1. Spirit Fanfics >
  2. Despertar >
  3. Capítulo 8

História Despertar - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 8


O que ele deveria fazer? Estava perdendo a razão, o objetivo estava sumindo. Yasuo tinha sonhos de shows, de quando tocava, como se já tivesse sido DJ em alga vida passada até  vir a cabeça de que ele já foi um...  

Estava se esquecendo, entrando na própria mentira, sendo a encarnação do que sempre quis quando adolescente, fugir do próprio mundo, sair daquela sensação sufocante... Mas se sentia ainda mais sufocado com aquilo, com aquela farsa.  

A primeira farsa era mentir para Lux e as meninas, mentir para Lulu e ver a face feliz da mesma quando ajudava com suas lições, se sentia mal... Depois vinha Garen, o mesmo o auxiliava, estava quase se tornando o irmão que Yasuo não teve. Deveria ser digno e se mostrava querer fugir. 

Poucos dias depois da “aula” com Rakan, o mesmo tinha sumido depois daquilo e já era o a sexta-feira, o que deixava Yasuo confuso em queria entender aquilo tudo e não em ficar sem explicações, não conseguir respostas da qual precisava... Queria explodir! 

E como era sexta de noite, tinha se livrado do trabalho e recebido um convite de última hora, ele não poderia recusar. Deixando Adorável aos cuidados de Garen já que Katarina tinha viajado para Noxus, podendo ir até a casa das meninas e carregando uma pequena mochila velha que o irmão de Lux deu. Elas iriam para o acampamento Monte Targon e das ideias da Lulu e da Janna, elas queriam arrasta-lo para se misturar, mas não teria como, ele nem mesmo era estudante da universidade que Garen frequentava. 

Sendo recebido e sorrindo sem graça quando um familiar estelar pulou nele, aquilo estava ficando mais comum e normal, elas confiavam demais nele... 

— O peso morto chegou, Lux! — E sendo agradável como sempre, Jinx gritou pela casa e ignorando ele totalmente ao ir para sala. 

— Também senti sua falta, Jinx — Resmungou, seguindo caminho até a cozinha e vendo Lulu preparando algo com a Janna, sendo notado e abraçado por ambas. 

— Você veio! Eu disse que ele iria vir! — A pequena falava animada, trazendo uma risada de Yasuo para tal inocência. 

— Faz um tempinho que não venho ver vocês, é o mínimo, não? — Sorriu, bagunçando o cabelo da Lulu — Sabem que não vou conseguir entrar no acampamento, não é?  

— Sabemos! — E Lulu de uma risada. 

— Conseguimos um meio para que ficasse lá — Janna contava, sorrindo — Tivemos nossos meios já que é a escola que vai fazer o passei para o acampamento. 

— Janna, Lulu, eu agradeço muito que vocês queiram que uma pessoa como eu vá, mas não vai dar — Declarou, negando com a cabeça — Vocês pediram para que eu aparecesse e aqui estou, só não trouxe comiga como a Poppy exigiu — Deu uma leve risada. 

Apenas em ver a face decepcionada de Lulu foi que Yasuo se arrependeu de ter dito tais palavras, mas parando e deixando a mochila cair de seu ombro para então abri-la e mostrar um pequeno embrulho para Lulu. 

Ter o próprio dinheiro naquelas situações ajudava. 

— Pra mim? — Perguntou e ele concordou — Eba! Lux! Eu ganhei um presente! — E saiu gritando pela casa, deixando Yasuo e Janna sozinhos. 

— Você teve contato com a sua família?  

Era clara a preocupação dela com ele, ambos se juntando a mesa e com Janna deixando as coisas para que Yasuo se servisse, jantando o que não teria já que se fosse com Garen, estariam comendo pizza.  

De todas, Janna era a que mais se mantinha alerta e tinha um pressentimento de algo, contando para ele sobre os treinos que elas tinham e dos pesadelos que Luxanna acabava tendo, conseguindo acordar uma dela e atraindo a atenção de Janna. Além de detalhes como esse, ela contava em como o guardião estranho as ajudava, ensinando e contando mais sobre a corrupção da escuridão e de como evitá-la, mas sempre sendo vago em vários momentos, tão vago que nem mesmo Janna conseguia entende-lo. 

Por isso elas queriam que Yasuo fosse para o acampamento com elas, para ver como elas eram em treino e um dia, em ação.  

Ele lembrava de já tê-las visto em ação... Mas escapava na mente onde foi que ele viu exatamente. 

Lavando o prato sujo e pegando algumas almofadas com Lulu, ele iria dormir na sala e iria dormir cedo se ela não tivesse insistido em assistir algum filme infantil e fazer aquilo uma “festa do pijama”. Ele não negou, apenas existiu ali e quase caiu no sono diversas vezes por conta do cansaço, mas sorrindo para a pequena.  

Só no dia seguinte, com as meninas o acordando com a gritarias que ele foi acordou com a força do ódio com a Jinx o xingando, rotina padrão, Jinx xinga qualquer um, até a panela de panqueca, se juntando a elas e ouvindo risadas sobre a maneira que o cabelo dele deveria parecer. 

O arrastando o caminho inteiro para a escola delas e sendo puxado por Janna para que ele conseguisse entrar no ônibus, conversando com algum coordenador pedagógico e falando sobre ele ser o primo dela, que os pais dela pediram que ele fosse para avaliar o lugar, o que eles receberam? Um belo não. O que a Jinx fez ao ouvir o que eles falaram? Puxar Yasuo pelo cabelo para esconder ele no fundo do ônibus sem que ninguém notasse. 

Ótimo. 

A coisa mais desconfortável foi ficar embrulhado atrás do último banco do ônibus, ouvindo a gritaria adolescente. Nossa, ele não sentia nem um pouco de saudade do ensino médio, inferno em modo de ensino. 

Chegando, as meninas acabaram sendo as últimas a saírem e ainda o acobertaram, jogando um casaco da escola e o fazendo vestir. Ele estava “lindo”. 

— Nem uma palavra, Jinx... — Resmungou, ouvindo a risada da garota. 

— Você tá ridículo! Eu deveria tirar uma foto para prosperidade — E toda empolgada, ela saiu na frente com os outros alunos, se juntando com outros das outras escolas. 

— Eu não mereço isso, é humilhação pública... — Resmungou, sendo puxado por Lux e Janna, cada uma de um lado. 

— Não vou mentir, você está uma gracinha, Yasuo — Lux deu uma risada — Queríamos que olhasse de perto enquanto os professores ficam engajados com as atividades. 

— O quê...? 

— Vamos treinar, o guardião iria nos ensinar uma técnica nova, mas ele tem faltado a uma semana — Janna contou. 

Espera, hein? 

— Isso não é estranho? — Perguntou, olhando para ambos e vendo o olhar de determinação de ambas — O que ele ensinou a vocês...? 

— Você vai ver... — Lux sussurrou — Depois de ter chamado a gente umas mil vezes de ingênuas, ele mostrou como descobrir a escuridão entre nós. 

O sonho dele, a queda das estrelas. 

— E então, demonstrou em si mesmo... Foi assustador — Voltou a falar, os guiando até um canto mais afastado de onde dois professores discursavam. 

— Eu sempre vou repetir essa pergunta, mas como vocês podem confiar nele? Mesmo sumindo assim? — Perguntou em um tom baixo. 

— Porque ele contou a verdade sobre si e isso nos assustou ainda mais — Lux sussurrou de volta — Que ele é um ex-guardião e... Alguém que precisa acabar com a escuridão. 

— Luxanna, me desculpe, mas parece discurso de vilão — Yasuo comentou, vendo a cara séria dela. 

Ele estava colocando pilha sobre a imagem de Rakan, ele era... Instável, Yasuo viu com os próprios olhos as lembranças de quando ele não estava no controle, de como era mil vezes pior quando estava consciente. 

— Ele queria que colocássemos um fim, que ficássemos fortes para caso... Ele colocasse a vida de outras pessoas em risco — Contou — Ele quer que fiquemos mais forte do que ele. 

— Ele está em um tormento sem fim, quer que acabemos o sofrimento dele — Janna sussurrou — Queríamos que olhasse... Talvez você consiga falar em suas visões de oráculo sobre o que vai acontecer. 

Ele falaria o que iria acontecer, uma grande merda! 

— Ele quer que vocês o matem...? 

Elas não o responderam, pareciam ignorar a pergunta, mas ainda sim tinham preocupação no olhar, angustia.  

Ele queria se matar? 

Não, não era possível!  

Quando o discurso acabou e as meninas andaram na direção onde não havia tantos alunos, o levando a um ponto da floresta do acampamento, quase onde deveriam ter os avisos do Monte Targon... Qualquer um poderia ver elas ali, mas o que elas planejaram foi... Um piquenique. 

Aquilo estava sendo comum demais, mas Yasuo não podia mentir, gostava do comum, lembrava algo... Uma sensação. 

Foi uma manhã tranquila, sendo zuado pela Jinx, vendo Janna ficar na brisa e sendo misteriosa e Lux rindo com as meninas. Surpresa e choque, Luxanna tinha risada de porquinho.  

Quando se teve a chamada dos alunos para as atividades a tarde, a floresta do acampamento ficou mais silenciosa e então ele pôde ver a transformação delas e então, a “técnica” que Rakan deveria ter ensinado para elas, o que resultou em algo tão brilhante que os olhos dele arderam. O ruim foi quase ter levado uma martelada na cara pela Poppy e ouvindo novamente a risada da Jinx. 

Ótimo! 

O aviso maior que elas levaram mais a sério foi não usar muito a força de guardiãs estelares diante da matéria escura, da escuridão de alguém corrompido, porque isso poderia corrompe-las.  

Ao fim e para o retorno para escola, Yasuo achou melhor que ele não fosse com elas seria mais complicado e ele conseguiria voltar sozinho, quase sendo puxado pelo cabelo novamente por Jinx, mas conseguindo manter a ideia. 

As vendo partir e irem no ônibus, acenando para Lulu a distância e suspirando ao ver que não havia mais estudantes, que já estava escurecendo e ele logo andou para fora do acampamento de modo furtivo das pessoas que trabalhavam ali, quase sendo visto uma vez e infartando outra ao sentir algo o puxando, sendo jogado contra um tronco de árvore e ficando mais bravo do que devia ao ver aquele idiota egoísta. 

— Você... — Rosnou, vendo que o outro sorria debochado — Sumiu por uma semana e aparece do nada. 

— Também senti saudades — Deu de ombros, desmanchando o sorriso e estendendo algo para que Yasuo pegasse — Eu estava procurando por isso, quero que guarde para mim. 

A mesma estrela rosa e dourada. 

— A memória dele não deve ser esquecida... Se ele tiver alguém, deveria eles a receberem, mesmo que esse símbolo seja apenas um utensilio estranho para maioria. 

Mas não seria para o Garen. 

— Você não pode ter sumido simplesmente por causa disso — Deu uma risada, incrédulo — ‘Tá de brincadeira? 

— Estou bem sério, nunca estive tão sério como estou agora — Respondeu, cruzando os braços — Tive que sumir por um tempo, precisava, era necessário, Yasuo. 

— Necessário?  É, muito necessário ensinar a matéria escura para as meninas e sumir — Vociferou — Tem noção de como isso é irresponsável? Perigoso? Elas são crianças! 

Mesmo quando brigaram em outros vários momentos, em nenhum deles Rakan tinha fechado a cara como aquele momento. 

— O que você me chamou? 

— Você é idiota ou se faz? Você some e me faz de donzela esperando uma explicação, deixa as meninas sem treinamento, usa matéria escura como base de treino e ainda me deixa com mais pesadelos do que posso contar nos dedos! — Argumentava, o rosto ardendo de raiva e a paciência já na puta que pariu — Você é irresponsável ‘pra caralho, Rakan. 

— Eu? Irresponsável? — Deu uma risada de deboche, deixando Yasuo ainda mais alterado, levando uma resposta mais imediata e direta. Um tapa forte no rosto de Rakan. 

Merda... 

— Bate de novo, Yasuo... Bate — O desafiou, o olhar do ex-guardião brilhando em um intenso dourado — Repete tudo o que você me disse, que eu sou um inútil. Repete. 

— Eu repito sim, seu idiota... — Vociferou, se erguendo um pouco na ponta dos pés para ficar em tamanho parecido com o outro — Irresponsável e idiota... — Falou, o cutucando no peito 

— E não tem coragem de me bater? Tanta raiva contida em alguém tão pequeno — Zombou, sorrindo abertamente e segurando a mão de Yasuo, o puxando para perto, o deixando colado para si. 

O fazendo olhar para aquele dourado intenso. Como o sol. 

— Seu... 

— Você fala demais... 

A surpresa e o choque foram as sensações mais mistas que Yasuo sentiu ao ter a boca de Rakan contra a sua, o calor do sol. Maldito momento em que ele soltou a mão de Yasuo e o segurou ainda mais firme, amaldiçoado fosse aquilo ser tão bom. 

— Idiota... — E um beijo para ficar quieto — Irresponsável... — Outro beijo — Elas me falaram que você planeja morrer... Se você morrer, eu vou trazer você de volta apenas para socar o seu rosto... 

— Parece bom... Mas eu sou o vilão aqui, lembra?  

Não para Yasuo...  


Notas Finais


Outra pista do final da fic, não venham até mim no final da fic perguntando o que aconteceu ou falando "não entendi, Akemi" que eu vou gritar na minha cabeça e rir, eu tô louca deixando isso desde o prólogo. Se alguém surgir aqui falando isso......

Falta pouco.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...