História Desproporcionais - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Jessica, Taeyeon, Yoona
Tags Taengsic, Volta Jessica, Yoonsic, Yoontae, Yoontaengsic
Visualizações 395
Palavras 2.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Capítulo V: Mudanças


Fanfic / Fanfiction Desproporcionais - Capítulo 6 - Capítulo V: Mudanças

A mudança aconteceu, como o esperado.

Não foi fácil para mim e nem para Jessica ter que vender o nosso antigo apartamento. Ele era minúsculo, mas nós duas compartilhamos momentos muito especiais ali e tínhamos apego por ele. Era basicamente o nosso lugar.

O pensamento de que eu estaria me livrando de muitas memórias importantes do passado, para arriscar uma vida nova em um relacionamento totalmente diferente. A única coisa que me motivava, era saber que eu não estava me sujeitando a isso por causa de Jessica ou por causa de Yoona, mas parecia a única solução para experimentar ter as duas na minha vida sem que uma fique de fora.

Mas tudo bem, um tempo mais tarde eu nem cogitei mais essas ideias.

Como eu estava dizendo, a nossa mudança de apartamento aconteceu em uma quarta-feira do mês de outubro. Antes que pudéssemos tomar essa decisão concreta, avaliei a questão financeira da coisa toda. Uma terceira pessoa morando conosco seria bom, porque as despesas seriam divididas em mais partes e no final acabaria sobrando ao invés de faltar. Jessica tinha dinheiro no banco, eu também tinha e Yoona também, mas ela era a única que não trabalhava já que seus pais faziam questão de bancar seus estudos e tudo o que ela precisasse. De qualquer forma, suas economias - que por acaso tinham um valor bem alto - serviria de grande importância na hora da compra.

Tudo poderia dar certo, sem imprevistos no meu caminho.

Bobagem.

Fui tola de pensar que seria algo pacífico, que escolheríamos um apartamento bom e não teria nenhum tipo de imprevisto ou brigas no processo.

Onde eu estava com a cabeça...

Vamos começar pelo momento em que eu cometi o erro – terrível erro – de avisar que estava saindo para procurar um apartamento. Yoona perguntou se poderia ir junto e eu concordei claro, ela não causa problemas e sua ajuda poderia ser útil. O problema realmente teve início, quando Jessica se ofereceu para ir junto também. Ela não perguntou tímida se podia ir comigo igual Yoona fez, ela simplesmente chegou disse um eu vou junto.

Eu quase nunca conseguia protestar contra as vontades de Jessica e sempre acontecia alguma catástrofe depois, mas no final de tudo nós acabávamos rindo que nem loucas. Mas antes disso acontecer, eu precisaria me estressar com a minha namorada totalmente antes de vir à parte boa. E daquela vez não foi diferente.

— Jessica, pela milésima vez. — Falei, praticamente suplicando. — Não tem nada de errado com esse apartamento!

— É muito pequeno. — Eu fiquei tão indignada com a sua resposta, que quase me deixou a ponto de chorar.

— Pequeno? Pelo amor de Deus, tem três quartos sendo um deles de casal, dois banheiros, cozinha, sala, lavanderia e sacada! O que mais você quer?

Estava sendo terrível em níveis que eu nem consigo explicar com minhas próprias palavras. A corretora de imóveis que estava nos acompanhando e mostrando as opções de apartamentos, parecia querer se jogar da janela a qualquer momento. Quando olhei para Yoona e vi que ela estava encostada na parede, completamente cansada e quase dormindo ali mesmo, percebi que teria que tomar uma atitude drástica.

Eu me aproximei de Jessica e a puxei pelo pulso até a sacada do apartamento, ela ficou sem entender minha reação, mas era minha única chance de colocar um ponto final nessa situação desgastante.

— Jessica, nós só vamos ver mais um apartamento. — Eu disse.

— O quê? — Seu tom de voz indignado se fez presente de novo. Pela décima vez naquele dia. — E se o próximo não for bom também? Temos que ver todas as opções Taeyeon!

— Acontece que nós já vimos pelo menos uns dez apartamentos e incrivelmente você não gostou de nenhum! — Respondi cruzando os braços. — Jessica, a Yoona está cansada, eu estou cansada, nós nem almoçamos ainda e já são quase duas da tarde.

Acabei me expressando mais frustrada do que gostaria, só que às vezes preciso apelar um pouco, só assim para Jessica Jung perceber que já passou dos limites.

Nós nem havíamos ido morar juntas no mesmo lugar ainda, mas logo de cara eu percebi que somos bem diferentes. Pode ser coisa simples, mas que no futuro fizeram grande diferença, como por exemplo, enquanto Jessica ignorava totalmente meus protestos sobre sua exigência com o lugar onde iríamos morar, Yoona preferiu ficar quieta e não se meter no meio.

Essa sua personalidade passiva e submissa (não em termos sexuais) poderia ser um tanto prejudicial na relação. Veja bem, quando nós fazemos algo que achamos ser o certo, mas na verdade é errado, é preciso que alguém diga que isso não deveria ser assim e expor a sua opinião à respeito. Yoona era ótima, maravilhosa na verdade, ela só precisava ter um pouco mais de jogo de cintura e firmeza.

Yoona não tinha defeitos. Minha menina apenas precisava entender que se ela está em um relacionamento, então tem todo o direito de ter uma opinião e dizer se gostou ou não.

Agora, voltando a pequena discussão que eu estava tendo com Jessica…

Ela estava diferente, fiquei surpresa ao notar que esperei por alguma reclamação de sua parte ou uma tentativa de me convencer a passar o resto do dia procurando um apartamento. Esperei por uma teimosia que não veio. Ao invés disso, Jessica mordeu o lábio inferior discretamente e ficou com o semblante um pouco preocupado.

— Me desculpe Tae, estou tão empolgada com isso que nem me lembrei de vocês duas. — Ela se aproximou de mim e segurou minhas mãos. — Sabe, eu não poderia me sentir mais feliz com isso tudo. Você está comigo, Yoona também, duas pessoas que eu amo muito. Quero começar o quanto antes a viver a minha nova vida com vocês duas. — O sorriso no rosto de Jessica me fez lembrar que eu sempre topei qualquer desafio por ela, que sempre enfrentamos de tudo juntas. Agora não tinha nada de diferente, apenas mais uma pessoa para darmos as mãos juntas. — E quero que seja tudo perfeito.

Acho que já mencionei antes que Jessica dificilmente demonstrava sentimentos, somente em situações bem sérias.

Mas naquele dia, naquele momento em especial, eu percebi que estava diante de uma nova Jessica. Uma pessoa que eu até então, ainda não conhecia e foi maravilhoso para mim saber que eu teria todo o tempo do mundo para desfrutar daquele seu lado sincero e carinhoso. Um tempo depois, descobri também que Yoona fora a responsável por aquela mudança toda. Nem mesmo Jessica Jung conseguiu se manter sã diante dela.

Selei nossos lábios em um casto beijo, parecia uma cena de filme romântico, daqueles bem bregas em que o casal se beija na sacada do apartamento.

— Está tudo bem ficar empolgada, e sabe de uma coisa? — Abracei sua cintura e a puxei para perto de mim. Jessica rodeou meu pescoço com seus braços finos. — Tenho muito a te agradecer.

— Por quê? — Perguntou.

— Por estar me dando um novo propósito de vida.

Existia coisas em Jessica Jung que eu adorava absurdamente, às vezes eu sentia que não encontraria tal detalhe em nenhuma outra pessoa no mundo. Ela era única, incomparável e insubstituível, me causava inúmeras reações surpresas e em toda a minha vida, jamais pensei que Jessica poderia me presentear com essa relação incomum.

Sim, eu considero um presente. O melhor de todos.

— Vamos ver o último apartamento então. — Jessica disse antes de roubar um beijo meu.

— E dessa vez, pergunte algo para a Yoona. Ela vai morar conosco, também tem direito de opinar. — Respondi.

— Que fofo você se importando com a opinião dela. — Seu comentário me fez perceber que Jessica ficaria facilmente encantada comigo, se o assunto envolvesse Yoona também.

Nós voltamos para a sala onde nossa namorada conversava com a corretora de imóveis, as duas nos encararam um tanto esperançosas, como se soubessem que a conversa que tive com Jessica obteve bons resultados.

— Vamos ver só mais um apartamento. Se não for esse, então deixaremos para procurar outros amanhã. — Eu disse.

A expressão de alívio na cara da corretora de imóveis foi tanta, parecia que eu tinha lhe dado a sentença de liberdade.

— Certo senhorita, o próximo apartamento fica em um dos bairros mais tranquilos dessa região e é apenas a quatro quadras daqui. — Ela informou e eu assenti.

Jessica passou por onde Yoona estava e falou algo em seu ouvido antes de beijar sua bochecha. As duas seguiram de mãos dadas para fora do apartamento, até em um certo momento em que Jessica soltou sua mão para segurar seu braço e encostar a cabeça em seu ombro.

Eu observava aquela cena com curiosidade, era um sentimento muito novo para mim.

Quando eu e Jessica começamos a namorar de verdade, eu lembro de ser uma namorada muito ciumenta. Não fazia o tipo obsessiva e controladora, mas me mordia por dentro quando a via de intimidade com suas amigas. No entanto, ali naquele momento, vendo ela e Yoona juntas, era algo que não me incomodava de modo algum, mas sim me deixava com uma estranha vontade de sorrir.

Até mesmo quando estávamos no carro à caminho do apartamento novo, onde Jessica e Yoona se sentaram no banco de trás já que a corretora estava comigo na frente, eu não resistia ao impulso de dar uma espiada nas duas pelo espelho do carro. Ver elas juntas, segurando a mão uma da outra enquanto conversavam sobre a nossa vida em trio foi de longe um dos pontos mais interessantes para mim naquele dia.  

A corretora de imóveis que nos acompanhou na busca de um apartamento, parecia não se importar com o fato de nós três estarmos em um único relacionamento, e que iríamos morar todas juntas no mesmo lugar. Ela podia não saber, mas me deixou muito confortável.

Quando chegamos no último prédio para visitar o último apartamento do dia, fiquei impressionada apenas com a decoração exterior. Um prédio de tijolos laranjas e perfeitamente bem alinhados, com as sacadas bem expostas e na maioria delas havia vasos de flores que os moradores colocavam ali. Não preciso citar que me imaginei fazendo isso, mas infelizmente não depende só da minha vontade.

Saímos do carro e eu comecei a rezar para todos os santos possíveis, algum deles teria pena de mim e faria com que Jessica e Yoona amassem o apartamento e quisessem ficar. Poderia até parecer indisposição e falta de vontade da minha parte, mas não era. Na verdade, eu realmente tinha muita curiosidade de saber como isso iria funcionar, e como a vida não é um jogo do The Sims, eu mesma teria que vivenciar tudo para tirar conclusões no final.

Assim que adentramos o saguão do prédio, meus olhos literalmente admiraram cada canto daquele espaço. Tudo que seja relacionado à artes e simplicidade com um pouco de sofisticação, me deixa plenamente atraída e admirada, e eu soube pela decoração que havia grandes chances de uma briga por aquele apartamento acontecer. Caso as duas se negassem a viver ali, claro.

— Amor, veja só. — Ouvi Jessica dizer. — Taeyeon vai entrar no seu estado de distração total e esquecer que a gente existe.

— Essa carinha… Acho que alguém gostou desse prédio aqui. — Yoona respondeu, as duas soltando risadas involuntárias.

— Ei, eu estou bem aqui e estou ouvindo tudo. Não precisa falar de mim na terceira pessoa. — Retruquei. — E sim, eu adorei esse prédio. A decoração é linda, simples e-

A decoração é linda, simples e sofisticada. Blá, blá, blá. — Quase, mas quase, revirei meus olhos em trezentos e sessenta graus quando Jessica começou a fazer uma imitação ridícula que eu acredito ser minha. Por que ela não me deixa viver? — Lá vem você com essa sua síndrome de artista culta e contemporânea.

— Me deixa ser feliz por cinco minutos, pode ser? — Respondi um tanto emburrada. Jessica sabia como irritar quando queria.

Claro, que isso nunca durava muito tempo. Porque do mesmo jeito como ela sabia fazer as coisas, também sabia como desfazer.

Levou cerca de cinco segundos para que seu corpo fosse praticamente jogado contra as minhas costas, com seus braços ao redor do meu pescoço e seu nariz roçando na minha nuca. Não é lá nenhum movimento ousado ou que desrespeite os direitos humanos, mas mesmo assim não pude deixar de me sentir um pouco envergonhada. Principalmente quando Jessica mordeu meu ombro.

— Pare com isso, a corretora está aqui! — Cochichei por cima do ombro, mas só escutei sua risada como resposta.

Eu não era tão à vontade com intimidade em público como Jessica era, sempre tive meus receios por motivos muito óbvios

— Não fique tão preocupada com isso, estamos no nosso possível futuro apartamento. — Yoona segurou minha mão discretamente e a puxou para dentro do bolso de seu casaco.

— Que Deus te ouça…

O andar do nosso apartamento era sexto, porta número vinte e oito. Assim que o elevador parou e as portas de aço se abriram, Jessica foi a primeira a sair procurando pelo número indicado. Notei que o corredor era bastante largo e extenso, e que havia mais dois elevador e saída de emergência no andar. Prático.

Assim que paramos em frente a porta número cinquenta e oito, a corretora me deu as chaves para que eu pudesse abrir. E de repente, foi como me sentir em um desses programas em que o quadro é sobre uma família pobre, que perdeu tudo e agora está abrindo as portas de um novo futuro porque a emissora do programa deu tudo e mais um pouco.

Que coisa brega.

Ignorei o pensamento e girei a chave na fechadura, logo abrindo a porta e dando de cara com o apartamento que tanto despertou minha curiosidade no elevador. E eu juro, que assim que dei os primeiros passos para dentro, eu pensei “eu preciso morar nesse apartamento!”

Mas é claro, eu não podia contar apenas com a minha vontade de querer aquele apartamento mais do que qualquer coisa. Se por acaso Yoona ou Jessica vissem algum defeito ali, meu sonho estaria comprometido e propenso a virar uma grande dor de cabeça. Não é birra nem nada, mas é que… Eu quero esse apartamento!

Igual uma criança em uma loja de brinquedos, eu caminhava para cada canto que eu tinha direito e olhava por tudo, me impressionou o espaço de cada cômodo e como tudo parecia confortável o suficiente. Jessica e Yoona em um ponto, desistiram de tentar me acompanhar na minha Tour individual pelo apartamento e foram olhar os outros cômodos por conta própria.

Hum, elas também pararam para se beijar dentro de um dos quartos, mas não dei tanta moral para esse detalhe, eu estava animada demais para me preocupar em ganhar beijo ou não.

Como o esperado, uma das melhores partes era a sacada. Espaçosa o suficiente para colocar uma boa espreguiçadeira ali ou encher de vasos de flores, como os outros vizinhos faziam. O que realmente prendeu minha atenção, foi a vista da cidade e como era impressionante que no meio de um monte de urbanização, aquele prédio em especial ficava localizado em uma região aparentemente calma e tranquila.

Eu quero morar nesse apartamento!

— Senhoritas, já se decidiram? — Escutei a voz da corretora na sala de estar, em seguido veio a de Jessica.

— Espera só um minutinho, vou ali falar com a criança hiperativa.

Escutei o barulho dos saltos de Jessica se aproximando aos poucos de mim, mas não desviei minha atenção daquela vista um único momento sequer. E Jessica não parecia estar com a intenção de me interromper naquele momento de apreciação da simplicidade, tanto que suas mãos alcançaram as minhas quando seu corpo se encostou no meu e seu queixo descansou no meu ombro.

— Sica, eu quero muito esse apa-

— Shhhhh, não fale nada. — Ela disse surrando perto da minha orelha. — Eu também quero morar aqui.

Sorri largo. O dia estava tão bonito, o céu tão azul e aquela vista tão maravilhosa, se surgisse um arco-íris ali sem motivo algum, eu não ficaria nem um pouco surpresa.

— E Yoona? — Perguntei.

— Já até escolheu em qual quarto vai dormir. — Ela disse. — Vamos logo fechar a compra e dar uma boa noite de sono pra essa corretora?

— Vamos! — Respondi antes de dar um breve selinho em seus lábios.

A cara de felicidade e alívio daquela corretora quando eu disse que iríamos ficar com o apartamento foi tanta, mas tanta, que mais um pouco e eu jurava que ela iria pular em cima de mim para me abraçar. Talvez ela tenha percebido que Jessica arrancaria sua cabeça fora e jogaria da sacada, caso ela o fizesse.

Nós assinamos os papéis e ficamos com a chave do apartamento. A corretora que nos acompanhou a manhã inteira, foi embora com um sorriso de orelha à orelha e nos deixou ali sozinhas, aproveitando nosso novo lar.

— Então, é isso. Vamos morar aqui e… Juntas. — Eu falei.

— O que acham de estrear o apartamento em grande estilo meninas? — Jessica disse, com aquele tom de voz suspeito que eu já conhecia.

E por mais incrível que pareça, dessa vez não precisei responder à isso.

— Não vou fazer nada enquanto não tiver pelo menos um tapete no chão. — Yoona, como se tivesse lido minha mente, se pronunciou perante a situação e deixou Jessica cabisbaixa.

— B-Baby, você não pode estar falando sério! — Ela disse.

Me sentei no chão com as costas na parede, cruzei minhas pernas e fiquei observando Jessica inutilmente tentar convencer Yoona à mudar de ideia. Penso que quando as duas estavam namorando sem mim, Jessica não costumava ter suas necessidades negadas dessa forma. Acho que Yoona passou tempo demais comigo.

O relacionamento à três, de início foi muito julgado por mim. Eu condenei Jessica com a minha própria alma por ela querer algo assim, como se já não bastasse ter me traído, ainda queria me convencer a voltar mesmo que tenha outra pessoa ocupando o meu lugar. Só que quando tudo começou, eu percebi que Yoona nunca ocupou o meu lugar, ela apenas guardou ele pra mim. E conquistou o seu próprio entre Jessica e eu.

Eu me sentia feliz e… Em paz.










 

 



 


Notas Finais


Se o gif nao funcionar na capa me perdoem ta akskskskdk eu vou trocar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...