História Destino - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Naruhina, The Last, Universo Original
Visualizações 94
Palavras 1.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Destino


Hinata encarava o estranho senhor a sua frente. Os chifres lhe davam uma aparência diabólica, o que contrastava com o seu rosto sereno. As suas vestes pareciam antigas, embora estivessem extremamente limpas. O senhor sorriu.

- É melhor eu me explicar. Sou Ōtsutsuki Hamura.

Ao ouvir este nome, Hinata arregalou os olhos. Estaria ela delirando?

- Aparentemente você sabe mais sobre mim que o seu... amigo. – Hamura disse, enquanto olhava Naruto de soslaio. O loiro ficou sem entender e a menina corou.

- Vocês podem, por favor, me explicar o que está acontecendo aqui? – Naruto exasperou. Estava confuso com essa história toda e não gostava de ser a única pessoa que parecia perdida ali.

- Eu vou começar do começo.

“Há muitos anos e muitos anos, como vocês sabem, eu e meu irmão Hagoromo triunfamos perante nossa mãe, Kaguya. Nós fomos capazes de selar o Juubi usando do chibaku tensei, o que acabou por resultar na criação do que vocês humanos conhecem como Lua. Assim, o chakra do Juubi foi selado em Hagoromo, enquanto sua casca, o Gedō Mazō, foi selado na lua.

"Para proteger a Estátua Demoníaca do Gedō Mazō, eu me voluntariei para viver na Lua juntamente com diversos outros do meu clã. Enquanto isso, Hagoromo permaneceu na Terra.

"Eu nunca planejei interferir nos planos que meu irmão tinha para a população humana. Por isso mesmo, eu e os demais do clã vivemos em paz com a Terra. Contudo, muitos e muitos anos se passaram e, para o meu desagrado, isso mudou.

"Ōtsutsuki Toneri é o último sobrevivente do meu clã. Infelizmente, Toneri carrega ódio contra a humanidade por tornar o chakra uma arma. Na sua mente, eu e os demais do meu clã desejávamos o extermínio do povo de meu irmão. Por conta disso, ele elaborou um plano com o objetivo de reviver um doujutsu lendário criado a partir da combinação dos poderes do clã Hyuuga e Ōtsutsuki. Esse doujutsu se chama Tenseigan.

"Bom, para que ele consiga recriar o Tenseigan, Toneri precisava do sangue do herdeiro da minha vontade. Durante anos e anos, assim como acontece com Indra e Ashura, uma pessoa herda o compromisso de zelar pelo sangue e tradição Hyuuga e Ōtsutsuki. Essa pessoa é escolhida dentre os meus descendentes mais gentis e bondosos e terão a missão de resguardar a tradição do Byakugan.

"Eu acredito que você já tenha entendido aonde queiro chegar, Byakugan-no-hime.”

Hinata estava perplexa. Ele estava dizendo que ela era a herdeira da vontade de Ōtsutsuki Hamura? Calma, ele a chamou de

- Princesa...? – Naruto disse, enquanto olhava surpreso para Hinata.

- Enfim – interrompeu Hamura – Você, Byakugan-no-hime, já deve ter entendido o porquê de Toneri escolher te seqüestrar especificamente, dentre todos os usuários do Byakugan que existem na Terra.

"A importância do meu herdeiro será colocada à prova, da mesma forma que ocorreu com o Uzumaki e o Uchiha durante a última grande guerra. Eles foram bem sucedidos em selar novamente minha mãe. Você, Hyuuga Hinata, também terá um desafio enorme pela sua frente: selar o Tenseigan e por termo ao plano de Toneri de destruir a raça humana."

- Hamura-sama... – Hinata conseguiu dizer, após um prolongado silêncio – Eu não consigo imaginar como eu poderia ter um destino tão grandioso assim... Deve ser algum engano...

- Não há engano nenhum, minha querida – Disse Hamura, com uma voz doce – Aqueles dignos de herdarem a minha vontade foram indivíduos extremamente poderosos, mas, acima de tudo, benevolentes, altruístas e amáveis. Você, Byakugan-no-hime, apenas não consegue ver essas qualidades em você. Mas eu, há muito tempo, já percebi.

- O senhor disse que os seus herdeiros anteriores foram shinobis poderosos... Hamura-sama, eu não sou poderosa... Tenho dificuldades até com os jutsus mais simples do meu clã. – Respondeu Hinata, um pouco chorosa.

- Existem vários tipos de poder, minha cara. Você talvez não seja ainda a kunoichi mais forte que há; mas existe em você um poder muito maior que a simples capacidade de dominar chakra e realizar jutsus. Você, uma moça tão jovem, já entendeu o porquê da existência de todo o mundo shinobi, a existência do chakra, a existência de jutsus.

- Eu... entendi? – Hinata questionou, duvidosa.

- Ora, minha jovem, isso tudo existe para protegermos a quem amamos.

Com a resposta, Hinata arregalou os olhos e prendeu a respiração. Nunca havia pensado com afinco sobre isso, mas ela sabia que faria de tudo – conforme já fez – por aqueles que ama.

Naruto, por outro lado, estava pensativo. Já presenciara uma das maiores demonstrações de altruísmo de Hinata e, confessa, não esteve muito contente com os desdobramentos disso. Mas não pode deixar de reconhecer a força que a menina possui. Não entendia como ela podia continuar sendo tão gentil e tão bondosa após sofrer muito nas mãos do seu próprio clã – de pessoas que deviam protegê-la. E ela ainda perdera – eles perderam – o maior protetor que poderia ter.

De súbito, surgiu no loiro um ímpeto extremamente grande de proteção em relação à garota que estava ao seu lado. Ele se segurou para não pegar na mão dela.

- Também está claro para mim – Acrescentou Hamura enquanto encarava Naruto – que alguém aqui não irá deixá-la cumprir seu destino sozinha.

Naruto, de forma decidida, respondeu: - Eu estarei com você, Hinata. Não deixarei que nada lhe aconteça – Disse, confiante.

Hinata se assustou com a seriedade do loiro, mas não pôde deixar de sorrir. Ainda estava em dúvida sobre tudo isso que lhe fora contado, contudo, ela sabia que se o loiro estivesse com ela, ela seria capaz de fazer qualquer coisa. Por isso, sorriu.

- O que eu preciso fazer? – Hinata respondeu, enfim.

- Primeiramente, gostaria de lhe deixar um presente. Por favor, se aproxime.

Hinata deu dois passos em direção ao senhor, ficando em sua frente e apenas alguns centímetros de distância. Gentilmente, Hamura tocou a testa da morena com o seu polegar, sem nada dizer. Instantaneamente, a princesa sentiu um calor em seus olhos ao mesmo tempo que fora envolvida por uma aura azul clara. Hinata fechou os olhos para melhor entender a sensação que lhe inundava e só após alguns minutos conseguiu entender o que aconteceu ali: Hamura lhe deu poder.

- O que eu estou fazendo por você aqui agora, minha menina, foi o mesmo que meu irmão Hagoromo fez pelo Uzumaki e pelo Uchiha ao final da guerra. Eu te passei uma parcela do meu poder, de forma a te ajudar a superar o esse desafio. Mas não pense que isso será suficiente; você deve, acima de tudo, confiar em seus instintos e em suas escolhas.

Hinata assentiu, em silêncio. Hamura lhe deu um sorriso afetuoso e continuou:

- Quanto a você, senhor Uzumaki – Naruto se sobressaltou ao perceber que o velho falava com ele – não tente atrapalhar o destino da moça Hyuuga. Será tentador não fazer isso, mas isso é algo que somente ela poderá fazer.

O loiro, por sua vez, também assentiu.

- Então – concluiu Hamura – meu tempo aqui já terminou. Boa sorte, Byakugan-no-hime.

E com a mesma velocidade com que ele apareceu, Ōtsutsuki Hamura sumiu. E tudo ficou escuro outra vez.

 

***

Naruto abriu os olhos e teve dificuldades de focar no rosto que estava à sua frente. Apenas após piscar várias vezes que percebeu que Sai lhe observava de perto – perto demais, até.

- Oe, oe, oe!!! – Gritou, alarmado, levantando-se ao mesmo tempo em que empurrava Sai para longe – Eu estou bem, não precisa ficar tão perto!

Sai deu aquele seu sorriso que Naruto achava amedrontador e disse: - estava começando a achar que você só acordaria com um beijo e tinha me voluntariado para tanto.

Shikamaru, que estava ao lado, deu uma gargalhada. Mas ao perceber a cara feia que o loiro lhe deu, se recompôs, disposto a reassumir sua posição de capitão: - O que aconteceu com você? – perguntou a Naruto.

Instantaneamente, Naruto olhou para Hinata. A garota ainda estava sentada no chão e conversava com Sakura. Só então o loiro percebeu que ela ainda estava com aquele pijama nada casto. De súbito, tirou sua jaqueta e colocou nos ombros da morena. Ela, percebendo o ato, corou um pouco, mas sorriu, murmurando um agradecimento.

A princesa se levantou e Naruto ficou contente ao perceber que sua jaqueta parecia um vestido nela. Ficou-a observando até que se pegou pensando no quão sexy ela ficara com sua roupa. Corou com o pensamento.

- Por quanto tempo ficamos desacordados? – Foi Hinata quem perguntou.

- Vocês nos deram um susto! – Sakura respondeu – Estava tudo bem até que do nada vocês caíram no chão!

- E isso foi aproximadamente – Shikamaru olhou ao relógio – três horas atrás.

- O que? – Naruto e Hinata falaram ao mesmo tempo. E o loiro continuou – Onde está Toneri?

- As movimentações no castelo cessaram cerca de duas horas atrás. Pensei se devíamos ter ido atrás dele, mas com vocês desacordados não pareceu a melhor solução. E vocês ainda demoraram demais a acordar. Estávamos preocupados – Shikamaru respondeu.

- Afinal, o que houve? – Sakura perguntou.

Naruto olhou para Hinata para verificar se ela queria responder. Ela não parecia estar prestando atenção nenhuma na conversa, estava muito absorta em seus próprios pensamentos.

- Na vila conversamos. Hoje foi um dia muito cheio pra Hinata e ela precisa descansar.

Com essa resposta, Naruto recebeu um olhar desconfiado de Sakura. Mas a menina deu de ombros e disse: - Vamos embora, então!

- Hai – os demais disseram.

Percebendo que Hinata estava completamente distraída, Naruto a pegou no colo.

- Naruto-kun! – Exclamou a morena, confusa e envergonhada.

- Eu não vou te deixar ir andando pra Konoha enquanto está ferida desse jeito. Nem adianta reclamar – Disse o loiro, sério. A princesa apenas assentiu, mas Sakura, que observava o casal, percebeu que ela ficava cada vez mais corada. A rosada sorriu por dentro.


Notas Finais


O que vocês acham que é o poder que a Hinata ganhou??
É isso! Comentem!
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...