História Destinados - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome Higurashi
Tags Amor, Caos, Confusões, Drama, Hentai, Inugome, Inuyasha, Kagome, Miroku, Mirsan, Paixão, Principes, Realeza, Rin, Romance, Sango, Sesshirin, Sesshoumaru, Takeda, Youkais, Yuka, Yukeda
Visualizações 71
Palavras 2.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Em breve corrijo os erros ;*
O vestido e o penteado é referente ao que a Kagome usou na coroação

Capítulo 3 - Mentira


Fanfic / Fanfiction Destinados - Capítulo 3 - Mentira

"É uma linda mentira

É uma perfeita negação

Tão linda mentira para se acreditar

Tão linda,linda mentira, que me faz"

 

Capitulo - Mentira

Inuyasha:

Eu não pude evitar ao vê-la dormindo daquela forma despreocupada, de fato era uma garota encantadora, levantei a coberta analisando seu belo corpo encostado no meu, eu estava acostumado a me deitar com inúmeras mulheres, porem nunca dormia com elas e agora eu estava casado com uma garota 8 anos mais nova do que eu e pelo visto inexperiente que nem uma pedra para a minha sorte e também para o meu azar. Difícil se ter um mulher tão bela e que será um peão na mão da meu clã, abracei sua cintura e resolvi curtir o momento enquanto ela não acordasse momento pelo qual estou ansioso, adoro pregar peças nas novatas, seu corpo deu indícios de que estava despertando, a mesma esticou a perna sobre as minhas e eu coloquei minha mão delicadamente sobre suas nádegas redondas.

- Bom dia sweet heart - sussurrei com um sorriso nos lábios e ainda fiz carinho nas costas dela a escutando ronronar e quando abriu os olhos, aqueles enormes ôrbes castanhos assustados ao me ver do seu lado.

- O que você fez comigo? Cadê as minhas roupas!?

- Não fiz nada que você não quisesse e suas roupas, bem... eu meio que destrocei o seu vestido, costumo ser um homem impaciente - levantei da cama e ela desviou o olhar da minha semi-nudez, fui até o closet me vesti e voltei com uma camisa nas mãos - Sinta-se a vontade para usar uma camisa minha ou não... pode ficar pelada se quiser - gargalhei e percebi que ela não se movimentaria enquanto eu estivesse no quarto, ela deveria se acostumar pois somos casados e não pretendo lhe dar escolhas sobre isso, Kagome não sabe mas antes de nós casarmos eu revirei toda a sua vida, afinal sou um homem precavido e não seria enganado como da ultima vez - Enfim, vou pedir a Anna que traga os seus pertences, devemos passar mais dois dias aqui - não esperei por sua resposta, apenas bati a porta e desci as escadas em direção a sala de reunião, provavelmente eu teria que lidar com o meu clã que a cada dia que passa se desfaz em mentiras.

Kagome:

- Meu dia acordou cinzento, eu não acreditei nas palavras dele, eu não me lembrava de nada depois que cheguei ao quarto e tudo que conseguia fazer no momento era flexionar meus joelhos e apoiar minha cabeça, deixei que as lágrimas corressem livres, eu não conseguia entender nada, escutei batidas na porta e indiquei que a pessoa podia entrar.

- Senhora! - Anna me envolveu como se eu fosse um bebe e eu aceitei aquele afago sem dizer uma palavra - O senhor Taisho a machucou? Precisa de ajuda?

- Eu vou ficar bem Anna, o idiota do meu marido feriu a minha honra, mas isso discutirei com ele pessoalmente. Por hora preciso me vestir para essa maldita coroação.

- Não fale assim senhora não é de seu feitio, eu vou preparar seu banho, sei bem que gosta de tomar seu café sozinha então daqui a vinte minutos estará aqui - me levantei da cama vestindo aquela camisa perfumada e fui ao banheiro onde relaxei meu corpo sem pensar em nada, lavei meus cabelos e me vesti, o café ocorreu tranquilamente na varanda do quarto e quando acabei Anna terminou de arrumar meus cabelos e a cada minuto que se passava fica em evidência todo o meu descontentamento com essa situação. Respirei fundo a cada passo dado naquela escada, olhei de soslaio e lá estava ele com um sorriso nos lábios a minha espera.

- Você esta linda, digna de uma princesa! - me estendeu a mão e eu relutei em meu íntimo para não dar meia volta e me trancar no quarto, segurei em suas mãos  e deixei-me ser conduzida até o carro me limitando a agradecer por seus atos de cavalheirismo.

O veículo parou em frente a igreja e então eu percebi que o lugar estava lotado e não entendi o porque disso, o casamento ja havia acontecido e eu tinha absoluta certeza de que a coroação seria privada, desci do carro assim que Inuyasha abriu a porta para mim sendo o mais cavalheiro possível,  adentramos o lugar juntos sob o olhar de todos,  observei meus familiares parados e sérios ao lado de umas pessoas que eu não conhecia, mas percebi que estavam no fatídico dia do meu casamento. O silêncio se instalou pelo local enquanto a cerimônia de coroação ocorria, eu estava sentada numa cadeira parecida com um trono e um homem de cabelos prateados e olhos âmbares iguais ao do meu marido conduzia a coroação ao qual não prestei atenção e só senti o peso da coroa nos meus fios presos e a mão de Inuyasha que me puxava com delicadeza para levantar, fiz uma pequena reverência para todos ali presente e percebi o tom de reprovação do meu marido, pelo visto eu não estou preparada para isso, a mão dele apertava a minha com firmeza tida vez que eu estava prestes a cometer um erro, seguimos para o salão e eu fui obrigada a esboçar um falso sorriso.
Inuyasha estava bem impaciente e quando me arrastou para dentro da sala reservada e trancou a porta senti que teria problemas para me livrar de algo que nem mesmo conheço:

- Você enlouqueceu garota? - arqueei a sobrancelha com a falta de entendimento  e o mesmo se sentou no luxuoso sofá.
- Do que você esta falando? Seja mas claro por favor - tentei me manter o mais calma possível.
- Princesas não se curvam, agradecem com um menear e olhe lá - ele estava revoltado por causa disso?
- Inuyasha... não e porque tenho sangue nobre e sou filha de um empresário que estou habituada a esse tipo de ambiente, prestarei mais atenção da próxima vez. Há mais alguma coisa que você queira dizer?
- Conversaremos em nossos aposentos - sorriu maliciosamente pra mim antes de destrancar a porta - Agora vamos querida estão ansiosos para apreciar a sua companhia. Respirei fundo e aceitei seu braço, seguimos para o salão cumprimentando a todos até que paramos a frente de um homem de longos cabelos prateados que estavam bem presos e olhos âmbares, o mesmo homem que havia conduzido a coroação.

- Meu filho tem um ótimo gosto - me abraçou e eu permaneci imóvel - Deixe-me apresentar, eu sou Ino no Taisho, seu sogro. Peço desculpas por não comparecer a sua cerimônia de casamento mas acabei ficando preso em uma reunião com outros reis, mas minha esposa me contou que a cerimônia foi linda e que tudo estava ao seu agrado - a mulher de cabelos preto e aparência jovial me cumprimentou com um abraço cheio de carinho, era possível sentir todas as boas vibrações daquela mulher para comigo.

- Ontem foi tudo tão rápido que não tivemos a oportunidade de nos conhecermos, eu sou Izayoi, mãe do Inuyasha e aquele ali parado com ar de poucos amigos é o Sesshoumaru o irmão mas velho digamos que ele não gosta de apresentações.

- Hahaah meu marido é terrível! Prazer me chamo Sara Asano Taisho, sou esposa do Sesshoumaru -  olhei para aquela mulher e um frio percorreu pela minha espinha, ele era linda mas eu senti algo que não consigo descrever como se tudo nela fosse falso.

- Prazer em conhecer todos - me lembrei de não fazer a reverencia e percebi que Inuyasha deu um mínimo sorriso com aquilo - Geralmente se conhecem a família antes do casamento - sorri com aquilo e fui acompanhada do homem que se dizia meu sogro.

- Eu conheço toda a sua família, eu e seu pai somos amigos de infância, por isso quando descobri que a filha mais velha dele ainda estava solteira não pude evitar de sugerir um compromisso com o meu filho mais novo - afagou as costas de Inuyasha que estava serio e esguio.

- Bom creio que não temos muito o que fazer aqui, é necessário a nossa presença nesse evento? - a cada momento que passava eu percebia que o homem com quem estou casada era curto, grosso e tinha uma personalidade instável.

- Mas é claro meu filho, todos estão aqui para  celebrar a coroação.

- Pois que celebrem minha mãe, a comida já esta servida e a bebida também. Não vejo motivo para submete-la a isso - cruzou os braços e sua mãe sorriu.

- Senhorita Kagome é uma princesa agora. Querida, venha comigo - Izayoi me estendeu a mão e com carinho eu aceitei, seguimos até a mesa que estava separada das demais, era possível ver a todos dali, minha mãe e meu irmão vieram ao meu encontro e eu não consegui deixar de abraça-los, principalmente meu irmão distribui vários beijos pelo seu rosto e tive que segurar a vontade de chorar pois a cena estava sendo observada por todos principalmente por Inuyasha.

- Amanhã eu e sua mãe iremos a um almoço beneficente para crianças que perderam os familiares durante a guerra, sei que é muito cedo para você ter compromissos mais gostaria de pedir que me acompanhasse - Izayoi sorriu enquanto segurava em minhas mãos.

- Senhora, esse pedido me deixa extremamente feliz, eu amo crianças

- Não me trate tão formalmente quando estivermos sozinha, estou aqui para ser sua segunda mãe se me permitir é claro - como ele pode ser filho dela, essa era a única incógnita que havia em minha mente, ela é tão doce.

- Sim, eu creio que nós daremos muito bem - a conversa com ela ocorrera de uma forma maravilhosa e o dia por mais inusitado que tenha sido, foi bem agradável. Inuyasha não fez questão de ficar na minha presença então consegui matar a saudade que eu estava do meu irmão e da minha mãe. 

- Mana, nós temos que ir no show deles, o exercito dos sete esta cada vez mais famoso , que diria que eles começaram numa garagem e por falar nisso, Bakotsu e Kouga me pediram para te entregar isso - Souta tirou do bolso duas cartas e me entregou rapidamente, eu sorri com aquilo antes de entrega-las a Anna, as leria mais tarde quando estivesse sozinha.

- Souta, não sei se isso será possível mas ainda podemos disputar no ps4 como sempre fazemos. Anna temos vídeo games por aqui né?

- Não sei ao certo alteza , terá que perguntar pro Inuyasha.

- Então   na sua próxima visita nos vamos nos divertir! - sorri para ele e apertei as suas bochechas, Souta possuía 12 anos mais ainda assim eu o tratava feito criança.

Quando todos foram embora e só a família permaneceu, o ambiente se tornou um pouco mais descontraído ao longe avistei meu marido vindo em minha direção e claramente estava alcoolizado.

- Mulher vamos para o quarto! - se impôs sobre mim e me olhou como um pedaço de carne, aquilo me causou um profundo nojo.

- Por Deus Inuyasha pare de chateá-la e vá lavar essa cara imediatamente! - a voz de sua mãe era altiva.

- Sim mamãe... - ele saiu em direção ao banheiro e quando voltou estava bem, achei aquilo muito suspeito mas não questionei - Kagome querida, imponha ordem sobre ele, Inuyasha é um bom homem mas, anda meio perdido  no momento - sorriu pra mim que fiquei confusa com suas palavras.

-  E então querida esposa, você deseja ficar nessa longa e interminável comemoração ou prefere se retirar?

- Na verdade eu estou bem cansada - pedi licença a todos e o acompanhei até o quarto, assim que entramos Inuyasha despiu-se de sua camisa, sapatos e meias, para ele era normal e pouco se importava com a minha presença, respirei fundo e passei por ele, fui até o closet encontrando todo o meu vestuário intacto, fiquei por alguns segundos imaginando Anna arrumando minha bagunça, peguei uma calça legging de moletom e um cropped preto, eu não seria princesa 24hs por dia, soltei meus cabelos e abri a porta do banheiro dando de cara com aquela banheira enorme e cheia e com o prateado la dentro - Fechei a porta com meu rosto envergonhado e fui até o quarto de hospedes onde eu havia dormido, tomei meu banho e  troquei de roupa, não queria voltar para aquele quarto mas..  assim faria, soltei meus cabelos enormes e fui em direção ao quarto assim que entrei dei de cara com o prateado sem camisa deitado na cama que sorriu com malícia ao me ver.

- Princesas não se vestem desse jeito garota e você fica bem melhor sem roupa - deu tapinhas ao lado vazio da cama indicando que queria a minha presença mas eu recusei, coloquei meu vestido em cima da poltrona de suede vermelho.

- Eu vou dar uma volta, preciso de ar - caminhei até a porta e ele foi bem rápido ao segurar o meu braço.

- Uma hora você terá que ceder mulher, não vai poder ficar enrolando a todos por ai.

- Quem sabe quando eu conhecer a pessoa certa pare de enrolar. Não sou sua propriedade e pensei ter deixado isso bem claro! - puxei meu braço e bati a porta, desci correndo as escadas e corri novamente so que dessa vez para o jardim, apreciei por um longo tempo aquele mar que recebia o brilho da lua, eu o invejava. Sua liberdade era única e tudo o que eu não tinha,  analisei todos os acontecimentos de hoje e  resolvi ler as cartas que me foram entregues, li as palavras doce de Bankotsu contando de sua turnê  e tudo que vinha aprendendo assim como seu relacionamento com Yuka mas aquilo não era nada comparado a declaração de Kouga ,e sorri com aquilo pois se tudo tivesse corrido como o planejado essa hora eu estaria no Brasil com ele e quem sabe casados, fiquei um bom tempo apreciando aquela ideia e ouvi mais que o balanço do vento, passos vieram em direção ao jardim e eu corri para detrás das árvores, não queria ser vista por ninguém no meu estado. Observei a mulher de cabelos negros longos puxar com força as mãos do homem de fios dourados.

- Sara, não é certo nós fazermos isso aqui!

- Fica quieto Sanosuke, ninguém pode nos ver! - ela estava agarrando ele, eu não queria assistir aquilo, havia sido apresentada a ela mais cedo e agora a mesma pretendia transar com alguém que não fosse seu noivo no jardim do castelo.

- Sara seu marido pode nos escutar - o homem que eu não conheço pareceu não se importar com a mulher que pulava em seu colo.

- O perigo é excitante querido!E eu preciso de um bebê para segurar aquele homem.  Agora cale a boca e me obedeça - que vagabunda, eu não sou de julgar as pessoas mas não admitiria ser conivente com a traição dela, então fiz o máximo de silêncio que pude e esperei que ambos acabasse com aquela pouca vergonha, fiquei exatamente trinta minutos esperando e quando percebi que o jardim estava vazio continuei com o meu passeio só que dessa vez de volta para o meu quarto, abri a porta lentamente e dei de cara com o prateado dormindo a  sua face tranquila nem e seus cabelos jogados na cama de fato era um homem muito bonito e eu teria que me acostumar com a sua falta de roupas pois pelo visto ele não estava nem ai para o fato de que nós não nos conhecemos, respirei fundo tentando e troquei de roupa deitei na cama o mais afastado que pude daquele homem e soube na hora que não conseguiria dormir não enquanto me sentisse conivente com aquela mentira, ameacei levantar meu corpo da cama mas senti um braço forte me agarrar pela cintura e uma respiração pesada nos meus cabelos, meu coração disparou e então nada aconteceu, pois ele estava dormindo para a minha felicidade. Com o passar das horas eu dormi sem esquecer o que havia visto, afinal tudo nesse lugar não passa de uma mentira.


Notas Finais


Musica: A beautiful lie - 30 S.T.M


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...