1. Spirit Fanfics >
  2. Destino - Yoonkook >
  3. Dezesseis

História Destino - Yoonkook - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Oi chuchus 💜🇧🇷💜🇧🇷💜
Quem ainda está processando sobre o casamento do Chen e a noiva dele possivelmente estar grávida?🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️🖐️
Imagina que coisa mais fofa ele segurando um bebê 😍😍😍😍😍😍😊😊😊😊😊😊 👣👣👣👣👶🏻👶🏻👶🏻👶🏻( por quanto tempo dormi, sério a maioria acordou com essa notícia)

Antes de tudo vou deixar claro, talvez - certeza - vocês vão querer dar uma surra no Dong sun e na Lisa e ainda por cima vão querer minha cabeça.
Me desculpa acabar com as espectativas heheheh😈😈😈😈😈😈😈

Não ligue para os erros e boa leitura!!!!!!🚨ALERTA SPOILER 🚨 MOMENTO YOONKOOK, NÃO VOMITEM ARCO ÍRIS

Capítulo 17 - Dezesseis


 

  1836, 14 de fevereiro. Busan, Coreia do Sul.



    O dia tinha começado bastante estressante na opinião de Yoongi. De fato queria mais do que tudo que Chaerin por um milagre perdesse a voz pelo menos por aquele dia. De fato estava estressado com a amiga. A questão é que depois da visita totalmente inesperada - para ele - dos Jeon a casa de seus avós, Chaerin colocou na cabeça que tinha algo a mais - sendo verdade - infernizando não só a vida de Yoongi como a de Jimin e Taehyung que por acaso são os três cúmplices da mãe da garota.


     Durante todos esse dias a mesma obrigou Yoongi a acompanhá-la até a padaria dos Jeon para encher o saco dos mesmos na esperança de descobrir se suas suspeitas estavam mesmas certas e graças aos Deuses os dito cujo não deixaram escapar nada para desagrado da mais jovem. O Min tentava ao máximo impedir a maluca da amiga de ir atrapalhar os outros. Nesse tempo de preparo das encomendas de sua tia eles precisavam de menas distrações possível para terminar tudo no prazo, mas Lee Chaerin não cooperava.


    No dia anterior praticamente intimou os quatro que compunham a família Jeon a comparecer na casa dos Yoo para segundo ela uma tarde entre amigos para mais uma tentativa falha de tentar descobrir algo. Isso já estava esgotando muito da pouca paciência que tinha.


    Em uma dessas idas Chaerin conheceu Chou Tzuyu e não foi de se esperar que ela não fosse de jeito nenhum com a cara da garota, principalmente depois de ver como ela era grudenta demais para cima do filho mais velho de Chanyeol e Baekhyun que claramente às vezes ficava um pouco constrangido por umas situações. Mas ela não podia falar que foi de todo mal esse encontro já que se divertiu bastante com as caretas desgostosas que o Min fazia quando a mesma estava perto demais de Jungkook. Foram essas ações que resultou em uma noite regada de conversa onde Yoongi tentava a todo custo dizer que não tinha nada com o garoto e que eram apenas amigos - o que não pegou muito para Chaerin. Acabaram tendo um surto coletivo, ela pelo futuro pretendo do amigo e ele por não conseguir tirar aquele ideia absurda - como insistia em dizer - da cabeça dela.


     Agora voltando ao atual Yoongi estava prestes a enfiar algo - qualquer coisa que estivesse à sua frente e servisse - dentro da boca da tagarela em cima de si para ver se conseguia voltar ao seu precioso sono que fora bruscamente interrompido por aquela criatura de cabelos grandes. Contava mentalmente na esperança de se acalmar e não cometer um atentado contra a vida da Lee, como ficariam os pais dela? Os dois não mereciam passar por isso então para um bem maior tentava a todo custo ignorar.


  - Levanta Yoongi. - remexia seu pequeno corpo que convenientemente movimentava o abaixo de si, uma cena um tanto estranha e ao mesmo tempo comum.


   - Lee Chaerin eu juro por tudo que é mais sagrado que se você não sair de cima de mim eu te derrubo.


  - Duvido. - e para provar que estava falando mesmo a verdade em um movimento brusco fez o corpo da amiga ir de encontro ao chão no mesmo momento. - Min Yoongi. - vingativa como era não iria deixar barato, por isso logo puxou o ômega a seu encontro.


   - Aí. - resmungou com um bico em lábios, tinha metido sua bunda com força no chão. - Você é muito chata.


  - Vai se arrumar que daqui a pouco as visitas vão chegar.


    Não contrariou, estava acordado mesmo.


                              *****


    Ao lado de baixo Sun-hee recebia a visita que recém tinha chego. Estava bastante animada, gostava muito de uma casa cheia e movimentada. Também um pouco de sua animação se dava ao fato de ter voltado a falar com o filho, não era como antes pois Yoongi ainda estava um pouco receoso em confiar novamente nos pais mas já era um bom começo em relação a de antes.


     - Olá. - sorriu enquanto dava passagem aos três - novamente Chanyeol  não tinha ido por que estava tomando conta da padaria. - Fiquem a vontade.


   - Obrigada. - Baekhyun confessaria que ficava um pouco desorientado em um lugar como aquele. Era tanto luxo e riqueza em um só espaço e não era como se tivesse vivido muito em ambientes assim, teve pouco contatos com pessoas de muitos bens.


   Pela grande escada duas figuras se fizeram presente. Chaerin praticamente puxou Yoongi em direção a sala pois segundo ela queria estar presente quando os Jeon chegassem e tentar descobrir - novamente - o que sua amada mãe aprontava.


     Os pais dos dois Kwan e Kihyun não estavam em casa, acontece que os negócios não esperam e quando se deram conta um imprevisto de última hora aconteceu fazendo com que os dois voltassem imediatamente para Seul. Kim Do Hyun também os acompanhou pois depois de muitas discussões sobre o assunto ele foi aceito como parceiro já que mostrou ser de confiança para os dois alfas. A estadia dos três em Seul iria ser de alguns dias pelo menos, o previsto é chegarem um dia antes do aniversário de Chaerin - para alegria das duas Lee e principalmente de Youra que deixou bem claro ao homem que se ele não estivesse presente no aniversário da filha iria ter sérios problemas.


   - Oi! - gritou ao pé da escada, Yoongi agora sim estava cogitando sério a ideia da amiga ficar sem voz.


   - Chae fale mais baixo, ninguém aqui é surdo. - a repreendeu como se fosse uma criança. A outra bufou e revirou os olhos.


  - Olá Chaerin e Yoongi. - em particular Baekhyun adorava ver com era a amizade de Lee e Min, uma amizade verdadeira e muito divertida. Adorava demais esses dois juntos.


   - Olá. - o pequeno ômega tinha uma expressão emburrada na cara, não era sua intenção ficar assim, mas era difícil controlar as ações de seu corpo. Ele realmente odiava quando o acordam cedo demais tão bruscamente como a garota ao seu lado fez.


   Sentou-se no sofá ainda com um bico em lábios a diferença era que agora tinha os braços cruzados um pouco acima da barriga.


  - Você está bem Yoon? - Sun-hee perguntou preocupada, apesar de que na maioria do dia o ômega se mantivesse desse jeito, mas mesmo assim era mãe e não deixava de se preocupar com seu filho.


   - Ele só está fazendo manha tia. - a outra foi mais rápida a responder. - Só está assim porque eu o acordei.


  - O meu bebê está com soninho? - falou com a voz mais fina com se estivesse a falar com um bebê. Foi em direção ao filho sentando ao seu lado não demorando para o apertar em seus braços sentido-o se aconchegar. Não conseguiu se segurar, esperava muito que os visitantes não se importasse muito com o modo que agiu pois em seu favor foi impossível não tratar aquela fofura como um bebê, seu precioso bebê.


  - Chaerin é má mamãe. - respondeu todo manhoso apertando mais sua mãe.


   Por outro lado Baekhyun o achou bastante adorável. Era tão lindo ver como mãe e filho se portavam, chegava a sentir uma pontinha de inveja pois quando trata seus filhotes como o bebê que eles são os mesmos só faltam gritar aos céus que são adultos. Lhe dava uma saudade imensa de quando eram mais novos e sempre que podiam estavam atrás de carinho e colo - não mudou muito, mas não é tão frequente como antes. Essa era a dura realidade, seus bebês não eram mais bebês, nossa como era difícil aceitar isso. Aceitar que um dia eles iriam ter suas famílias e saírem de baixo de suas asas, mas lógico que como o pai coruja e babão por aqueles dois iria deixar bem claro que só se veriam livre de si quando sua trajetória nesse mundo acabasse, enquanto isso não adiantava de nada.


  - Pode deixar que a Chae não vai mais te atentar. - o mesmo só assentiu. Seus olhinhos estavam fechados apreciando o carinho sendo feito em sua cabeça.  


   - Alguém viu meu regador? Minhas flores estão com sede. - logo a figura de um Dong-sun com sua fiel bengala se faz presente no espaço que divide a sala de refeições a sala de estar.


  - A Yuji deve saber papai. - murmurou sua filha sem de fato olhar para o mais velho. No mesmo instante notou presenças desconhecidas na sala. 


   - Olá. - acenou amigável para a família Jeon. - Sou Dong Sun.


  - Olá, sou Baekhyun e esses dois são Lisa e Jungkook. - o Jeon mais velho torcia para que as pessoas diante de si não levassem para o lado pessoal a falta de falas de seus filhos. Mesmo que os dois gostassem muito dos presentes ainda não se sentiam totalmente confortáveis para dizer algo, não tinha nada contra eles, claro que não, só não conseguiam, talvez com mais um pouco de tempo de convívio de pouco em pouco iriam ir se abrindo. Com toda certeza um dos grandes fatores era a diferença de idade, mesmo sendo o total contrário da verdade eles cresceram ouvindo de seus professores que na presença de pessoas mais velhas deveriam ter total respeito e com isso temiam dizer algo de errado ou ser mal interpretado causando um grande alvoroço - mesmo que seus pais deixassem claro que não era bem assim. Isso explicaria já que se de primeira falaram com Yoongi e Chaerin sem estarem rodeados pelo silêncio. E Chanyeol não iria obrigá-los a fazer algo que não estivessem à vontade.


   - Oh vocês são os famosos dono de padaria. - lembrando que não estava tentando ofender e nem nada. Nesses dias que se passaram só se ouvia falar deles por parte de Youra sua filha e esposa. Diria até que tinha vontade de conhecer o famoso Baekhyun que de acordo com as mulheres fazia uma maravilha na cozinha. - Ouvi muito falar de vocês.


  - Vovó o senhor precisa de ajuda? - perguntou. Sempre que estava por perto o homem sempre contava com a ajuda do neto além de o ensinar várias técnicas de jardinagem.


   - Claro. - fez um movimento com as mãos como se pedisse para o garoto ir até si sendo atendido. Ao chegar perto o homem abraçou seu pequeno corpo, era muito bom apertá-lo em seus braços, na verdade tinha essa mania de o abraçar desde que o mesmo nasceu para desespero de Sun-hee por seu bebezinho frágil. - E vocês… - apontou para os dois mais novos ao lado de Baekhyun. - não querem nos acompanhar? Garanto que vão gostar.


    Neste mesmo instante Lisa e Jungkook olham para seu pai num questionamento mudo se iam ou não. Era sempre assim, só se seus pais permitissem e caso um não nem adiantava insistir  que não iriam mover o pé. Baekhyun por sua vez apenas assentiu sorrindo para os dois.


  - Pode ser. - quase não ouviram a voz de Lisa de tão baixo que ela falou.


  - Ótimo. E você Chaerin?


  - Dessa vez não irei, vou ficar aqui conversando. - Yoongi nem fez questão de segurar o revirar de olhos, sabia muito bem o que aquela mulher - para não dizer algo que a insulte - estava aprontando. Só iria desejar sorte e paciência para Baekhyun pois ele iria precisar.


   - Então vamos. - rumou para o fundo da casa onde estava o relativamente grande jardim.


    Tirando Yoongi e Dong Sun os outros ficaram deveras encantado com tamanha beleza natural, se já estavam impressionados com o pequeno jardim da frente esse que estão vendo nem se diga. Era tanta diversidade de flores, céus, nem sabiam o nome de mais da metade de espécies presentes ali. No meio tinha um caminho de pedras que atravessava todo jardim até chegar em um pequeno espaço coberto onde tinha uma mesa toda delicada com algumas cadeiras e mais atrás dois sofás pequenos, muito bonito. Um ótimo lugar para aproveitar um dia de tarde.


   - Vejo que gostaram. - Dong Sun se sentia revigorado ao estar perto de suas plantas.


  - É muito bonito. - confessaria com orgulho que seu ego se erguia nas alturas quando alguém falava bem de seu jardim, isso mostrava que seu trabalho feito por ali realmente serviu para algo, que todo o seu cuidado foi reconhecido.


   - Que bom que acha. - começaram a andar pelo caminho de pedras entre as plantas. O mais velho notou o quão encantados e curiosos os dois Jeon olhavam para cada flor, isso lhe deixava nostálgico. Se lembrava de um Yoongi de cinco anos o acompanhando por entre o extenso jardim   animado para descobrir mais sobre as flores. - Querem saber qual é essa flor? 


   - Sim. - dessa vez foi Jungkook que disse. Não entendia muito sobre flores, mas gostaria muito de saber.


   - Essas são as camélias. - apontou para as delicadas flores que os dois jovens antes olhavam. - As camélias são flores muito belas. As flores solitárias dela podem ser de qualquer tamanho, grande ou pequeno. Geralmente elas chegam a tamanhos demasiados grandes, usadas muito para decoração. Suas cores mais comuns são as brancas, as róseas e as vermelhas, também podem se encontrar as bicolores que entre as outras são as minhas favoritas. - falava tudo com facilidade, com os anos tinha decorado todos significados das flores. - O florescimento dela varia de acordo com o clima podendo ocorrer durante o outono e inverno até o ano inteiro, mas lembre, ela precisa de muito cuidado. - guardavam mentalmente tudo que ouviam e Yoongi que já sabia fazia questão de ouvir novamente. - A camélia vermelha no Japão significa "amor" mas também "má sorte". A amarela significa saudade e a branca significa espera e no ocidente ambas cores significam excelência.



    Apontou para as pequenas flores de várias tonalidades que dessa vez os dois sabiam que espécie era.


  - Meus preciosos lírios. - os lírios tinham grande significado para o homem, foi essa flor que presenciou a união matrimonial de Dong sun e Somin a anos atrás. Está flor também estava presente no quarto onde sua filha nasceu tanto que a planta delicada era a sua preferida do jardim do pai e coincidentemente a mesma estava presente no nascimento de Yoongi seu precioso neto. Os lírios participaram dos momentos mais importantes e especiais de sua vida - O lírio é uma planta originária da Ásia, Europa e América do Norte, mas também existem algumas espécies que se encontram na China e no Japão. É possível encontrar mais de 100 espécies desta planta, mas basicamente existem três variedades de lírios, cada uma com suas características. Tem os Lírios asiáticos, sua principal característica é que eles possuem flores menores e praticamente não exalam perfume, porém, os lírios asiáticos podem ser encontrados em várias cores bem vibrantes. Os Lírios orientais ao contrário dos lírios asiáticos, o lírio oriental possui flores grandes e que exalam um perfume bem forte. A principal característica dos lírios longuiflorum é que as suas flores sempre nascem nas cores brancas e creme e assim como o lírio oriental, ele também possui flores bem grandes. O lírio é uma das plantas mais antigas do mundo e muitas lendas rondam a história dessas plantas. É bem comum utilizar o lírio para fazer buquês e também para presentear, porém, como o lírio é uma planta que pode ser encontrada em várias cores, cada uma carrega um significado.Os lírios com pétalas laranjas são um dos mais conhecidos e bonitos, devido à sua tonalidade forte. O lírio laranja representa admiração e fascínio. O lírio branco era muito utilizado antigamente na decoração de igrejas no século XVII, em homenagem a Virgem Maria, pois, o lírio branco representa a pureza e santidade, e ainda hoje o lírio branco é frequentemente usado para arranjos de flores na decoração de casamento e também para fazer buquês de noivas. O lírio azul não é tão comum, porém, suas flores são lindíssimas e seu significado é homenagear a beleza e segurança. O lírio amarelo tem mais de um significado, mas seu principal é representar a amizade que pode se tornar um romance. Os lírios lilás também são mais um da espécie que rendem belíssimos buquês de noivas, isso porque um de seus maiores significados é o matrimônio, além da pureza e maternidade.


  - Nossa eu não sabia que tinha tanto significados para flor. - falou Lisa impressionada, para falar a verdade ela nem sabia que podia existir outras cores para os lírios além do branco.


   - Essa que é a parte boa de cuidar dessas delicadas plantas, os significados por trás.


   Andaram até a próxima.


  - E a que não podia faltar Mugunghwa, também conhecida como Rosa de Sharon, nossa tão amada flor. - dessa vez eles conheciam muito sobre essa bela planta, como não conhecer.


   - Papai nos conta muito sobre essa flor. - informou Lisa.


  - O que ele a contou?


  - Que a Rosa de Sharon floresce do início de julho até o final de outubro. Que a flor é forte o suficiente para sobreviver, mesmo quando ela é transplantada ou cortada para decoração ou arranjos de flores. Assim, a flor representa o desejo de desenvolvimento nacional duradoura e prosperidade. 


  - Certíssima. - estava empolgado, é sempre bom compartilhar seus conhecimentos para os mais novos. - Agora chegamos na minha favorita. - mais ao fundo se encontrava um linda árvore  de sakuras. Se lembra que a árvore estava naquela casa desde quando era uma criança. Essa casa foi herdada de seu falecido pai e quando mais novo o homem falava que a árvore estava ali por ter sido um presente de seu pai - avô de Dong-sun - a sua esposa como uma prova de seu amor. Foi bastante difícil para plantá-la  pois pegaram sua muda diretamente do Japão que segundo a mulher tinha mais significado vindo de lá. Aquela árvore está a anos simbolizando o amor da família. - No Japão, as sakura simbolizam nuvens devido ao seu florescimento natural em massa, além de ser uma metáfora para a natureza efêmera da vida. Também simboliza beleza, renovação, juventude, pureza e felicidades.


    Lisa estava tão focada olhando a beleza da árvore que acabou não vendo que tinha uma pedra em seu caminho. Foi tão de repente que a única ação que pode fazer foi colocar suas mãos em frente ao corpo para que o impacto não fosse tão grande. Por sua vez bateu um de seus joelhos na pedras e sua mão ficou em cima da lama - causada pela chuva que ocorreu durante a noite.


   - Lisa você está bem? - Jungkook foi rápido em ir ao encontro da irmã ajudando a mesma a se levantar.


  - Estou. - falou já em pé, bateu suas mãos no vestido na intenção de limpá-lo não tendo êxito já que a lama só espalhava ainda mais pelo tecido.


  - Você tem certeza que está bem?


  - Tenho sim.


  - Nossa você ficou toda suja. - disse Yoongi analisando o estrago causado pela lama na garota. Ele e o avô acharam melhor não perguntar nada depois que a beta afirmou para o irmão que estava bem, ela podia ficar constrangido ou não gostar de tantos questionamentos. - Você tem que trocar de roupa, acho que os vestidos da Chae vão lhe servir.


  - Não precisa. - Lisa falou. - Posso muito bem ficar assim.


  - Nada disso. - dessa vez foi Dong-sun a falar. - Yoongi vai mostrando o restante a Jungkook enquanto levo Lisa até Chaerin, ainda aproveito e vejo se encontro o meu regador. - não dando chance ao ômega o mesmo sai junto a beta não demorando a adentrar a casa.


    Alfa e ômega se encontravam sozinhos. Uma leve ansiedade se apostou de seus corpos ao constatar a verdade, estavam sozinhos. Como agiriam, se sentiam desorientados quando estavam perto. Estavam sem jeito.


   - Vamos continuar ou esperar os outros? - perguntou para quebrar o silêncio desconfortável.


  - Acho melhor esperar. - respondeu sem jeito.


  - Vamos no sentar enquanto esperamos. - ambos adentraram a parte coberta sentando em sofás diferentes. 


  Yoongi sentia seu corpo inteiro queimar perto do alfa, necessitava de seus toques. Não estava entendendo isso, por que diabos estava agindo assim? Realmente gostaria de saber.


   Já Jungkook ficava tentado em olhar ou não aquela pele imaculada, queria tocá-la, sentir a textura macia em seus dedos. Uma súbita necessidade de saber o sabor dos lábios róseos passou a ser presente. Sempre se pegava pergunta se seriam doces como o cheiro do dito cujo ou com um toque amargo por conta de sua personalidade, mas uma coisa tinha certeza, ainda iria descobrir.


    Tentava a todo custo não olhar para seu lado direito, sabia que o ômega estava alí e caso olhasse não conseguiria desviar. O ômega era tão bonito que seus olhos se enchiam de alegria ao constatar que tinha aquela perfeição a seu lado.


    Olhando ao redor notou um lírio na cor amarela mais afastado dos outros. Era tão bonito, por que estava sozinho?


    Se levantou caminhando rumo a linda flor, tocou levemente suas pétalas sentido a maciez. Não pensou direito apenas a pegou, com todo cuidado possível a abrigou entre seus dedos.


   Ousou olhar em direção ao ômega notando que ele o olhava curioso, sorriu. A passos calmos começou a caminhar em direção ao ômega.


   Yoongi viu quando o alfa saiu sem dizer uma palavra sequer indo em direção ao canteiro de lírios. Olhou curioso para o mais velho mesmo que este não estivesse vendo. Ao arrancá-lo do canteiro e abriga-lo em suas mãos pensou que o mesmo estava a pegando para dar a seu pai pois aquelas flores realmente eram lindas. Ledo engano. Acompanhou com os olhos o alfa chegar cada vez mais perto de onde estava.


    Ficou curioso ao vê-lo parar em sua frente e estender o lírio em sua direção.


  - Uma bela flor para outra bela flor. - disse meio envergonhado. Yoongi sentiu seu rosto queimar, imaginava que estava vermelho.


  - O-obrigado. - se levantou meio desnorteado. Ao ir pegar a flor da mão do alfa suas mãos se encostaram. Novamente aquele arrepio bom passou por seus corpos.


    Conectaram seus olhares. Para Yoongi aquelas duas esferas escuras se assemelhavam as mais belas e brilhantes estrelas do céu. Já para Jungkook as orbes de Yoongi se assemelhavam a uma linda galáxia.

 

   Nem notaram quando pouco a pouco seus rostos foram se aproximando lentamente. Estavam vidrados em seus olhos. Por conta da diferença de altura o alfa se inclinou para frente e o ômega ficou na ponta dos pés. Seus lábios estavam a milímetros de distância.


  - Chegamos. - se separaram bruscamente. - espero que não tenham se importado por termos demorado, achamos melhor que a Lisa tomasse um banho. - apontou para a garota devidamente limpa e de roupas trocadas a seu lado.

  

   Neste momento Dong sun mira seus olhos em direção aos dois jovens notando seus rostos vermelhos, podia se comparar a suas rosas vermelhas.


   - Estão bem?


   - S-sim. - gaguejou pela vergonha.


  - Então vamos continuar. 


   Assim seguiu pelo resto da manhã e parte da tarde até os Jeon terem que voltar.


    Jungkook lamentava, não tinha descobrido o sabor dos lábios de Yoongi.


  


Notas Finais


Sei que vocês estão com raiva, mas lembre-se eu sou um 😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇😇👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼👼😈

https://www.spiritfanfiction.com/historia/e-cada-iludido-que-me-aparece-18333486
One feita para comemorar o aniversário da nossa debochada Jennie e da nossa 4D Jisoo.

https://www.spiritfanfiction.com/historia/amarelo-17462924
Reescrevi isso.

https://pin.it/6wlmu25fpzspj4
Como eu acho que o jardim parece, não é como imagino, mas é o mais próximo.

( Desculpe a demora para postar é que essa preguiçosa aqui tá estudando coreano e queimando os neurônios tudo, por isso eu gosto de ficar longe de algo que envolva meu cérebro, entendem?! )

Tchauzinho chuchus 🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒🥒

Comam espinafre, dica do marinheiro papai💐💐💐💐💐💐💐


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...