1. Spirit Fanfics >
  2. Destino - Stony >
  3. Reencontro?

História Destino - Stony - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii meus amoreeeeessss 💗💗 Como vcs estão meus anjinhos? Espero que estejam bem!😊

Bom, aqui está mais um capítulo fresquinho pra vcs 😊 (me desculpem pelo atraso na postagem, tô com uns problemas pessoais, mas por favor, não desistam de mim)

Aproveitem o capítulo e boa leitura
😙😙

Capítulo 11 - Reencontro?


MARIA POV'S

- Oi Tony - eu segurava minhas lágrimas - Meu amor, eu estava tão preocupada com você...eu tive tanto medo de te perder, de ficar sem você... - a essa altura, as lágrimas já rolavam por meu rosto - Quando você disse que não aguentava mais e que precisava ir, eu não imaginei que chegaria a esse ponto filho, eu te amo tanto...e-eu sei que não fui uma boa mãe para você, mas eu prometo que vou mudar, eu vou ser tudo que você sempre quis e precisou, e eu sempre vou estar aqui, eu prometo. Me perdoa filho, me perdoa... - eu me sentia tão culpada por não ter sido mãe melhor e não ter estado presente quando ele precisou.

- Tá tudo bem, mãe - meu coração acelerou, eu nunca na vida tinha me sentindo tão feliz

- Tony... - o abracei de maneira desajeitada, por conta dos aparelhos que ele usava - Como você está se sentindo?

- Estranho...eu não sei direito. Que bom que você está aqui

- É o meu dever, como sua mãe

- E cadê o Steve?

- Ele tá lá fora

- Eu quero falar com ele...por favor

- Tudo bem... - confesso que fiquei um pouco triste por ele não se importar tanto com a minha presença. Mas ele estava no direito dele - Eu vou chamá-lo - me levantei e fui em direção à porta

- Mãe, espera - me virei pra ele

- O que foi filho? Você quer falar com o Steve não é? Eu já tô indo chamar ele

- Quanto tempo você ainda tem?

- Seis minutos

MARIA POV'S


- Oi Tony - eu segurava minhas lágrimas - Meu amor, eu estava tão preocupada com você...eu tive tanto medo de te perder, de ficar sem você... - a essa altura, as lágrimas já rolavam por meu rosto - Quando você disse que não aguentava mais e que precisava ir, eu não imaginei que chegaria a esse ponto filho, eu te amo tanto...e-eu sei que não fui uma boa mãe para você, mas eu prometo que vou mudar, eu vou ser tudo que você sempre quis e precisou, e eu sempre vou estar aqui, eu prometo. Me perdoa filho, me perdoa... - eu me sentia tão culpada por não ter sido mãe melhor e não ter estado presente quando ele precisou.

- Tá tudo bem, mãe - meu coração acelerou, eu nunca na vida tinha me sentindo tão feliz

- Tony... - o abracei de maneira desajeitada, por conta dos aparelhos que ele usava - Como você está se sentindo?

- Estranho...eu não sei direito. Que bom que você está aqui

- É o meu dever, como sua mãe

- E cadê o Steve?

- Ele tá lá fora

- Eu quero falar com ele...por favor

- Tudo bem... - confesso que fiquei um pouco triste por ele não se importar tanto com a minha presença. Mas ele estava no direito dele - Eu vou chamá-lo - me levantei e fui em direção à porta

- Mãe, espera - me virei pra ele

- O que foi filho? Você quer falar com o Steve não é? Eu já tô indo chamar ele

- Quanto tempo você ainda tem?

- Seis minutos

- Eu acabei esquecendo de perguntar como você está com toda essa confusão. E eu só perguntei do Steve, porque foi ele que me achou lá no banheiro da escola, ele deve estar arrasad..

- Tudo bem Tony, tá tudo bem. Eu entendo a sua preocupação com ele

- E como você está?

- Agora estou aliviada, porque sei que você já está melhor - me sentei ao lado dele de novo

- Eu tô tão feliz que você tá aqui... - ele disse segurando a minha mão

- Eu fico feliz por isso... Ah, eu tenho uma notícia maravilhosa para te dar!

- É mesmo?! Me ajuda aqui, por favor - ele pediu se sentando na cama e eu ajudei - Me conta o que é - ele pediu animado 

- Bom, se prepare...eu denunciei o Howard, e ele vai ser preso e nunca mais vai perturbar a gente! - disse tudo com um sorriso no rosto e pude ver o meu filho sorrir também 

- Mãe, é sério? - ele perguntou com um sorriso, seus olhos se encheram de lágrimas

- Sim Tony, é sério

- Ai meu Deus! Eu nem acredito! - ele disse me puxando para um abraço apertado e desajeitado - Eu tô tão feliz! - a voz dele estava embargada pelo choro - Mãe você é demais! Você é simplesmente incrível! - ele sorria de orelha a orelha

- Com licença - disse o doutor Wade entrando no quarto - Sei que estão em um momento delicado e emocionante, eu não queria ter que interromper mas infelizmente o tempo de vocês acabou

- Tudo bem doutor, já estou saindo

- Não precisa toda essa formalidade, só Wade, por favor 

- Tudo bem Wade. Eu já vou indo Tony, amanhã eu venho te ver ok? - disse dando um beijo em sua bochecha

- Tudo bem mãe, até amanhã e obrigado- me lançou um sorriso 

- Senhora, por favor peça ao próximo para aguardar alguns minutos, eu preciso conversar um pouco com Anthony

- Claro. E pode me chamar só de Maria - disse saindo do quarto deixando ele e meu filho a sós para conversar.


MARIA OFF

NARRADORA POV'S


- Então você é o famoso Anthony? - perguntou Wade se sentando ao lado do mais novo 

- Famoso, eu?

- Sim, você mesmo. Comentaram bastante sobre você aqui no hospital hoje 

- Sério mesmo?!

- Sim Anthony

- Não precisa me chamar de Anthony, pode chamar só de Tony - disse com um leve sorriso 

- Tudo bem Tony, e como você já ouviu não precisa me tratar com formalidades.  Então me chame de Wade

- É um prazer te conhecer Wade 

- Igualmente Tony

- Mas o que tanto falaram de mim hoje?

- O seu caso foi um pouco grave, e não é todo dia que recebemos um caso como o seu

- Ah entendo...

- Bom, eu vou te contar uma coisa

- O que?

- Eu fui escolhido para ser seu psicólogo por um tempo. Mas isso é só se você quiser 

- Eu com certeza quero. Um psicólogo é exatamente o que eu preciso

- Que bom que você reconhece isso. Preciso que você me diga se está realmente disposto a falar sobre tudo que aconteceu para que você chegasse ia fazer isso

- Sim, eu estou disposto. Eu quero e preciso que você me ajude!

- Tudo bem. Eu estou aqui exatamente para isso, eu vou voltar mais tarde para a gente fazer nossa primeira sessão. Nós vamos nos ver uma vez por semana, depois que você sair daqui

- Tudo bem

- Tem um garoto lá fora... Steve, eu acho. Ele quer te ver, você quer falar com ele?

- Sim por favor. Ele...é meu namorado - disse sorrindo envergonhado 

- Que legal! Espero que você me conte mais sobre ele mais tarde - disse com um sorriso acolhedor - Eu vou chamá-lo - disse se levantando-  Tchau Tony, até mais tarde

- Tchau Wade - disse sorrindo divertido para o mais velho.


*alguns minutos depois*


Steve estava do lado de fora do quarto, nervoso e feliz por poder falar com Tony. Ele bateu na porta e obteve um "entra" como resposta. Assim que entrou, olhou na direção do moreno vendo um enorme sorriso brotar em seus lábios. 

-O-oi - foi tudo o que conseguiu dizer enquanto caminhava em direção à cama, ele estava emocionado, lágrimas brotavam em seus olhos

Tony estava feliz por poder ver seu namorado de novo, mas também se sentia culpado por ter feito ele sofrer. Steve se aproximou mais, e finalmente abraçou o moreno, deixando suas lágrimas rolarem por seu rosto

- Eu tô tão feliz que você tá aqui… eu tive tanto medo de te perder - a voz abafada

- Me desculpa...eu não queria fazer você se sentir assim - ele retribuía o abraço da maneira que podia

- Tá tudo bem - secou as lágrimas - O importante é que você está aqui, e vai ficar bem

- Mesmo assim eu te peço desculpas - segurou as duas mãos do loiro - Eu não queria te fazer sofrer. Eu só queria acabar com a dor que eu estava sentindo - seus olhos já estavam inundados de lágrimas outra vez. Howard invadia suas lembranças

- Meu amor, calma...tá tudo bem agora. Eu tô aqui com você, não vai acontecer nada - acariciou o rosto do menor e se aproximou para beijá-lo

- NÃO! - ele colocou os braços na frente do corpo para se "proteger" de Steve - Não, por favor, não faz isso - ele chorava e abraçava seu corpo. Howard estava em sua mente. Ele tinha medo de Steve o machucar da mesma maneira que seu 'pai fez.

-T-tá bom...desculpa, eu não queria te assustar. Fica calmo… - Steve começava a se desesperar, ele não sabia o que tinha feito de errado, não entendia o que estava acontecendo, então simplesmente se afastou de Tony, até estar perto da porta. 

- Não me deixa sozinho...por favor - ele suplicou, cheio de lágrimas nos olhos - Eu tenho medo…

- Mas quando eu me aproximei, você se desesperou… - ele também chorava, estava assustado com a reação de Tony

- Eu fiquei com medo

- Mas medo de que Tony?

- Você ia me beijar...e eu tive medo que você me machucasse

- Tony, eu NUNCA te machucaria

- Eu acreditava que ele nunca me machucaria assim...e agora eu tô aqui por causa dele - sussurrou, mas não baixo o bastante para evitar que Steve ouvisse

- O que? Como assim? Do que você tá falando?

- Não...n-nada. Deixa pra lá

- Não Tony, eu não vou deixar pra lá. Você disse que alguém te machucou, e eu não posso simplesmente ignorar isso. Meu anjo, o que tá acontecendo? Por que você tentou tirar sua vida? Tony, por favor...eu quero te ajudar - Tony suspirou 

- Tudo bem, eu te conto...mas tem que me prometer que não vai contar pra ninguém, por favor...isso é uma coisa muito séria e grave…

- Tudo bem, eu não vou contar, prometo

- Vem, senta aqui, por favor - Steve se sentou ao lado de Tony - Bom… - as memórias já voltavam à sua mente, e as lágrimas a seus olhos

- Calma, tá tudo bem. Posso segurar sua mão enquanto você conta, se você quiser - disse e Tony segurou sua mão, entrelaçando seus dedos

- Então...é meio complicado - suspirou - Você sabe que meu pai não me aceita, né?

- Sim Tony. Sei sim

- Bom, ontem quando eu cheguei em casa, ele me enforcou e...eu desmaiei, não sei o que aconteceu comigo. Mas quando eu acordei, tava jogado no chão da sala, todo machucado, dolorido e sem minhas roupas...hoje antes de ir pra escola, ele… - a essa altura, o garoto já soluçava por conta do choro - Ele abusou de mim Steve - disse num sussurro, se encolhendo na cama

- O quê?! Tony, como assim?!

- Eu não sei Steve! Eu não sei! Ele só ficou bravo porque eu fui na sua casa fazer o trabalho, e...se aproveitou de mim. Ele me xingou e...disse que com certeza iria fazer isso mais vezes...Steve, eu tenho medo - continuava a chorar

- Eu vou matar esse desgraçado! - Steve sentia cada parte de seu corpo ser consumida pela raiva - Mas e sua mãe Tony? Ela não fez nada?

- Ela denunciou ele, mas mesmo assim eu tenho medo. E se não conseguirem prendê-lo? Se aquele desgraçado fugir e fizer algo com a gente? Eu tenho muito medo Steve - ele puxou o mais velho para abraçá-lo

- Meu anjo, não vai acontecer nada, eu prometo. Eu não vou deixar esse infeliz chegar perto de você, vou te proteger até o último segundo da minha vida

- Obrigado Steve...muito obrigado por estar aqui comigo

- Meu amor, eu nunca te abandonaria. Eu sempre vou estar com você, eu vou sempre te proteger de qualquer mal, e vou sempre cuidar de você

- Eu te amo Steve, muito obrigado

- É o meu dever cuidar de você - ele sorriu para o menor e secou as lágrimas dele - Você já sabe quando vai sair daqui? 

- O Wade disse que se tudo estiver bem, eu saio amanhã no final da tarde

- Ah que bom! Tenho certeza que você vai estar bem. E  esse tal doutor Wade tá te tratando bem?

- Sim, sim. Ele me trata muito bem. Ele vai ser meu psicólogo. Minha primeira sessão de terapia vai ser hoje a tarde

- Que legal! Eu espero que ele possa te ajudar. Acho que o Stephen virá te ver a tarde. O Bucky com certeza avisou a ele

- Tomara que ele venha…

- O nosso tempo já está acabando - disse triste - A minha mãe tá lá fora, ela te mandou um beijo e um abraço, disse que te ama e espera que você fique bem. Ela não entrou porque precisa voltar para o escritório, mas assim que soube, ela veio para cá

- Ah meu Deus! Steve, eu não queria preocupar ninguém, me desculpe...mas por favor agradeça a ela por mim, e diga que eu a amo muito

- Tony, você não precisa se desculpar, ela veio porque quis, e também porque se importa com você - assim que Steve falou, a porta foi aberta

- Com licença rapazes, eu não queria interromper vocês, mas infelizmente seus dez minutos acabaram

- Tudo bem Wade, nós conversamos bastante. Meu amor, amanhã eu venho te buscar e te levar para casa, ok? - deu um beijo na testa de Tony

- Tudo bem. Até amanhã Stee - Steve se levantou e saiu do quarto, deixando Tony e Wade

- Eu vou te deixar descansar, tá bom? A cada meia hora, virá uma enfermeira ver como você está e se precisa de algo. Se precisar de ajuda com alguma coisa ou se sentir mal, pode apertar o botão ao lado da sua cama, tá?

- Aham. Obrigada Wade - ele saiu do quarto.


          …...CONTINUA…... 



Notas Finais


E então meus amores, o que acharam? Comentem MUUUUUITO pra eu saber, tá bom?
🍀 inclusive: continuo aceitando sugestões de casais pra nossa fic tá😉💗

Beijinhos da tia Spidey babies, se cuidem e até sexta😘💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...