1. Spirit Fanfics >
  2. Destinados - (taekook, vkook) - ABO >
  3. Jeonggukie; 05

História Destinados - (taekook, vkook) - ABO - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Espero q vcs goxtemmm❤️
Esse capítulo até agr é oq eu mais gosto e tbm um dos mais importantes, ent espero do fundo do meu coração q vcs tbm gostem :)

Boa leitura e perdoem qualquer erro aaaa

Capítulo 5 - Jeonggukie; 05


Fanfic / Fanfiction Destinados - (taekook, vkook) - ABO - Capítulo 5 - Jeonggukie; 05

Bin Yonji havia acabado de chegar, onde Seokjin foi recepcioná-lo antes de subir as escadas e se trancar no quarto junto a Taehyung.


Isso era com certeza muito arriscado.


De qualquer forma, Seokjin estava tranquilo, pois de fato o ômega estava com o cheiro do moreno e isso era algo muito bom para disfarçar o seu aroma do olfato de Yonji. Ao contrário da maioria dos ômegas, Taehyung havia aceitado perfeitamente ser marcado daquela forma pelas roupas com o cheiro do moreno. Alguns ômegas podem ter uma certa repugnância disso, de cheiros de alfas que não sejam os seus próprios, e isso só se intensifica ainda mais se tratando de Almas Azuis, onde o lobo interior certamente surtaria ao estar com o cheiro de outro alguém que não seja o seu destinado.


Porém, Jeongguk é seu destinado, então está tudo bem.


O melhor ou até mesmo pior, é que o bronzeado nem sequer desconfia. Seu lobo aceitou de bom grado ficar com o aroma do alfa, aceitou completamente ser marcado assim, como se o garoto fosse uma propriedade de Jeongguk, e Taehyung nem sequer se deu conta. 


O garoto era ingênuo demais, e acreditava que tudo isso vinha de uma confiança que seu lobo tinha de Jeongguk. Uma confiança totalmente sem sentido e aleatória, que obviamente vinha da conexão pelos dois serem destinados, no caso, uma confiança que Taehyung não sabia a origem.


Para o ômega, essa confiança nasceu pelo fato do garoto ter realmente um bom coração. Ele o libertou, então certamente seu lobo ficaria grato por si. Taehyung ficaria grato por isso. Mas, ainda sim, para ele ter aceitado de boas essa "liberdade" – que por enquanto se baseia em viver na casa do alfa com a companhia de um beta e um casal de amigos que lhe tratam feito criança –, deveria ter muita confiança mesmo, pois o Jeon era literalmente um estranho, afinal de contas.

 

E tinha muita confiança, verdadeiramente. Mas isso da parte de seu lobo, porque o racional e humano de Taehyung permanecia em alerta, e por mais que de certa forma estivesse de guarda abaixada por confiar nos seus instintos, sempre ficaria suspeito para qualquer situação.


— Como está se sentindo? – o Seok perguntou ao ômega assim que entrou no quarto, lhe tirando de seus devaneios, assim como trancando a porta pelo fato de que o lobo no qual Taehyung repugna se encontrar lá embaixo.


— Bem...


De fato estava bem. O cheiro do alfa odiado por si ainda não havia aparecido, ou talvez simplesmente não tenha sido reconhecido por seu olfato. De qualquer maneira, estava bem tranqüilo com isso. E, só talvez, as roupas do alfa Lúpus podem ter contribuído para isso, já que Alecrim realmente lhe acalmava os nervos.


— Você está bem tranqüilo, Tae, mas do que eu esperava que ficasse. – Seokjin murmurou, pois de fato aquilo era muito estranho. 


Quer dizer, em partes, afinal todos tinham em mente de que Taehyung surtaria por ter Bin Yonji ali. Mas, ao mesmo tempo, tinha uma explicação coerente se tratando da tal confiança que o ômega dizia ter pelo Jeon.


— E-eu... Acho que é pelo cheiro de Alecrim... Esse cheiro me deixa calmo. – Taehyung respondeu, e por algum motivo não reconhecido por si, se encontrava levemente nervoso em afirmar isso. — Quando pequeno, minha mãe sempre me fazia chás de de Alecrim. Esse é meu remédio para toda gripinha ou mal estar. Ela dizia que de acordo com meu aroma, o meu destinado deveria ter esse cheiro, por isso me deixa tão bem... – Explicou-se.


— Ah... Você é um Alma Azul? – Seokjin fingiu surpresa, onde Taehyung assentiu um pouco sem jeito. Era interessante saber daquilo, ainda mais que só confirmava mais ainda que Taehyung e Jeongguk era de fato almas conectadas e ligadas uma com a outra, que eram realmente destinados. — E... Você conhece mais algum Alma Azul por aí? – fingiu se interessar, para tirar mais informações do bronzeado e dá-las ao Jeon depois, pois certamente seriam útil.


— Não... Quer dizer, na Casa dos Ômegas de que eu vim, tinha mais um Alma Azul... Mas nunca troquemos palavras.


Seokjin assentiu.


— Eu tenho um amigo beta, Jung Hoseok, que é um Alma Azul – o Seok dizia tendo a total atenção do bronzeado. — Ele tem 25 anos, e nada de encontrar a sua alma gêmea ainda… – Seokjin murmurou um pouco frustrado pelo próprio amigo.


— Eu tenho 24... – Taehyung abaixou a cabeça, onde Seokjin percebeu ter feito uma grande merda, matando as esperanças do garoto que na verdade tinha o seu destinado sobre o mesmo teto, conversando com Bin Yonji no andar de baixo.


— N-não! Quer dizer, Jeongguk tem 22 então pensei que você tinha mais ou menos essa idade. – Seokjin acelerou-se em explicar-se, onde Taehyung sorriu pequeno e inevitavelmente um pouco triste.


A ideia de morrer sozinho lhe parecia desesperadora.


Mas não ficou bravo com Jin por ter dito isso, afinal era apenas uma verdade. Uma triste verdade.


— O que Jeongguk tem a ver com isso? – sorriu sem jeito, tombando sua cabeça para o lado e franzido o cenho.


Seokjin engoliu seco, totalmente tenso. Como almas destinadas uma a outra, o Seok imaginou que os dois deveriam ter a mesma idade, por isso acabou falando aquilo mais no impulso, sem pensar.


— N-nada. Só pensei que vocês tinham a mesma idade.


Então, Taehyung apenas assentiu disposto a deixar aquilo de lado e não dar bola, afinal não era nada de tamanha importância. Se deitou na cama, abraçando as peças de roupas que cobriam seu corpo ao sentir uma pequena fisgada do cheiro do Bin.


Aquele cheiro lhe causava enjôos, mas o do Jeon lhe fazia bem, eliminando qualquer sensação ruim e mau estar de dentro de si.



[•••]



O processo da reunião de Jeongguk e Yonji no escritório foi muito mais tranquilo do que o esperado. O Bin não tinha nenhum pingo de desconfiança no moreno, até porque Jeon Jeongguk era conhecido como o melhor capturador de ômegas da região, e ninguém nunca havia reclamado de seu trabalho.


Todos ômegas que eram para Jeongguk achar e devolver, ele achava e devolvia. O mais demorado até então foi uma ômega que procurou durante duas semanas, pois o restantes eram questão de dias e até mesmo horas.


Com isso, Yonji aumentou a proposta de dinheiro que daria como recompensa ao Jeon, como uma motivação para achar o seu ômega o quanto antes. E Jeongguk assentiu, apertando a mão do senhor e dizendo que daria o seu melhor.


Mas nem sequer tentaria dar.


Para o velho acreditar em suas palavras e tudo coincidir de acordo com algumas filmagens que flagraram do Kim dentro de sua Van e até mesmo do garoto sendo capturado, Jeongguk mostrou a fechadura que continuava quebrada na jaula, onde mentiu que o ômega fugiu durante a noite enquanto si dormia, e agora não haviam mais vestígios do garoto por perto.


Voltaria a falsa caçada segunda-feira, – no caso amanhã –, e Jeongguk só queria ver o que seria de si indo atrás de algo que se encontrava em sua casa, e, também, o que faria por não levar nenhuma novidade a mais para o Bin e esse caso ficar completamente parado.


Jeongguk tinha que ser esperto, lhe trazer algumas pistas falsas e teorias falsas também para tudo ocorrer bem, pelo menos por enquanto. O fato era que um dia toda farsa se revelaria, o ômega já não estaria mais seguro e si provavelmente estaria atrás das grades. Não tinham como levar essa mentira enorme muito para frente, e Jeongguk tinha que pensar no que fazer quanto a isso o quanto antes.


E ao contrário dos pensamentos do alfa e do beta, o lance de Bin Yonji estar em sua casa ocorreu perfeitamente bem. Inclusive com o Kim mais novo no quarto junto ao Seok, que acabou adormecendo ao deitar na cama abraçando as próprias peças que lhe vestiam, com o aroma de alecrim invadindo suas narinas mesmo que minimamente, lhe deixando tranqüilo e seguro, independente de quem estivesse no andar de baixo.


Antes do Sr. Bin Yonji sair de seu escritório, entregou para o Jeon um cheque de 100 dólares para lhe mimar e ter a certeza de que o garoto faria um bom trabalho, alegando que aquele ômega era muito precioso para andar sozinho pela mata, e, muito menos, para Yonji perdê-lo.


E Jeongguk não esperava que tais palavras causassem tanto efeito em si, trazendo uma sensação incômoda e um mau estar para o seu lobo, que se revoltou-se com as palavras sujas proferidas pelo Bin. Mas, como já dito, Jeongguk era bem controlado, então manteve-se com modos.


Mesmo negando o cheque, Yonji insistiu e acabou que Jeongguk não teve outra opção a não ser ficar com o dinheiro sujo e sem significado dado pelo Bin, já que o ômega nunca voltaria para o velho, de qualquer forma.


Após ter certeza que o Bin já se encontrava longe de sua casa, Jeongguk subiu as escadas rumando ao quarto que se encontrava Seokjin e Taehyung, se deparando com uma surpresa ao abrir a porta do quarto e ver que o bronzeado dormia enquanto o beta lhe acariciava os fios, quase que a dormir junto ao bronzeado.


Jeongguk sorriu diante aquela cena fofa, pigarreando e vendo o acastanhado dar um pequeno pulinho na cama pelo susto, que limpou sua garganta e arrumou sua postura.


— Ele acabou dormindo por conta de seu cheiro. – o Seok apontou para as roupas largas que o garoto trajava, e que agora se encontrava com um moletom no qual antes não usava. Moletom esse que Jeongguk reconhecia muito bem. — Ele estava tremendo enquanto dormia, então supus que poderia ser frio e peguei um moletom seu para vesti-lo, já que seu cheiro de Alecrim lhe acalma.


O acastanhado explicou-se, onde o Jeon não pude conter um sorrisinho tímido que fez questão de nascer em seus lábios ao escutar tal revelação.


Seokjin se levantou da cama e andou até a porta, lançando uma piscadela para o moreno que continuava a sorrir, antes de se retirar do quarto para voltar aos seus afazeres e deixar os dois destinados sozinhos.


E o Jeon observou Taehyung enquanto dormia, que se encontrava tão lindo quanto com os olhinhos abertos e atentos a qualquer movimento suspeito a sua volta. Taehyung era tão adorável, que o Jeon chegava a sentir pena de tudo que cismou em acontecer justo na vida do pequeno.


Porém, agora ele estava ali para lhe ajudar. Estava ali para amar Kim Taehyung, e nenhum cheque de 100 dólares ou mais de meio milhão de wons pagaria por isso.


Aliás, o cheque para motivar o moreno a capturar o Kim, seria usado para comprar as roupas para o mesmo. Que irônico, não?


Jeongguk se sentou ao lado do bronzeado sobre a cama, mexendo em suas madeixas loiras enquanto gravava cada mínimo detalhe do rosto alheio em sua mente. Taehyung se remexeu um pouco na cama, fazendo Jeongguk entrar em alerta, assim como após abriu os olhos lentamente e logo voltou a fechá-los.


Era como se continuasse dormindo mesmo com os olhinhos abertos. Como se ter o Jeon ali ao seu lado lhe acariciando os cabelos não fosse algo preocupante para assustar-se e despertar-se. Pelo contrário, o bronzeado lhe segurou o pescoço se pendurando levemente no Jeon, enquanto grudava seu corpo ao do moreno e deitava sua cabeça no peito alheio, puxando o ar fundo e inalando o aroma de alecrim vindo direto de sua fonte natural.


Jeongguk continuou estático e com um coração estupidamente acelerado ali, no lugar. Calmamente, levou uma de suas mãos novamente aos fios do garoto e retornou a fazer a carícia no ômega dengoso que dormia em seus braços. Viu o garoto ronronar e constatou que ali era seu lado lobo tomando posse, e não de fato o Kim, o que de alguma forma deixou o Jeon cabisbaixo. 


Era como se o lado humano do Jeon já estivesse começando a criar sentimentos pelo Kim, e que também queria que o lado humano do garoto sentisse tudo aquilo.


Jeongguk abaixou sua cabeça lentamente e deixou um selar na testa do bronzeado, que fazia um beicinho enquanto dormia por conta dos lábios carnudos que tinha, se tornando quase uma tentação tirar seus olhos famintos daquele lugar.


Então, antes que a pressão fosse tentadora demais, Jeongguk ajeitou o bronzeado na cama e o tirou de seus braços, onde podia jurar que escutou um resmungo do garoto por isso. Assim, ía rumando para a porta do quarto.


— Jeongguk? – a voz de Taehyung soou doce e sonolenta, impedindo Jeongguk de continuar seu caminho para virar-se e observar o bronzeado de fios bagunçados e rostinho levemente inchado que lhe chamava.


— E-eu ía te dizer que estou indo agora comprar as suas roupas. – disse, ao que Taehyung olhava para seus trajes e notava o moletom que antes não usava. — Eu estou indo. Pode voltar a dormir, se quiser.


— Eu... – Taehyung disse antes que o moreno saísse pela porta, novamente o impedindo de continuar. Assim que tomou a atenção do moreno, desviou o olhar, como se pensasse no que iria falar ou como que iria falar. – O Yonji já foi? – claramente mudou de assunto, nervoso.


— Sim.


— E, hm... – Taehyung foi andando de joelhos pela cama, até chegar nos pés da mesma e descê-la, dando mais alguns passos antes de chegar em frente ao moreno e lhe envolver num abraço. — Obrigado. – sussurrou, ao que Jeongguk só sentia seu coração cada vez mais acelerado e quentinho. — Você tem um coração bom, Jeonggukie


E Jeongguk ficou ali, parado feito um idiota, tão estático que nem sequer retribuiu ao abraço, apenas assentiu tímido e saiu do quarto antes que o clima ficasse tenso demais, vendo o bronzeado voltar a se sentar na cama por cima de seus pés, nas roupas largas que trajava.


Então Jeongguk não é mais alguém “sem coração” como Taehyung havia lhe dito outrora na Van, que inusitadamente havia lhe marcado e machucado. E sim, que agora continha um “coração bom”. Isso era um avanço, com certeza. 


De fato, Taehyung tinha uma visão completamente diferente do Jeon agora. O moreno tem uma aparência intimidadora, tanto como lobo quanto humano. Tem uma aura poderosa e grandiosa, parece destemido e esperto. Mas, mesmo usando uma máscara e agindo como uma pessoa fria e sem sentimentos na maior parte do tempo para realizar seu trabalho, o Jeon tem o seu lado carinhoso e vulnerável. E o melhor de todos foi que Taehyung conseguiu achá-lo, tocá-lo e comove-lo, e agora estava aqui, na casa do mesmo, sendo protegido e estando seguro. Apesar dos maus entendidos e de uma péssima primeira impressão, o fato do garoto ter lhe livrado de voltar aos Bin's já foi algo muito significante para Taehyung. Muito mesmo, para constatar. Jeongguk tinha um coração bom e generoso, – apesar de tudo que já foi motivo o suficiente para Taehyung lhe odiar –, e essa era a visão de Taehyung do moreno, por isso julgava toda essa confiança vir daí.



E Jeongguk só se permitia sorrir diante a isso, andando escadas abaixo e saindo para fora de casa completamente aéreo e bobo, a procura de uma loja para comprar as roupas para o ômega adorável que habitava sua casa.





Notas Finais


Hehe, oq acharam???
GOSTARAM DOS TAEKOOKS FOFUXOS ALI?????

Aah, se quiserem dar uma passadinha na minha última one tk;; https://www.spiritfanfiction.com/historia/pink-floyd-and-love-letters-18500437


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...