História Desperdício - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Boyxboy, Demons, Fantasia, Gay, Homossexual, Hot, Lemon, Mistério, Sexo, Yaoi
Visualizações 23
Palavras 1.065
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Agora que começa a ficar bom de verdade! Aproveitem essa dlç!!!

Capítulo 3 - Devaneio


Fanfic / Fanfiction Desperdício - Capítulo 3 - Devaneio

Quando Miguel sai do parque já era tarde, o sol já se escondia por trás dos prédios altos que cercavam aquela vasta área verde. Havia sido mais relaxante do que pensara, se sentia muito mais calmo. Só algo que lhe incomodava, mais cedo antes de entrar no parque um garoto passou o encarando, esse garoto estava com os lábios cortados e vários roxos espalhados pelo pescoço e Miguel sentia que aquele menino teria alguma ligação com Rafael, não sabia o porquê.

Voou para sua cama quando chegou a seu quarto. Soltando um suspiro libertador ele pega o celular e vai checar as notificações, não havia muitas.

De repente a tela de seu celular trava por alguns segundos em uma imagem, a imagem de um garoto mostrando a barriga definida, em questão de segundos tudo voltou ao normal. Miguel olhou em todos os cantos do celular, mas não encontrou a imagem, aquilo havia sido bastante estranho! Só pode ser vírus!

Seu celular vibra e uma notificação de mensagem é mostrada na parte superior da tela, “Luana” ela diz, Miguel fica radiante, Luana é uma amiga que mora em são Paulo e quase nunca pode responder as mensagens que ele manda, é raro ela ter um tempo livre!

Luana: Oi! Como vai a vida?

Miguel: Oi!!!

Miguel: Vou bem e você?

Miguel: Na verdade umas coisas andam estranhas nos últimos dias.

Luana: Vou bem sim, obrigada!

Luana: O que tá acontecendo?

Miguel: Eu ando observando um menino estranho ultimamente, não é o que você está pensando!

Luana: Sei!

Miguel: E hoje cedo eu tive um colapso no início da aula e durante esse colapso eu tive um sonho onde esse menino que eu ando observado estava nu!

Luana: Isso são desejos reprimidos! Certeza!

Miguel: Para com isso, eu to falando sério! Foi bastante estranho!!!

Luana: Fica tranquilo, isso acontece com todo mundo, eu já sonhei com meu namorado pelado também!

Miguel: Mas o Rafael não é meu Namorado!!

Luana: Por enquanto!

Luana: Então o nome do boy é Rafael, vou stalkear!

Miguel espera por alguns minutos a resposta.

Luana: Senhor! Você tá bem na fita em! Até eu gostaria de ver ele nu!

Miguel: Sua safada!

Luana: Você que é! Aposto que você bate punheta pra ele!

Miguel: Credo! Claro que não!

Luana: E ele já te notou?

Miguel: Meus amigos disseram que viram um papel onde estava escrito o meu nome da bolsa dele! E também às vezes ele me encara.

Luana: Então ele que bate punheta pra você!

Miguel: Para!

Miguel: Mas pelo que as pessoas dizem de seu nome ele é bastante safado, já ouvi dizerem que ele já chegou a dormir com mais de três caras em uma só noite!

Luana: Ta melhor que eu.

Miguel: Eu acho que ele mora em um tipo de abrigo para meninos, que fica aqui no bairro vizinho.

Miguel: E eu também vi um garoto que eu tenho certeza que tem alguma ligação com ele!

Luana: A quanto tempo você ta observando ele?

Miguel: Desde a metade do ano, por quê?

Luana: Bastante tempo não é mesmo?

Luana: Manda mensagem pra ele!

Miguel: Tá doida! Pra quê?

Luana: Pra esclarecer tudo que você tiver que esclarecer uai!

Miguel: Não acho necessário!

Luana: Okay, se você não quer quem sou eu pra te forçar!

Luana: Tenho que ir, to atrasada pra um compromisso! Até!

Miguel: Até, beijos!

Luana Saiu.

Essas conversas, por mais que na maioria das vezes curtas, sempre o deixavam feliz. É sempre bom ter alguém pra compartilhar aquilo que se pensa e que se vive.

Ele para e reflete por um momento. Será que aquilo sobre desejos reprimidos que ela havia dito poderia ser verdade? Não, claro que não! Não pode ser verdade, o que as pessoas pensariam dele?

Miguel se deita com os olhos fixos no teto, pensa “A Luana é doida mesmo!” e ri.

Aos poucos seus olhos vão pesando, ele começa a viajar, não consegue fixar os pensamentos, até que chega um ponto em que não consegue deixar os olhos abertos.

Adormece.

Preto.

É tudo que enxerga.

Preto.

Mas então começa a escutar algo... Algo bem próximo ao seu ouvido, sussurrando, um sussurro arrastado, dizendo seu nome.

“Te quero”. Era o que dizia bem próximo ao seu ouvido.

Consegue sentir uma mordida leve em sua orelha, o atiçando.

“Venha!”

Então consegue abrir os olhos. Miguel olha parta o lado e lá está Rafael o observando, seu rosto próximo do dele, os lábios roçando levemente seu pescoço, soltando um bafo quente, acolhedor, excitante.

Num movimento furtivo Rafael o abraça, jogando o peso de seu corpo contra o de Miguel, fazendo-o se deitar.

Miguel desesperado olha para a cara dele, sorridente. Ele o observa como um predador, reparando em tudo, pronto para dar o bote!

“O que está acontecendo aqui?” Ele pergunta tentando se levantar, mas ele impede que o faça.

“Não se lembra de ter me chamado?” Rafael diz isso enquanto sobe em cima da barriga de Miguel, que solta um gemido.

“Eu nunca te chamei!”

“Não em palavras a serem ouvidas, mas sim seu inconsciente! Não adianta negar coisas para si mesmo!”

Quando Miguel iria dizer algo Rafael o beija, introduzindo sua língua sem hesitação, o beijo acontece como algo natural, os dois em harmonia. Então lentamente subindo em cima de Miguel ele começou a fazer movimentos repetitivos em cima de sua virilha. A bunda de Rafael massageando seu pênis.

Miguel começa a ficar rígido e a arfar, sua respiração pesada mostrando seu tesão, Rafael olha dentro de seus olhos e solta uma risada satisfeita, logo em seguida chupando seu pescoço.

Mas então Miguel está em seu quarto, em sua cama, um grande volume úmido em sua calça. Ele olha ao redor, em baixo de sua cama, dentro do armário, mas não havia ninguém lá. A porta de seu quarto estava trancada e sua casa era alta, não teria como águem entrar ali nem pela janela nem por lugar nenhum!

Devia estar ficando doido!

Resolvendo tomar um banho para afastar a lerdeza e acordar melhor ele se dirige ao banheiro e tira as roupas, sentindo um calafrio percorrer todo o seu corpo, no caminho para entrar no Box do banheiro ele passa pelo espelho e vê algo que não estava lá antes.

Em seu pescoço havia a marca de um chupão. Seus lábios estavam incrivelmente avermelhados.

Ele realmente deve estar ficando doido!


Notas Finais


A cada dia que passa eu gosto mais do rumo que a história está seguindo, e eu realmente espero que vocês estejam gostando também! Muito, muito obrigado por estarem lendo! De verdade!
Até logo!
Kisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...