História Destino e coincidências - Capítulo 1


Escrita por: e TopJKProject

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Kookv, Top!jk, Topjkproject, Viagemnotempotopjk
Visualizações 35
Palavras 2.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores :33
Faz tanto tampo que eu não posto nada aqui >.< estava até com saudades!
Eu espero que vocês que vocês gostem da fic amores, vou tentar não demorar em postar a parte 2, okay?

Beijinhos e boa leitura~

Capítulo 1 - Rotina insuportável


Fanfic / Fanfiction Destino e coincidências - Capítulo 1 - Rotina insuportável

Ele se conferiu mais uma vez, só para garantir.

“É, de fato.”. Ele suspirou.

Continuava jovem.

“Que estranho.”. Foi o que Kim Taehyung pensou ao se encarar no espelho pela décima vez.

— Hah! — Ele exclamou, irônico. — Eu devia saber que aquele cara era um farsante. Como eu pude acreditar que ele me faria viajar ‘pro futuro só por dizer aquelas palavras “mágicas”? — Taehyung revirou seus olhos. — Eu devia ‘tá muito desesperado mesmo ‘pra acreditar nele, e tudo isso só porque era uma chance de me livrar daquele alfa idiota. — Bufou ao terminar de falar.

Apesar de irritado, o Kim também se sentia decepcionado. Depois de se deparar com aquele beta estranho, o qual lhe disse ser um tipo de mago, acabou por fazê-lo criar esperanças. Taehyung piamente acreditou na possibilidade dele de se livrar de todos os seus problemas ao ir para o futuro, onde o mesmo já estaria formado e trabalhando.

“O que eu tinha na cabeça ‘pra acreditar nele? Merda?”. Ele suspirou novamente, abaixando seus ombros em desânimo.

O ômega de cabelos platinados, já cansado de sua rotina estressante, rapidamente concordou e esperou ansiosamente pelo “feitiço” do homem, o qual pronunciou as tais palavras mágicas. Depois daquilo, Taehyung acordou deitado na cama e, assustado, correu para o banheiro a fim de verificar sua aparência. Decepção o atingiu ao não encontrar diferença em si. Tudo aquilo não passou de mentira.

Enquanto murmurava maldições para o beta desconhecido, o Kim de repente passou a olhar para o reflexo de seu cabelo. Dando-se conta de um “pequeno” detalhe que lhe passou despercebido pelo momento de nervosismo que teve minutos atrás.

“Mas o que...?”

Seu cabelo, antes loiro, agora possuía tons rosados claros. O ômega fez uma careta pela visão. Seus fios não estavam feios, pelo contrário, aquela cor o deixava muito bonito, o problema era o que as cores daqueles tons o faziam lembrar: Jeongguk.

Jeon Jeongguk e seu cabelo irritantemente rosa, era justamente a causa que fizera o Kim acreditar tão cegamente no “mago”.

Para melhor entendimento do que se passou com Taehyung e Jeongguk, vamos voltar ao que deveria ter sido o início da nossa história.

 

[...]

 

(Há cinco anos)

Aquele era um mundo onde as pessoas não eram definidas por gênero feminino ou masculino, e sim se elas eram alfas, betas ou ômegas.

No começo dessa sociedade, era comum apenas os alfas estarem nos cargos mais altos, enquanto os betas trabalham para os mesmos. E os ômegas ficavam em casa, servindo apenas para procriar, já que era os únicos que podiam dar à luz a futuros alfas. Contudo, depois de uma série de revoltas e processos, gradativamente, os mais baixos da sociedade iam conseguindo ter sua notoriedade como pessoa, não se limitando ao seu gênero.

Foi nessa sociedade já com a mente aberta que Taehyung decidiu não ser um ômega dependente de um parceiro. Mesmo com seus períodos dolorosos do cio, que vinham a cada três meses, o Kim não desistiu de seus estudos e optou por se tornar um professor. Os cios de um ômega eram muito dolorosos quando não se tinha um parceiro, justamente para saciar o desejo luxurioso que se apoderava deles nesse período. O Kim, com muita força de vontade, não aceitou ter um parceiro nos cios, ao tomar pílulas para amenizar os efeitos, Taehyung se virou durante os anos.

E assim, com seus vinte e seis anos e já formado em química, o Kim agora fazia a pós-graduação em Stricto-sensu, o que lhe conferiria o título de mestre futuramente. Taehyung estava começando seu estágio docente, não que ele quisesse fazer, mas como era obrigatório não tinha opção. A cadeira que deveria pagar seu estágio seria a de química básica estrutural, e a turma era composta por alunos do curso de Engenharia Química.

No começo o Kim se limitava a ouvir e assistir a aula de Namjoon, seu orientador do estágio. O loiro sempre observava, sentando em uma carteira de onde tinha a visão do professor e dos alunos. Foi durante essas aulas de observação que percebeu ser constantemente encarado por um aluno em específico.

Com seus cabelos rosas clarinhos e olhos luminosos, o rapaz nem ao menos desviava seu olhar de si, o que incomodava Taehyung profundamente.

Ser um ômega naquela sociedade não era fácil, mesmo com todas as conquistas deles. E, embora o loiro não fosse baixo como a maioria dos ômegas, ainda assim sua face angelical e corpo esguio e bem delineado não deixavam dúvidas de seu gênero. Taehyung já tinha perdido a conta de quantas vezes já fora assediado por alfas, até mesmo por betas. E para o mesmo saber que aquele rapaz o podia estar desejando tão descaradamente o causava náuseas.

Continuou assim até chegar o dia em que ele próprio daria aulas sob a supervisão atenta de Namjoon. Mas o olhar do rapaz lhe queimava quando tinha que dar a própria aula. Sob vários olhares atentos dos alunos, o daquele estudante em específico era o que se destacava dentre eles. Foi quando o Kim finalmente se cansou e decidiu enfrentar o rapaz, o qual havia descoberto se chamar Jeon Jeongguk.

Quando Taehyung o avistou sozinho saindo do campus da universidade, percebeu que aquele era o momento perfeito para falar com o rosado.

Ele apressou seus passos e parou bem em frente ao Jeon, o obrigando a parar de andar e encará-lo confuso.

— Você pode me dizer o que quer me encarando daquele jeito? — perguntou agressivo, deixando a cólera transparecer em sua voz aveludada.

— O que você quer dizer com isso? — Jeongguk murmurou confuso.

O Kim reprimiu a vontade de franzir o nariz ao sentir o cheiro amadeirado — característico de um alfa — emanar do mais alto. Ele respirou fundo.

— Toda, eu digo, em toda maldita aula eu te vejo me olhando do jeito que eu mais odeio. — Taehyung desta vez deixou transparecer uma expressão de raiva em sua face. — Eu estou cansado disso e irritado, seu alfa escroto.

O loiro estava ficando louco, pelo menos era o que seu lobo o dizia por ter acabado de xingar um alfa. Todos sabiam que o orgulho ferido de um alfa era algo que não tinha perdão. E esse mesmo orgulho era facilmente ferido quando um ômega o confrontava e o ofende. Porém, esperando uma reação mais agressiva da parte de Jeongguk, Taehyung se surpreendeu ao ver o mesmo abaixar a cabeça e começar a ficar vermelho.

“Mas que mer-”. Ele teve seus pensamentos interrompidos ao ter suas mãos agarradas e o rosado aproximar seu corpo ao seu, ainda olhando para baixo.

Taehyung sentiu medo, mesmo que odiasse se sentir inútil daquela forma, sabia que esse sentimento era apenas instintivo. Aquele ser era muito mais forte que si. Porém, ignorando aquele sentimento, o Kim fechou a expressão, com uma raiva ascendendo em seu peito.

— Hyung. — Jeongguk sussurrou. 

Taehyung agora estava indignado. Que intimidade aquele alfa tinha consigo para chamá-lo daquela forma? Porém, quando finalmente o Jeon direcionou o olhar para si, sentiu um arrepio subir pela própria coluna. Com as maçãs do rosto rosadas, os orbes do alfa estavam brilhando ao mirar-lhe. Desta vez o Kim tinha que dar o braço a torcer, nunca havia visto um alfa tão bonito e fofo ao mesmo tempo. Quer dizer, nem sabia ser possível que alguém daquele gênero podia ser adorável.

— Hyung. — O loiro saiu dos pensamentos ao escutar a voz melodiosa do Jeon. — Por favor saia comigo!

— Hã?! — Taehyung abriu a boca, chocado.

Mesmo com a clara surpresa na face do ômega, Jeongguk continuou a falar, agora que começara não podia deixar de terminar de se confessar.

— Por favor, Hyung, eu te peço que me dê uma única chance, e eu prometo que posso te fazer feliz. — Sentindo a quentura deixar sua face, o rosado deu um leve sorriso ao ver o outro fechar a boca, parecendo pensar. — Eu me apaixonei por você desde o primeiro dia que eu te vi. — Continuou, umedecendo os lábios em seguida. — Eu só te peço uma chance, Hyung, então, qual a sua resposta?

De modo abrupto, Taehyung se desvencilhou das mãos do mais novo. Afastando-se um passo, o Kim fez uma careta para o outro.

— Que absurdo — falou, não poupando o tom maldoso na voz. — Você me causa náuseas, sabia? — Um sorriso de escárnio apareceu na face delicada do loiro. — Acha mesmo que eu vou acreditar nessas merdas que você me falou? Depois de quase me comer com os olhos nas aulas, nunca que eu vou acreditar nessa droga de “estou apaixonado” — disse a última parte com uma voz de deboche.

Quando o Kim viu o rapaz abrir a boca para falar alguma coisa, provavelmente se defender, interviu.

— Eu nunca vou acreditar em você, seu alfa idiota. — O rosado abaixou a cabeça, e o ômega continuou a falar. — E nem em qualquer outro que me venha dizer tais coisas falsas. — Completou. — Você me causa repulsa.

Taehyung, depois de extravasar todas aquelas palavras, sentiu uma pontada no peito ao perceber o peito do alfa estremecer, como se ele estivesse se impedindo de chorar.

— Eu... Eu... — Jeongguk engoliu em seco, sem encarar o mais velho. — Eu vou tomar isso como um não.

Ele passou pelo Kim, e se dirigiu para a saída da universidade.

Se sentindo meio culpado, Taehyung abaixou seu olhar, arregalando os olhos ao ver pequenas gotas de água no chão. Quando ia se virar pelo choque de ter feito um alfa chorar, se impediu ao escutar novamente a voz do Jeon atrás de si.

— Mas saiba, Hyung, que quando você quiser me dar uma chance, eu vou sempre te aceitar, porque... Eu te amo!

 

[...]

 

Taehyung percebeu que nem suas palavras ditas naquele dia foram o suficiente para fazer Jeongguk parar de encará-lo na sala. Só que ao invés de continuar apenas o olhando em classe, como já fazia anteriormente, o Jeon agora até mesmo o seguia.

“Se eu não tenho merda na cabeça, esse cara com certeza tem!”. Esse foi um dos primeiros pensamentos que vieram a mente do Kim, logo após dar-se conta de estar sendo seguido pelo rosado.

Nos corredores da faculdade, o loiro sentia o cheiro amadeirado inconfundível do alfa. E seguiu assim durante uma semana, dessa forma, sentia-se esgotado ao chegar na sexta-feira. Ao caminhar para o ponto de ônibus, Taehyung se perguntava como aguentaria aquilo na semana seguinte. Não importava o quanto tentasse fugir ou se esconder na universidade, Jeongguk sempre o encontrava onde quer que estivesse.

“Será que eu devo enfrentá-lo novamente?. Se perguntou, mas logo em seguida balançou a cabeça negativamente. Se depois de todas aquelas palavras o rosado ainda continuava a perturbá-lo, nada mais que fizesse adiantaria.

— Então eu terei que aguentar isso até o final do período? — Se perguntou, e logo uma expressão de horror tomou seu rosto. — E se ele arranjar um jeito de me seguir no próximo período?

Ele soltou um suspiro pesado. Não queria estar passando por isso.

Quando chegou ao ponto de ônibus, o Kim viu um homem pouco mais velho que si sentando no banco. Deu de ombros, mesmo que estivesse achando estranho, afinal, naquele horário normalmente o ponto estava cheio. Mas não se ligou muito a isso e se sentou para esperar seu transporte, ainda preocupado em ter que lidar com o Jeon. Ele sentiu o olhar do homem sobre si, mas decidiu ignorar.

— Você me parece preocupado, jovem. — Taehyung olhou para o desconhecido, confuso. — Está com problemas?

— Nem tanto. — O Loiro respondeu mais tranquilo ao perceber que o homem é um beta.

Um curto silêncio se seguiu, o qual foi quebrado pelo desconhecido.

— Sabia que existe uma maneira de você se livrar desse problema?

Ah, isso atraiu a atenção e a curiosidade do ômega.

— Qual? — Taehyung tentou esconder o tom de interesse sem sucesso.

O beta sorriu.

— Viajando no tempo! — exclamou, chocando o Kim. — Imagine, com apenas algumas palavras ditas e você pode ir para o futuro!

O Kim estava estupefato, que besteira era aquela?

— Eu não preciso escutar isso.

Se levantou com o objetivo de ir para outro ponto de ônibus. Não era obrigado a escutar tamanho absurdo. Mesmo que esse absurdo o deixasse muito interessado.

— Apenas imagine. — Taehyung parou de andar ao escutar novamente a voz do desconhecido. — Acordar daqui a alguns anos à frente, já com emprego e formado. — Ele fez uma pausa. — E quem sabe, tenha se livrado de pessoas inconvenientes.

Okay. Talvez o Kim estivesse muito interessado a ponto de voltar e ficar parado em frente ao homem estranho. Mas o que podia fazer se estava louco para sair daquela faculdade e se livrar de Jeongguk? Nada, né? Aquele alfa era a maior inconveniência na vida dele.

Sua rotina estava insuportável, não sabia se conseguiria seguir assim durante as próximas semanas.

— Está bem, seu desconhecido idiota. — Taehyung trocou o peso de uma perna para outra. — Faça essa merda que você chama de mágica.

O beta sorriu mais ainda.

— Pode deixar, meu caro ômega, que Jung Hoseok sabe o que faz! — Ele estalou os dedos e tudo ficou escuro. O loiro só ouviu algumas palavras estranhas serem sussurradas em seu ouvido, antes de apagar completamente.


Notas Finais


E então? Gostaram? Odiaram?
Me digam o que acharam :3 o que será que acontecerá com o nosso Tae agora que ele sabe que foi pro futuro, hm?
Obrigada a @xchild pela betagem linda e @peartae pela maravilhosa capa e banner. Obrigada anjoss!

E a todos,o obrigada por lerem até aqui!
Beijinhoss, bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...