1. Spirit Fanfics >
  2. Dessabores de Alma >
  3. Irei descobrir

História Dessabores de Alma - Capítulo 6


Escrita por: e yeontanmochi755


Capítulo 6 - Irei descobrir


Yuno visão

Estou aqui sem meus irmãos ( glória a Deus) os convenci que não havia um motivo para eu voltar a Spad , afinal não é como se eles me quisessem lá, mais o real motivo é para cuidar da Noelle, ela é a criança mais doce que eu já vi.

Falando nela a pequena sapeca já está quase andando, seu desenvolvimento foi um pouco lento, pelo que eu soube nenhum dos seus irmãos ficaram com ela ou a incentivaram, além da pequena quase nunca ter tomado um banho de sol decente na vida.

E por falar na danadinha ela esta cada vez mais sapeca, e as vezes me perco nas risadas que escuto dela, ela realmente me faz bem, Clover me faz bem esse lugar tem o sentido de casa…

Estou acordado a um tempo, tenho que buscar a baby noelle, olho pro relogio e vejo que são quase nove da manhã, e bem meus planos pra hoje são cheios de diversão. Levanto e me arrumo, faço minhas higenies matinais e após isso apenas sigo para cozinha aonde consigo uma mamadeira para a Noelle, subo os lances de escada e entro no seu quarto a vendo sentada.

- hey pequena- a saudo e ela me brinda com um sorriso- com fome?- mostro a mamadeira pra ela.

- dadadada- vejo ela babucilar enquanto aponta para a mamadeira.

- nananinanão- faço não com o dedo - primeiro a senhorita vai tomar um banho e depois o mama- a vejo fazer um biquinho- oras uma princesa que não gosta de banho? Sera que ela quer ser a princesa porquinha- faço cosquinhas nela e a sinto gargalhar.

- yun mama non- paro na hora a ouvir ela tentar falar.

- o que voce disse?- vejo seus olhos curiosos.

- yun mama- ela diz agarrando a minha camisa, e na força da emoção a pego no colo e rodopio com ela pelo quarto.

- você falou Noelle! Sua primeira palavra foi meu nome- estou com ela a menos de uma semana e sinto como se fosse a minha vida inteira, havia me esquecido da emoção de ter uma criança perto, a ultima vez foi quando ainda estava com o Asta- voce é meu sonho Noelle, vamos comemorar sua primeira palavra!

- yun yun yun- ela me abraça - mama mama yun!

-que menina exigente, mais primeiro banho- e sem delongas a levo para o banheiro e a banho, tomando cuidado com seus cabelos…

Após o banho a coloco em um vestidinho lindo na cor amarela, arrumo seus cabelos em duas marias chiquinhas e coloco duas xuxinhas de flores na cor azul, ela tem coisas muito delicadas.

- uma perfeita princesa- bico seu nariz e a vejo olhar para o mama- agora sim vamos encher esse buchinho…- acaricio sua barriguinha.

Dou a mamadeira a ela, ajudando levemente, a primeira palavra dela foi meu nome, claro que nao perfeitamevre mais foi! Minha felicidade não se compara. Acabo de alimentar a pequena e planejo sair com ela para o jardim. Me falaram que a mãe do meu noivo amava flores e a cultivava com a irmã, e posso falar o jardim é incrivelmente belo. Noelle esta em êxtase por estar ao lado de fora, ela não desgruda de seu coelhinho e isso é uma cena fofa, ver o olhar curioso escaneando cada parte do lugar.

Coloco a pequena no chão e a encaro enquanto brinca com a grama, a vejo se divertir com esse novo mundo até então desconhecido para ela, me sento em um banco de jardim.

- o que faz aqui - escuto uma voz firme e olho pra cima me deparando com o Nozel.

- bem vim trazer a Noelle para dar uma volta - aponto pra pequena perdida em seu mundinho - sabe tomar um banho de sol e absorver vitamina D- provoco.

- ela não deveria estar aqui fora- ele diz a encarando.

- e porque não?- digo já irritado e me levanto ficando cara a cara com ele - diga por que ela não deveria estar aqui?- o vejo vacilar.

-porque esse jardim foi construído pela minha mãe e ela a matou- vejo que seus olhos mentem.

- a sua mãe e a mãe dela também- aponto o dedo - ela é uma criança pequena e pelo que eu ouvi tem uma parte desse jardim que foi feito pra ela!


Espaço de tempo



Enquanto discutiam, ambos não notaram que a pequena aventureira estava se arrastando para uma área perigosa, estava casa vez mais próxima do lago, e isso tudo apenas pra seguir um sapinho. Ela e seu fiel amigo estavam juntos, e a pequena criatura não pode deixar de se encantar por aquela visão, parecia a banheira que Yuno a banhava mais com muito mais espaço e água e claro patinhos de verdade, e sem noção do perigo a bebê apenas se aproximava cada vez mais do lago e subindo na ponte.



De volta a discussão




- quer saber de uma - grito com Nozel- vou levar Noelle para passear na capital real, afinal lá ela não terá privações- digo ácido.

- modere seu tom de voz- eu o ignoro e me viro para pegar a Noe. Mais cade ela? Sinto meu coração falhar.

- cadê a Noelle?- digo preocupado e ele me olha, parando de falar- ela estava aqui!

- você não consegue nem cuidar de uma criança - noto o desespero no seu tom de voz- vá para a a esquerda e eu pela direita…

Sem discutir acato a sua ordem, nesse momento Noelle é mais importante pra mim do que meu orgulho. Esse jardim é gigante demais, onde será que ela foi parar? Me questiono mais ao olhar para uma ponte pequena em cima do lago sinto que posso morrer… Noelle está em pé tentando andando rumo a água.

Sei que não posso gritar para não assustar ela, não quero que ela se machuque, vou andando devagar e sem fazer barulho, não desgrudando meu olho dos dela, e quando me aproximo para pegar ela cai no chão ao lado e sem notar me inclino pra frente caindo em cima de alguém fecho meus olhos e sinto tocando meus lábios em um selinho, uma onda de choque invade meu corpo e fico com medo de olhar mais a curiosidade me vence, abro os olhos para notar que estou deitado em cima do Nozel com bochechas vermelhas, ficamos paralisados até ouvir o som do riso da Noelle.

- yun, yun- ela bate palminhas- zel zel e ele- a vejo tentar falar e sinto Nozel a encarando com um brilhos - mila ele!

- sua travessa!- saio de cima do Nozel, perdendo o seu calor e pego Noelle- não me assuste assim! Nunca mais! - a abraço forte e beijo a sua testa- obrigado por me ajudar a encontrar ela- falo baixinho.

- não tem problema, apesar de tudo ela ainda é uma Silva - sorrio, eu sei que em algum lugar no fundo, bem fundo, no mais profundo do coração dele, existe algum sentimento e eu quero despertar isso!

- bem eu fiz uma torta ontem e pensei em comer aqui com a Noelle, como um pequeno almoço- começo - se não estiver muito ocupado pode se juntar a nós…- ofereço esperando a sua negativa

- okay pode ser.- me assusto.

- bem então segure a Noelle - passo ela pra ele e a vejo se agarrar em seu pescoço, até onde sei nenhum dos seus irmãos a pegaram no colo, então ela está aproveitando- já volto.

Saio de volta ao palácio e pego a torta junto do suco de maçã. Volto para o jardim pra vem Nozel e Noelle sentados, a última agarrada nele, o que me é estranho já que a criaturinha não é de ficar quieta.

Sem mais palavras, arrumo tudo e pego Noelle para alimentar ela, sei que ela gostou, afinal ela ama a minha comida.

- essa torta é de que?- pergunta Nozel.

- é de amora- sorrio - eu fiz ela ontem com as amoras que Angel me trouxe, porque não gostou?

- você a fez?- diz surpresso - ela está deliciosa e nostálgica parece a que a minha mãe fazia, não imaginei que um príncipe soubesse cozinhar…

- há muitas coisas que você não sabe- sorrio essa é nossa primeira conversa civilizada e leve.

- acho que irei descobrir…

 Assim terminamos nosso pequeno almoço, com conversas com ouvindo a risada da Noelle, até a mesma cochilar e eu a levar para o quarto. Não foi como o planejado pra hoje, mais foi incrível…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...