1. Spirit Fanfics >
  2. Destinados (NaruHina) >
  3. Destinados

História Destinados (NaruHina) - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Vi essa art NaruHina no facebook e não resisti em criar um fundo condizente com uma cena deste capítulo.
Eu sinceramente, estou apaixonada por ele, e espero que vocês gostem também! ❤️

Capítulo 10 - Destinados


Fanfic / Fanfiction Destinados (NaruHina) - Capítulo 10 - Destinados

A noite no deserto era completamente diferente do dia. Enquanto no período diurno o calor era tão intenso que poderia queimar sua pele por inteira, a noite era álgida como se toda a vila estivesse dentro de um bloco de gelo. Entretanto, apesar do frio, Hinata se sentia quente por dentro.

Pelo visto, a estratégia que ela traçou com Gaara havia dado certo, já que ela não encontrou ninguém no caminho para a estufa e não havia ninguém por perto. Mais uma vez, ela repassou, em sua mente, tudo que tinha planejado para falar a Naruto. Depois de tantos anos o amando em silêncio, finalmente ela professaria seu amor por ele.

Só de pensar que o loiro quase se declarara para ela algumas semanas antes, seu estômago dava cambalhotas. Talvez a Hyuuga estivesse sendo infantil ou um pouco egoísta por o ter impedido, contudo, ela não queria que o Uzumaki fosse o primeiro a confessar seus sentimentos. Com as mãos trêmulas, ela checou os ítens que tinha levado para que eles pudessem passar o restante da noite ali.

Quando terminou, em um time perfeito, ela escutou um barulho proveniente da escada que dava acesso ao terraço. Sua respiração acelerou, mas ela se obrigou a se acalmar. Esvaziando sua expressão, ela se preparou para o que estava por vir.


***


- Você veio! - A voz suave, que encantava e o torturava na mesma medida, saudou Naruto quando o rapaz surgiu na porta no topo da escada.

O coração do loiro acelerou dentro do peito. Era involuntário, seu corpo reagia a ela instantaneamente. Era estranho, contudo a Hyuuga já não vestia o vestido adornado de antes. Não tinha se passado nem quinze minutos que eles saíram do baile, como ela havia se trocado tão rápido?

Sem se deter na questão, ele deu mais alguns passos em direção à morena, abandonando o calor aconchegante da estufa. Sua respiração criava pequenas nuvens no ar. Por kami-sama, por que suas pernas tremiam tanto? Hinata o encarava com toda a paciência do mundo e algo a mais no olhar.

Quando o Uzumaki ficou a dois passos de distância dela, a jovem se levantou da manta em que estava sentada e abraçou um embrulho vermelho que estava em seu colo.

- Naruto-kun, eu tenho tanta coisa para te falar, por isso eu te peço que não me interrompa pois minha coragem pode se esvair. - Ela começou com a voz trêmula e os olhos brilhantes. - Mesmo agora, eu estou com uma vontade enorme de fugir, porém, eu escolhi não me esconder mais.

Não restou saída para o loiro, a não ser, concordar com o seu pedido. O rosto pequeno de Hinata estava totalmente vermelho, até às pontas de suas orelhas; a jovem não podia estar mais exuberante aos olhos de Naruto. Metodicamente, ela desenrolou o pacote vermelho em sua mão. Diferente do que o Uzumaki pensava, não era uma embalagem, mas, sim, um cachecol vermelho. Sob a luz pálida da lua era difícil enxergar as coisas, a menos que prestasse bastante atenção e a sua atenção estava totalmente voltada para Hinata.

O agasalho era grande o suficiente para os dois, e, para sua surpresa, a Hyuuga o usou exatamente para esse propósito; envolvendo-o em seus pescoços. A respiração de Naruto fazia tantas nuvens agora que parecia haver um céu nublado entre eles. Um choque perpassou pelo seu corpo com a distância, agora, quase inexistente; e só se intensificou quando a morena cravou seus olhos perolados nos dele.

- Você acredita em destino, Naruto-kun? - Ela perguntou com a voz quase inaudível. - Quando minha mãe morreu depois que deu a luz à minha irmã, eu acreditei que ele não existia. Também duvidei da sua existência enquanto o meu pai me destruía de milhares de formas diferentes, com as suas palavras hostis. Se havia um destino, Naruto-kun, ele estava sendo muito cruel comigo.

O loiro quis abraçá-la e oferecer algum conforto, a dor que seus olhos transmitiam fazia seu peito doer também. No entanto, aquele era o momento dela e ele não podia interferir, ainda que quisesse muito. Engolindo em seco, ela continuou:

- Mas aí, você apareceu em minha vida. No começo, eu queria te observar por curiosidade. Você era o menino que todos da vila queriam longe, sabe? Você deveria ser o pior monstro do mundo inteiro. - Ela falou de uma vez só, fazendo Naruto relembrar de sua infância solitária. - Só que não era. Você só era um menino sozinho, Naruto-kun, que não merecia ser alvo de tanto ódio.

Hinata afagou o rosto do Uzumaki, oferecendo o consolo que ele não a dera instantes antes. Suas palavras abafadas foram como um bálsamo na cicatriz que ainda doía.

- Depois disso, eu não consegui mais me afastar de você. Eu queria ver você crescer, eu queria te ver ficar forte, eu queria que você fosse feliz. Te observar drenava a minha própria solidão e, desde então, eu me apoiei em você.

Subitamente, Naruto sentiu seus olhos lacrimejarem. Se relembrasse sua infância com atenção, a morena estava lá em cada uma de suas lembranças. Hinata havia dito que ela tinha se apoiado nele para sobreviver, mas ele sentia que sua própria sobrevivência estava ligada ao apoio dela.

- Eu não sei exatamente quando a minha admiração virou algo a mais. - Ela corou. - Porém virou e eu fiz de tudo para me tornar invisível para você, Naruto-kun. Até mesmo quando eu disse que gostava de você pela primeira vez, eu o fiz por achar que morria e não teria que encarar uma resposta sua. E, quando você não me procurou após saber dos meus sentimentos, eu juro que me senti aliviada.

- Hinata, eu… - A jovem colocou um dedo sobre seus lábios o silenciando. Suas mãos tremiam tanto que o loiro sentiu medo de que ela desmaiasse.

- Por favor, não fale nada. - Ela pediu mais uma vez. - Então, depois que o Neji-niichan morreu, meu mundo desabou e eu desisti de tudo… até mesmo de estar ao seu lado. Mas isso não durou muito, Naruto-kun, porque, só de te ver, eu sinto que vale a pena estar viva; eu sinto que nada é impossível e que eu poderia partir a Terra em dois pedaços se quisesse.

O loiro não percebeu que chorava até que a Hyuuga enxugou uma lágrima sua. Essa era a sensação de se sentir amado? Ele queria mergulhar em cada palavra que ela dizia.

- Agora, eu não quero mais fugir, pelo contrário, eu quero estar cada vez mais perto de você, Naruto-kun. Você sempre foi o sol da minha vida, espantando qualquer escuridão que me cercasse. E, se você é meu sol, eu sou a lua girando em sua órbita.

Repentinamente, a morena deu mais um passo para perto do Uzumaki. Eles estavam tão próximos que suas respirações se misturavam. O rosto de Hinata foi tomado por uma vermelhidão que fez o coração do loiro bater ainda mais rápido. Estava escuro demais para que ele pudesse apreciar aquele fenômeno tão estonteante em sua totalidade. Onde a maldita lua se meteu?! Mesmo nervosa, a morena não se deteve. 

- Hoje é comemorado o dia dos casais aqui, em Suna, por causa dela. - A jovem apontou para a lua, somente então Naruto percebeu que ela estava quase totalmente escura. Um eclipse. - Sempre, nesta data, o sol e a lua se beijam. Logo eles, fadados a nunca estarem juntos. Quando o sol nasce, a lua se vai e vice e versa. Você consegue imaginar algo mais trágico? 

O Uzumaki negou com a cabeça. Ele estava hipnotizado demais para que sua voz saísse. Hinata transmitia tanta paz que o loiro só podia se deixar levar pela sua calmaria.

- Mas, uma vez por ano, eles ficam juntos. Não importa o tempo nem a distância, eles sempre dão um jeito de se amarem, porque o amor vence qualquer coisa. Por isso que, aqui, as pessoas acreditam que eles escolhem um casal todo ano para concretizar o que eles não podem fazer. Portanto, Naruto-kun, eu acredito em destino e, neste exato momento, eu posso jurar que fomos destinados um para o outro.

Tomando fôlego, Hinata entrelaçou os braços ao redor do pescoço de Naruto; por reflexo, o loiro colocou os seus ao redor da cintura da morena.

- Você me beijou duas vezes, Naruto-kun. Na primeira, você se desculpou por ter me beijado e, na segunda, você disse que não sabia o motivo. Agora, com apenas as estrelas acima de nós, eu quero te beijar e eu sei exatamente o motivo de querer. - A moça cravou seus olhos de estrela nos olhos celestes de Naruto. - Eu quero te beijar, Naruto-kun, porque eu te amo.

Sem dizer mais nada, Hinata extinguiu a distância entre eles. O sol e a lua se beijaram no céu, enquanto as suas réplicas se beijaram na Terra. A gravidade, por um instante, deixou de subsistir, permitindo que os amantes flutuassem em seu mundo particular. O beijo tinha o gosto de lágrimas, de esperança e de muito amor.

O próprio conceito de tempo foi quebrado enquanto uma pequena eternidade era criada no espaço daquele beijo. Respirações ofegantes, pulsações aceleradas, os corações batendo em uníssono; no final das contas, eles eram apenas um.

A cada intervalo de um beijo, outro surgia ainda mais arrebatador que o anterior. Talvez as pernas perdessem a força volta e meia, porém, eles tinham o apoio um do outro para que não caíssem. Do alto, o sol e a lua se afastaram, fadados ao sofrimento de ficarem separados mais um ano, e deixando a responsabilidade de seu amor para o jovem casal sobre o terraço da estufa.

- H-Hinata. - Naruto chamou, ofegante. - Eu posso falar agora?

Todo o frio de uma noite no deserto havia desaparecido, com as palmas da Hyuuga sobre o seu peito era impossível sentir outra coisa que não fosse o seu calor.

- Tecnicamente, você já está falando. - Ela retrucou, brincalhona.

Naruto arregalou os olhos, surpreso pela piada de Hinata. Subitamente, uma gargalhada brotou do seu âmago e tomou conta do seu ser. Desta vez, quem ficou aturdida foi a morena, porém, ela acabou se juntando ao seu riso. 

- Por que a gente está rindo?! - Ela indagou no intervalo de uma gargalhada, tentando recobrar o controle.

- Porque, Hinata, estar ao seu lado é o sinônimo de felicidade, dattebayo! - A Hyuuga ruborizou lindamente e, por kami-sama, Naruto se apaixonou um pouco mais. 

O loiro tomou o rosto de Hinata entre as mãos, se embebedando em sua beleza pálida, e fixou seu olhar no dela. Ele expôs sua mente, seu coração e sua alma diante dela, querendo que ela percebesse que morava em cada célula de seu corpo.

- Eu te amo, Hinata. - Ele sussurrou ardentemente. - E porque eu te amo, eu me recuso a passar mais um dia longe do seu beijo, do seu abraço e do seu amor. Eu não quero mais te ver grudada em outro cara, quando tudo que eu quero é ser esse maldito bastardo, dattebayo! Quero, Hinata, que você seja tão minha o tanto que eu já sou seu.

Uma nova onda de lágrimas os engoliu com a demonstração do amor tal qual era: nu e cru, sem adornos ou enfeites.

- Desde o dia em que você destruiu seu cachecol vermelho para me salvar, Naruto-kun. - Ela acariciou o fio vermelho que os unia. - Desde esse dia eu sou sua. 

Desta vez, quem corou foi o Uzumaki. Pigarreando, ele continuou seu raciocínio:

- Por isso que, aqui, sob a luz de todas essas estrelas, eu quero te fazer minha namorada. - Naruto, impulsivamente, tentou se ajoelhar, conseguindo somente fazer com que ambos caíssem no processo.

Por sorte ou pelo destino, o loiro caiu sobre a manta e a Hyuuga por cima dele, em uma réplica da cena que eles protagonizaram há tantos meses antes. Novamente, um choque transpassou entre eles, fazendo seus corações dispararem um pouco mais.

- Seja minha namorada, Hinata. Deixe-me te fazer feliz, dattebayo! Porque eu dedicarei minha vida inteira à sua felicidade.

Por cima dele, os olhos da Hyuuga se misturavam com as estrelas no céu.

- Deixa eu te contar uma coisa. - Ela sussurrou em tom de confidência. - Eu já sou feliz, namorado.

E então, à luz das estrelas, as palavras já não se fizeram necessárias. Somente os beijos… uma infinidade deles.


Notas Finais


Gente, desculpa se tiver algum erro de digitação ou de coerência. Não tive paciência para revisar o capítulo.
Beijos e até a próxima!❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...