1. Spirit Fanfics >
  2. Despertar >
  3. Capítulo 48

História Despertar - Capítulo 48


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii
Como estão? Um bom retorno as aulas para todos que ainda estudam. Já estou livre há alguns anos, mas bate uma saudade as vezes. Ai ai
Aproveitem bastante esse tempo. ^_^
Sem mais delongas... Bora ler!!

Capítulo 48 - Capítulo 48


Já era início da madrugada quando, enfim, conseguimos nos afastar. A quermesse agora era composta somente de adultos e alguns adolescentes. Muitas das barracas já se encontravam fechadas por terem todos os seus conteúdos vendidos.

Sue conseguiu leiloar grande parte das joias e por uma boa quantia. Ela estava radiante, assim como Emily, que não parava de me pedir para agradecer as Cullens. Mal sabia ela que, no momento, Alice, Rosalie e Esme tinham a cabeça em outro lugar, ou melhor, em outro alguém.

- Fiquei sabendo sobre Isabella. Acha mesmo que ela morrerá? – Leah surgiu ao meu lado com um copo de refrigerante em mãos e me entregou um.

Suspirei e assenti, enquanto observava Jake conversar com os meninos e Steven que se juntara a eles. O bruxo já se sentia em casa e não tinha mais o ar desconfiado de quando nos conhecemos.

- Ela somente tem uma saída e esta não tem uma boa porcentagem de dar certo.

- Fala da transformação?

- Sim! Pelo que Jake me contou, eles estão contando com isso. Só que...

- O que?

- O caminho até lá não será fácil, Leah. Bella sofrerá muito e eu, sinceramente, espero que ela sobreviva.

- Você é boa demais. Ela procurou, então que aguente as consequências.

- Não falo por ela.

- Não estou entendendo.

- Tem uma criança nisso tudo. Alguém que sofrerá muito, caso sua mãe venha a morrer por sua causa. – não pude evitar me comparar à criança que iria nascer. Anos de minha vida fui atormentada pela culpa. Um calafrio percorreu todo meu corpo ao ter a mente invadida pelas frases acusatórias de Joseph.

- Eu lamento, Beatrice. Ninguém, mais do que você, tem consciência do que está por vir. Não deve estar sendo fácil para você também.

- Não, mas Jacob está comigo e vocês também. – sorri para Leah que me abraçou fortemente em resposta deixando-me sem reação, afinal não esperava algo tão íntimo vindo da loba. Somente a abracei de volta recebendo o consolo daquela que tanto precisava também. – Obrigada, Leah!

- Só não se acostume. – sorri e vi a mesma fazer o mesmo ao se afastar. – Sei que encontrarão um jeito de salvar a sonsa. – a recriminei com o olhar – Ela é uma sonsa sim e todos sabem disso. Não adianta que não mudarei de opinião.

- Claro, claro! Também tenho a mesma opinião, mas não devemos sair espalhando por aí, loba. – rimos atraindo a atenção dos garotos. Era muito bom estar com pessoas que nos compreendiam.

A festa transcorreu sem nenhum outro problema. As questões Isabella Swan e sua gravidez só seriam discutidas após a festa. Apenas uma coisa nos intrigou. Paul havia sumido com Rachel.

- Eu espero que aquele infeliz traga minha irmã sã e salva para casa, ou ele se verá comigo. – Jake bufava, enquanto entravamos em casa. O dia já estava amanhecendo e Paul, até então, não aparecera com Rachel. Não era algo de outro mundo, já que Paul tinha dito a todos que a festa deles iria começar em outro lugar.

- Jake vai acordar seu pai. Rachel está muito bem com o namorado.

- Olha a hora, Bee. Ela já deveria estar aqui. – semicerrei os olhos em sua direção e o arrastei para nosso quarto.

- Billy está dormindo. Pare de chilique, Jake.

- Não estou tendo um chilique.

- Ahh não? Então pare de fazer da saída de sua irmã com Paul um problema.

- Mas...

- Shiii! – calei sua boca levando minha mão até a mesma. – Não é a primeira vez que eles saem durante a noite e só voltam de manhã. Rachel logo estará em casa e você fala com ela. Agora respire fundo e abafe seu ciúme ou eu vou dormir no quarto de Rachel.

- Nem pensar. – Jake afastou minha mão e me puxou pela cintura. – Eu posso aguentar algumas horas mais para dar uma surra naquele lobo.

- Jake!

- Alguns tapas de leve? – apenas rosnei em resposta. – Você não é mole, Beatrice Sullivan.

- E você é muito ciumento, Jacob Black.

-Apenas cuido de minha irmã, faço o mesmo com você e farei o mesmo com nossos filhos. – iria retrucar, mas a menção filhos travou meu maxilar.

- Filhos? Quer ter filhos comigo? – consegui perguntar após segundos que pareceram horas a fitá-lo.

- Claro que sim! Você é a mulher de minha vida, Beatrice. Quero ter tudo contigo. Ser tudo pra ti.

- Jake! Eu... Céus, nossos filhos poderão ter um pouco de minha parte vampira. Não sei se será uma boa ideia. E se...

- E se o que? Eu amo você pelo que é.

- Eu sei disso e não estou colocando isso em questão.

- Então o que te atormenta? – andei até a cama e o levei junto.

- Não sei, apenas tive um medo sem sentido. Não tenho como explicar.

- Tudo bem meu anjo. Não precisa ficar assim. Ainda temos muito tempo até decidirmos ter ou não filhos.

- Como o assunto de Paul com sua irmã acabou conosco discutindo sobre nossos futuros filhos?

- Não faço ideia, mas gostei de pensar na possibilidade.

- Confesso que ter um filho seu seria um milagre que vou amar carregar em meu ventre. – Sorri e tive minha boca capturada pelo homem que tanto amava.

A palavra filhos nunca tinha feito parte de meu vocabulário, mas sendo dita por meu moreno, acendeu a parte adormecida em mim. Minha parte materna. A parte que eu temia somente por pensar em não conseguir ser para meu filho, a mãe que eu sempre quis ter.

 

oOo

 

- Trice, Trice! Acorde! – os gritos de euforia de Rachel despertaram todos os meus sentidos de uma única vez. Meus olhos se recusavam a abrir, mesmo estando acordada.

- Rachel estou acordada.

- Então abra os olhos e veja. Anda! – resmunguei algo incompreensível até mesmo para alguém com super audição.

- Se Jacob estivesse aqui duvido que estaria fazendo esse escarcéu todo. – bufei sentando-me na cama e a encarando furiosamente, mas Rachel parecia nem ao menos se importar, acho que já sabia que eu não faria nada contra ela mesmo com mau humor matinal.

- Ele já me deu a bronca de costume, mas acabou cedendo quando viu o motivo.

Rachel estendeu a mão esquerda em minha direção, em seu anelar um anel com uma pedra de safira no centro brilhava ofuscando tudo a sua volta.

- Ahh é um belo anel. Foi essa a surpresa de Paul? – perguntei, erguendo-me e pegando em sua mão para observar melhor a joia.

- Fui pedida em casamento, Trice. – a encarei surpresa. Então era isso, sorri e a abracei fortemente.

- Parabéns, Rachel! Mas vocês já não eram noivos? – perguntei afastando-me somente para lhe dar espaço.

- Sim, mas Paul achou que eu deveria ter mais que a pulseira Quileute.

- Não estou entendendo.

- Em nossa cultura quando alguém quer a outra pra sempre em sua vida, a pessoa lhe faz uma pulseira. – falou mostrando a peça de tiras de couro com um pingente de lobo e uma garota ao lado. Era rustico e lindo. Paul levava jeito com artesanato.

- É uma linda pulseira. Ela então representava o pedido de noivado?

- Sim! Mas ao que parece, meu lobo quis me fazer mais uma surpresa ontem. Um jantar e um pedido com direito a esse anel. – Ri do quanto Rachel conseguia se parecer com Alice. 

- Paul parece ter acertado. Nunca vi você tão eufórica.

- Eu não esperava algo assim. Desculpe por ter te acordado, mas eu precisava contar pra você.

- Assim você me faz chorar, Rachel.

- Pois nem se atreva, a única que pode chorar de emoção aqui sou eu.

- Eu fico muito feliz por vocês. E principalmente por você me ver como alguém a quem pode contar.

- Você é da família, Trice. E conquistou a todos nós com seu jeitinho. Se tornou minha melhor amiga, confio em ti e, por isso, queria muito que aceitasse um pedido meu.

- Claro! Farei o impossível pra poder te ajudar no que for.

- Quero que seja minha madrinha.

A surpresa com toda certeza estava estampada em cada traço de meu rosto. Rachel não fez um pedido e sim estava afirmando que me queria como madrinha da etapa mais importante de sua vida ao lado de seu grande amor.

- Eu... Eu estou honrada. Seria um prazer estar ao seu lado nesse momento tão especial. Mas Paul está sabendo disso? Eu não quero causar uma discórdia entre vocês.  – não tive um bom começo com o lobo e ainda tinha receio de que o mesmo apenas me aturava.

- Ele mesmo deu a ideia, antes de eu falar sobre você. Paul se sente mal por tudo que fez. Ele não é ruim, Trice. Somente impulsivo e cabeça quente. – sorri sem jeito, era estranho saber que o grande lobo tentava de alguma forma se aproximar de mim.

- Eu sei e sei também que ele somente protegia você. Nada tenho contra o Paul, Rachel. O que aconteceu ficou no passado. Se ele me aceita como madrinha não vou me opor.

Rachel me abraçou e percebi ali que tínhamos, naquele instante, enterrado aquele dia fatídico.

Após a saída de Rachel, olhei as horas e vi que já eram duas e pouca da tarde. Dormi por toda a manhã e quase metade da tarde. Jacob tinha saído umas horas antes para fazer a ronda, afinal, ele tinha ficado todo o dia de ontem e a noite comigo, infelizmente ele quase não descansou, o que me deixava sempre com os nervos a flor da pele.

 

 oOo

 

- Vai me contar o que aconteceu ontem para terem ido até a mansão? – Billy perguntou calmamente, enquanto se deliciava com um dos seus chás milagrosos.

Já era fim de tarde e nos encontrávamos na varanda conversando sobre como a festa tinha sido produtiva e prazerosa. Rachel não falava em outra coisa, se não, que tinha sido a noite de sua vida. Billy revirava os olhos e já havia ameaçado lhe arrancar a língua.

- Achei que Jake já tinha contado. – expliquei, colocando a xicara de chocolate quente sobre a mesinha ao nosso lado.

- Jacob engoliu algo e saiu para a ronda. Mal tivemos tempo de nos cumprimentar.

- Ele deve estar exausto. – suspirei pesadamente.

- Jacob não está sozinho, Trice. E, além disso, é um dos lobos mais fortes e resistentes. Você não sabe, mas meu irmão já aguentou coisas bem piores.

- Raquel tem razão e meu filho, logo voltará da ronda. Agora me conte o que aconteceu na mansão Cullen. O que Isabella aprontou dessa vez?

- Ela está gravida, Billy. – Billy tinha o semblante assustado. Rachel me olhava em choque, afinal, ela não sabia de nada.

- Essa louca tem o que no lugar do cérebro? – ouvimos o grito de Rachel. Assim como todos os outros, minha cunhada tinha Isabella como uma louca sem nenhum juízo.

- Eu nem sei o que dizer. Charlie vai precisar de nós mais cedo do que supúnhamos. – assenti. Bella morreria de qualquer forma para os pais.

- Não a vi ontem, mas sei que está muito debilitada.

- Mas você não esteve lá? – Rachel perguntou.

- Estive, mas não cheguei a entrar. Encontramos Jacob saindo da mansão e ele nos contou o que estava acontecendo. Preferimos sair e conversar em outro lugar. Jake estava deprimido e confuso, não quis força-lo a estar no local que não lhe fazia bem.

- Claro! Você fez muito bem, querida! Foi melhor deixar meu filho esfriar a cabeça. Jacob consegue ser pior que Paul no quesito impulsividade.

- Hei! Meu Paul já está se controlando muito bem, pai.

- Pois eu acho muito bom, já passou da hora. – ri ao ver Rachel bufar, com a provocação de Billy.

O celular vibrou em cima da mesinha. O nome Alice surgiu na tela junto a sua foto.

- Alice? – perguntei ao atender o aparelho dourado em minhas mãos, sob os olhares atentos de Billy e Rachel.

- Beatrice! Que bom que atendeu, precisamos de sua ajuda. Poderia vir até a mansão?

Respirei fundo. Alice não me ligava tão aflita à toa. Apenas uma pessoa a deixaria naquele estado. Isabella!

- Só preciso me arrumar e logo estarei aí. – ouvi um agradecimento do outro lado da linha e desliguei o aparelho. Soltei o ar que até então não sabia estar segurando. O problema Swan somente estava começando. 


Notas Finais


Gostaram?
Aguardando ansiosamente pelos comentários.
Obrigada a todos que favoritaram a fic e um agradecimento especial a todos que comentam. Vocês tornam meus dias mais felizes. ^_^
Bjinhoss e até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...