História Destinados - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome Higurashi
Tags Amor, Caos, Confusões, Drama, Hentai, Inugome, Inuyasha, Kagome, Miroku, Mirsan, Paixão, Principes, Realeza, Rin, Romance, Sango, Sesshirin, Sesshoumaru, Takeda, Youkais, Yuka, Yukeda
Visualizações 206
Palavras 960
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom eu so ia postar essa fic depois que terminasse de escrever as outras mas... mudei de ideia, espero que gostem :)

Capítulo 1 - Meu Príncipe turco


Fanfic / Fanfiction Destinados - Capítulo 1 - Meu Príncipe turco

 

Já que ela não era uma pessoa triste, procurou continuar como se nada tivesse perdido. Ela não sentiu desespero. Também o que é que ela podia fazer? Pois ela era crônica. Tristeza era luxo. - Clarice Lispector

 

 

29 de agosto de 2017
 

A maioria das pessoas ganha de aniversário um festa, um carro, brincos ou qualquer outra porcaria ou até mesmo nada, já eu... bem, eu ganhei um casamento. No momento estou aqui desesperada para sair de dentro desse quarto e me jogar no primeiro avião de volta para Itália.

- Senhorita, respire fundo e prenda a respiração - essas foram as palavras da minha dama de companhia enquanto apertava cada vez mais o espartilho do meu vestido de casamento, senti minhas costelas comprimirem e por um instante pensei que fosse desmaiar, uma lágrima escorreu pelo meu rosto enquanto ela escovava os meus longos fios negros, meus cabelos arrumados em uma cascata de cachos e um véu e grinalda desnecessariamente longo foi preso a ele e minha maquiagem sendo refeita - Senhorita pare de chorar ou sua maquiagem não vai ficar no lugar, por favor de uma olhada no espelho e veja se tem algo de que não gosta para eu refazer - me levantei da banqueta e encarei meu rosto no espelho, eu estava linda, o vestido era perfeito e ainda assim não estava feliz.

- Diga ao ...

- Taisho, Inuyasha Taisho - minha dama de companhia me informou o nome do meu futuro esposo.

- Isso, diga ao senhor Taisho que estou pronta - sorri para ela que me olhava com doçura - Obrigada por tudo Anna - segurei em suas mãos e ela me abraçou, um abraço reconfortante e tudo o que eu precisava naquele momento, depois disso saiu do meu aposento me deixando sozinha.

"Se acalme Kagome... é tudo pelo seu irmão e sua mãe, esqueça as ameaças de seu pai" - sussurrei me olhando novamente no espelho, coloquei os saltos e e fui até a janela do castelo sentindo a doce brisa do mar de Istambul, a paisagem era linda e tranquilizante e talvez se fosse em qualquer outra situação eu estaria feliz porem, um casamento forçado em pleno século XXI me deixa angustiada ainda mais pelo fato de que eu nunca vi esse homem na minha vida, apenas meu pai conhece essa família.

- Senhorita Higurashi, todos já estão a seu aguardo, seu pai a espera no fim das escadas - caminhei até ela que já me esperava com um buquê de tulipas brancas nas mãos, passei por ela com calma segurando o buquê e desci os degraus da escada com bastante calma, o sorriso do meu pai se alargara de tal forma que cheguei a revirar os olhos com aquilo.

- Você esta linda minha filha! - seus elogios eram sem sentidos perante minha situação.

- Vamos papai e lembre-se do nosso acordo.

- Sou um homem de palavra minha filha, vamos logo, seu noivo não gosta de esperar.

- Eu espero que o senhor saiba o que esta fazendo, sou sua filha primogênita...  - o véu frontal foi baixado e a marcha nupcial tocou respirei fundo quando as portas da capela foram abertas e dei o meu primeiro passo trêmulo, corri meus olhos pela lugar enquanto caminhava com o meu pai tranquilamente  meus olhos buscavam pela imagem do meu irmão e quando eu estava preste a desistir o vi no canto esquerdo do altar assim como minha mãe, tive que segurar minhas lágrimas novamente pois agora eu tinha um motivo para seguir em frente e não falharia, não quando minha família depende de mim. Em nenhum momento olhei para o homem que me desposaria e só agora me dei conta de seus longo fios prateados preso e seu smoking bordô, meu pai me entregou a ele que delicadamente levantou o véu e pela primeira vez eu vi a face jovial, seus olhos ambares tão distantes,diferentes  e profundos ao ponto de me deixar insegura com a forma ao qual contemplava a minha beleza, alisou uma das mechas do meu cabelo e eu me mantive imóvel.

- Vamos querida - sua voz era suave e fcomo se estivesse se contendo e suas mãos cobriam as minhas, mesmo num salto 15 eu ainda batia em seu ombro, o padre começou com a cerimônia ao qual não prestei o mínimo de atenção devido ao tanto de  problemas que se passavam na minha mente tudo o que eu queria era ter uma escolha, viver a minha vida e tirar os meus planos do papel ao invés disso estou aqui nessa situação ridícula. Porque eu? Justamente eu...? O ressentimento latejava em minha cabeça.

- Minha jovem qual é a sua resposta, aceita ou não aceita esse homem como seu legítimo esposo? - as palavras do padre trouxeram a minha mais nova realidade a tona, eu Kagome Higurashi estou prestes a me casar com um homem que nunca vi na minha vida e assim mudar o destino daqueles que tanto amo, não haveria arrependimentos e muito menos perdão para a forma como isso foi  feito...

- Sim eu aceito - respirei fundo sentindo o peso do mundo comprimir o meu pequeno corpo e perto dessa sensação o espartilho não era nada.

- Pelos poderes a mim concedidos, eu vos declaro marido e mulher. O noivo pode beijar a noiva -  meu coração acelerou com aquelas palavras e sem pensar duas vezes o homem a qual desconheço tomou meus lábios num selar e depois se afastou contemplando a minha face desdenhosa e envergonhada.

 

- Acostume-se mulher, a partir de hoje você me pertence - suas palavras ecoaram em minha mente enquanto eu continha minhas lágrimas, me perguntando se eu seria mesmo capaz de tudo pela vida daqueles que amo.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...