História Desire - Wonho (Monsta X) - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Monsta X
Tags Baekhyun, Wonho
Visualizações 25
Palavras 803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora 🙏🙏🙏🙏🙏🙏

Capítulo 21 - Capítulo 21


Dias depois

- Ei… como estás? – O meu irmão aproximou-se de mim e sentou-se a meu lado no pequeno quintal que temos na nossa casa. Eu estava deitada na relva, a olhar para o céu azul por cima de mim. Quando Baekhyun chegou, sorri para ele e suspirei.

- Não sei maninho… - Respondi à sua questão e fechei os olhos uns segundos de maneira a esperar pela sua resposta. Como ele não disse nada, eu continuei a falar. – Tenho… constantemente umas alucinações… com o Chris… o homem que matou o pai… o Wonho já te deve ter contado…

- O Wonho? Pensava que apenas lhe chamavas Hoseok.

- Não sei porquê, mas agora é melhor para mim se lhe chamar Wonho. Mas… ouviste o que te disse?

- Sim. Ele já me tinha dito que algo não estava bem contigo… desde que soubeste as coisas… só não sabia que era assim tão grave. Mas sendo assim faz sentido a forma como estiveste esta semana toda.

- Eu sinceramente só queria que o dia de hoje chegasse, é sábado e não temos que ir à escola… é mais fácil para mim. – Disse eu, sentando-me na relva e olhando para o meu irmão. – O Wonho… quando ele me toca… é como se a alucinação fosse embora. A realidade volta ao normal. Não sei como é que ele se apercebe quando eu não estou… presente nesta realidade por assim dizer, mas ele toca-me e a realidade volta a ser aquilo que é. Eu estou farta disto… estou farta de ter estas coisas, estas alucinações… Baek, eu juro que estou a ficar maluca.

- Nós vamos resolver isso, eu vou arranjar uma maneira de tudo parar. 

- Tens falado com a mãe?

- Falei com ela ontem. Diz que está muito ocupada com o trabalho e que não pode mesmo vir a casa. É melhor assim. Enquanto tudo não acalmar e não descobrirmos realmente o que se passa. - Disse ele.

- Sim... tens razão. É mais seguro para ela se estiver longe.

- Mas… conta-me como é que tu e ele estão… no início parecia que nos andavas a afastar, depois de saberes que somos vampiros. - Baekhyun falou baixinho. Parecia triste quando disse que eu os andava a afastar, e naquele momento senti-me mal por realmente o ter tentado fazer...

- Oh, e eu andava mesmo. Pelo menos tentei. Mas depois... não sei... tu és meu irmão, sempre fomos próximos... não me senti bem por me afastar e também depois percebi que quando ele me tocava eu deixava de ter as alucinações, e então pronto. Ainda é estranho saber que vocês são vampiros, mas não sei, acho que já não me faz tanta impressão… em relação a mim e ao Wonho… acho que nesse assunto também estou a dar em maluca.

- Meto-te no manicómio sendo assim.

- Ouve Baek, nada de gracinhas, olha que eu tenho quase a certeza que fui eu que nasci primeiro, por isso tens que me respeitar.

- Cala-te maninha. – Bati-lhe no braço e ele fingiu que eu lhe tinha batido com bastante força e fingiu estar magoado. Revirei os olhos e suspirei. – Vocês gostam muito um do outro. Ele tem medo de te magoar…

- Se ele fica longe, ele magoa-me… eu não o quero longe de mim. Não sei se isto é por causa daquilo de eu ser a sua humana e blá blá blá, mas eu simplesmente não o quero longe de mim…

- Compreendo… mas não era esse tipo de magoar que eu estava a falar… é um magoar mais… íntimo por assim dizer. Tipo, se os dois se envolverem… entendes?

- Entendo, mas eu não quero saber disso muito honestamente. Não sei se devia estar a falar disto contigo… podes ser meu irmão gémeo, mas também és rapaz e és amigo do Wonho… mss eu estou… sem saber o que fazer. Eu sonho com ele quase todos os dias e quase nunca são sonhos puros… eu quero-o, Baekhyun. Eu quero-o muito mesmo.

Baekhyun não me respondeu. Olhei para ele e reparei que ele olhava na direção da porta de casa, que dava para o quintal. Olhei para o mesmo sítio que ele e vi Wonho de pé, encostado à porta, e assim que o vi descobri que Deus existe. Porque é assim, rapazes como ele não se devem encontrar todos os dias e claramente só pode ser obra de Deus. Baek levantou-se, sorriu para mim e disse que estava na hora de ir embora. Wonho aproximou-se de mim e ficou de pé à minha frente. Esticou o braço para me ajudar a levantar e ficamos frente a frente.

- Queres-me? Aqui estou eu. Solji, eu já sou teu, completamente teu. - Disse-me ele, e o meu coração estava prestes a saltar-me pela boca. – E eu também te quero. Muito…


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Podem comentar!!! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...