História Despacito - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 142
Palavras 2.834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores, tudo bom? Bom, vocês devem estar sem entender nada, mas enfim, hackearam minha antiga conta e eu não consegui recuperá-la, perdi todas as minhas fanfic's. Fiquei beeeem triste, principalmente por Despacito ter chegado em mais de 200 favoritos e depois simplesmente perdi, mas, não irei me abater!
Resolvi trazer Despacito novamente para vocês, porque prometi um final para fanfic e não deixaria vocês na mão. Espero que me ajudem a reconquistar novamente os leitores.

Observações:
❥ A fanfic havia parado no capítulo nove, irei tentar postar pelo menos 3 vezes na semana para chegarmos logo lá.
❥ Peço que mesmo que já tenham lido, não sejam leitoras fantasmas. Continuo querendo a opinião de vocês, e agora mais do que nunca, pois posso mudar algumas coisas.
❥ O enredo continuará o mesmo, se eu mudar algo, será minimamente.
❥ Espero que estejam comigo nessa. Obrigada mesmo, desde já.

Sem mais, vamos ao capítulo e nos vemos nas notas finais!!!

Capítulo 1 - Reanudación.


Fanfic / Fanfiction Despacito - Capítulo 1 - Reanudación.

I — Reanudación.

Madrid, Espanha – 07:19 AM

 

— Beatriz, levanta dessa cama agora. Eu não aguento mais ver você nessa “bad” toda por causa daquele cara. Chega, já deu. – Disse Clarice, minha amiga, abrindo as cortinas do quarto.

 

Abri e fechei os olhos por alguns instantes e respirei fundo, me acostumando com a claridade que invadiu minha visão em cheio, causando-me um leve desconforto na cabeça.

 

— Bia, é sério! – Suspirei. — Marcelo já está ficando preocupado contigo, faz quase um mês que você chegou em Madrid, só sai desse quarto para beliscar algo na cozinha e volta novamente, não dá mais, estou falando sério. – Tentei ignorá-la, cobri minha cabeça e virei para o outro lado. — Ok, eu tentei, só não ache ruim quando o Marcelo subir, você sabe que ouvirá muito mais. Ah, e bom dia! – Bufei, tirando a coberta da minha cabeça.

 

Peguei meu celular debaixo do travesseiro olhando as horas, sete e vinte. Pra quê tão cedo, Clarice? Olhei a morena de pele clara e olhos esverdeados que me observava com uma expressão tristonha.

 

— Primeiro: Por que me acordou tão cedo? – Choraminguei. — Segundo: Não deixa o Marcelo subir, por favor. – Pedi. — Ele vai falar pra cacete.

 

— Te acordei esta hora pois hoje vamos todos para o treino, gostaríamos que viesse conosco, vai ser legal! – Sorriu, sentando-se na ponta da cama. — Bia, meu amor. – Apoiei minhas mãos no colchão dando impulso para sentar. — Você sabe que tá na hora de superar esse relacionamento, não sabe? – Assenti. — Estou falando para o seu bem, desde que chegou aqui só fica nesse quarto, mal brincou com o Enzo e Liam, não conversou comigo e muito menos deu alguma explicação decente para o Marcelo, ele está muito preocupado contigo.

 

Respirei fundo. Clarice estava certa. Desde que cheguei em Madrid só sei ficar neste quarto, tudo graças a Paulo, meu ex, que virou minha vida de cabeça para baixo logo que terminou comigo sem motivo algum.

 

Ele simplesmente foi até minha casa, inventou uma desculpa qualquer e deu um fim em nosso relacionamento de quase três anos.

 

Naquele momento me vi sem chão, foram tantas promessas, tantos momentos, tantos sonhos que iríamos realizar juntos, éramos o típico casal perfeito e com apenas uma frase tudo, exatamente tudo o que construímos desceu pelo ralo. Isso aconteceu há poucos meses, para ser mais exata quase quatro meses e desde então venho tentando superar, porém nada surge efeito.

 

Eu ainda o amo, sinto tanto sua falta que me dói de dentro para fora, mas isso tem que acabar de uma forma ou de outra, tenho isso em mente só não sei como pôr em prática, mas só de estar longe dele já é um grande avanço para esquecê-lo, o que agora está sendo difícil.

 

Porém, no Brasil era bem pior, eu o via todos os dias na faculdade e aquilo me matava de alguma forma, então tomei a devida coragem decidindo recomeçar minha vida aqui em Madrid, mas assim que cheguei tive notícias de Paulo por uma amiga, ele havia seguido em frente com outra pessoa em apenas três meses após nosso termino. E mais uma vez levei outra rasteira.

 

Vir para a Espanha foi um total apoio que tive de Clarice e Marcelo meus amigos de anos. Conheci eles através de uma amiga, fomos a um bar nos divertir e acabamos nos embarrando com eles, puxei assunto com Clarice e acabamos criando um laço. Já com Marcelo foi diferente, o mesmo diz que somos irmãos.

 

— Bom dia, meus amores. – Marcelo entrou no quarto com Liam em seu colo e Enzo veio logo atrás correndo. — Beatriz, mas que cara de acabada é essa? – Revirei os olhos enquanto o mesmo ria. — Desculpa, desculpa… – Riu.

 

— Tia Bia! – Enzo correu até mim sorrindo, logo pulando na cama e me enchendo de beijos.

 

Enzo era o filho mais velho de Clarice e Marcelo, o mesmo carregava os traços da mãe, já Liam era idêntico ao seu pai, ambos eram meus sobrinhos de coração.

 

— Tia, por que você não desceu pra brincar comigo? – Perguntou Enzo em um tom triste. — Papai disse que você não estava bem, é verdade? – Assenti. — Ah, mas se você fosse brincar comigo e com o Liam logo ficaria feliz, é legal brincar com a gente. – Sorri, como eu amava esse garotinho. Dei um beijo estalado em sua bochecha, o mesmo riu.

 

— Bia… – Marcelo me observava agora já sentado em uma das poltronas que tinha no quarto, Liam brincava com seus cabelos rindo. — Isso tem que acabar, cara! – Respirou fundo.

 

— Eu sei, tá legal? – Passei a mão sobre meus cabelos. — Só não sei por onde recomeçar, não sei por onde ir, eu estou perdida. Me falta tanta coragem pra isso.

 

Enzo olhava tudo aquilo atento, ele não entendia nada mas também não perguntava sobre, apenas ficava quieto observando.

 

— Lógico que não, Beatriz! Você acha que vai ficar sofrendo até quando? Vai viver disso? Cacete, você só tem dezenove anos e tá nessa? – Marcelo falou já alterado.

 

Sabia que a conversa chegaria nesse nível, eu não queria isso, muito menos na frente de Enzo que não entendia nada e a cada alteração de seu pai se encolhia sobre a cama. Era raro ver Marcelo assim, já que o mesmo sempre foi muito paciente, mas quando o assunto se relacionava a mim e esse relacionamento fracassado ele se transformava em algo totalmente contrário.

 

— Marcelo, não precisa disso tudo. – Repreendeu Clarice, olhando-o como se pedisse calma. — É normal a Bia estar assim, afinal ela amava e ama demais esse cara, deixe ela ir no tempo dela.

 

— É, mas esse tempo pode não chegar ou já chegou e ela não enxerga. – Respirou fundo. — Bia, só quero que saiba que é horrível te ver assim, você sabe o quanto te considero uma irmã e te ver assim é muito… Estranho. Não é minha garotinha, sabe? – Levantou-se e veio até a cama sentando-se ao meu lado. — Você tem que seguir com ele ou sem ele. Tem que recomeçar não pelos outros e sim por você.

 

— É, tia… – Enzo disse sorrindo como se estivesse entendendo tudo. — Você tem que brincar com a gente igual fazia antes e agora a gente tem o Liam, temos que ensinar ele a jogar futebol igual ao papai. – Ri, concordando.

 

— Eu amo tanto vocês! – Olhei para cada um, até para Liam que brincava com suas mãozinhas. — Não sei o que seria de mim sem todo esse amor que vocês me dão!

 

— Nada, né garota? – Marcelo disse bagunçando meus cabelos. — Cara, ainda não acredito que você cortou toda aquela cabeleira. – Ri.

 

— Foi por algo bom, me sinto livre sem tudo aquilo. – Sorri, peguei meu celular e já marcava quase oito horas. — Vocês não tem que ir ao treino? – Arqueei uma das sobrancelhas.

 

— Sim, e a senhorita vai! – Clarice puxou o cobertor já começando a dobrá-lo. — E ai de você recusar, ouviu? Marcelo já gritou aos quatro cantos do Bernabéu que você está aqui, Cristiano está doido para revê-la. – Revirei os olhos.

 

— Esse cara me ama, né? – Bufei, levantando da cama e indo até o banheiro.

 

— O tio Cris gosta da tia Bia. – Enzo praticamente berrou gargalhando e batendo palmas, Liam o acompanhava mostrando o sorriso mais fofo de todos.

 

— Bia. – Marcelo chamou minha atenção enquanto eu penteava meus cabelos. — Você terminou sua faculdade de fisioterapia, né?

 

— Terminei naquelas. – Caminhei até o closet. — Fiz quase todo o período, faltou apenas a conclusão e o diploma. – Ri, lembrando que larguei tudo para vir para cá.

 

— Então já tá praticamente formada né, linda? – Ele apareceu na porta do closet. Dei de ombros.

 

— Ah, sei lá. É que na minha área, para a contratação, muitos querem diploma, essas coisas que enchem o saco. – Riu. — Mas por quê?

 

Eu já previa que ali viria bomba para o meu lado, quando Marcelo começa com essas perguntas é porque vai me enfiar em alguma coisa ligada ao seu time.

 

— É que assim… – Ouvi Clarice rindo la do quarto. — O Real no momento está sem fisioterapeuta e eu disse que tinha uma amiga, quase irmã, que trabalhava na área. – Arregalei meus olhos. — E Florentino quer você vá hoje ao treino para uma possível entrevista. – Marcelo falou tão depressa que foi quase impossível de entender.

 

— O quê? – Quase gritei. Eu vou matar esse cara. — Marcelo, eu não entendo nada disso, eu não sei nada de lesões nesse grau.

 

— Você sabe sim, Beatriz, é tudo igual, tudo lesão. – Neguei. — Pelo amor de Deus, você tem que ir e além do mais você vai começar com o básico, apenas lesões pequenas. Se você explicar direitinho sua situação ele vai entender, dependendo de como você se sair, tenho a mais pura certeza de que será bem, Florentino pode até te dar um estágio e aos poucos você vai aprender tudo e ser nossa fisioterapeuta, olha que legal. – Sorriu batendo palmas.

 

— Eu vou te matar, isso sim. Como você pode fazer uma coisa dessas? Ele vai é me dar um pé na bunda assim que souber da minha situação, Marcelo. – Riu.

 

— Claro que não! É só você se explicar de uma forma convincente e tudo vai se sair bem, agora vai logo que vamos sair daqui em alguns minutos. – Beijou minha testa e virou as costas saindo do closet.

 

Sentei-me em um puf que tinha ali e apoiei meus braços em minhas pernas, será que isso daria certo? Será que eu tô pronta?

 

Recomeçar não pelos outros e sim por você.”

 

E é isso que farei a partir de hoje, recomeçar.

 

Por mim e por quem me ama também.

 

Passei a mão sobre meus olhos pensando em tudo que aconteceu desde que cheguei em Madrid, ou seja: nada. Não saí, não me diverti, nem sequer acompanhei Marcelo em algum treino e olha que as duas vezes que vim para cá raramente deixava de ir em algum treino com ele, mas as vezes que fui fiquei de longe olhando e o contato que tive com os jogadores foi o mínimo possível, Marcelo sempre foi cauteloso comigo e bem ciumento, definitivamente um irmão.

 

Olhei o relógio que estava na parte lateral do meu guarda-roupa e puta merda, estou mais do que atrasada.

 

Andei depressa até o banheiro trancando a porta pois Enzo tinha mania de vir até meu quarto para mexer nas minhas coisas, até mesmo quando estou dormindo, Clarice diz que ele acha o maior “barato” meus pertences. Despi-me rapidamente entrando no box e tomando um banho rápido.

 

Logo saí enrolada na toalha, peguei meu celular em cima da cama vendo as notificações, nada me interessava.

 

— Tia? – Enzo bateu na porta e logo abriu com os olhos fechados, ri. — Papai mandou te chamar.

 

Caminhei até o closet pegando uma roupa confortável, logo vesti, soltei meus cabelos e coloquei meus inseparáveis óculos, calcei minha sandália e me olhei no espelho, até que está bom. Short, regata e quimono sempre foi minha marca registrada, junto da minha sandália que Enzo chama de “chinelo de velha”. Caminhei até minha cama colocando meu celular no bolso de trás do short.

 

— Que tal? – Perguntei ao garoto que estava mexendo na minha estante cheia de livros da faculdade e outras coisas.

 

— Você está linda, tia. – Sorri. — Esse seu chinelo de velha combina com todas as suas roupas, né? O amigo do papai usa uma quase igual, vai ser engraçado ver vocês dois com isso. – Riu. — Dois velhinhos.

 

— Ah é, rapaz? Velha né? – Perguntei me aproximando dele que ria sem parar. — Você vai ver a velha. – O mesmo saiu correndo e gritando, ri de seu desespero e saí do quarto fechando a porta,

Desci toda aquela escadaria logo encontrando Marcelo na ponta da mesma, impaciente. Se tinha uma coisa que ele odiava, essa coisa era atrasos.

 

— Já ia subir para chamar a madame. – Ri, abraçando-o e caramba, que saudade eu estava. — Tava com saudades, né tampinha? – Mexeu em meus cabelos e eu assenti. — Também estava.

 

— Mas vocês são tão lindos. – Disse Clarice saindo da cozinha. — Eu juro que vocês em outra vida foram irmãos, se é que isso existe. – Rimos. — Já coloquei Liam e Enzo no carro, melhor irmos ou Zidane vai comer seu fígado, Marcelo.

 

— Tudo culpa da Beatriz. – Me soltou, levantei as mãos me redimindo.

 

— Você está linda, Bia, quando Cris ver não vai dar outra. – Revirei os olhos e ela riu, digamos que Cristiano tinha uma paixonite por mim.

 

— Vamos logo! Não estou a fim de ficar fora do próximo jogo e muito menos de ficar ouvindo sobre essa paixão do Cristiano. – Ri, Marcelo com ciúmes é tão fofo.

 

Seguimos até a garagem e eu sentei-me entre Liam e Enzo, o caminho até o Bernabéu é calmo e perto.

 

— Posso te fazer uma pergunta? – Enzo me olhou curioso, assenti. — Por que cortou seu cabelo, tia? Era tão grandão. – Ele fez alguns gestos, ri fraco.

 

— Porque as vezes é necessário mudar para evitar lembranças, meu amor.

 

Fomos conversando e rindo o caminho todo praticamente, Marcelo ligou o rádio onde tocava seus rappers favoritos e Enzo o acompanhava, Clarice apenas ria e eu gravava snaps com efeitos junto de Liam que achava graça de tudo.

 

— Chegamos! – Enzo praticamente gritou todo feliz e Marcelo parou o carro, soltei Liam de sua cadeirinha e o peguei no colo saindo do carro, os três já haviam saído.

 

Vi Enzo correr em direção aos seguranças e fazer um toque engraçado com cada um deles.

 

— Ainda não consigo acreditar que está aqui com a gente. – Clarice envolveu seu braço no meu e sorriu. — Acho que foi uma das melhores ideias que eu e Marcelo tivemos foi te roubar para nós, me sinto sozinhas as vezes, mesmo tendo amizade com as esposas dos caras, não é a mesma coisa. – Fiz uma careta e rimos.

 

— É, ainda não caiu a ficha que estou aqui, era para eu ter vindo há tempos mas algo me prendia lá no Brasil, você sabe. – Suspirei. — Nem vi o nascimento do meu garotinho. – Olhei Liam que praticamente dormia em meu colo.

 

Adentramos no estádio e logo pude ver todos aqueles caras se aquecendo enquanto Zidane dava as coordenadas do treino. Marcelo havia entrado rápido e também já estava se aquecendo.

 

— Acho melhor irmos até Fiorentino, depois voltamos para ver o treino e quem sabe jogar com eles. – Riu. Concordei.

 

— Florentino vai me achar uma mendiga com essas roupas. – Rimos.

 

Florentino é o presidente do Real Madrid e segundo Marcelo, ele já me esperava para podermos conversar e até mesmo fechar o contrato, o que no momento acho difícil já que o mesmo não me conhece, mas durante o caminho Clarice me acalmou e disse que daria tudo certo, que Florentino é um cara legal e confia em seus jogadores quando os mesmos indicam alguém conhecido para dentro do clube.

 

Respirei fundo, eu realmente estava nervosa.

 

— Bom, é aqui Bia. – Paramos em frente a uma porta grande de madeira com uma plaqueta de aço escrito “Florentino Pérez” e ao lado do nome o brasão do time. — Boa sorte e não se esqueça, vai dar tudo certo. – Assenti. — Te espero lá no campo.

 

Dei duas leves batidas na porta e escutei um “entra” abri a porta e vi um senhor já de idade, cabelos escuros e um óculos apoiado em seu nariz, o mesmo vestia roupas totalmente diferentes das minhas, todo formal com um ar de seriedade.

 

— Bom dia, sou Beatriz Mon… – Fui interrompida pelo senhor que me olhava sorrindo, sorri em retribuição.

 

— Sei quem você é, Beatriz Monteiro, certo? – Assenti. — Sente-se! – Assim fiz, sentei-me na grande cadeira de couro preto a sua frente. — Ouvi falar muito de você, senhorita Beatriz… Antes que me pergunte ouvi apenas coisas boas ao seu respeito. – Sorri.

 

Nossa conversa foi longa, expliquei toda a situação que passava no momento e como vim parar aqui, até entramos no assunto de como conheci Marcelo e que já havia vindo em alguns treinos acompanhá-lo, também falei que faltava apenas alguns meses para que eu tivesse concluído minha faculdade, porém com toda a mudança não havia conseguido e Florentino ouvia tudo atentamente, fazia algumas perguntas e eu as respondia com toda sinceridade que podia, nossa conversa não havia sido nenhum bicho de sete cabeças que eu achava que seria. Foi tudo calmo e eu já conseguia me sentir um pouco mais segura.

 

— Bom, que história em? – Rimos. — Então quer dizer que a senhorita deixou tudo no Brasil para tentar a vida aqui graças ao Marcelo e Clarice? – Assenti. — Corajosa. Admiro isso.

 

Cada elogio que recebia de Florentino era um sorriso a mais.

 

— Vamos começar com testes, ok? Você passará por um pequeno estágio e eu mesmo verificarei seus avanços todo mês, sei que seu histórico não tem nada relacionado ao esporte mas mudaremos isso com o tempo, tenho certeza de que se sairá bem e não irá nós decepcionar.

 

— Vou dar meu máximo nesse emprego lhe garanto isso. – Falei convicta.

 

— Sei que vai. – Sorri. — Bom, peço que traga a maioria de suas documentações para analisarmos e podermos fechar o contrato sem ter problemas, mas já te considero parte deste clube que agora também fará parte de você. Seja muito bem-vinda, Beatriz!


Notas Finais


Link da playlist de Despacito: https://open.spotify.com/user/saineigan/playlist/0ExjtheI1dPB6BtENlvjY4?si=7QKKx_1LS7ySErzqyKiTow

Até a próxima, meus amores. Volto em breve, prometo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...