História Destinados - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Tags Drama
Visualizações 22
Palavras 2.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Os capítulos a partir de agora seguirão a serie contando do episódio 14 da 4º temporada. Boa leitura😘

Capítulo 8 - Sexo e violência


Fanfic / Fanfiction Destinados - Capítulo 8 - Sexo e violência

Pov Estela 

Já fazia algum tempo que eu estava com os caçadores. Se eu sentia falta dos meus amigos e da minha família? Bom, mais ou menos. Meus pais não eram muito presentes. Cada um trabalhava muito e as vezes acho que ate esqueciam que tinham uma filha. E de amigos eu so tinha a Amy, que com certeza estava bem. 

Os Winchester's e eu já havíamos pegado outros casos, mas eu não participava muito da ação pelo falo dos meninos não me acharem preparada. Nesse meio eu descobri que estávamos lutando contra o apocalipse. Alguns selos que abrem a jaula de Lucifer foram abertos e precisamos deter o máximo que pudéssemos. 

                     ••••••••
 
Estávamos em um caso, lemos no jornal sobre três homens que mataram suas mulheres a sangue frio e os meninos decidiram das uma olhada, eu estava deitada na cama mas vi que já passava da nove então decidi ir ao quarto dos meninos. 

Assim que bato na porta Dean abre, ele estava sozinho no quarto, mas antes mesmo de darmos bom dia um para o outro, Sam chega atrás de mim. 
-Bom dia. - digo assim que entro, os meninos me responde o cumprimento e noto Dean olhar estranho para Sam. 
-Temos que ir falar com os maridos. Ver o por que de terem feito isso. - Sam fala arrumando seu terno. Dean concorda. 
-Vou me vestir e a gente vai. - fala e entra no banheiro. Olho para Sam achando a atitude do mais velho estranha mas o mesmo apenas da os ombros como se fosse o humor matinal normal dele. Resolvo deixar pra lá também.

Logo os meninos saem me deixando sozinha naquele motel, tenho que admitir que até que não era um motel ruim, era o mais ajeitadinho que tínhamos pego até agora. Um falhar de asas soa pelo quarto e olho em direção a Castiel sorrindo, mas o mesmo se mantinha sério como sempre. 

-O que faz aqui? - pergunta. 

-Os meninos estão caçando. Não tenho onde ficar. - digo irônica. 

-E eles te trazem pro meio disso? Não posso cuidar da sua segurança o tempo todo! - acho bem estranho esse comportamento do anjo e respondo. 

-Primeiro: queria que eu ficasse onde? Segundo: os meninos estão cuidando bem de mim! - afirmo tentando não ser grossa com um dos homens que me protege, mesmo irritada com o tom de voz de mesmo. 

-Sinto a energia desse lugar. É perigoso! Eles não deviam ter te trazido para cá. Vou te levar agora mes... - interrompo o anjo antes que ele acabe. 

-Não vai me levar pra lugar nenhum. Desculpe Castiel, mas eu não vou ficar isolada naquela casa de novo. E os meninos estão cuidando muito bem de mim! - digo séria. Não iria deixar ele me levar daqui nem arrastada.

-Você não sabe onde está se metendo. Uma vez caçador, sempre caçador. - diz 

-É melhor eu aprender agora né, já que tem demônios me caçando e eu não vou ter vocês sempre para me proteger. - afirmo. O anjo e eu ficamos nos encarando por um tempo, um longo tempo ate ele desaparecer da minha frente fazendo com que eu me jogasse em uma das camas e bufasse irritada. 

                            ••••••

Estava concentrada em um filme qualquer da TV quando Sam e Dean finalmente chegam no quarto. Dean vai logo tirando a gravata como se aquilo o enforcasse, o que me faz rir. Me sento olhando para os irmãos.

-Então, o que descobriram? - Sam senta na mesa e suspira cansado. 

-Todos os homens mataram as mulher por outra mulher. - diz.

-É, a mulher dos sonhos. Todas meteram o pé depois que eles matavam as esposas. - Dean se joga na outra cama depois de falar, ele tem uma sorrido no rosto que eu logo entendo o motivo depois que ele continua. -Todas trabalhavam no mesmo bar de strippers. - reviro os olhos.

-A Dra. Roberts disse que foi encontrado grandes nuvens de oxitocina no sangue dos maridos. - diz Sam. 

-Oxitocina? - não faça ideia do que seja isso. 

-Hormônio produzido no corpo durante o sexo. - explica Dean. 

-Vamos dar uma olhada no bar hoje a noite. - continua Sam. Levanto da cama atraindo a atenção dos Winchester's para mim. 

-Como irão só olhar. Eu irei junto. - os irmãos se olham como se aquilo não fosse rolar, mas já estava decidida e iria com eles nesse bar. 

                       ••••••

Pov Autora 

Os três já estavam no bar. Estela estava achando nojento tudo ali. Os homens se agarrando com as mulheres como se tivesses sozinhos em um quarto. Não deixará de notar o olhar de Dean em todas as garotas o que a deixou estranhamente desconfortável. Resolve das uma volta pra ver se acha alguma coisa suspeita e logo encontra as irmãos de novo conversando. 

 -Tipo sereia da lenda grega? - pergunta Dean fazendo Estela ficar confusa. 

-O que eu perdi? - pergunta. 

-Falei com Bobby e ele acha que pode ser uma sereia, e sim Dean, mas as serias não são só lendas, são mulheres lindas que encantam os homens e os "hipnotizam" com o canto delas. - explica Sam. 

-Então elas rebolam e os caras viram zumbis? - pergunta o loiro. 

-Basicamente sim, se vc fosse uma sereia e quisesse destruir um bando de idiotas, onde vc atacaria?- Eles olham pelo bar, mas para um bar com strippers tudo parecia normal. 

-Mas pode ser qualquer uma dessas, temos que acha-las, mas é como procurar uma agulha num palheiro. - a morena fala ainda olhando ao redor vendo se acha alguma mulher estranha, mas para ela, todas eram.

-Na verdade é mais provável que seja uma só. - Sam fala fazendo o irmão e a garota ficarem confusos. 

-Como assim? - pergunta o mais velho. 

-Sereias leem mentes, elas podem se transformar naquilo que você mais deseja. - "a pronto " pensou Estela vendo que seria bem mais difícil agora. 

-Então temos que achar uma sereia com varias faces, moleza. - ironiza a garota e logo respira irritada. 

                       ••••••••

Estela e os meninos voltam para o motel e na manhã seguinte descobrem outro assassinato. Lene matou a propria mãe depois de uma stripper, chamada Belle ter pedido e depois claro que deu no pé. 

Isso só deixou os três mais confusos, afinal, agora o cara tinha matado a própria mãe saindo dos padrões que eles tinhas feito.

Os três estavam de novo no quarto pesquisando alguma coisa que pudesse ajudar no caso. Estela olhava para Dean e notava que ele lançava uns olhares estranhos para Sam as vezes. Arqueou as sobrancelhas achando aquilo estranho, mas de novo, não disse nada. 

O celular do Winchester caçula tocou e o mesmo disse ser o Bobby. 

-Oi Bobby..... Não..... Pera ai, vou colocar no viva-voz. - Sam tira o celular da orelha e logo a voz do velho Singer preenche o local. 

"- Pelos livros as sereias são seres raros, é muito complicado descobrir quem é. -"  O velho caçador diz. 

-E como matamos? - pergunta Dean. 

"- Uma faca de bronze banhada no sangue do marinheiro que caiu no canto da sereia. -" responde. 

-Então só temos que conseguir o sangue de um dos caras que estão na prisão? - pergunta a morena, que recebe uma resposta negativa do caçador. 

"-A essa altura o veneno não está mais no sangue deles. -"

-É, mas eu sei onde conseguir o sangue. - diz o Winchester mais velho que logo explica o que fazer. 

                      ••••••• 

Estela estava no seu quarto esperando os meninos voltarem. Dean deu a ideia de pegarem o sangue com a Dra. Roberts já que lá ainda continha o veneno da sereia. Os meninos já tinha saído a horas e cada minuto que passava a mais ela ficava preocupada. Assim que saiu do quarto deu de cara com Sam entrando no dele. O caçador a olhou e sorriu. 

-Dean chegou? - Estela negou. 

-Achei q ele tava com você. - fala entrando com ele no quarto. Ele nega.

-Apareceu outro agente nesse caso. Dean teve que mantê-lo ocupado enquanto eu pegava o sangue. - explicou e Estela olhou o caçador esperando ver o sangue. Sam notou o olhar dela e respondeu antes de discar o número de Dean. -Alguém roubou o sangue. - esclarece.
 
-Agora ferrou de vez. - declarou e Sam ligou para Dean. 

Sam e Dean discutem no celular e Estela descobre o por que de Sam ter demorado. Ele havia transado com a Dra e pelo que parece, Dean achava que ela era a sereia. Sam desliga o celular e o joga na parede o quebrando, o que assusta Estela. Ele a olha parecendo arrependido. 

-Acha que estou envenenado também? - pergunta e ela nega.

-Acho que você e Dean precisavam esclarecer as coisas. Deixa ele esfriar a cabeça e quando ele voltar vocês conversam. - falou a morena fazendo Sam sorrir sabendo que pelo menos ela confiava nele. -Vamos comer alguma coisa. - chama e os dois saem do quarto esperando que o loiro esteja ali quando voltarem. 

                        ••••••

Assim que os dois voltam para o motel e entram no quarto Estela vê um homem desconhecido sentado na cama.

-Nick? - Sam não obtêm resposta. Só vê Estela sendo atirada para parede e uma faca no seu pescoço. Sam não demora para dar conta de que o falso agente era a sereia.

-Eu tenho que admitir, você é um péssimo stripper - fala para Nick com ironia. 

-Pode ser, mas eu tenho o que eu quero, eu tenho o Dean. - fala levantando e andando até eles. 

-Dean qual é cara. Você não é assim, reage! Me solta vai . - Sam pede para Dean que parece determinado a fazer o que o "agente" mandar. Nick se aproxima e fala no ouvido de Dean.

-Por que você não corta só um pouquinho do pescoço dele. - Dean prontamente aperta a faca no pescoço do irmão fazendo escorrer sangue dali. Estela observada tudo ainda deitada no chão sem conseguir se mover muito bem. Parece que tinham esquecido dela ali. 

-Dean é todo meu! - sorri cinicamente a sereia. 

-Envenenou ele. - range Sam com raiva.

-Não, eu dei a ele o que ele queria, e não era uma vadia de fio dental,  era vc! Um irmãozinho a quem ele admira, em quem ele confia e agora ele me ama, ele faz qualquer coisa por mim. Sabe como que é Sam? Esse tipo de devoção. Observar alguém matando por você? Ah é a melhor sensação do mundo. - se gaba o monstro.

-Por isso que você vagabundeia pela cidade? - pergunta entre dentes.

-Eu fiquei com tédio, o que é uma coisa muito normal. Agr eu quero me apaixonar outra vez e outra vez e outra vez. - Sorriu. 

-Eu vou ser sincero, eu ja cacei muita coisa ruim, mas você é a criatura mais ridícula e carente que eu ja vi. - diz o caçula e Nick agarra o queixo dele o fazendo abrir a boca. 

-Você vai mudar de ideia num minuto. - diz e joga um jato na boca de Sam e Estela arregala os olhos vendo que ele foi envenenado pela sereia também. 

-Eu sei que vocês tem muitas coisas pra conversar, então por que vocês não discutem e quem sobreviver fica comigo pra sempre. - fala a seria fazendo Estela ficar mais atenta nos meninos. Ela preferiu ficar quieta ali até ter um plano, só não contava escutar como os meninos se sentiam em relação ao outro.

-Eu não sei quando aconteceu,  talvez quando eu estava no inferno, eu fico olhando pra você mas o Sam que eu conhecia sumiu. - Diz Dean. 

-É mesmo? - perguntou o outro debochado.

-Não é o sangue do demônio ou o lance psico, são pequenas coisas, mentiras, segredos. - continua o loiro. 

-Ae, quais segredos? - pergunta Sam sem perder o deboche na voz. 

-Duas ligações pra Ruby por exemplo. - agora Estela perceberá o por que Dean estava tão estranho esses dias. 

-Preciso da sua permissão para ligar? - Pergunta Sam. Estela não estava gostando nada do caminho que aquela conversa estava tomando. Já a sereia parecia se divertir.

-Ai é que tá, você esconde as coisas de mim, o que mais você não quer me contar? - pergunta o loiro, Estela sentiu que ele se arrependeria de ter feito tal pergunta.

-Não é da sua conta. - 

-Tá vendo, nós fazíamos tudo juntos, um cuidava do outro. - diz o loiro.

-Então tá, quer saber por que eu não falei da Ruby? E que eu tava caçando a Lilith?  Porque você é muito fraco pra ir atrás dela, Dean.  Você tá me empatando, eu sou um caçador muto melhor do que você é, mais forte e mais esperto. Eu posso pegar os demônios e você fica com medinho de chegar perto. - Estela sabia que aquelas palavras tinham afetado Dean, mesmo ele sem controle dos atos. Aquilo nem foi para ela e ela sentiu cada palavra pelo caçador.
 
-Besteira . - falou

-Você só fica sentado ai com pena de si mesmo, pensando nas pobres almas que você torturou no inferno! - Estela então vê Dean atirando a faca na direção de Sam, mas o mesmo desvia fazendo a faca parar perto dela. A garota vê os irmãos lutando entre si mas sabe que não é forte o bastante para separa-los. Sam sobe em Dean dando vários socos nele e falando.

-Você não vai mais ficar no meu caminho. -

Estela vê quando Dean sai pra cima de Sam o derrubando e pondo a porta a chão. Nick vai atras ficando de costas pra ela que levanta sem fazer barulho pegando a faca e um abajur, que foi a primeira coisa que viu para acertar com tudo na cabeça dele o fazendo cair pro lado. Estela vê Dean quebrar o vidro que continha um machado e ir na direção de Sam. 

-NÃO. - ela grita e sem alternativa a menina enfia a faca no ombro do loiro que solta o machado pela dor e ela vira pra trás na hora que Nick pula sobre ela. Ambos caem no chão e veem a faca cravada no coração da sereia que cai morta do seu lado. 

                      ••••••••

Os três estavam agora na frente de um rio tomando refri que Estela tinha comprado. 

-Refrigerante enferruja - Dean diz. 

-E vocês vão dirigir, não vão? - ela sorri para ele. 

-Valeu mesmo Estela, se vc não tivesse aparecido...- Agradece Sam. O clima tava bem ruim. Afinal todos lembravam das palavras trocadas pelos irmãos. 

-Vocês fizaram muito mais por mim nesses dias. - ela diz e logo olha para cada um deles. -Vocês vão ficar bem? - pergunta.

-Sim, claro. - 
-Tudo ótimo. - responderam Sam e Dean respectivamente juntos. Ela assente e vai se afastando. 
 
-Eu vou dar um tempo pra vocês. - diz e se afasta se encostando em um posto olhando a água. Em um só dia esfaqueara Dean e matará uma sereia. Era muita coisa para assimilar. 

Logo Dean chama a garota e eles entram no carro, ninguém tinha dúvidas que o clima ruim poderia durar por um tempo. 


Notas Finais


Digam o que estão achando. Isso me motiva mais a escrever


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...