotel estava apertado demais.

Sem muitas cerimônias, ele apenas se pôs a sair, dando a simples desculpa de que precisava “provar para si mesmo que estava vivo”. Agora, estava sentado no telhado do castelo de Kikyo, observando atentamente a vila, na calada da noite.

Aqueles pensamentos não lhe deixavam em paz. Porquê? Simplesmente porquê? Aquele garoto que falhou e foi derrotado tinha valor para alguém, enquanto ele, que se mostrou superior e mais digno, não era reconhecido.

E ela... as palavras daquela... mentirosa. O que ela estava querendo? Ele se lembrava. Yashamaru tinha claramente dito que tudo foi uma mentira. Que ela nunca o amou de verdade.

Mas, então... o que tinha sido aquilo na torre? Quando ela tentou alcançá-lo, e ele se defendeu, de propósito. As palavras dela pareciam ter sido sinceras. Porém, isso não o comoveu nem um pouco.

Ela já estava morta em sua mente há muito tempo. E por que não acabar com isso de uma vez? Dessa vez, ela deixaria de perturbar seus pensamentos. E então, de repente, ele voltou a sentir aquela dor insuportável em seu coração. A mesma que sentia quando era criança, e as outras pessoas tentavam lhe machucar.

Não estou sangrando, mas sinto muita dor aqui...

O rosto dela ainda estava pairando sobre seus pensamentos. Todas as memórias de quando os dois eram felizes e supriam a necessidade de carinho, um do outro. Ele sabia que precisava encontrá-la agora. Precisava exterminar esse demônio interno.

Gaara posicionou seus dedos em um de seus olhos e ativou o jutsu do terceiro olho. O artefato, feito com areia, foi comandado a sobrevoar por toda Konoha. De porta em porta. De janela em janela. Até mesmo nos rios e florestas.

Demorou muito, mas aconteceu. O olho a encontrou, treinando no telhado de uma das casas. O momento era propício. Era agora ou nunca.

 

Continua


Notas Finais


EITA E AGORA?
Gaara achou a Sarang, será que agora rola de os dois ficarem sozinhos?
Falando em clima, alguém aí mais sentiu... Shirai e Kakashi? Porque eu shippei legal, inclusive quero ❤️
Achei particularmente fofo a Sara-chan indo pedir desculpas para o Keita. Os dois deviam ser amigos, e não brigar.
Enfim, é no próximo que vamos saber o que aconteceu com nosso GaaSara ❤️❤️❤️

- xx nika ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...