História Despair - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 542, Desespero, Dor, Drama, Triste
Visualizações 17
Palavras 770
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


&HEYA, LOBINHOS E LOBINHAS~

&Aqui quem fala é a Code, como estão?

&Se você é novo aqui, seja bem vindo, eu sou a Code542, mas pode me chamar de Code! Uma louca que cada vez mais pretende aumentar a família de lobinhos~ então venha ser um~

&Esse não é drabs, nem drabble, nem droubble, apenas uma one bem bad porque sou dessas e tava no clima de coisas bads, afinal, nada como escrever algo bad quando se está na bad ^^

&É isso, nos vemos nas notas finais, boa leitura, little wolves

~𝟝𝟜𝟚~

Capítulo 1 - Capítulo Único


Sabe aquela garota? A simples garota sentada no fundo da sala? Aquela que mantém o sorriso radiante no rosto a todo momento? A que nunca incomoda… que não dramatiza… sabe, aquela garota invisível?

Ela é doce, um anjo… um anjo de asas arrancadas, mas ninguém vê, ninguém percebe… e essa garota… como? Por que?

Ela acorda, todos os dias da mesma forma, muito mais cansada do que foi dormir, os olhos pesam tanto em sono, em cansaço. Mas ela sorri, chega no colégio esbanjando um repuxar de lábios radiante, genuinamente alegre, que melhora o dia de muitos, torna a manhã mais colorida, divertida. Ela diz que dormiu mal, mas não é nada que a afetaria, deixa de lado esse fato, ela sorri, grita, brinca, debocha e alegra os outros, como uma criança, um espírito infantil contagiante, alucinante.

Depois aquela garota vai embora e é apagada da memória dos outros, eles esquecem o que ela fez por eles, esquecem dela, que ela existe. Sempre assim, e a garota já se acostumou, a todos querendo cada vez mais dela, mesmo que não demonstrem diretamente, ela se mantém alegre e disposta a alegrar os outros…

Mas o que quero falar? Qual a real face dessa garota? A verdadeira realidade que assola aquela alma de anjo sem asas?

Se perguntou… por que ela não dormiu bem? Por que aquele sono pesado, cansaço latejante…? Você sabe por que ela acordou mal? Por que seu rosto estava inchado e magoado no início da manhã? Porque ela chorou, a garota passou a noite em prantos silenciosos, abraçada a sua única companhia, um bichinho de pelúcia, cada vez mais apertado contra o corpo da menina sofrida, da menina perdida, seu único companheiro para essas horas de desespero. Abraçada a ele, permite-se chorar, consente o derramamento daquelas gotas salgadas e grossas que lavam a alma, que escorrem pelo rosto, levando a dor, o desespero e sofrimento sentido. Era por isso que elas estava tão mal, mas, decidida a não demonstrar, então esconde tudo com um rímel e base. Mas… e aquele sorriso que ela ‘tava dando na escola? Era um sorriso falso, um sorriso apenas de fachada, ela pensava que sorrindo poderia esquecer de tudo que acontecia na vida dela, esconder o sofrimento por detrás de uma máscara.

Depois da escola ela chega em casa, nem almoça, a vontade de comer dela já se esvaiu. A garota simplesmente joga seus materiais na cama e vai tomar banho, um banho que era pra ser calmo e tranquilo é turbulento, porque ao entrar nele, ela se encolhe, abraçada ao próprio corpo e chora, as lágrimas se misturam a água, escorrendo e lavando a dor que a menina sente, as lágrimas que caem na esperança de levar todas as confusões, incertezas, problemas, sentimentos, dor. Ela chora o quanto pode chorar e logo sai do banheiro, radiante. É como um ciclo… um vício. Esconder todo o sofrimento em um falso sorriso radiante virou rotina… e elas não se importa mais.

Ela sabe que não ‘tá bem, mas não sabe como ‘tá, ela é confusa, problemática. Ela responde que está bem, ela afirma que está feliz, mas em sua mente há apenas um grande “Não sei como estou…”. Ela está apenas existindo, sendo só mais um ser insignificante no mundo, pedindo para que não se preocupem com seus minúsculos e ridículos problemas, pois os dos outros são bem maiores, pede para que não se importem com os sentimentos ruins. Ela não quer mais escutar que tudo é apenas drama de uma adolescente infantil e boba, não quer que tratem-na como uma pessoa dramática. Só porque ela é uma adolescente, só porque ela tem uma vida “boa”, não quer dizer que não tenha problemas, não quer dizer que a vida dela é um mar de rosas.

Sabe essa garota? Ela está em todos os lugares possíveis, já parou para prestar atenção nela? Já cogitou a ideia daquela sua melhor amiga ser assim? Já parou e percebeu que ela está aí, na sua frente? Já ao menos ofereceu ajuda? Porque essa menina grita, essa garota grita em desespero profundo por socorro… por um abraço, um amigo… um grito silencioso… apelo extremamente doloroso

Você… é, você aí, com certeza já se deparou com alguém assim… e sabe o que fez? Ignorou… não fez nada por ela, ainda não fez nada…

Se já escutou os gritos de socorro dessa garota, por que não fez nada? Se não escutou, escute, preste atenção, nos olhares pesarosos e gestos dolorosos, ela precisa apenas de ajuda, de alguém… de um amigo…

Ajude-a, afinal… quem pode estar gritando em silêncio amanhã… é você...


Notas Finais


&Eai? O que acharam? Certo... talvez tenha ficado meio sem sal... ehhh, sorry... eu ainda to aprendendo ^^

&Bem, espero comentários, críticas e ideias, estou aqui~

&E pra finalizar, posso não ser perfeita, mas sou bem dahorinha, então, se quiser, venha fazer parte da minha família de lobinhos e lobinhas

~𝟝𝟜𝟚~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...