1. Spirit Fanfics >
  2. Destined - Daryl Dixon >
  3. Finalmente Minha

História Destined - Daryl Dixon - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, desculpa a demora, eu acabei ficando doente esses dias aí já viu, foi difícil escrever algo, mas aqui estou eu de volta em plena madrugada rsrsrs
Obrigada por terem paciência comigo, e por estarem acompanhando está história ♥️
Aviso: Capítulo com hot, eu sei que tem gente que não gosta então sempre que tiver vou estar avisando antes para facilitar.
Bom gente deixei uma música para o capítulo, eu escrevi ele ouvindo ela, e eu super amo essa música acho que combina muito com o capítulo de hoje porque finalmente rolou oque a gente tanto esperava ♥️ então se quiser ler ouvindo ela , ou não fica da escolha de vocês, Always remember us this way da Lady gaga♥️❣️
Bom vou parar de falar aqui para deixar vocês ler kkk boa leitura e me digam oque acharam depois rsrsrs beijos

Capítulo 12 - Finalmente Minha


Fanfic / Fanfiction Destined - Daryl Dixon - Capítulo 12 - Finalmente Minha

" Não existe outro lugar no mundo em que eu quisesse estar que não seja aqui com você Daryl Dixon."

*Magna

Havia uma fogueira acesa com o fogo baixo, eu e Daryl estavamos sentados em volta dela a alguns minutos, viemos calados o caminho todo, e agora estávamos na casa da árvore, o ataque de ciúmes de Daryl com o rapaz da farmácia o deixou desconfortável, talvez ele tenha se arrependido de tudo oque disse, namorados eu e ele, imagina, o máximo que a gente faz é ficar abraçados aos beijos, nada tão sério para ser chamado de namoro, acho que foi isso que fez com que ele se incomodasse tanto, faltavam algumas horas para dar meia noite, e era o dia do meu aniversário, eu não queria que tudo fosse por água a baixo então resolvi tentar puxar assunto.

- Quer conversar, perguntei enquanto ele encarava o fogo em silêncio.
Daryl me olhou, mas logo desviou o olhar, antes de responder.

- Eu acho que eu exagerei um pouco, talvez eu deva te pedir desculpas, falou sem ânimo algum e eu acabei rindo.

- Está tudo bem, não é a primeira vez que um cara mente estar namorando comigo, eu entendo, eu sou super gostosa e maravilhosa, que mulher melhor que eu para exibir por aí?
Falei enquanto brincava com um graveto, e Daryl voltou a me encarar enquanto ria.

- Não esqueça de convencida, falou enquanto abraçava as pernas, e derrepente o clima começou a ficar leve como de costume.

- É sério, Luke sempre mentia que namorava comigo, eu sempre mentia estar atrás dele só para as garotas que ele queria o notarem, isto sempre funciona, se chama efeito Magna Fox.

- Eu chamo de Furacão Magna Fox, ele confidenciou rindo, e eu não pude evitar de o olhar nos olhos e sorrir, saber que Daryl havia inventado um apelido para mim, era muito engraçado e de certa forma me fazia se sentir bem, eu nunca esperei nada de garoto nenhum, mas de Daryl, eu sinto que espero muito, eu não sei oque isto significa só sei que é algo muito bom de se sentir.

Me levantei, só para tentar me aproximar, eu já havia acostumado a ficar perto de Daryl, e a distância que havia entre nós dois estava começando a me incomodar.
Sentei ao seu lado e olhei o horário no meu celular, era onze horas, ainda faltava uma hora para eu fazer dezoito, eu não sei oque aconteceria com a minha vida daqui para frente já que a realidade em que eu sempre sonhei estava bem distante das atuais situações, eu não tinha mais uma mãe para me proteger, eu não tinha uma casa onde eu pudesse me sentir confortável e não se sentir uma intrusa o tempo todo, e eu tinha um emprego, bom não é muita coisa, mas tem que dar certo, eu sei que prometi para Daryl que aguentaria mais um tempo morando na casa de Joe, mas a cada dia tudo piora, eu já não aguento mais olhar para a cara dele, nem ouvir a sua voz, mas ter Daryl Dixon por perto de alguma forma me faz se sentir segura, ele é a única pessoa que eu tenho agora além de Luke, mas como o meu amigo está viajando sem data para voltar, Daryl acabou se tornando a minha única companhia, e acabou que se damos bem juntos, pelo menos temos um ao outro já que o Dixon também não tem ninguém.

- Que horas são? Ele perguntou enquanto passava o braço em volta do meu ombro, e eu acabei deitando em seu peito.

- Ainda falta uma hora, e eu vou ser uma garota maior de idade, dezoito anos, já pensou, eu sou foda mesmo, falei para fazer graça e ele riu alto enquanto soltava os meus cabelos que estavam presos.

- Eu gosto mais assim, falou e eu levantei meu rosto para o encarar, nossos olhos ficaram perdidos um no outro por longos segundos antes de Daryl aproximar nossos lábios e me beijar de uma forma intensa, de alguma forma eu já sabia oque aconteceria nesta noite, eu sabia que hoje era o dia em que eu tanto esperei, e por um segundo eu me arrependi de ter me deitado com outros corpos um dia, tudo oque eu mais queria era que fosse a minha primeira vez, hoje, aqui e agora com Daryl Dixon. Pode parecer idiota dizer uma coisa dessas, sexo é a coisa mais normal a se fazer no mundo, mas era a primeira vez em que eu sentia que era realmente especial para alguém, então eu me peguei se perguntando, se isso não era amor oque mais poderia ser?

***

*Daryl Dixon

Confesso que pela primeira vez na vida eu me senti com medo de tocar uma garota, eu não sabia por onde começar, e tinha medo de fazer algo errado e estragar tudo, talvez eu seja mesmo um maricas como Merle sempre diz, mas Magna esperava uma atitude minha, então eu resolvi começar pelo óbvio, as bebidas e o bolo.
Me levantei da fogueira deixando a garota sentada lá, e então peguei uma garrafa de vinho e outra de vodka, entreguei em suas mãos e voltei pegar o bolo, assim que ela viu oque eu trazia ela sorriu um de seus sorrisos mais singelos, era visível que ela estava feliz, e de certa forma isto também me deixou mais alegre, afinal eu havia acertado alguma coisa e já era um ótimo começo.

- Um bolo, de chocolate, hum que delícia, mas ainda falta uma hora, falou enquanto me ajudava a ajeitar o bolo no chão.

- Acho que a gente pode fingir que já é meia noite, falei enquanto sorria.

- Justo, obrigada pelo presente, eu não esperava, respondeu enquanto passava a ponta do dedo provando o sabor do bolo.

- Eu sei que você gostaria de estar em uma festa, com bastante gente , dançando ou fazendo qualquer coisa para comemorar, mas foi o mínimo que eu poderia fazer para comemorar, falei enquanto encarava a fogueira, eu nunca fui bom com as palavras, por mais que eu tenha evoluído muito deis de que Magna chegou, falar isso olhando em seus olhos ainda não me era algo fácil.

- Não existe outro lugar no mundo em que eu quisesse estar que não seja aqui com você Daryl Dixon.

O resto da noite foi bem divertido, pela primeira vez na vida eu comi mais doque um pedaço de bolo, graças a insistência de Magna, dizer não para a garota acabou se tornando uma missão quase impossível, ela sabe exatamente como me convencer a fazer as coisas, e eu gosto de ver seu sorriso quando eu sigo suas regras, então eu acabo sedendo.

Eu dei o anel que eu havia comprado, e ela imediatamente o colocou no dedo dizendo que nunca mais o tiraria, ela conseguia ser engraçada até quando queria ser séria.
Acabamos bebendo além da conta, e falando várias bobagens, a fogueira também acabou se apagando, e eu nem me preocupei em a acender de volta, apenas o escuro da noite nos iluminava, e por um milagre Magna não reclamou de medo da floresta a nossa volta.
Estávamos deitados na grama brincando de contar as estrelas, a verdade é que já estávamos um pouco bêbados e acabamos ficando por ali mesmo.
Acendi um cigarro, mas Magna o tomou da minha mão, e foi então que começamos a o dividir, isso já havia virado um costume nosso embora a cartela estivesse cheia o bastante para cada um fumar o seu.

- Este é o melhor aniversário da minha vida, falou enquanto estendia o cigarro de volta para mim, e eu não pude evitar de a olhar, seus cabelos jogados na grama, seu rosto iluminado pela lua, e em seus lábios um sorriso capaz de iluminar um mundo todo.

- É o melhor dia da minha vida também, falei enquanto soltava a fumaça pelo nariz.

- Obrigada, você é a melhor coisa que me aconteceu em todos esses tempos.
Falou enquanto apoiava o cotovelo no chão e virava a cabeça para me olhar nos olhos e eu acabei sorrindo.

- Você é a mulher mais linda que eu já vi em toda a minha vida, falei por impulso, talvez a bebida tenha ajudado também, mas isto não era mentira, Magna é realmente a mulher mais inclível que eu já conheci.

- O bolo estava uma delícia, o melhor de todos, a melhor coisa do mundo, é até melhor que sexo, falou enquanto sorria, mais uma de suas piadas costumeiras, mas quando ela bebia a coisa parecia piorar e eu acabei rindo também.

- É Sério? Perguntei por impulso e ela disse que sim.

- Então ninguém nunca te fodeu direito, falei enquanto tragava a fumaça mais uma vez.

Ela me olhou de um jeito sapeca, e tudo foi muito rápido, Magna passou a perna direita por cima do meu colo e ficou sentada em cima de mim, um joelho para cada lado do meu corpo, e eu acabei me sentando e jogando o cigarro em um canto qualquer, tudo oque eu queria era sentir seus lábios nos meus.
Nossas línguas entraram em uma verdadeira guerra, e eu acabei deixando minha sanidade de lado, tirei sua blusa e seu sutiã em um movimento ágil, quando seus seios saltaram diante de meus olhos, iluminados apenas pela luz da lua, eu não imaginava que ela conseguisse ser ainda mais linda, mas a vendo assim ela conseguiu superar todas as minhas expectativas, eu nem sabia se merecia essa mulher, mas não parei para pensar, apenas me deixei levar pelo calor do momento, foda-se a minha sanidade, foda-se todo o resto, só nos dois importava.

Logo a minha camiseta também foi puxada para cima, e arremessada para longe, eu puxei Magna para perto de mim sem qualquer delicadeza, sem que eu percebesse minhas mãos já estavam em seu corpo, explorando cada detalhe, e nossos lábios se tocavam com certa violência.

Meus dedos se emaranharam nos fios caracolados, enquanto ela se livrava dos sapatos e do jeans que vestia, eu também me livrei das minhas calças sem separar nossos lábios, logo estávamos nú, e ela voltou a se sentar em meu colo, forçando sua intimidade contra a minha sem que eu realmente estivesse dentro dela, mas mesmo assim não deixava de ser algo prazeroso, suas mãos estavam em meus braços e ombros, indo e vindo, passando por minhas costas, explorando meus músculos que se contorciam de vontade de estar dentro dela.

Separei nossos lábios, e a encarei por alguns segundos, ela sorriu me mostrando que estava gostando doque estava acontecendo, deixei uma de minhas mãos subir em seu seio empinado, enquanto levei meus lábios até o outro, rodeando os bicos endurecidos com a ponta da língua, quando Magna deixou sua mão direita escorregar pelo meu abdômen até encontrar a minha ereção, segurando a com firmeza e começando um ritual de movimentos frenéticos de vai e vem, enquanto arranhava as minhas costas com a outra mão livre.

A tirei do meu colo e a coloquei deitada sobre a grama, e em seguida explorei cada parte do seu corpo com a língua, comecei pelos lábios, e só terminei quando cheguei nas pontas dos pés, subindo novamente até sua intimidade e parando ali por longos minutos, sua pele era quente e tinha sabor de puro desejo.
Acabei me sentando de novo e a puxando para mim, e começamos tudo novamente, seu toque era como fogo ardente na minha pele, e tudo oque eu queria era me queimar.

Magna se ajeitou em meu colo, e encaixou nossos corpos, eu pude sentir cada centímetro meu ir penetrando-a devagar.
- Isto com certeza é melhor que bolo, falou em meu ouvido, e eu acabei rindo.

- Eu te avisei que ninguém nunca havia te fodido direito, falei enquanto enchia as palmas das mãos com a sua bunda, passando a ditar o ritmo das estocadas, derrepente nossos gemidos entraram em sincronia e nem mesmo o som dos galhos das árvores ou dos animais da floresta podiam ser notados, era apenas eu, ela e o nosso ainda não assumido amor.

Foi quando me lembrei que eu havia preparado a cama com pétalas de rosas, mas acabei me esquecendo e começando tudo aqui, ja não importava mais, oque a gente havia começado aqui no chão frio, não terminaria em uma cama, em uma poltrona, ou em qualquer outro lugar, oque a gente começou aqui não terminaria nunca, e eu tinha toda a certeza disso, mais doque qualquer outra coisa no mundo.

Magna Fox finalmente era minha para sempre!


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo ❣️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...