História Destiel - Bipolar! - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Como eu disse, a escrita está melhor agora. Espero que gostem e deem feedback ❤️
obrigado e boa leitura.

Capítulo 2 - Segredo de Castiel


Fanfic / Fanfiction Destiel - Bipolar! - Capítulo 2 - Segredo de Castiel


Terminamos de jantar. Na mesa, comemos normalmente, só que Bobby parecia triste com alguma coisa, no entanto ele, provavelmente, não desejava falar sobre. Eu não o conheço muito, afinal me mudei faz pouco tempo, portanto não sei sobre seus problemas e conflitos, mas eu sei quando alguém está preocupado com alguma coisa. Pensei em perguntar para ele, porém mudei de ideia bem rápido, apenas me levantei e fui para o meu quarto descansar, amanhã tinha mais trabalho.

Acordo com a luz, que ultrapassava as janelas do quarto, sufocando meus olhos. Durante o caminho para o banheiro, me espanto. Surge as lembranças do sonho que tive mais cedo, sonho que não sei o porquê tive. Estava em uma rua escura, uma rua de aparência perigosa, com uma fumaça tampando minha visão e morcegos me impedindo de escutar em volta. Quanto mais caminhava sobre a rua sombria, mais desespero eu sentia, até que, em um mísero instante, vejo, em meio àquela fumaça cinzenta, um contorno feminino com o braço estendido em minha direção, como se estivesse me chamando. E, no momento que corro em sua direção, o mesmo contorno some, porém, ao mesmo tempo, toda aquela escuridão também desaparece, e uma luz azul, cor do oceano, era emanada do sol que brilhava logo após o céu se abrir naquela rua. Quando olho para trás... me assusto. Era o atendente da loja de doces, o mesmo que conversei ontem na saída da sorveteria, me olhando sorridente.

Não me lembrei de mais nada, mas foi o suficiente. Por que sonhei com aquele vendedor? E quem era a dona daquele contorno misterioso na fumaça? Sonhos não fazem sentido mesmo. Ao sair do banheiro vou ao andar de baixo, onde Bobby e Sammy estavam tomando o café da manhã.

- Bom dia! - Uma voz rouca, como se tivesse gritado loucamente no dia anterior, saia da minha garganta.

- Bom dia, irmão! Você tem que ir trabalhar hoje também? - Com um olhar carente, Sammy pergunta.

- Claro Sammy, preciso ganhar dinheiro para sair daqui vivendo do favor do tio Bobby. - Digo com um tom risonho, mas Sammy abaixou a cabeça e comeu seu cereal. Ele estava triste? Não faz nem dois dias que estou aqui... ele nunca foi chegado em mim antes! 

Termino de comer e vou até a sorveteria, não posso me atrasar no segundo dia de serviço. Sob um céu nublado, sigo em uma velocidade acima do normal, não posso tomar chuva antes de chegar. Durante o caminho passo em frente a loja de doces, algo me diz que eu deveria me lembrar de algo, no entanto nada passa pela minha cabeça no momento. Um rapaz de olhos azuis e bem apresentável abria a loja, ao olhar em seus olhos me lembro do sonho que tive mais cedo, eram idênticos. Nos cumprimentamos apenas com a cabeça e eu continuo acelerando o passo até chegar na Sorveteria Harvelle.

- Chegou cedo, Dean. Abrimos agora pouco e ainda não há clientes. Se caso já quiser se preparar para atender... fique à vontade.

- Claro, Estou indo... Mas antes... você poderia me tirar algumas dúvidas sobre o atendente daquela loja de doces? Jô. - Ela me olha um pouco desconfiada.

- Por que quer saber sobre ele? Já o conhece?

- Não exatamente! Vi ele em outro lugar e queria saber mais sobre. Sabe de algo sobre ele? - Eu insisto. Ela parece estar desconfiando cada vez mais.

- Sei um pouco sim, afinal nós já namoramos! Bem pouco mas já. Quer saber sobre o que exatamente? O Nome dele? Ele se chama Castiel.

- O que ele faz da vida sem ser cuidar da loja?

- Aquela loja não é dele, a loja é da familia Shurley, a familia com uma reputação não muito boa. Falam que eles são satanistas, pois um dos filho se chama Lúcifer, o mesmo filho que manda na loja que o Castiel trabalha. - Senti um calafrio após ouvir aquilo. - Enfim, o Castiel cuida de sua irmã Claire que está muito doente, ele precisa ganhar dinheiro para ajudá-la, só que ele não ganha muito na loja. Nós nos separamos quando eu descobri que ele se prostituía. Parece que ele desistiu após ganhar uma boa quantia e conseguir comprar os remêdios da irmã, mas ainda falta um boa quantia para pagar a cirurgia. Quer saber mais o que?

- Por enquanto é só, obrigado Jô. Vou ao trabalho agora, com licença. - Nem percebi na cara que a Harvelle fez, apenas fui ao meu posto me preparar para atender os clientes.


Mais um dia monótono na sorveteria, porém faltando alguns minutos para terminar o meu espediénte, o olhos azuis da loja de doces, Castiel, aparece lá.

- Olá. Ei, você é o moço que passou na loja de doces ontem à noite, certo?

- Você tem uma boa memória! Sim, eu passei lá ontem. - Suando frio e ao mesmo tempo admirando a beleza do rapaz. Eu tentava não demonstrar, mas ele parecia estar percebendo.

- Não tenho uma boa memória, apenas não consigo esquecer alguém interessante, alguém que me chama atenção. Saiba que eu sonhei com você, mas não sei o seu nome... o meu é Castiel, Castiel Novak.

- C-claro. Me ch-chamo Dean Winchester. Estranho ter sonhado comigo... não acha?

- Para falar a verdade não, não acho nem um pouco estranho. Você é tão... diferente. Esquece, só vim comprar um sorvete para minha irmã. Ela gosta de sorvete de pistache, com cobertura de limão. - Queria continuar a conversa, estava ficando muito boa. Ele me pareceu estar jogando charme em mim, mas deixei de lado e o entreguei o pedido. Ele sorriu lindamente e agradeceu.

- Obrigado, Castiel, volte sempre.

- Pode esperar que eu voltarei sim! Principalmente quando estiver atendendo, Dean Winchester.

Ele deu uma piscadela que me derreteu. Mas por quê? Prefiro deixar pra lá e vou embora. Pensamentos indesejáveis fluíam, saber que ele se prostituiu ajudou minha mente a pensar mais besteiras do que o normal, por que isso está acontecendo? Desde quando uma simples pessoa consegue fazer isso comigo?


Já em casa, meu tio Bobby e meu irmão Sammy não se encontravam, tentei ligar e nada. Esperei enquanto fazia a Janta, porém nenhuma pista de onde poderiam estar. Vou à procura deles, primeiro na casa das Harvelle, o lugar mais óbvio. A única coisa que consegui foi preocupar elas. Depois de 30 minutos após procurá-los e sem sucesso decido ir dormir, torcendo para que amanhã eles já estejam em casa.

No dia seguinte sou acordado com barulhos de correntes batendo na madeira, estranhei e fui ver o que havia acontecido. A cama dos dois estavam vazias e arrumadas e eles ainda não estavam em casa, o barulho estava um pouco alto, mas mesmo assim não consegui descobrir de onde saia. Indo em direção ao quarto de hospedes que havia na casa, ouço mais claramente o som das correntes. Estava vindo do porão. A entrada era uma pequena porta de madeira oca no chão, ao abrir me deparo com escadas que levavam à um lugar escuro e sujo. Chegando, olho para todas as partituras daquele lugar e o barulho das correntes me avisava que havia uma pessoa presa ali com fita na boca, com as duas mãos presas e com seu sobretudo rasgado e todo encardido.

- ... Castiel?!

...


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...