História Desperta-me - Shawn Mendes - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Amor, Mendes, Passado, Perdão, Romance, Segredos, Shawn, Shawn Mendes
Visualizações 188
Palavras 1.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - 17. Home to Mama


Fanfic / Fanfiction Desperta-me - Shawn Mendes - Capítulo 17 - 17. Home to Mama

KATHERINE

 

Ontem, logo depois de toda aquela cena, Shawn veio até minha casa para tentar me explicar tudo, mas eu não o deixei entrar e não lhe permiti falar nada. Não conseguiria ouvi-lo me contando sobre a gravidez de Candice no passado sabendo que isso jamais aconteceria comigo.

Já era imensuravelmente difícil saber que eu não seria capaz de lhe dar filhos, e, agora, tendo o conhecimento de que Candice havia engravidado quando eles estavam juntos, isso só se fez piorar, o que eu achava que seria impossível.

É muito doloroso imaginar que eles certamente ficaram felizes com a notícia da gravidez, e também no quanto a perda do bebê deve ter sido triste e difícil. Se a criança tivesse nascido, eles teriam um laço para todo o sempre, estariam ligados até o fim de suas vidas. Mesmo que não tenha acontecido, é inevitável pensar a respeito, assim como não consigo afastar o pensamento de que eu e Shawn não teremos isso.

Toda a coragem que reuni para contar a verdade a ele havia sumido. Shawn continua me ligando e enviando mensagens, mas eu não consigo fazer nada a não ser evitá-lo nesse momento. Não o culpo por ter abraçado Candice na área de sua casa, afinal, a situação pela qual ela dizia que estava mal era muito delicada, e ele acreditou nela.

Porém, quando viu os paparazzi, finalmente descobriu quem Candice realmente é. Ao menos isso me deixava um pouco aliviada.

 

 

Depois do meio-dia, recebi uma ligação.

-Olá, Katherine! Gostaria de lhe contar que ocorreu tudo como o planejado e seu livro de textos se encontra em pré-venda. Você já pode iniciar a divulgação! –Era Verônica.

Com tudo que aconteceu, eu havia esquecido completamente do início da pré-venda e de divulgar a mesma. Agradeci o lembrete de Verônica e, depois de nos falarmos, entrei no blog para contar a novidade às leitoras, que ficaram eufóricas, me contagiando com sua empolgação. Isso me inspirou a continuar escrevendo o romance, na esperança de escapar para meu mundo paralelo ao menos por algum tempo.

 

 

Só percebi que passei horas em frente ao computador quando escutei a campainha tocar. Minha mãe atendeu a porta e gritou para que eu escutasse do quarto:

-Filha, é para você!

Meu estômago embrulhou de medo de que fosse Shawn, pois eu seria obrigada a encará-lo de uma vez por todas, e ainda não me sentia completamente preparada.

Desci as escadas vagarosamente, na expectativa de captar alguma conversa do andar de baixo para descobrir se era mesmo ele ou não, e reconheci uma voz que se sobressaiu. Quem estava me aguardando era Natasha!

-Nat! Você nem imagina o quão feliz fico em te ver!

-Eu que o diga, Kath!

Abraçamo-nos por um bom tempo, e, quando nos afastamos, vi que lágrimas estavam caindo pelo seu rosto. A princípio, imaginei que fossem de saudade ou por ela estar de volta à Stratford, mas ao prestar atenção em seus olhos, notei que algo mais sério deveria ter acontecido.

-Tem algo sobre o que queira conversar, Nat?

-Na verdade, Kath, tem sim. A última coisa que quero é te chatear com meus problemas, mas você é a única com quem consigo conversar.

-Você nunca me chatearia Nat, amigas estão sempre dispostas a escutar umas às outras.

Sentamo-nos no sofá e ela começou a me contar o que havia a deixado tão mal.

-Estava sendo um dia normal até então, eu tinha chegado do trabalho à pouco tempo e encontrei Steve sentado no sofá. Ele não me recebeu com o sorriso de sempre, estava sério e quieto, e isso só se intensificou quando sentei ao seu lado.

“Ele se afastou, indo para a ponta do sofá e ficando de frente para mim. De repente ele começou a falar que, há alguns meses, havia conhecido outra pessoa e que, desde então, estava se encontrando com ela. Disse ainda que ela despertou sentimentos que ele nunca havia sentido, e que era com ela que queria ficar. Steve simplesmente contou que estava me traindo e terminou tudo comigo, Kath. Sem aviso prévio nem nada.”.

-Oh, Nat... Não consigo acreditar nisso! Imagino o quanto deva estar sendo difícil para você! –Falei enquanto puxava-a para um abraço.

-Você não tem noção do quanto! –Respondeu ela, ainda chorando.

-Escute-me e preste atenção. Você trabalhou duro e estudou muito para chegar onde está. Tem um bom emprego, uma vida com estabilidade e sabe ser independente. Você é linda e é uma mulher incrível, não precisa de alguém que te trai. Não precisa de ninguém que não precise de você, entendeu?!

-Muito obrigada, Kath. Era o que precisava ouvir. Talvez depois de sete anos com Steve eu tenha me esquecido de tudo isso, mas me esforçarei para voltar a pensar assim. Foi por isso que vim para cá, você é a melhor amiga que existe!

Então foi minha vez de contar tudo que estava acontecendo. No fim, estávamos as duas chorando. Ao olharmos uma para a outra com o os olhos inchados, nós começamos a rir. Decidimos voltar aos velhos tempos, e começamos a assistir filmes de comédia e a comer chocolate na tentativa de driblar a bad.

 

 

Quando nossos olhos já estavam ardendo de tanto assistir TV, Natasha saiu para dar uma volta pelo bairro e eu chequei as mensagens que havia recebido.

“Parabéns pela coletânea de textos, Kath. Estou muito feliz e orgulhoso por você. Espero que possa te dizer isso pessoalmente também. Não se esqueça de que eu te amo, e me desculpe por tudo.”. –Shawn havia enviado.

Isso só fez com que meu coração apertasse ainda mais. Em algum momento eu precisaria encará-lo e contar tudo. Estava torcendo para que criasse coragem logo, pois ficar longe dele me fazia muito mal.

Voltei pensar que, se Shawn não havia me contado sobre a gravidez interrompida de Candice, é porque isso foi algo realmente importante para ele. Algo que o deixou tão mal a ponto de não conseguir falar sobre, o que me machucava muito.

 

 

Depois de algum tempo Natasha voltou para minha casa com outra cara, e pude ver que ela estava se contendo para não ficar sorrindo demais.

-O que houve, Nat? Encontrou um pote de ouro? Ou, melhor ainda, mais chocolate? –Perguntei.

-Não, mas... Esbarrei com alguém enquanto caminhava...

-Nossa, acho que isso deve ser o universo conspirando para que você siga em frente logo. Quem é o dito cujo?

-Bom... É Jaden, seu cunhado.

-Como é que é?

-Eu sei que ele é um pouco mais novo que nós, mas é uma graça, e foi tão gentil comigo...

-O “como é que é” não foi um julgamento, Nat, foi apenas eu expressando o quanto fiquei surpresa. Ele é um homem muito bacana, e vocês até que ficariam bonitos juntos. Não que eu esteja insinuando algo...

-Ah, e tem mais uma coisa... Nós vamos jantar na casa dele hoje com Karen, Manuel e... Com Shawn.

-Desculpe... Eu escutei “nós” e “com Shawn”? É isso mesmo? Porque eu não concordei com nada. 

-Escutou exatamente isso, Kath. E nós vamos, sim. Você não é criança para ficar evitando-o dessa forma e, além do mais, não precisa contar tudo para ele hoje. Apenas vá e se divirta, por favor.

-Tudo bem, Nat, eu vou. Mas é por você.

 

 

Quando anoiteceu, nos aprontamos para o jantar e encaminhamo-nos para a casa dos Mendes. Era evidente o quanto Natasha estava nervosa, e eu também.

Quem não a conhece poderia dizer que ela apenas usaria Jaden para esquecer logo Steve, mas sendo sua amiga há anos eu sabia que, quando ela conhece alguém novo e acredita que possa nutrir sentimentos por essa pessoa, esquece totalmente seu passado e quem esteve nele, concentrando-se somente em ser o melhor que puder para essa nova pessoa que entra em sua vida. Por isso eu estava tranquila a respeito da aproximação dela e de Jaden, e até torcia por eles.

Manuel atendeu a porta, animado:

-Finalmente meu filho mais novo não ficará de vela no jantar!

O rosto de Natasha ficou vermelho e ela soltou uma risada nervosa, enquanto eu quase gargalhava. Vi que, do lado de dentro, Shawn encontrava-se na mesma situação que eu, e Jaden revirava os olhos.

Adentramos a casa e logo Karen veio cumprimentar-nos também. Notei que Shawn me encarava de onde estava, sem dúvidas com um pouco de receio de se aproximar. Ao perceber isso, Jaden veio em nossa direção disfarçadamente arrastando Shawn junto com ele.

Jaden e Natasha logo engataram um assunto como se eles se conhecessem há muito tempo. Eles se já se conheciam, sim, mas nunca haviam conversado antes.

Shawn chegou perto de mim, me olhando com preocupação. Meu coração pulsava de culpa, de ansiedade e de medo. E também sofria por antecipação, ao mesmo tempo em que estava feliz por revê-lo.

Ele pegou minha mão e ficou segurando-a. Com a outra, colocou uma mecha de cabelo que caía sobre meu rosto para trás de minha orelha.

-Senti sua falta. –Falou.

-Eu também senti a sua, Shawn. Desculpe-me.

-Eu é que tenho que pedir desculpa.

-O que sei é que nós dois erramos e, ao invés de conversamos e resolvermos isso logo, ficamos adiando por medo. Nós precisamos conversar, mas eu não quero falar sobre isso agora, tudo bem?

-Você tem razão, Kath. Em um momento melhor conversaremos.

 

 

O jantar se sucedeu mais agradável do que imaginei que seria. Os Mendes se entenderam muito bem com Natasha, e deixaram claro que, se o que quer que estivesse acontecendo entre ela e Jaden fosse adiante, a acolheriam como se fosse filha deles, e eu não pude deixar de ficar feliz por ela.

Quando já era mais tarde, seguimos até a sala para assistirmos o jogo do Vancouver Canucks. Shawn sentou-se ao meu lado no sofá e passou seu braço por cima de meu ombro, enquanto eu abraçava sua cintura. 

O time não fez um jogo ruim, porém, conseguiu apenas empatar. Era nítido o quanto precisavam de Shawn que, por sua vez, ficou bastante decepcionado com o resultado. Ele queria estar lá ajudando seu time, principalmente agora que estavam participando da Liga Nacional de Hóquei.

Ao notar sua frustração, tentei dar-lhe algum suporte:

-Vai dar tudo certo, Shawn. Logo você ficará bom e voltará a jogar. Vocês serão campeões, não tenha dúvidas quanto a isso.

-Obrigado por sempre dizer o que preciso ouvir, Kath. Mesmo que uma parte de mim deseje muito estar lá, te ter aqui do meu lado faz com que eu não queira mais nada.

Ao ouvir isso, senti as lágrimas brotarem em meus olhos, e não consegui evitar um sorriso. Ele sorriu junto comigo.

Prestando atenção na cena, Karen, Manuel, Jaden e Natasha deixaram a sala para que ficássemos a sós.

 


Notas Finais


Os comentários de vocês são MUITO IMPORTANTES!!

Beijos,
Milena Farias <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...