História Destino - BTS - Capítulo 11


Escrita por: e _iamqueen_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 2.789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Festa, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi guris e gurias

Capítulo 11 - "SooHyun, Minho e explicações"


Cassie ON

Eu não fui na aula naquela semana e nem na seguinte. Estava cogitando seriamente pedir para o meu pai para transferir -me para outra instituição de ensino. Eu não queria abandonar nenhum dos meus amigos, nem Jimin, mas em minha cabeça eu tinha que me afastar para não magoar mais ninguém. E eu já estava certa da minha decisão. Pra quem olhava de fora eu segui minha vida normalmente, ia aos ensaios na Dark, havia pensado bem e decidido continuar com aquilo, pois percebi que eu era capaz de qualquer coisa, bastava apenas tentar. Meu pai sabia que tinha alguma coisa acontecendo, por isso não me impediu de ficar em casa, por mais que o preocupasse a quantidade de aulas que eu estava faltando. Então eu decidi ter uma conversa com ele naquela noite, estava com receio de falar com ele sobre esse assunto, mas era necessário se eu quisesse sair daquela escola.

Meu pai e Lynn estavam na cozinha, preparando o jantar juntos. Eles brincavam, sorriam, pareciam realmente felizes, e eu também estava feliz, por eles. Fazia tempo que eu não via meu pai com um sorriso daqueles em seu rosto. Eles não haviam assumido um relacionamento ainda, mas se continuasse naquele ritmo, certamente em breve eu teria uma mãe, postiça mas com certeza uma mãe.

- Pai, Lynn - chamei ainda na porta da cozinha - Queria conversar com vocês.

Eles se entreolharam cúmplices mas com feições sérias, arrumaram as panelas e sentaram -se lado a lado a mesa.

- É sobre suas faltas na escola? - meu pai jogou verde e eu suspirei internamente.

- Quase isso - murmurei baixinho.

Ouviu- se silêncio por alguns segundos, eu estava pensando com cuidado que palavras usar para conversar sobre aquilo com ele, até porque meu pai era muito amigo da família de Jimin. E se eu dissesse que era por causa disso que eu queria mudar de escola, ou meu pai perderia um amigo, ou não faria minha vontade, e eu não queria que nenhuma daquelas opções se realizassem.

- Fale querida - Lynn encorajou -me pegando em minha mão delicadamente.

- Bom, eu queria pedir pra você me mudar de escola pai - falei tudo de uma vez, rapidamente.

Os dois suspiram e se olharam novamente, e eu podia jurar que eles sabiam o porque de eu estar fazendo um pedido daqueles.

- Por quê isso agora Jujuba? - meu pai perguntou olhando -me carinhosamente.

- Desculpa a intromissão - disse Lynn - Mas você não havia dito que estava se adaptando bem, que até já tinha amigos.

- Sim eu disse - dei de ombros indiferente - Mas eu não gostei da escola, sei lá, não me adaptei ao modo de ensino.

Meu pai suspirou e foi preparar um suco para o jantar, enquanto isso eu o olhava com expectativa, eu tinha esperança que ele fizesse minha vontade. Não que eu fosse mimada a esse ponto, meu pai me deixava eu fazer o que quisesse desde que não fosse prejudicial para a minha pessoa, ele até havia brigado diversas vezes com minha mãe, pois quase sempre as escolhas dela iam contra os princípios não só do meu pai, mas como os meus também.

- Desculpa minha filha, mas não vai ser possível no momento - ele me encarou inexpressivo - Essa é uma das melhores instituição de ensino de Seul, e não tem como pedir sua transferência justamente agora que é época de provas. E eu creio que esse não é o único motivo pra você querer transferência, então a menos que suas notas estejam baixas, ou você tenha um motivo mais relevante, você não vai mudar de escola.

- Mas pai eu nã...

- Não vamos discutir sobre isso Cassie - ele falou autoritário - Essa é minha decisão, e ninguém vai me convencer do contrário, ajude Lynn a colocar a mesa.

Jantamos todos em silêncio naquela noite. Eu não estava brava, mas sim inconformada. É claro que meu pai tinha razão, ele era meu pai afinal, ele estava apenas exercendo sua autoridade paterna, e eu como uma filha tradicional, estava emburrada por conta de sua decisão.

Acabei indo dormir cedo aquela noite, melhor dizendo, me recolhi cedo, pois já fazia um bom tempo que eu não dormia direito, e minha insônia tinha nome e sobrenome: Park Jimin. Minha insônia não era por estar magoada com aquele garoto, mas sim porque eu estava gostando dele. Quando eu disse a ele que havia pessoas que gostavam dele no sentido romântico, eu estava, mesmo que indiretamente, me referindo a min. Não que não houvesse outras pessoas que gostassem do Park, até porque era meio que impossível não se apaixonar por alguém tão encantador como ele. E era isso que me deixava mais insegura e triste. Primeiro, porque eu era muito sem graça, não precisava nem enxergar pra perceber isso. Com certeza ele não me achava interessante, certamente encontraria uma garota melhor que eu neste quesito. E segundo, porque ele mesmo havia dito que não me queria por perto. E eu não era tão inconveniente a ponto de ficar insistindo, ou até mesmo correndo atrás dele. 


Fui arrancada de meus pensamentos tristes e inconformados, quando meu celular começou a vibrar em cima do criado-mudo. Me encolhi em posição fetal sobre minha cama, eu não queria falar com ninguém no momento, tanto que eu havia faltado duas semanas de aula por esse mesmo motivo. Mas minha consciência acabou falando mais alto, e me obrigou a pegar o celular e responder quem quer que fosse. Podia até imaginar quem era. Hoseok provavelmente estava me mandando algum texto transbordando raiva, e ordenando que eu saísse da vida de Jimin. Bom, pelo menos com isso, ele não precisaria mais se preocupar, porque eu já havia saído da vida de Jimin, desde aquela fatídica tarde, em que ele me mandou embora. Me sobressaltei ao ver no visor do aparelho, que não era Hoseok, e sim Yoongi.

                       yoongi_min
 
          Oi... Eu queria saber se está bem,
          já que você faltou duas semanas.
       

Eu esperava todos, menos Min Yoongi me mandando mensagem no Instagram, e ainda por cima estar preocupado comigo.  Tudo bem que trocamos algumas palavras em algumas ocasiões, mas nada muito relevante, porém isso com certeza não me impediu de ficar feliz, por ele ter tido o trabalho de me mandar aquilo. Logo tratei de respondê -lo.

                         _cassmorris_
    
          Oi... Estou bem sim, obrigada pela
          preocupação.


      
                          yoongi_min

          Srta. Cassie você sabia que mentir
          é feio?


      
                         _cassmorris_

         Como pode ter tanta certeza de                   que estou mentindo?


Ele demorou alguns minutos pra responder, e eu me repreendi mentalmente, ao ficar ansiosa por receber uma mensagem sua. As famosas borboletas, já estavam dando o ar de sua graça em meu estômago. Aquilo era tão clichê, mas era exatamente como eu estava me sentindo.
 

                           yoongi_min

          Estou meio ocupado agora... Me
          prometa que vai na aula amanhã..



                         _cassmorris_


               'Tá boom... até amanhã.

  

                               
                                        ♡



- Cassie acorda - ouvi uma voz suave, e feminina.

Me virei na cama de costas para quem quer que fosse, eu estava com sono, e iria dormir mais. Mas parecia que nada cooperava para o que eu queria, nos últimos dias. Avistei Lynn através de olhos semicerrados, e ela me encarava, com um sorrisinho adornando seus lábios.

- Eu vou ficar em casa hoje - resmunguei me tapando dos pés à cabeça.

- Não senhorita - repreendeu -me - Levanta, porque o seu pai me disse para obrigá -la a ir na escola se fosse preciso, e ele vai ficar uma fera comigo se ver você em casa quando chegar.

- Então só mais cinco minutinhos - falei manhosamente, me encolhendo entre as cobertas.

Aquela era uma cena meio infantil da minha parte, mas a verdade é que eu não queria ir pra aula naquela manhã, eu estava com muito sono e cansadissima por conta das noites mal dormidas. E saber que tinha todos os meus amigos, cheios de perguntas me esperando, me fez ficar incomodada, impaciente.

- Levanta guria - Lynn ordenou em tom maternal - Eu não vou falar de novo.

- 'Tá bom... 'tô indo.

Me arrumei como uma barata tonta, eu estava em estado de inconsciência ainda. Então vesti apenas uma calça azul escura de moletom, jaqueta e tênis brancos. Não estava afim de arrumar meu cabelo, e como eu não sabia fazer nenhum penteado, Lynn se ofereceu para fazer duas tranças, alegando que eu não poderia aparecer na escola com a aparência de um mendigo. Acabei rindo da mais velha, ela tinha cada pensamento louco de vez em quando.

Saí atrasada, mas não me preocupei, porque chegando atrasada não iria dar tempo de ninguém me perguntar nada, pelo menos até a hora do intervalo. Fui para a minha aula de artes sem dar muita atenção à nada, até porque os corredores estavam vazios mesmo, e a professora gostava de mim particularmente, então eu não teria problema algum.

Os três períodos antes do intervalo, passaram mais rápido do que eu queria, e quando o sinal do intervalo tocou, fiz questão de demorar ao arrumar as coisas em minha mochila. Coloquei os fones em meus ouvidos e saí andando, sem pressa alguma pelos corredores que levavam ao refeitório. Entrei naquela enorme fila da cantina, para comprar apenas algumas balas e um refrigerante. Andei por entre as mesas, com uma música agitada tocando em meus fones, a qual eu não lembrava o nome naquele momento. Chegando em minha mesa, vi uma garota loira com pele de porcelana, sentada em meu lugar, ao lado de Jimin. Fiquei em pé parada sem falar nenhuma palavra, até que lentamente, todos perceberam minha presença.

- Oh - ela falou com voz enjoativamente aguda - Me desculpa, sentei em seu lugar espero que não se incomode.

Não sei porque, mas sua declaração parecia falsa aos meus ouvidos, e eu tive confirmação disso quando a mesma me jogou um olhar de deboche.

- Sem problemas - respondi dando de ombros - Eu me sento em outro lugar.
 
Dei as costas e saí andando tranquilamente, mas a verdade era que eu estava despedaçada, sem acreditar que meus amigos iriam mesmo me trocar. Me assustei quando alguém me abraçou pelos ombros, ao olhar para o lado Yoongi me encarou com um sorrisinho, piscando logo em seguida. Olhando pra trás, vi que meus amigos, um por um, foram deixando aquela mesa, seguindo eu e Yoongi, e deixando Jimin e a loira sozinhos. Ela mantinha uma expressão desgostosa em sua face, enquanto que Jimin estava confuso. Me deu vontade de ir correndo até ele, e o trazer juntamente comigo, mas como eu já havia dito; eu não iria mais me meter em sua vida. Sentamos em uma mesa considerávelmente longe da que nos encontrávamos antes. Todos nós sentamos e Taehyung logo começou com suas palhaçadas, fazendo todos nós rirmos. Fazendo também, consequentemente, o clima tenso ir embora.

Passamos todo o intervalo assim, descobri que o nome da garota era SooHyun. Ninguém me fez pergunta alguma pelo meu sumiço, e eu agradeçi mentalmente por isso. Meus olhos inconscientemente acabavam semore parando naquela loira, que ria e ficava se esfregando em Jimin, como se fossem namorados.

Depois que o horário do intervalo acabou, andei com Yoongi até minha sala, todo o caminho em silêncio. Estávamos confortáveis daquele jeito, e eu sentia que aos poucos nós íamos nos aproximando cada vez mais. Paramos em frente de minha sala o mesmo colocou uma mexa de meu cabelo atras de minha orelha, e depositou um leve selar em minha testa.

- Até mais criança - ele disse andando tranquilamente.

- Por quê criança? - perguntei emburrada, eu odiava ser chamada daqueles apelidos infantis.

- Talvez pelo fato de você ser mais nova que todos nós - ele deu de ombros - Até mesmo que o Kookie.

Bufei irritada e entrei em minha sala, aquele  garoto era impossível. Vivia fazendo aquelas brincadeirinhas, não vou dizer que não gostava, momentos como aqueles nos renderam boas risadas. Sentei em minha mesa habitual, e olhei o lado de fora da janela, a chuva começava a cair lentamente. Sobressaltei -me ao ouvir a cadeira ao lado da minha sendo arrastada. Um garoto moreno de cabelos espetados para toda a direção, pele morena bronzeada e um sorriso fácil. Ele sentou -se ao meu lado, me lançando um sorriso de canto.

- Oi - disse empolgado.

- Olá - respondi me ajeitando em minha cadeira.

Ele ficou em silêncio por breves segundos, como se estivesse decidindo o que iria dizer em seguida. Ele parecia gentil ao meu ver, pensar que eu poderia ter mais um novo amigo fez uma alegria crescer dentro de mim.

- Você é Cassie não é? - perguntou em tom curioso.

- Isso mesmo - sorri abertamente - E você é?

- Ah é - disse como se tivesse lembrado de que tinha que se apresentar - Me chamo Minho, será que posso fazer dupla contigo? É que meu amigo não veio hoje, e como vi que você 'tá sozinha...

- Claro que sim.

O professor logo chegou, fazendo toda a sala silenciar instantaneamente. O mesmo deu uma atividade para realizarmos com nossa dupla, eu gostava particularmente daquele professor, porque ele era um cara que claramente tinha autoridade, mas sem se tornar chato, ou até mesmo ranzinza. Ele até fez uma brincadeirinha com Minho sobre a dupla dele não ter aparecido, e ter saído no lucro ao sentar-se comigo, alegando que além de bonita, eu era inteligente. Corei no mesmo instante, óbvio.

Depois que a aula acabou, eu e Minho saímos juntos da sala de aula, enquanto riamos de uma piada que o mesmo contou. Ele era um garoto legal, amigável e simpático ao extremo. Encontrei meus amigos na saída da escola. Assim que nos viram todos fecharam a cara, com expressão de quem comeu e não gostou. Minho olhos insinuativamente pra mim, e eu retribui seu olhar com um sorriso.

- Até mais Cass - ele bagunçou meus cabelos, e saiu com um sorriso adornando sua face perfeita.

Andei até minha rodinha de amigos e todos ficaram em silêncio. Resolvi falar alguma coisa para quebrar aquele clima tenso que havia se instalado no local.

- Oi gente - falei sorrindo.

- Oi - todos falaram em uníssono, mas sem sorrir de volta.

- Não ande com o Minho - Yoongi falou desgostoso.

- Por quê não? - perguntei.

Mas antes que ele pudesse responder qualquer coisa, Jimin e a loira apareceram, sorridente e radiantes.

- Olá - Jimin disse, saudando á todos, já a loira apenas me encarou dos pés a cabeça.

- Apenas... Não ande com ele - Yoongi disse ignorando os recém chegados.

- Mas po...

- Ele não merece sua companhia baixinha - disse Taehyung me olhando gentilmente.

Logo nos despedimos de todos, já que Taehyung iria almoçar em minha casa, convite meu é claro, ele queria me fazer algumas perguntas então apenas uni o útil ao agradável. Andamos em silêncio pela ruas movimentadas, eu dividia um de meus fones com ele. Uma das coisas que começamos a ter como hobbie particular, era voltar pra casa dividindo os fones. Por mais que eles passassem o caminho todo caindo de nossos ouvidos, nós o faziamos mesmo assim, pois eram em momentos simples como esse que nossa amizade se fortalecia.

Chegamos em casa e Lynn atendeu a porta, saudando meu amigo gentilmente. Meu pai desceu as escadas com um sorriso de orelha a orelha, direcionado ao meu amigo.

- Taehyung - meu pai saudou sorridente.

- Sr. Morris - Tae disse educadamente.

Nos direcionamos para a cozinha, e sem demora já estávamos todos servidos.

- Que bom ver que foi na aula Cass - meu pai disse cortando seus legumes.

- Agradeça a Lynn - disse dando de ombros - Se fosse por mim eu teria ficado em casa.

- Já tirou aquela ideia maluca de mudar de escola da cabeça filha?

Lancei um olhar repreensivo para meu pai, ouvindo a exclamação de Tae ao meu lado.

- Você quer mudar de escola?!- perguntou confuso.

Suspirei pesado, não queria magoar Tae dizendo que eu queria ir embora, é claro que eu não me afastaria dele, o mesmo era meu melhor amigo.

- Não é bem assim - falei contrariada - Podemos conversar depois do almoço?

Ele assentiu e eu fiquei aliviada, queria conversar à sós com o mesmo

Depois que almoçamos, Tae subiu para meu quarto, enquanto eu e Lynn arrumávamos a mesa.

- Valeu pai - pronunciei com tom sarcástico.

- Desculpa Jujuba - meu pai declarou - Eu não sabia que não era pra falar na frente do Kim.

- Sem problemas - revirei os olhos - Vou subir agora, pra dar uma explicação ao meu amigo.


Notas Finais


Era pra ter postado ontem neh... Eu me esqueci... Desculpem os erros... E comentem pfv, eu sei que pareço chata pedindo comentários, mas é que eles são importantes pra mim, me ajudam na continuação da fic... Obrigada por estarem acompanhando a estória...

E obrigada @allynester por estar sempre comentando...

Bjinhos meus Kings & Queens amo vcs💙💛💙💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...