História Destination, África - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Marco Asensio, Mateo Kovacic
Personagens Marco Asensio, Personagens Originais
Tags Futebol!, Romance
Visualizações 78
Palavras 1.894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Isso vai dar muita merda


Fanfic / Fanfiction Destination, África - Capítulo 5 - Isso vai dar muita merda

MARCO ASENSIO

ÁFRICA - CONGO

16 DE JANEIRO, 2018

QUINTA-FEIRA 

 



O caras não chegaram não faz nem um dia direito e já estão fazendo merda, eles sismaram em achar que a guia é minha namorada, era só o que me faltava. 

Pelo menos vou ter com quem passar meu aniversário

Meu pai desde que chegou aqui virou um viciado em poker, o Igor sempre some, as vezes vai jogar com meu pai ou está com aquela Austráliana que conheceu há 2 dias, isso que a viagem era em família. 

Marcelo, Isco, Sérgio e Kroos decidiram ir ao safári e ainda por cima querem que a Areta leve-os até lá e se não bastasse querem que eu vou junto.

Eu realmente só vou por causa do Liam, filho mais novo do Marcelo, eu adoro aquele garotinho, Marcelo fez Liam apelar para chantagem emocional pra cima de mim, conseguiram com sucesso. 

Eu amo crianças, mais não me imagino tendo filhos, mais se eu tiver vou ficar feliz do mesmo jeito, as crianças tem algo que os adultos não tem, pureza e inocência, por isso prefiro crianças ao invés de adultos. 


— A donzela está pronta, que milagre. - Marcelo diz ao me ver no saguão. 

— Sabe como é né, passar maquiagem não é nada fácil. - Fiz cara de deboche. 

— Cade o resto do time. - notei que nem todos estavam ali. 

— Uns estão na piscina, outros estão por ai. - Isco diz. 

— Tá e o que vocês estão fazendo aqui. - disse. 

— Esperando a princesa, a sua namorada disse que vamos sair daqui a pouco. - Marcelo bagunçou meu cabelo. 

— Estava na esperança de vocês me esquecerem aqui. - Bufei. 

— A esperança é a ultima que morre, mais a sua foi a primeira a morrer, qual é vai ser legal. - Kroos tentando animar. 

— Cade as mulheres de vocês, só assim pra não encherem meu saco. - Revirei os olhos. 

— Ai minha nossa ele ta nervoso com a gente. - Marcelo colocou a mão no peito e se fez de ofendido. 

— Papai, papai. - Liam veio trocando os pés até nossa mesa. 

— Calma ai garotão, vai cair. - Marcelo diz ao pegar seu filho no colo. 

— A mamãe disse que é pra você ficar com a gente hoje por que ela vai ter o dia de meninas hoje com a tia Pilar e a tia Jessica- A cada palavra que Liam falava ele respirava 

— Olha eu não queria estar na pele do Marcelo, Kroos e Sérgio. - comecei a rir junto com Isco. 

— Isso ri, ri mesmo, jajá é você. - Sérgio jogando praga em mim. 

Começei a rir mas meu sorriso cessou na hora que Areta vinha em nossa direção, fechei a cara. 

Essa garota só me persegue, isso ta virando caso de polícia, tô falando sério. 

— Ann..estão prontos?  - Areta sorri amigável. 

— Parece que hoje vai ser só os caras e as crianças. - Isco diz. 

— Seu namorado não quer ir, o mal humor chega para todos. - Marcelo brincou. 

— Oh, não, não, ele não é meu namorado, nem se eu quisesse. - Areta diz com convicção. 

— Ooooh. - fizeram coro.

— sorte a minha. - sorri falso. 

Marcelo e Sérgio pegam uma colher e começam a fazer de microfone e começam a fazer uma mini entrevista. 

— Estamos aqui no meio de uma DR entre casais. - Sérgio fez uma voz de loucutor. 

— Então Areta como se sente nessa situação. - Sérgio fingiu perguntar. 

 Areta começou a rir sem parar. 

É talvez ela tinha um sorriso bonito, talvez. 

— E você Marco, está como após a greve? - Marcelo diz inocente. 

— Que greve?  Vai a merda. - ri

— Pô cara assim você complica meu lado de pai. - Marcelo coçou a cabeça e todos riam inclusive Liam que não entendia nada. 

— Acho que já deu né. - Levantei a sombracelha. 

— Sérgio você não vai lá buscar os meninos. - Isco pergunta. 

— Estou indo agora, vamos comigo. - Sérgio passou o braço pelo pescoço do isco e seguiram pro elevador

— Cadê sua filha Kroos? - Perguntei. 

— Ela vai ficar com a Jéssica hoje, parece que o dia hoje vai ser só dos meninos. - Kroos riu. 

— Ah qual é, troquei de sexo agora e nem sabia. - Areta levantou os braços em rendição e deu risada. 

 

Nem percebi que ela estava ali. 


— Eu tinha me esquecido. - Kroos levantou os ombros e fez uma cara meia engraçada. — Hoje vai ser só a Guia e os meninos. - fez um sinal com a mão e piscou para ela. 

— Quem ia lembrar dela, não faz diferença alguma, pelo menos pra mim. - revirei os olhos. 

— O ogro demorou, mais voltou. - Areta ri nazalmente. — Éeee.. Toni? É Toni né. - Areta diz confusa. 

— É Toni, mais pode chamar de Kroos. - Kroos sorri amigável. 

— Então Kroos, é, quando os rapazes chegarem avisa que eu vou está esperando vocês no jeep. - Areta retribui o sorriso de Kroos e deixa área do saguão. 

Kroos me deu um tapa na nuca, caralho virou tendência agora ficar dando tapa na nuca das pessoas. 

— Ai caralho. - passei a mão no local. — Qual seu problema Kroos. 

— Não precisava ter sido grosso com a menina né Asensio, ela nem te fez nada. - Kroos diz decepicionado.


Ai que linda! 

Kroos, a defensora dos oprimidos. 





ARETA BUHARI

ÁFRICA - CONGO

16 DE JANEIRO, 2018

QUINTA-FEIRA 





Marco Asensio. 


Mas que cara chato, sempre tem um motivo pra ser grosso comigo desde que chegou aqui. 

Ignorante, Arrongante, insuportável e detestável. 

Totalmente diferente do que é pelos gramados e pela televisão pela televisão você vê a imagem de um cara muito simpático,humilde,atensioso e um sorriso maravilhoso.

Agora pessoalnente não é nada disso,as pessoas vivem de imagens e nelas passam aquilo que realmente não chega a ser ou não é. 

Quando ele chegou aqui, eu podia ver nos olhos dele, sei lá, um ar de ódio ou alguma coisa parecida, ódio de quem?  De mim?  Nunca fiz nada pra aquele louco. 

Mas enfim, chega de ficar apontando o erro das pessoa e pensar no que realmente interessa.

A festa.

Faltam 3 semanas para papai chegar, mas a festa só irar acontecer no próximo final de semana, dá pra arrumar tudo á tempo e direitinho para tudo correr bem, assim algumas coisas que não tem aqui na África dá para chegar na data certa.

Aruna disse que vai me enviar algumas coisas da decoração por correio, não falta muita coisa, as bebidas e as comida da festa vai ser fornecida pelos fornecedores do hotel, as fantasias e a decoração eu e Ruraki ainda vamos resolver, que no caso não vai ficar muito difícil.

Precisamos estabelecer um preço para entrada das pessoas e alguns convidados na festa, que no caso seria por isso que estamos fazendo essa festa.

Até sábado que vem da pra resolver tudo isso. 

Esperamos que dê. 


— Aaan.. Areta- Marcelo diz ao entrar no Jeep. 

— Eae camisa 12.- ri 

— Olha ela sabe o número da minha camiseta, deve assistir muitos jogos do real - rimos juntos. — Então eu queria saber se aqui tem alguma pub ou alguma coisa parecida, é que nosso amigo faz aniversário daqui uma semana e meia. - Marcelo coçou a nuca. 

— Não assisto muito futebol,mais o pouco que eu assisto,admiro, olha aqui perto não, tem uma há uns 40 minutos daqui. - Expliquei. — Mas eu e meu irmão estamos fazendo uma festa beneficente para o hotel, se vocês quiserem comemorar o aniversário dele lá, por mim ta de boa. - Diz sem importância nenhuma. 

— Sério, vou falar com os caras sobre isso. - Marcelo diz animado. 

— Mas com uma condição, vão ter que me ajudar com tudo isso. - olhei séria. 

— Mais é claro que vamos ajudar, menos o Marco, ele não pode nem sonhar com essa festa. 

— A festa é pra ele?  - Perguntei desanimada. 

— Sim é para ele. - Marcelo sorriu. 


Se eu soubesse que era pra ele nunca tinha dado a idéia dessa festa. 

O que eu fui arrumar para minha cabeça. 


— A GENTE VAI SAIR OU NÃO. - Sergio Ramos gritou e seguido por ele quase o time inteiro. 


Isso vai dar uma merda e tanto, jogadores mais animais selvagens. 


(...)



Seguimos rumo as savanas africanas,  e pelo caminho paramos perto dos Leopardos. 

Estava uma gritaria dentro do jeep, ninguém calava a boca e eu precisava de silêncio. 


— Gente será que da pra vocês calarem a boca.- Repreendi - os. — Aqui nessa área não podemos gritar ou falar, esses animais são muito bipolares, nunca saberemos quando e que horas vão atacar, peço que não usem flashs das câmeras ou saiam do carro, é perigoso. 

— Tia os gatinhos são muito maus?.- O filho do Sérgio Ramos perguntou. 

— Não meu amor, eles só atacam quando se sentem ameaçados. - Expliquei. 

— Como assim ameaçados. - Ele estava confuso. 

— Quando eles percebem que alguém quer fazer mal para eles ou para seus filhinhos, sabe quando seu pai protege você? - ele balançou a cabeça em afirmação. - Então eles também protegem os filinhos deles da mesma forma.


Depois de algumas explicações, que eu achei que não seriam muitas mais foram, seguimos para ala dos macacos. 

Nessa época do ano os macacos andam muito em bando, a família toda. 

— Caralho, a família inteira do Marcelo ali. - Casemiro brinca. 

— Calma ainda não chegamos nos chimpanzés ainda Case, jajá se vai ver a sua.- Todos riram incluse eu. 

— Porque eles carregam as cria no pescoço. - Mateo pergunta. 

— Eles se sentem mais seguro fazendo isso com suas crias, assim previne que os predadores comem suas crias. 

— A não tia os macaquinhos são tão bunitinhos, porque tem que comer eles. - Filhos do Kroos ameaçou a começar a chorar. 

Nossa como crianças são tão sensíveis. 

— Calma ai amiguinho, ninguém vai comer eles. Tentei amenizar. 

Odiava mentir para crianças. 

Qual é, é o ciclo da vida, você nasce, cresce, se reproduz e morre. 

Começou uma gritaria lá na parte de trás do jeep, era Asensio, ele estava gritando porque um macaco pegou seu boné. 

Não vou mentir, eu estava me acabando de rir. 

— ME DÁ ESSE BONÉ AQUI CARA. - Asensio começou a pular já que o macaco estava em cima do carro. 

— para de pular que nem um idiota, assim vai assustar todos eles, e vão atacar, deixa que eu pego.- disse ao sair do jeep. 


Subi no capô do carro para dar impulso para subir em cima e fui com toda calma do mundo e cheguei perto do macaquinho sem movimentos bruscos e peguei o boné do macaco e voltei da mesma forma que subi. 

— Ai seu boné. -  joguei na cara dele. 

— Olha ela sabe lidar com espécies de animais. - Asensio debochou. 

— Estudei para lidar com todos os tipos de espécies animais, menos a sua. - não fiquei para escutar ele responder e fui para o meu lugar. 

— Podia ter ficado sem essa cara. - Mateo diz. 

— Olha não começa não, vai tomar nesse seu cú. - Asensio fechou a cara. 


Já vi que vai ser um grande passeio por aqui. 






 










Notas Finais


Me desculpem o capítulo bosta

Eae o que acharam?

Espero que estejam gostando da fanfic, até a próxima meus amores ♥♥♥


Tenho uma outra fanfic se quiserem ler vou deixar o link aqui ⇩⇩⇩

https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-commander-13896397


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...