História Destinada - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Juugo, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Madara Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki
Tags Ação, Aventura, Disputa, Drama, Hinata, Inveja, Itachi, Juugo, Juusaku, Kabuto, Karin, Lutas, Madahina, Madara, Naruhina, Narusaku, Naruto, Obito, Orochimaru, Rapto, Romance, Sasuhina, Sasuke, Suigetsu, Suikarin
Visualizações 568
Palavras 3.747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores!
Estão bem? Espero que sim!
Estou vindo para trazer o tão esperado capítulo 1, sinceramente acho que fiz um ótimo trabalho na escrita dele. Kkkk
Vão todos continuar no mesmo ritmo de 4 mil á 3 mil palavras, ou até mais se a inspiração bater muito forte! :3

Capítulo 2 - Cap. I - Missão e Rapto


Missão e Rapto

(4 meses depois...)

As folhas secas começavam a cair das árvores, lembrando a todos os moradores que o verão acabará dando início ao outono em Konoha. Alguns moradores já estavam de pé, caminhando pelas ruas de Konoha, outros se mantinham dentro de suas casas recém reformadas após a luta contra Pain, muitas áreas da Aldeia tiveram de ser reformada por causa do dano absurdo que sofreu. Os moradores tentavam seguir com suas vidas normais, esperando que o tempo curasse as feridas causadas pelas perdas de seus entes queridos que deram suas vidas pela Aldeia da Folha.

A paz que reinava a praticamente quatro longos meses, lhes davam uma pequena esperança de que tudo havia terminado. Ainda sim, alguns tinham medo da possível iminência de guerra que era discutida por outros.

Desde o dia em que retornou a vida, Uchiha Madara não foi visto ou causou se quer algum ataque contra as vilas, apenas pequenas informações chegavam aos seus ouvidos sobre a possível localização do Uchiha em um lugar perto de Konoha. Informações que não tinham sido checadas, causavam uma incomoda preocupação em quase todas as vilas.

Em seus relatos Madara estava a criar sua própria vila, em Na no Kuni mais conhecido como País dos Vegetais, localizado perto da fronteira que ligava Konoha ao deserto de Suna. A proximidade causava um alarde entre o Hokage e o Kazekage, temendo que os planos do Uchiha seja na verdade por criar um exercício de ninjas para destruir ambas as vilas.

Já no clã Hyuuga tudo estava calmo, todos estavam de luto pela morte do gênio do clã Hyuuga Neji, a falta do rapaz foi sentida até mesmo por moradores da vila. Neji não era a pessoa mais gentil do mundo, mas acima de tudo foi alguém que cresceu como pessoa ao longo dos anos e se tornou querido. A morte precoce do rapaz na luta contra Pain, para proteger a primogênita e possível futura líder do clã abalou muito mais a Hinata. Ela foi quem mais sentiu a falta da presença do rapaz, vendo que todos em seu clã lhe direcionavam olhares acusadores.

Como se já não bastasse a dor que a pobre garota sentia, culpava-se pela morte do primo, e quando lembrava que Naruto nem se quer lhe dirigiu uma palavra após o ocorrido lhe doía duas vezes mais. Jamais iria exigir afeto do loiro, apenas não queria vê-lo se afastar de si de tal maneira, ignorando sua existência e acabando com a amizade que um dia ela achou que tiveram.

Mas um dia estava começando, Hinata acabará de tomar seu banho e fazer sua higiene matinal, estava sentada em frente a sua penteadeira com um pente em sua mão direita, desembaraçando os seus longos fios de cabelo.

Quando um Anbu surgiu em sua janela, em uma nuvem de fumaça.

— Hinata-sama, o Hokage solicita sua presença em sua sala imediatamente. — avisou o Anbu, sumindo em seguida em outra nuvem de fumaça, assim como havia surgido sem esperar por uma resposta da jovem.

A jovem depositou o pente em cima da penteadeira, empurrando a cadeira para trás e se colocando de pé. Caminhou até a porta do seu quarto abrindo-a, e dando de cara com Hanabi.

— Ohayo, nee-san. — disse a mais nova, sorrindo para a irmã.

— Ohayo, Hanabi. — disse ela, retribuindo o sorriso da mais nova. — Por favor, avise ao Otou-san que fui ao prédio do Hokage-sama. — pede, andando pelo corredor com Hanabi ao seu lado.

— Pode deixar, nee-san — respondeu Hanabi.

Hinata agradeceu sua irmã, enquanto desciam as escadas, Hanabi tomou a direção da sala em que tomavam seu desejum e Hinata gentilmente cumprimentou alguns empregados que estavam limpando a sala, dirigindo-se até a porta da casa principal do Clã Hyuuga.

Já fora dos portões do clã passou a caminhar fitando o céu azul celeste e limpo de nuvens, apenas uma hora ou outra parava de admirar o céu para cumprimentar algum morador da vila.

Já estava perto do prédio do Hokage, caminhava tranquilamente e distraída em seus pensamentos. Que a levaram novamente a cena da morte de Neji, foi algo doloroso de se ver e lembra era pior.

A jovem Hyuuga estava tão distraída em pensamentos, que nem percebeu a presença de Naruto e Sakura discutindo logo a frente.

— Ohayo, Hinata! — pronunciou a rosada, atraindo a atenção da morena. Que sorriu minimamente para a rosada, mas logo percebeu a presença de um certo loiro de olhos azuis fazendo com que o sorriso sumisse.

— Ohayo, Sakura-san e Naruto-kun. — os cumprimentou, vendo Naruto lhe fitar sem graça, mas logo desviou o olhar para qualquer canto.

— Ohayo, Hinata-chan. — disse o loiro, com a mão esquerda atrás da cabeça e fitando qualquer ponto que não fosse a Hyuuga.

— Estavamos indo tomar café da manhã, aceita ir com a gente? — pergunta a rosada, distraída ao clima estranho entre os amigos.

— Desculpe, mas terei de recusar Sakura-san, o Hokage-sama deseja me ver. — respondeu de imediato, sentindo-se incomodada com o jeito do loiro consigo. — Preciso ir, até mais. — disse ela, voltando a caminhar sem olhar para trás.

— Que pena que a Hinata não pode ir. — comentou a rosada, observando a morena seguindo seu caminho.

— É. — concordou o loiro ao seu lado, sem olhar para a morena. — Mas vamos logo Sakura, estou faminto. — disse o loiro, querendo encerrar o assunto.

Hinata cumprimentou os ninjas na entrada do prédio do Hokage, seguindo pelo corredor, até parar em frente a porta da sala do mesmo. A morena levantou sua mão esquerda e deu umas batidinhas de leve na porta, esperou até ouvir um "entre", para abrir a porta e entrar. Estava apenas o Hokage na sala, Hatake Kakashi o novo Hokage estava sentado atrás da mesa, cheio de documentos empilhados ao seu lado, no seu rosto poderiam ver marcas de noites mal dormida, toda aquela situação envolvendo Uchiha Madara o mantinha mais preocupado. Mas necessitava mais de dormir um pouco então resolverá que hoje iria para sua casa mais cedo e descansaria afinal não poderia adoecer e os problemas não seriam resolvidos só porque ele estava ali.

— Queria me ver Hokage-sama? — perguntou a morena, após fazer uma breve reverência respeitosa.

— Sim, Hinata, por favor sente-se. — desviando o olhar dos papéis passando a fitá-la. — Tenho uma missão para você. — Kakashi puxou um documento estendendo com a mão na direção da Hyuuga que pegou o mesmo. — Leia, por favor.

Hinata passou rapidamente os olhos pelo documento que relatava que foram vistos Uchiha Madara e Uchiha Sasuke no País dos Vegetais.

— O que quer que eu faça? — pergunta, assim que terminou de ler.

— Quero que vá até o País dos Vegetais e cheque se essa informação está correta. — diz, sem desviar os olhos da Hyuuga. — Preciso saber se realmente é verdade, que Sasuke se juntou ao Madara. E se tem algo de suspeito nessa possível aliança deles. — explicava Kakashi, Hinata ouviu tudo prestando bastante atenção.

— Quando eu vou? — pergunta, fitando Kakashi.

— Amanhã cedo, e essa missão Hinata é de extrema confidencialidade, por isso você irá sozinha. — explicou ele. — Sei que é um pouco perigosa, mas tenho certeza que você é capaz de efetuá-la tranquilamente. Quando retornar venha direto para o meu escritório e não converse com ninguém. — continuou Kakashi.

— Ok, farei o meu melhor. — respondeu, ao Hokage. Estava feliz pela confiança do Hokage depositada em si, para cumprir uma missão tão importante.

— Pode ir agora, tem que arrumar suas coisas e avisar ao seu pai.

— Hai. — disse ela, levantando-se e fazendo outra reverência antes de sair da sala.

Hinata saiu do prédio e foi para a floricultura dos Yamanaka, lá comprou algumas flores e foi até o cemitério. Parou em frente a lápide de Neji e se agachou depositando as flores e retirando as outras que já estavam muchas e ressecadas.

— Vim trazer flores novas, espero que goste Neji-nii-san. — mumurou, fitando a lápide. — Ficarei alguns dias fora, pois sairei em missão, mas assim que eu retorna virei lhe ver e trazer novas flores. — Hinata se levantou, batendo as mãos sobre suas roupas, para retirar a poeira.

Ela retornou para o seu clã, ao passar pelos portões viu seu pai a sua espera, ao seu lado havia dois conselheiros do clã.

— O que o Hokage queria? — pergunta Hiashi, fitando sua primogênita.

— Fui convocada para uma missão, Otou-san. — respondeu.

— E quando você vai? — pergunta Hiashi, sem muito interesse.

— Amanhã cedo. — respondeu ela.

— Vá arrumar suas coisas, quando terminar vá para a sala do conselho. — diz, lhe dando as costas junto aos dois conselheiros.

Hinata nada disse apenas subiu para o seu quarto, pegou sua bolsa de arma averiguando se estava faltando algo. Também depositou duas muda de roupa em sua mochila, medicamentos e suprimentos.

Estava terminando de ajeitar tudo dentro da mochila, quando alguém bateu na porta do quarto.

— Pode entrar. — disse ela, sem desviar os olhos do que estava fazendo.

— Hinata-sama, desculpe incomodar, mas seu pai pediu para lhe trazer. — uma empregada estava parada na porta do quarto da Hyuuga, em suas mãos carregava uma bandeja com um lanche e frutas. Hinata acenou com a cabeça para que a mulher entrasse, e a mesma deixou a bandeja sobre a cama da Hyuuga. — Quando terminar é só chamar, que virei buscar.

— Obrigada. — agradeceu, deixando a mochila de lado e indo até a bandeja. Estava faminta, não havia comido nada ainda e seu estômago já estava a ponto de reclamar.

Hinata devorou o lanche todo e após terminar saiu do quarto com a bandeja em mãos, foi até a cozinha e a deixou lá. Depois seguiu para a sala do conselho, que estava cheia.

— Sente-se Hinata. — disse seu pai. E foi o que a jovem fez, todos os olhares estavam sobre si. — Está aqui por que foi decidido que você não será a próxima líder do clã, você não é qualificada para tal cargo Hinata, por esse motivo Hanabi que será minha sucessora. — disse Hiashi, sendo direto sobre o que se tratava.

Hinata ouviu cada uma das palavras ditas por seu pai, sem si quer demonstrar algo, os conselheiros lhe olhavam com pena ao mesmo tempo que com desprezo. Ela sabia que não séria a líder do clã, como também sabia que todos ali não gostavam se quer de sua presença.

— Entendo. — foi tudo que ela disse, já acostumada a ser taxada de fraca pelo seu próprio clã, já não doía tanto como antes. — Posso me retirar? — pergunta, querendo voltar para o seu quarto e terminar o que faltava para sua missão.

— Sim. — disse Hiashi, surpreso pela indiferença da mesma.

A jovem saiu da sala sem olhar para trás, se fosse sua antiga eu, nesse exato momento estaria chorando feita uma criança. Mas havia amadurecido a tempos, já não se importava tanto com o que as pessoas do seu clã pensava sobre si. Neji antes de morrer, lhe mostrou que ela era uma pessoa forte e que independente do que lhe dissessem não se deixasse abalar por meras palavras. Era isso que estava tentando fazer, só não sabia por quanto tempo conseguiria suportar e ser forte.

Hinata passou o resto do dia trancada em seu quarto, como vinha fazendo desde a morte de seu primo. Já não comia na sala junto ao seu pai e Hanabi, sempre arrumava uma maneira de escapar.

Já passavam da nove horas quando Hinata, tomou um banho e vestiu seu pijama para dormir. Não foi difícil pegar no sono, apenas o pesadelo que vinha lhe atormentando a meses que atrapalhava seu sono.

Acordou na madrugada suada, respirando forte e com lágrimas nos olhos. Se sentou na cama, limpando as lágrimas com as costas da mão e normalizando sua respiração. O sono já havia ido embora, por isso resolver se levantar e tomar um banho para tirar o suor do corpo.

Vestiu suas roupas ninjas ao sair do banho, penteou seus cabelos e parou em frente a janela do seu quarto. Admirando o amanhecer, que trazia consigo um novo dia.

Pegou sua mochila colocando em suas costas e sua pequena bolsa de armas, saiu do quarto, vendo poucos empregados pelo corredor naquele horário, desceu as escadas indo em direção a cozinha. Pegou apenas uma maçã, não estava com fome e foi para fora de casa.

Caminhou tranquilamente para fora dos portões do clã, a vila estava pouco movimentada e o clima agradável.

Agradeceu por não ter encontrado Naruto ou Sakura pelo caminho, já estava próxima ao portão da vila. E já pensara na missão, que levaria em torno de duas semanas para ser completada. Se não parasse para descansar, levaria em torno de dois dias para chegar no País dos Vegetais, o mais seguro era fazer paradas por ser um caminho perigoso, o que resultaria em um dia a mais para chegar.

Ao passar pelos portões de Konoha, passou a correr para a floresta, só esperava não ter nenhum imprevisto pelo caminho.

X-----------------------------------

-------------------------------------------

O sol estava bem quente quando Hinata revolveu parar para descansar, sua resistência estava um pouco baixar por conta do calor. Parou para descansar por apenas dez minutos, onde se hidratou e comeu um bolinho de arroz.

A Hyuuga não parou mais para descansar até anoitecer, como qualquer ninja sabia que seguir a noite era burrice, acabou dormindo em cima de uma árvore.

Assim que o sol nasceu tomou seu café e seguiu seu caminho, se continuasse naquele ritmo chegaria hoje a noite no País dos Vegetais.

A morena correu por horas até ouvir o som de uma cachoeira, seguiu para a mesma. O lugar estava vazio, Hinata se agachou perto da água enchendo sua garrafa, e se banhou para se refrescar um pouco.

Mal deu dois passos para seguir em frente e uma kunai foi lançada em sua direção, que desviou com facilidade, já fazendo os sinais do selo com as mãos e ativando sua kakkei genkai.

— Byakugan!

As veias saltaram em torno dos seus olhos, deixando evidente sua linhagem. A morena passou rapidamente os olhos pelo local vasculhando o lugar que estava os inimigos, visualizando apenas dois ninjas em uma árvore. A toda velocidade ela se moveu, pronta para atacá-los com seu punho gentil, no entanto eles desviaram. Com a proximidade Hinata pode observar melhor os dois ninjas, o primeiro homem havia longos cabelos laranjas e olhos castanhos e ao seu lado o outro era um homem bem grande e musculoso de cabelos negros e olhos azuis.

Outra kunai foi lançada na direção de Hinata, diferente da outra essa havia um papel bomba implantado no cabo, a morena desviou com facilidade, mas algo estava errado. Ao ser atacada pelo homem de cabelos negros, teve dificuldade para desviar, como se seus movimentos estivessem mais lentos.

Sua visão começou a ficar turva, e a morena se assustou ao ver que estava perdendo os sentidos. Como isso havia acontecido? Ela tentou pensar em algo, lembrando da fumaça da bomba, só poderia ter alguma toxina nela.

A pobre Hyuuga não teve tempo de pensar em mais nada, caiu no chão desacordada em meio a batalha. o ninja que havia lançado as kunai's na kunoichi, saiu do esconderijo que estava. Era um rapaz jovem de cabelos loiros e olhos lilás, ele olhou para os companheiros como se dissesse algo e o homem musculoso pegou a Hyuuga desmaiada, jogando-a sobre o seu ombro esquerdo.

— Nosso chefe ficará feliz. — comentou o loiro, que já começara a correr para as árvores a frente dos outros dois ninjas.

— Não sabia que era tão fácil capturar um Hyuuga, eles são tão fracos. — murmurou, o moreno musculoso.

— Ou talvez apenas ela seja fraca, Tadao! — rebateu o outro ninja, chamando o companheiro pelo nome.

— Não importa, o que importa agora é que vamos ganhar uma grande recompensa. — disse Tadao. — Yoshiro, o que pensa em fazer com o seu dinheiro? — pergunta, fitando o ninja ao seu lado.

— Bebidas e mulheres. — respondeu Yoshiro, se perdendo em pensamentos nada inocentes.

— Você não muda mesmo! — diz Tadao, rindo do jeito do companheiro.

— Vamos acelerar galera. — pediu o loiro. — Quero entrega ela logo.

— Calma Daichi! Ela não vai acordar tão cedo. — diz Yoshiro.

Eles levaram a jovem até o lugar que estava o acampamento usado por eles, lá havia quatro barracas armadas e uma fogueira no centro. Sentado em frente a fogueira estava um homem moreno de olhos verdes, com a pele do rosto já enrugada pela idade avançada.

— Hideki-sama, lhe trouxemos um presente. — disse Daichi, atraindo a atenção do homem.

Tadao depositou o corpo de Hinata sobre o chão próximo a fogueira, o homem então se levantou curioso. Ele se aproximou da jovem desacordada, estudando seu rosto e corpo apenas com os olhos.

— Uma Hyuuga? — pergunta, fitando seus homens.

— Sim, senhor. — respondeu Yoshiro, vendo os olhos de seu senhor brilhar.

— Dessa vez vocês se superaram! — disse ele. — Não é um Uchiha, mas o clã Hyuuga não deixa de ser tão poderoso quanto eles. — diz, analisando a situação. — Amarrem-na naquela árvore. Não quero que ela acabe fugindo.

Tadao levou o corpo da jovem até a árvore, enquanto Daichi pegava uma corda em sua mochila para amarrar a jovem.

Hinata não soube dizer ao certo por quanto tempo esteve desacordada, sua cabeça estava latejando bastante, tentou abrir os olhos, mas não conseguiu por conta da dor. Esperou alguns segundos antes de tentar novamente, abriu os olhos e vislumbrou o céu estrelado.

Se assustou ao perceber que o dia já havia se transformado em noite, e ao lembrar de sua luta com os dois ninjas, tentou se mover, não conseguiu. Olhou para o seus braços e viu que estava amarrada a uma árvore.

— Droga! — praguejou a morena, se perguntando como pode ser tão burra.

Seus anos de treinamento para se tornar uma ninja forte, capaz de defender a si mesma e efetuar missões difíceis com maestria, não valeram de nada.

— Finalmente você acordou! — mumurou velho, atraindo a atenção de Hinata. — Me chamo Hideki e sou seu novo dono.

— Meu dono? — pergunta ela, sem entender. — Não sou um objeto ou uma mercadoria que se possa comprar para ter um dono! — respondeu, indignada por ser tratada como uma mercadoria.

— Infelizmente está errada, eu lhe comprei, minha querida. — murmurou o homem. — E logo arrancarei seus lindos olhos. — disse ele, fazendo a jovem arregalar os olhos assustada. — Eu queria os do Uchiha, por isso estava andando por aqui, mas os malditos são fortes demais.

— Onde estamos? — pergunta ela, querendo saber exatamente sua localização.

— Não sabe? Bom, irei lhe dizer, estamos perto do País dos Vegetais. — respondeu ele, sorrindo de forma estranha para a jovem.

Hinata ignorou o sorriso do homem sobre si, focando apenas no que ele havia dito. Estavam próximos ao País dos Vegetais, além de confirmar que os Uchihas estavam por aquelas redondezas. Agora só precisava se livrar das cordas e acabar com todos eles.

Se manteve quieta analisando tudo, até três ninjas aparecerem, lembrou de já ter visto dois dele, o terceiro era quem estava lançando as kunai's pelo visto. Ela agradeceu internamente por não ter sido revistada por eles, puxou uma kunai escondida ao lado da sua cintura dentro do short ninja e começou a corta a corda.

Estava fazendo tudo com cuidado para não ser pega por ninguém, aproveitando que os homens estavam distraídos comendo.

Quando finalmente conseguiu se livrar das cordas, se levantou já fazendo os sinais dos selos com a mão.

— Byakugan!

Sem dar tempo deles reagirem Hinata correu até o ninja mais próximo de si. Deixando-o em seu círculo de ataque, campo de alcance (Hakke), o ataque começa.

— Juukenhou - Hakke Sanjuuni Shou

O ninja de cabelos laranjas não teve tempo de fugir. Quando a Hyuuga começou a destribuir a sequência de ataques. Fechando 32 dos 361 Tenketsus do ninja, paralisando a circulação de Chakra por um tempo, e ferindo o interior do ninja que caiu desacordado.

A Hyuuga rapidamente fez o selo e fez uma rotação para dissipar o ataque do loiro, que criou uma onda usando um jutsu do elemento Suiton.

— Hakkeshou Kaiten!

Hinata tentou acertar o ninja a sua frente, mas ele era dominador do elemento Doton. Depois de bater no chão, uma parede defensiva se levantou, o protegendo.

A morena se afastou rapidamente concentrando chakra em suas mãos, focando em outro ponto.

— Hakke Kuushou!

Soltou uma grande rajada de ar, que acertou em cheio o loiro que estava mais afastado, faltando assim apenas acabar com o moreno e com o velho que dizia ser seu dono e querer roubar seus olhos.

— Agora só faltam vocês dois, melhor desistirem. — avisou a Hyuuga, fitando os homens.

— Acabe com ela, Tadao. — gritou Hideki. — Só não danifique os olhos!

Tadao moldou pedras, usando-as para atacar Hinata, que apenas esquivava. Já havia gastado chakra em um grande excesso, precisava terminar com a luta logo. Hinata tentou acertá-lo com Juuken Ryuu (Punho Gentil), mas Tadao foi mais rápido usando suas mãos sobre o solo, criando espinhos feitos de pedra no chão. Hinata tentou esquivar dando múltiplos saltos para trás, mas infelizmente o alcance do jutsu era grande demais e alguns espinhos lhe acertaram causando cortes e arranhões.

Para terminar logo com aquela luta ela correu até Tadao, usando as mãos para impulsionar o ninja, e logo depois lançou uma grande quantidade de chakra semelhante a uma rajada.

— Hakke Hasangeki!

Foi um golpe fatal por ter retirado quase todo o chakra do ninja, devido ao impacto. A morena se viu cansada, com o corpo dolorido e roupas rasgadas, ainda sim, permaneceu de pé caminhando em direção ao velho. Hideki olhava assustado para a jovem, eles não deveriam subestimá-la daquela forma.

— Por favor, deixe-me ir. — implorava o homem, achando que depois de tudo conseguiria a misericórdia de Hinata.

— Infelizmente não posso fazer isso, eu dei uma chance e vocês disperdiçaram. — disse ela, puxando uma kunai da sua bolsa de armas, presa em sua coxa e usando-a para atravessar o peito do homem em um ataque fatal.

A Hyuuga havia vencido a luta, mas estava quase sem chakra e machucada. Recolheu suas coisas com dificuldade, seguiria para o País dos Vegetais e lá descansaria.

   Porém não chegou a dar muitos passos e desmaiou por conta do cansaço.


Notas Finais


Desculpem caso tenha algum erro!
Espero que gostem, não tive tempo de revisar. x.x
Próximo capítulo trarei o Madara e Sasuke <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...