1. Spirit Fanfics >
  2. Desperado - Namkook >
  3. 666 vezes mais

História Desperado - Namkook - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura, somos poucos mas eu ainda me motivo por causa de vocês, obrigada por tudo.

Capítulo 11 - 666 vezes mais


        A vida tinha um jeito engraçado demais de ser levada, e isso era fato, mas diziam as más línguas que no fim de tudo, quando tudo estivesse findado teríamos a certeza do porquê fomos colocados nessa terra, qual seria o propósito do nosso nascimento mas Namjoon realmente não pensava assim. Não que ele esteja duvidando do poder das pequenas coisas, ele sabia que toda ação tinha sua reação, mas ali andando pelas ruas escuras e geladas da noturna seoul, ele não poderia não rir em escarnio por tudo que estava passando nas ultimas semanas. Em pouco tempo ele tinha perdido seu posto no inferno, tinha desistido de uma nova vida boa e comum, tinha sio ligado a alguém que o odeia e mesma que ele tente se confortar dizendo que no fundo Jungkook poderia realmente e verdadeiramente gostar dele sabia que isso não seria possível, porque sua vida era uma eterna sucessão de merdas que davam ainda mais errado com o passar do tempo.  

      Andou mais um pouco até se sentar na mesma praça de sempre, procurando por uma lucidez que ele não tinha, procurando por algo que lhe direcionasse ao caminho certo. Tudo estava confuso e estava sendo doloroso saber que tinha deixado Jungkook sozinho e mal por conta das suas palavras ásperas mas ainda assim não queria estar se sentindo culpado porque estava certo, drogra! Estava certo e sabia disso, mas por algum motivo muita coisa o repuxava por dentro, uma agonia cortante e exagerada demais para seus padrões.

           O plano realmente não era ficar ali sentado por muito tempo mas foi oque acabou acontecendo, as horas foram se passando e Namjoon se perdeu ao olhar a lua e tentar ser um pouquinho mais parecido com ela, um pouco mais existente, mais um ser e menos alguma coisa, mais brilhante e imponente, mas real e inevitável, com um pouco mais de certeza, uma certeza de existir que ele não mais possuía, talvez com um pouco mais de vontade de viver e fazer a coisa certa, porque talvez seja isso a chave para todas as outras coisas que davam errado em sua vida, talvez  fosse isso que mudaria tudo, e esse talvez que circundava sua cabeça parecia cada vez mais uma certeza.  Namjoon suspirou devagar, puxando calmamente o ar para seus pulmões, fechando os olhos em busca de enxergar uma saída oculta do caos que tinha se transformado sua vida, fez menção de se levantar mas uma brisa conhecida e um tilintar de botas pesadas no chão o fez parar ali, meio em é meio sentado, meio aqui e um pouco de volta ao seu inferno particular.

- Você deve estar se perguntando o porquê de eu ter voltado tão cedo já que você me expulsou tão bem da última vez. – Jin falou se sentando calmamente na outra ponta do banco.

- Na verdade eu estava me perguntando o porquê de você está demorando tanto. – Falou Namjoon em um suspiro leve.

- Eu vim esclarecer algumas coisas, eu acredito que já fui falho demais em esconder tantas coisas de você, eu fui falho demais em não ter lhe dito toda a verdade. – O olhou seriamente. – Fui falho demais em acreditar que as coisas se acertariam sozinhas, sabe... Eu fui um covarde.

- Disso eu soube quando você foi embora e deixou a mim e a Younguk para morrer, sozinhos e queimados no inferno. – Namjoon o encarava sério. – Você não tem ideia de quão doloroso foi para ele perder as asas daquela maneira, definhar pouco a pouco até não sobrar mais nada de sua graça, perdendo o direito de subir, decaindo como um qualquer, você não só foi covarde como um desgraçado insensível. Não queria perder suas asas, foi egoísta demais para abrir mão a sua graça por uma pessoa que abriu mão de tudo por mim e por você.

- Eu nunca subi Namjoon. – Namjoon o olhou de forma espantada. – é isso mesmo que você ouviu... Eu nunca voltei pro céu, eu não perdi minhas asas e nem minha graça Namjoon, mas ele não me deixou voltar, era meu castigo por amar você, porque eu era seu protetor, você era minha missão e eu estraguei tudo com esses sentimentos humanos imbecis que me deixaram fraco. Younguk nunca me deixaria contar, nunca me deixaria perto de você porque por algum motivo eu não controlo minhas emoções e ele tinha medo do que eu pudesse fazer com você quando recebesse um não, eu sempre tive tudo e eu estava cego demais para entender que não podia ter você. Younguk perdeu as asas por que abriu mão da sua ética angelical para te proteger e no meio de tudo isso ainda se apaixonou pelo guardião dos portões do inferno, nosso pai não pode suportar, mas ele não queria morte de um filho Runch e eu não queria perder um irmão, e eu não queria perder você então eu desci ao inferno antes mesmo de eles nos acharem e fiz a maior besteira da minha existência, mas pessoas apaixonadas são idiotas e eu acabei estragando tudo que eu tentei concertar, então eu não poia voltar pro céu, você estava de volta no inferno e meu irmão estava morto, então você tinha voltado a ser o mesmo Runch Randa de sempre e eu não tinha mais como te salvar e ao invés de tudo sair como o meu plano, tudo saiu do jeito que o diabo queria e eu perdi mais uma vez.

- Porque não disse nada?... porque nunca voltou pra me dizer nada? – Namjoon falava com a garganta em um grande e espesso nó.

- Você ficou tempo demais no inferno depois disso e eu fiquei muito tempo aqui, eu vi as coisas mudarem, evoluírem, e você fazendo coisas horríveis e eu não podia intervir porque meu pai me tirou a coisa que mais quis ter... – Jin pausou, sorrindo forçado ao encarar suas botas escuras que se firmavam no chão em busca de algum apoio emocional que ele sabia que não viria. – Seu afeto. Porque tudo que tínhamos construído eu joguei fora quando deixei você e younguk pensar que eu não me importava. Eu sou sim egoísta Namjoon, eu sou sim narcisista, e eu fui sim imprudente e canalha, e eu não irei ser clichê e dizer que fiz tudo isso por amar você, eu fiz tudo isso porque eu sou todo errado, e mesmo que eu seja um anjo do senhor sou mais caído do que qualquer um que não tenha mais asas, porque as minhas já não são mais brancas e limpas e sim escuras e sujas, cheia da minha imundice e atitudes podres que meu pai abomina, eu sou a escória do céu e mesmo que esteja te contando tudo isso agora, nada vai mudar.

      Namjoon estava ali, mais uma vez perdido com informações que ele não compreendia, cheio de magoas e duvidas que assombravam sua mente de formas descomunais, ainda nada faria sentido, nunca veria sentido em ter perdido Younguk, nunca veria sentido nesse amor doentio, nunca veria sentido em mesmo depois de tudo isso, Deus ter lhe dado a chance de recomeçar o ligando a Jungkook. Agora pra ele tudo era o fim, o fim de seus pensamentos, o ponto final de tudo aquilo que ele tentou por anos completar, era essa a explicação que receberia após tudo que passou? Ele não merecia um pouco mais? Não merecia uma explicação mais concreta queria gritar, mas sua garganta estava fechado pelo soluços que não vieram, queria ter morrido no lugar e Younguk e nunca ter voltado a terra, queria nunca ter aceitado aquele contrato, e queria por fim que tudo acabasse, mas o mundo era cruel e por mais que desejasse tudo isso as suas ruinas ainda continuam ali.

- Você esperou todo esse tempo, todo esse tempo estando na terra, você me deixou toda a culpa, você me deixou todo o ódio e rancor, você me deixou arcando com suas consequências enquanto se escondia como um rato amedrontado. – Namjoon se levantou e em um momento de fúria seus olhos estavam negros mais uma vez, seu sangue borbulhava como agua fervente em suas veias, segurando Jin pela gola de seu pesado sobretudo fazendo o maior se levantar no banco gelado para encarar por fim suas orbes negras e vazias como o inferno. – Você me deixou ve-lo morrer! Você e sua maldita paixão idiota deixaram eu ver ele morrer como um qualquer no meio do inferno! Me deixou a dor a culpa, você e sua maldita logica sórdida demais para sentir amor de verdade por alguém, você sempre será o mesmo e sempre terá o mesmo de mim. – Namjoon cuspiu as palavras em sua cara, de forma rígida e sem pausas fazendo Jin curvar ombros por um momento, não imaginou que doeria tanto porém doía, mas era uma dor que libertava na mesma medida que lhe engolia, densa demais para ser digerida pelo seu orgulho ainda presente em si.

     Namjoon não pensou em mais nada quando jogou o corpo do anjo em cima dos canteiros da praça pública, vendo ele se arrastar até parar na pequena fonte que no momento estava seca assim como seu coração, que não enxergaria desculpas e nem sequer absorveria redenções, porque Jin o tinha deixado no inferno com os demônios que o assombravam e agora receberia toda a sua escuridão. O demônio pisava no chão pesado em direção do anjo que ainda o olhava sem compreender, mas seu subconsciente entendia, e ele também entendia que merecia aqueles socos pesados que recebia e por um momento não quis revidar, mas Namjoon parecia determinado a mata-lo e ele não poderia morrer, não agora que pretendia concertar tudo. Namjoon desferia socos no rosto do mais velho, fazendo seu punhos arderem, levantando Jin novamente apenas para o jogar com força no chão de terra escura, seus olhos eram cada vez mais escuros e aos poucos suas veias escureciam e se sobrepunham sobre sua pele morena fazendo o anjo e assustar, Jin tossiu algumas vezes pelos socos, não estava no auge da sua graça, estava fraco e não podia negar, mas Namjoon parecia ainda mais forte quando consumido pela raiva, estava cego e nesse momento só via em sua frente quem ele achava que tinha causado sua dor. Como em brasa quente os golpes de Namjoon vinham contra Jin que tentava ao máximo não se deixar vencer sem precisar ferir o outro, puxou o ar pelos seus pulmões e se pôs de pé recuando alguns passos para se firmar, mas não teve tempo de pensar em muita coisa, as veias escuras agora cobriam o rosto de Namjoon e ele parecia ainda mais incontrolável fazendo o anjo temer o que teria consumido o mais novo ao ponto dele se entregar assim tão fácil pela raiva, mas quando o anjo já estava pronto para revidar uma voz foi ouvida do outro lado da rua, ofegante e cansada junto a outros dois rapazes.

- Chega! Chega Namjoon.... – Jungkook falou ofegante e Namjoon parou, Jin sorriu pequeno, não poderia negar que dava pra ver a ligação deles de longe, mas não estava esperando que um certo alguém estivesse junto com eles.

- Você? – Yoongi disse ao encarar Seokjin. – desgraçado!

       Yoongi já empunhava sua foice enquanto sua ponta afiada arrastava no chão. Andava em direção a Jin com os olhos vermelhos, não se importando muito com oque as pessoas veriam dali pra frente, só lembrando da dor que sentiu quando Younguk respirou pela última vez enquanto ele o via morrer, enquanto ele apenas assistia ele perecer como um nada no meio de tanta merda. Já andava mais depressa levantando a foice pesada em suas mãos, acabou gritando no fim ao golpear Jin em seu ombro esquerdo, prendendo seu corpo no chão enquanto o sangue escorria de sua carne, Jin estava estático sem saber qual seria seu próximo passo. A foice era pesada e cortante, atravessava seu ombro e adentrava no chão fazendo uma pressão dolorida em seu peito, buscou o ar e o perdeu quando Yoongi se aproximou de de ainda mais.

- Agora eu vou te apresentar o inferno Anjo do senhor. – Yoongi sussurrou baixinho ao encarar o anjo. – E você vai sentir toda a minha dor 666 vezes mais, e quando tudo estiver acabado talvez você possa entender um terço do quão medíocre você é.


Notas Finais


comentem se se sentirem confortáveis e não me deixem haha prometo postar mais frequentemente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...