História Despedidas - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias La Casa de Papel
Personagens Professor, Raquel Murillo
Tags Álvaro Morte, Itziar Ituno
Visualizações 140
Palavras 2.336
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aqui estamos nós de novo.
Eu deveria estar escrevendo Sentimento Louco, mas não, aqui estamos mais uma vez fazendo uma one shot sobre Álvaro e Itziar!! Hahaha
Mas essa, essa é especial…
Algumas pessoas sugeriram e estavam esperando e por isso eu e a Carbonbadtiming decidimos nos juntar para escrever uma coisinha. Bem, mais ou menos, nós duas estamos postando uma one shot cada e elas se completam - não perfeitamente, mas elas estão conectadas. Vocês não precisam ler a minha para entender a dela ou a dela para entender a minha, mas para ficar mais lindo, o ideal é ler as duas. E pra ficar perfeito, escutem Too Good at Goodbyes do Sam Smith

Não me xinguem, pois é de drama kkk sorry, só escrevo coisas tristes e a cena erótica é mínima, então pra quem só curte fic com Hot não recomendo, vou deixar o link da fic da Carbonbadtiming nas notas finais, bjs, e não deixem de comentar.

Obrigada mais uma vez amiga, tu arrasa sempre, e obrigada pelo surto que ocasionou essas duas fics MiReina hahahaha

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Despedidas - Capítulo 1 - Capítulo Único

POV ITZIAR

Era a última cena, o começo do fim, nossa história de amor começava a chegar ao final, amantes? Era a maldita pergunta que me fazia todos os dias quando nos encontrávamos às escondidas pelos camarins e supostas idas de Álvaro ao bar, eu tinha um companheiro de 12 anos me esperando em Basauri e Álvaro tinha uma esposa e dois filhos esperando por ele em casa, a conversa, a situação que vínhamos adiando todo aquele tempo finalmente chegava ao seu momento, mas ainda não, agora precisava deixar que Raquel vivesse seu final feliz, no quarto do hotel fiz a maquiagem e a caracterização como Raquel, olhei pro figurino muito mais parecido comigo do que com a personagem, Jesus estava me fazendo um agrado, pois até as minhas pulseiras ele pediu que as mantivesse no figurino, e enfim segui pela falsa Palawan feita na Serra de Madri, Raquel caminhou maravilhada com tudo o que via, parou diante do coreto e admirou a paisagem, foi despertada de seus devaneios pelo celular que descarregou, revirou os olhos irritada com a situação do celular e seguiu pro bar.

“ Do you have a charger, please… For the phone?... Battery?

“Se for importante, pode usar o meu “

Sérgio se virou e finalmente a nossa última troca de olhares, foi inevitável que a emoção tomasse conta de ambos, os olhares emocionados eram totalmente nossos.

Repetimos a cena mais algumas vezes e ao final da tarde o diretor nos liberou pra voltarmos para a cidade, já que até toda a equipe e cenário estarem prontas levariam mais algumas horas, voltei no carro com Álvaro e fomos direto pro meu apartamento. - Não está tarde pra ir pra casa?

-Não, avisei a Blanca que não chegaria cedo.

Álvaro percebeu o quanto eu estava mexida, devido ao fim de tudo

Disse que iria até a cozinha fazer para comermos.

Enquanto ele estava na cozinha vi um ícone de notificação no meu Instagram, quando abri não pude acreditar a sogra dele perguntando se minha mão estava na arma numa foto de nós dois juntos com Naia.

-Álvaro, olha isso que a sua sogra acabou de comentar na nossa foto.

-Ela está só brincando.

-Álvaro, ela está perguntando onde está minha mão, ela é sua sogra, está me expondo ao ridículo na Internet, isso é claramente uma afronta.

-Itziar, não exagera, ela só está brincando.

-Pra você é muito fácil, ela é da sua família,eu sou só a outra.

-Ninguém disse isso, além do mais ninguém sabe da gente.

-E nunca ninguém vai saber não é?!

-Itziar. Nós sentamos na beirada da cama.

-Acabou? Esse é o fim da nossa história?

-Eu não sei.

- Vou voltar pra Basauri.

-Eu sei.

- Me pede pra ficar.

- O que?

- Se me pedir eu fico, construo uma vida com você.

-Eu não posso te pedir isso.

- Você não pode ou não quer? Minha voz era trêmula, tentei e falhei em tentar impedir uma lágrima de correr meu rosto e Álvaro a limpou.

- Não é justo pedir que abra mão de tudo pra viver comigo.

- Você pode mentir pra si mesmo, mas não pra mim...Você não é capaz de deixar Blanca, mas está tudo bem, sempre soubemos que uma hora nossa aventura chegaria ao final.

- Não é isso.

- Não faz diferença agora, mas deixemos as despedidas pro dia que eu voltar pro Basco,

Fizemos amor mais uma vez depois da conversa, e Álvaro foi embora, eu só fiquei ali enrolada no lençol o vendo sair, aquela seria uma das últimas vezes que faríamos amor, talvez a última.

Passado alguns dias tivemos a premier que marcava o fim da série, no dia seguinte eu iria embora, e Álvaro não fez sequer questão de tentar disfarçar nossa intimidade diante das câmeras, Alba e Úrsula perceberam algo, mas segui fingindo que nada acontecia.

Chegamos ao nosso refúgio de amor, meu apartamento.

Álvaro sentou na cama e sentei sobre ele, envolvendo minhas pernas em sua cintura.

-Me faça sua, uma última vez.

Ele enfiou as mãos embaixo do meu vestido puxando minha calcinha, eu me levantei e terminei de tirá-la, e joguei em seu rosto, me sentei novamente em cima dele e comecei a beijá-lo e abrir os botões de sua camisa. Ele enrolou uma de suas mãos em meu cabelo e puxou minha cabeça pra trás.

-Você me deixa louco.

- Me deseja, Álvaro?

- Mais que qualquer coisa.

- Então me prova… Me dê o melhor orgasmo que já tive.

Ele me ergueu e me colocou sentada na beirada da cama, se ajoelhou, subiu um pouco meu vestido e me deu o melhor sexo oral que eu já havia recebido na vida,agarrava em seu cabelo na intenção de que aquele prazer se estendesse para sempre, e finalmente atingi o ápice, senti minhas pernas trêmulas, ele me olhou nos olhos e se levantou me envolvendo num beijo intenso, me deitou na cama e sem prévio aviso me penetrou, enquanto me encarava e acariciava meu rosto.

Ficamos ali naquele sexo intenso até que novamente eu cheguei a um maravilhoso orgasmo e Álvaro alcançou o dele também.

Caímos desfalecidos cada um de um lado da cama, completamente em silêncio, não queríamos palavras, pois elas destruíram aquele momento, aquele momento que fomos tolos em acreditar que nunca.

chegaria.

-Estou apaixonado por você, Itziar, como eu vou deixar você ir embora?

-Não torne as coisas mais difíceis Álvaro.

-Eu sei, é que… Não tô pronto pra te deixar ir. Passei minha mão em seu rosto e o beijei.

- Fizemos nossas escolhas conforme acreditamos ser o melhor pra todos.

E quando anoiteceu chegou o momento mais temido, enrolada no lençol levei ele até a porta.

-Só vamos manter sempre essa memória, de tudo o que vivemos.

- Não esqueceria você nem que eu quisesse, Itziar.

E enfim ele se foi, tentei dormir e falhei, levantei bem cedo e arrumei o restante das minhas coisas, olhei pro apartamento que tantas vezes dividi com Álvaro, dei um último sorriso, todas as nossas lembranças ficariam impregnadas nas paredes, ah se elas falassem, quantas histórias nossas contariam.

Menti sobre minha volta pra Basauri, pois não queria que  Roberto fosse me buscar, depois de tudo o que passou, minha relação com ele não tinha mais sentido,então fiquei em um hotel por dois dias até ter coragem de falar com ele, cheguei a nossa casa.

-Itziar, pensei que só chegasse amanhã, devia ter avisado, eu teria ido te buscar no aeroporto.

-Podemos conversar?

A conversa com Roberto foi tensa e desgastante, primeiro ele ficou com raiva, depois triste e por último disse que ainda seríamos amigos, o que me deixou profundamente aliviada, ele era parte da minha vida, ainda que não o amasse ele era meu melhor amigo, contei a ele sobre Álvaro, não queria mais aquele peso de o estar enganando.

Passados alguns meses fui chamada pra participar da terceira parte de La casa de papel, meu coração apertou só de pensar em contracenar com Álvaro outra vez, mas a notícia ainda levaria um tempo até ser divulgada, então todo o elenco teria que manter silêncio.

Fevereiro chegou e com ele a premiação “Fotogramas de Plata”, seria a primeira vez em todos aqueles meses que veria Álvaro, Roberto se ofereceu pra ir comigo pra me apoiar, eu aceitei, e concordamos em simular um relacionamento pra mídia pra que eu pudesse fugir do assédio em cima do suposto romance entre Álvaro e eu.

Cheguei no evento, Álvaro estava conversando com Pedro, quando me viu  abriu um largo sorriso, até ver Roberto e fechar a cara.

Eu os comprimentei.

-Tem uma sala de reunião no segundo andar, me encontra em 5 minutos. Sussurrou ele disfarçadamente em meu ouvido, e então 5 minutos lá estava eu dando uma desculpa para sumir da vista de Roberto.

- O que quer?

- Porque o trouxe?

- Álvaro, nós não temos mais nada.

- Meu sentimento por você não mudou.

- Álvaro…

- Eu não trouxe Blanca, porque essa noite era pra ser só nossa.

- Eu não posso mais fazer isso.

-Vem aqui, eu sei que quer isso tanto quanto eu.

Ele me envolveu num beijo apaixonado, cheio de saudades, me ergueu e me sentou na mesa daquela sala, desceu minha calcinha e nos amamos ali mesmo, entre respirações ofegantes, corações disparados e um desejo incontrolável nos entregamos ao fogo daquela paixão.

-Te quero de volta, Itziar, tem sido um inferno sem você.

-Nada é tão simples.

- Me dê um tempo, pra resolver minha vida, e nada mais vai ficar entre nós, quando você volta a filmar?

- Outubro.

- Em outubro seremos apenas nós dois e nada mais vai importar.

Eu o beijei, só podia estar louca, mas a partir de outubro nossas vidas finalmente estariam juntas pra nunca mais se separar.

Entre fotos e sorrisos foi difícil esconder que ainda tínhamos algo, Pedro que sempre soube de tudo nos pediu mais cuidado e tirou uma foto conosco pra não parecer que tínhamos apenas olhos um pro outro, ao final do evento eu continuava feliz e plena, ainda faltavam 8 meses separados, mas o que são 8 meses comparados a vida que pretendíamos construir juntos?!

No dia seguinte pela manhã voltei a Basauri com Roberto que passou a maior parte da viagem em silêncio, talvez ele soubesse no fundo o que havia se passado na noite anterior.

Quando cheguei em casa liguei meu celular e uma mensagem me tirou o ar.

Vi suas fotos de ontem com meu marido, tão amigos, que bom que são e sempre serão apenas isso, sua aventura chegou ao fim, você e Álvaro são de dois universos diferentes, ele se divertiu mas foi pra mim que ele voltou, e será sempre assim, ele sempre vai voltar pra mim, então não crie falsas ilusões de uma nova historinha de amor proibido, fique longe do meu marido”

Deixei o celular cair no chão e comecei a chorar, liguei pra Álvaro, ele precisava me dizer que ela estava errada, e não tinha isso de tempo, claro, ele tinha filhos, mas se realmente quisesse viver aquela história precisava deixar a esposa imediatamente.

-Ela fez o que?

-Você precisa tomar uma decisão agora.

-Itziar, calma, nós tínhamos um acordo até ontem.

-Decida Álvaro.

-Eu não posso simplesmente pedir o divórcio.

- Porque?

-Eu tenho filhos.

-Você acaba de fazer sua escolha, um divórcio com Blanca não significa se divorciar das crianças, admita que não tem coragem de se separar.

-Itziar, não é isso.

- Sempre foi isso, e eu não quis ver.

- Tente entender, estou a anos com ela, não é tão simples apenas pedir o divórcio.

-Seja feliz com sua esposa Álvaro.

Desliguei antes que ele pudesse dizer mais alguma coisa e me conformei que foi tudo uma grande ilusão, ele nunca teve a intenção de ficar comigo, a mensagem de Blanca estava certa.

Com o passar dos meses vi que essa história tinha mexido demais comigo, eu estava perdendo peso, estava abatida, decidi que era hora de parar com isso, me permiti uma viagem ao. Peru com Roberto, nos divertimos muito juntos, mas apenas como amigos, não tinha a menor intenção de usá-lo pra esquecer Álvaro.

Enfim outubro chegou, me reuni com Jesus Colmenar, Alex Pina, alguns patrocinadores e executivos da Netflix, e no dia seguinte seria meu primeiro dia de gravações, já estava com o Script há semanas, mas decidi dar uma última revisada na primeira cena, e lá estava eu concentrada com minhas falas em meu camarim quando alguém bateu na porta, mandei entrar, era Álvaro.

- O que quer?

-Eu só… Vim ver como está.

-Estou ótima, se era só isso pode ir.

-Senti sua falta.

- E?

-E eu sinto muito, mas você não me deu chance, não me deu tempo.

-Sai daqui.

- Itziar, me escuta.

- Pra quê? Pra ouvir mais desculpas esfarrapadas de que você não se divorciou porque tem filhos?!

- Se fosse tão simples você não estaria com Roberto.

- A primeira coisa que fiz quando voltei pra Basauri foi terminar com ele, ele concordou em assumir uma relação falsa pra me proteger, alguém pensa em me proteger, Álvaro.

-Me perdoa, dissemos que em outubro nada mais importaria.

-Você deve achar que sou idiota, você deve achar que sou uma tola, você deve achar que sou nova nisso, mas já vi isso tudo antes.

-Só me escuta… Preciso de você de volta,te amo, e sei que você me ama também.

-Nunca deixarei você se aproximar de mim, mesmo que você signifique tudo para mim.

-Podemos escrever nossa história do início, você é tudo pra mim, tudo que eu sempre quis.
-Sempre que me abro pra você dói, então, jamais me aproximarei de você, mesmo que eu signifique tudo para você.

-Não fica na defensiva, eu tô aqui e não vou te deixar de novo.
- A cada vez que você me magoa, menos eu choro, a cada vez que você me deixa, mais rápido essas lágrimas secam, e a cada vez que você sai andando, menos eu te amo.

-Nos dê outra chance, de fazer tudo certo dessa vez.
- Álvaro, não temos a menor chance, é triste, mas é verdade… Sou boa até demais em dar adeus.

-Você não era assim, não parece a mesma mulher de sorriso doce que conheci há dois anos.
-Sei que você pensa que não tenho coração, sei que pensa que sou fria, mas estou protegendo minha inocência, só estou protegendo minha alma, mas a cada vez que você vai embora eu te amo menos. - Então não me peça pra ir embora dessa vez.

- Sinto muito, mas sou boa até demais em despedidas, me preparei pra isso, porque quando você vai embora… Eu fico na lama.

Fomos interrompidos por Kiti que bateu na porta e mandei que entrasse.

-Eu não sabia que já tinha visita, eu queria falar sobre a nossa primeira cena.

-Fica a vontade, Álvaro já estava de saída.

Ele apenas me olhou triste e saiu sem dizer mais nada.

Eu realmente fiquei boa em despedidas.


Notas Finais


Eai???? Segue o linda da fic com o ponto de vista do Álvaro https://www.spiritfanfiction.com/historia/black-13918796


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...