História Destinados - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Aquarius, Bacchus Groh, Bickslow, Cana Alberona, Gray Fullbuster, Jenny Realight, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Nashi Dragneel, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Zeref
Tags Gray, Gruvia, Juvia, Lucy, Nalu, Natsu, Romance, Sangue, Zervis
Visualizações 165
Palavras 2.330
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obg pelos 87 favoritos
Qualquer erro peço desculpa


Boa leitura ❤❤

Capítulo 13 - Um toque...


Fanfic / Fanfiction Destinados - Capítulo 13 - Um toque...

Tanto Lucy como Juvia não dormiram de conchinha com os meninos mais sim um de costa para o outro. Toda dormiam profundamente já que a noite passada tinha sido bem exaustiva principalmente para as meninas que tiveram que aguentar tanto a briga no restaurante como o filme de terror.

A azulada se mexia bastante na cama assim fazendo o moreno arcada, ele acendeu a luz do seu abajur e olhou para a azulada e viu que a mesma estava suando muito. Ele começou a sacudir-la para ver se a mesma acordava, depois de uns minutos chamando o nome dela a mesma acordou assustada.

Gray- O que é era o sonho?- a mesma não falou pois estava ofegante, ela precisava de conforto e não demorou muito para a mesma o abraçar.

Juvia- F-Foi um p-pesadelo- falou com a voz trémula, o moreno começou a alisar os cabelos exóticos da azulada.

Gray- Quer me contar como foi o pesadelo?- falou com uma voz calma que conseguiu tranquilizar azulada.

Juvia- Juvia não gosta de ver o filme ou qualquer coisas com freira, Juvia tem…. como posso dizer….. Juvia tem um trauma com freiras- falou com voz baixa e chorosa.

Gray- Se não quiser me falar eu vou entender- a mesma voltou seu olhar para cima assim encarando os olhos azuis intensos do moreno.

Juvia- Desde que Juvia se lembra viveu em um orfanato de freiras até os 10 anos- o moreno ficou surpreso- antes do pai da Juvia casar com a mãe da Juvia, ele teve uma noite de solteiro e não acabou bem já que ele engravidou uma mulher, eles nunca se encontraram e acabou que ela engravidou- o moreno escutava atentamente- Aparentemente a mulher de cabelos loiros quase brancos tinha decidido que iria criar a sua filha só e não iria procura o pai, mas sua gravidez era de risco e no parto ela acabou falecendo- Juvia deu uma pausa- Como não foi encontrado nenhum parente que desejava ficar com a criança, já que a chamavam de aberração pelos seus estranhos cabelos azuis como o céu a menina foi para o orfanato.

Gray- Essa menina era você?- azulada concordou- vou repetir se não querer falar não precisa- a mesma balançou a cabeça negativamente.

Juvia- No orfanato as crianças chamaram a menina de monstro e devesses coisa que Juvia não prefere falar. A responsável pelo o orfanato era a única que a menina confiava, a madre deu o nome para a pequena azulada de Juvia, mas como a senhora já estava em idade avançada acabou falecendo quando Juvia tinha 5 anos. Logo depois entrou uma nova diretora do lugar e assim como as crianças ela desprezava e fazia de tudo para perturbá-la. Quando Juvia fez 7 anos a terrível madre falou para a pequena que iria levar a mesma para um dentista que iria ajudá-la a arrancar o seu primeiro dente solto de leite mas era mentira-  azulada ficou meio cabreira- a madre começou a tortura e fazer a cada tortura fazer a pequena se matar mas sempre lembrava das palavras da primeira pessoa que deu ela um amor de mãe:

“- Juvia sempre lembrem de nunca desistir e nunca deixar se abalar com a vida, não poderia estar com você  para sempre. Mas meu amor se tentarem te deixa para baixo ou pisar em cima de você, você pegará isso e transformar em sua força e nunca tente devolver na mesma moeda, para uma pessoa querer te fazer algo ruim pode ter certeza que algo fez ela ficar assim”.

Gray estava admirado com aquelas palavras, mas ao mesmo tempo sentia o ódio entrar em seu ser em pessoa naquela mulher que poderia fazer isso com uma criança inocente só por causa da sua aparência, com toda certeza o mundo está perdido se todos pensam assim, pensava o moreno.

Gray- Qual nome dessa Madre que disse essas palavras?

Juvia- Hana- Juvia deu um sorriso em se lembra dela, mesmo tendo passado tanto tempo azulada ainda se lembrava perfeitamente do rosto e dos sorriso da senhora.

Gray- Além de ser uma boa pessoa ainda tinha um lindo nome, o que aconteceu depois? Se eu estou sendo insensível peço perdão mas quero saber como termina a história.

Juvia- Tudo bem. Já tinha passado quase três anos dessas torturas infernais, nesse meio tempo Juvia tinha conhecido Mavis e ela sempre esteve ao lado de Juvia sempre fazendo tudo para animar Juvia. Uma semana antes do aniversário de Juvia a madre falou que iria tirar a inocência de Juvia com alguns homem em seu aniversário e claro a mesma ficou apavorada e tinha que fale com alguém, mas já fazia três meses que Mavis tinha sido adotada pela a tia de Lucy, mas antes de ir embora ela tinha deixado um telefone com Juvia. Juvia correu para o esconderijo dela onde estava o telefone não perdeu tempo e contou tudo para Mavis e a mesma falou que daria um jeito e que era para Juvia ficar tranquila. E foi isso que ela fez, quando a madre iria tentar algo com seus homens a polícia e o FBI chegaram e perderam todos integrante mas ante falou que iria se vingar. Mavis pediu para sua mãe adotiva adotar Juvia mas a mesma não quis já que sempre viajava e não conseguiria dar atenção para as duas, então pediu para sua amiga adotar. Mas quando ela foi ver a menina percebeu que ela era idêntica ao seu marido o que era estranho, ela cogitou em traição então fez o teste de D.N.A escondido de todos que no final deu positivo- ela pausa e dar um suspiro- Mas ela tinha achado estranho, pois depois de dois meses casado ele tinha sofrido um acidente impossibilitando de ter filhos, ela confrontou o marido e ele disse que não tinha traído ela, então ela pesquisou a data do nascimento da menina que tinha nascido com 9 meses e para isso ele deveria ter se deitado antes do seu casamento assim provando a inocência do marido. Assim Juvia teve uma família que a amava e dava carinho depois de muito tempo, bom essa é a história do trauma com as freiras- Gray deu um selinho nela.

Gray- Sua história é bem triste, mas se olhar quem é agora não poderia falar que sofreu tudo isso. Muitos se fecham para o mundo mas você não fez isso, você sobreviveu a tudo isso e ainda é uma pessoa amável e gentil. Eu queria ter te conhecido antes para poder ter te ajudado- ele coloca uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.

Juvia- Gray, talvez seja indelicadeza de Juvia mas onde esta os seus pais?- A expressão de Gray foi para uma melancólica e sombria- Juvia sente por ter tocado no assunto- Ela colocou a mão dele sobre o coração dela- Juvia estará aqui quando quiser se abrir- ela tira a mão dele e deita.

Gray- Obrigado- sussurrou e se deitou ao lado dela.

No mesmo dia

7:30 da manhã

Quarto Nalu

Lucy acordou com os raios solares que batiam em seu rosto. Ela sentiu algo pesado sobre seu abdome ao reparar ver que o rosado abraçava-a, a mesma se irritou pela a intromissão do seu espaço.

Ela se virou deparando com um rosto sereno do rosado que dormia com tranquilidade, ela sentiu vontade de tocar nos fios rebeldes rosados para ter certeza que eram lisos e macios como imaginava mas repreendeu os pensamentos, mesmo que ele tinha a ajudado em várias situações eles não tem nenhum relacionamento e por esse motivo ele não poderia abraçá-la.

Ela suspirou e se levantou lentamente para não arcada o rosado d foi andando lentamente para a porta, quando chegou lar abriu ela calmamente e deixou ela escorada e foi em direção ao quarto da azulada que dividia com o moreno. Lucy estava querendo saber se a azulada tinha tido uma boa noite de sono já que a loira sabia muito bem do trauma da azulada e pensava como tinha sido maldosa Mavis, mas parou para pensar que ela não faria algo assim sem motivo. Mas qual seria esse motivo? Lucy parou em frente do quarto e bateu na porto depois de uns minutos entrou, assim vendo o moreno dormindo de lado contrário da azulada e ela estava mexendo em seu celular.

Juvia parou de olhar para a tela do seu smartphone e voltou o olhar para a loira que estava perto da porta e fez sinal para se aproximar.

Lucy- Como foi a noite?- falou já próxima da azulada.

Juvia- Foi tensa mas Gray-sama ajudou muito Juvia- fala com um sorriso.

Lucy- Fico feliz. Juvia sobre o encontro que teremos não acha que seria melhor eles nos encontrar em algum lugar e nós nos arrumar sem eles ver antes?

Juvia- Juvia gostou da ideia. As oitos e acordamos eles.

Lucy- Certo, vou ver se Mavis está acordada, mas se não tiver vou fazer o café da manhã.

Juvia- Juvia quer ovos mexidos com bacon e um suco.

Lucy- Se quiser levanta a bunda da cama para fazer.

Juvia- Vai, Lucy! Por favor.

Lucy- Não! Para de ser preguiçosa. Você não é assim Juvia.

Juvia- É porque Juvia não costuma acordar tão cedo assim no domingo- fala com voz manhosa e Lucy dá uma pequena risada.

Lucy- Hmmm, Em qual lugar seria bom o encontro?

Juvia- Parque aquático seria uma boa.

Lucy- Tem razão, bom eu vou ir ver se Mavis já acordou- Lucy sair e vai na cozinha e encontrou com a loira fazendo sanduíches- Quem diria que Mavis faria tarefas domésticas- a Loira se virou com um sorriso.

Mavis- Aqui não tem empregados para se viver uma vida boa. Lucy, Zeref já deve está chegando. Ele foi as uns trinta minutos no seu apartamento, eu encontrei o endereço que Juvia tinha me dado e pegue a chave na sua bolsa ou da Juvia.

Lucy- Tudo bem. Quer ajuda?

Mavis- Não precisa, só falta os sanduíches.

Lucy- Então eu ajudo a terminar- falou se aproximando e pegando o pão.

Mavis- O que você fará essa tarde? Vai ver os pontos turísticos?

Lucy- Não, Natsu e Gray fizeram uma aposta que envolveu eu e Juvia, mas eles não contava que estaríamos acordadas. Por eles ter feito aposta com nossa pessoa eles vão nos levar para sair.

Mavis- Tipo um encontro duplo?- Lucy corou.

Lucy- É…. Foi isso que Natsu e Gray não me lembro, mas não sei porque eu corei quando ouvir um deles falar isso, bom eu fui ontem em um encontro em grupo eu não corei ou fique nervosa como isso- Mavis deu um sorriso.

Mavis- Talvez porque você não conheciam eles.

Lucy- Mas pelo o fato deu não conhecê-los eu deveria esta apreensiva?

Mavis- Deve ser porque você já tenha encontrado alguém que roubou seu coração, deve ser Gray ou Natsu, qual seria? Quem roubou seu coração Lucy? Talvez seja por isso que esteja tão nervosa- Mavis saiu deixando Lucy com seus pensamentos.

10 min. Depois

Lucy ainda estava pensativa mas ainda ajudava a colocar a mesa, Juvia apareceu na porta bocejando.

Juvia- Tem alguma coisa para pegar na casinha?- Lucy se virou e percebeu que azulada estava com roupa feminina, Lucy ainda não tinha percebido.

Lucy- De onde saiu essa roupa?

Juvia- No dia que passamos a noite aqui, Juvia comprou roupa mas acabou esquecendo essa que ficou com o Gray.

Lucy- Que sorte. Mas sobre a comida Mavis foi pegar o suco e Zeref deve chegar a qualquer momento algumas das nossas roupas.

Juvia- Ok.

Elas ouviram da porta a abrindo e acharam que eram algum dos meninos que tinha acordado, elas olharam para a porta e esperando ser Natsu ou Gray. Mas quem entrou era Zeref com duas malas uma azul e outra vermelha.

Zeref- Eu consegue pegar só essas duas malas- falou meio ofegante, Mavis que vinha da cozinha tinha ouvido tudo.

Mavis- O que houve?- falou colocando a jarra de suco na mesa.

Zeref- Eles foram até a casa das duas- Lucy e Juvia se assustaram- só consegue pegar essas malas que estava no corredor, olhei dentro só tem roupas. Sair de la antes de reforços chegarem.

Lucy- O que houve com aqueles que estavam lá dentro.

Zeref- Não se preocupe eles estão mortos, e não eu não matei com as minhas mão. Foi minha mutação, quando eles tentaram me atacar ela os matou- falou sério.

Juvia- E se machucou?- Zeref ficou surpreso com a pergunta já que ninguém tinha falado assim a não ser Mavis, Natsu e Gray. Ele olhou para elas e percebeu em seus olharem preocupação.

Zeref- Não, eles não eram tudo isso- Fala com um sorriso e as meninas respirou mais aliviadas.

Em algum lugar de Tokyo

Ligação on

?- O que você quer? Não basta ter falhado ontem, Mira- Falou em inglês.

Mira- Minha Srª, Eu não fazia ideia que aquele dois iriam aparecer e irá estragar o seu plano- respondeu em inglês.

?- Pelo o que eu soube dois garotos apareceram e as levaram.

Mira- Sim, eles levaram elas, mas elas foram por pura- a pessoa a interrompe.

?- Vontade? Era para elas se apaixonarem pelo o Sting e Lyon. Foi esse trato que eu fiz com a família deles. É melhor isso der certo- gritou e desligou o telefone.

Ligação off

Mira- Se depender de mim, elas nunca chegaram perto de você de novo- fala com um sorriso.

Na casa do Zeref

Lucy- Obrigado por ter pego a mala, bom a vermelha e minha e graça a Deus que ainda não tinha tirado todas as roupas- ela pegou a mala e foi para o quarto do Natsu.

Quando chegou la viu um rosado dormindo ainda sereno. Lucy se aproximou do seu ouvindo.

Lucy- Arcoda- falou alto assim dando um susto no rosado.

Natsu- Não grita, não sabe que minha audição é sensível.

Lucy- Não, não fazia ideia.

Natsu- Por que me arcodou?

Lucy- Para você sair daqui junto com o Gray, e nos encontra no parque aquático as 9:00.

Natsu- Por que temos que encontrá-las nesse horário? Estamos na mesma casa- fala se aconchegando na coberta, Lucy a puxou.

Lucy- Por que não é um encontro duplo? Ou seja vocês dois não vão nos ver até lar- Natsu resmungou- se achar ruim posso convidar outra pessoa.

Natsu- Nem se eu tivesse morto.

Lucy- Então aceite o que eu disse e o café da manha está pronto- ela pega a mala e vai para o banheiro com ela.


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...