História Destino Incerto. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Ashura Ootsutsuki, Chiyo, Danzou Shimura, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Indra Otsutsuki, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shino Aburame, Shisui Uchiha, Tsunade Senju, Yamato
Tags Evoluçãonaruhina, Família, Hinata, Hyuuga, Italia, Medo, Naruhina, Naruto, Passado, Sasusaku, Uchiha, Uzumaki
Visualizações 32
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Parte I- Capítulo 3


Quando eu tinha 6 anos, sempre pensei que iria me casar com alguém que eu conhecesse e amasse, mas, não foi bem assim, meus 17 anos estavam próximos e minha tia iria escolher um noivo, iria me casar contra a minha vontade, e isso, me matava por dentro.

Anko e Minato tentavam a todo custo me fazer enxergar o lado bom desse casamento, pela primeira vez eu iria sair da casa, ia ver como era lá fora depois de tanto tempo, mas não era isso que eu sonhava para mim, sempre sonhei em ter uma casa no alto de uma montanha, onde poderia ver a aldeia do alto, com a grama verde, um jardim, um marido presente e filhos correndo pelo jardim, mas isso foi arrancado de mim.

Eu me sentia um objeto em leilão, quem desse o maior lance sairia como o vencedor e me teria como prêmio. Eu só queria meu melhor amigo comigo, só queria Naruto me dizendo ‘’ Vai ficar tudo bem.’’ ‘’ Você vai ficar bem.’’, mas ele não estava.

Algumas semanas depois, os vestidos estavam prontos, os empregados arrumavam o salão para receber os convidados na noite seguinte, meu vestido ficava pendurado em um quarto trancado, tia Agnes disse que eu poderia fazer algo contra o vestido e atrapalhar o baile.

Vieram alguns moradores da aldeia para ajudar a deixar tudo em ordem para o dia, eu não me lembrava deles, fazia tanto tempo que não via um morador de lá.

Suas roupas eram de cor creme, marrom e branco, as mulheres usavam um lenço cobrindo os cabelos, o vestido até o joelho rodado com um avental por cima, sapatos sem salto nos pés e sem pintura no rosto, os homens com calças até nas canelas, botas e camisas sócias por dentro da calça, alguns usavam chapéus outros não, até que uma menina me chamou atenção, era a única com um vestido azul e branco, seus cabelos vermelhos presos em uma trança com uma faixa azul na ponta.

Fui descendo as escadas para conhece-la.

- Hm, oi- Cumprimentei, a moça me olhou assustada- Sou Hinata, como se chama?

- E..eu me chamo Agatha senhora.

Ela era baixa, pele escura, mas muito bem cuidada.

- Oi Agatha, não precisa dessa formalidade, eu não sou senhora- ri- Pode me chamar de Hina.

Ela deu um sorriso fraco, e assentiu com a cabeça, quando ia perguntar sua idade, me chamaram.

- Senhorita Hinata, sua tia a chama no jardim de trás.

Era a mons...quer dizer a governanta me chamando.

- Estou indo, tchau Agatha.

- Tchau. - Sua voz saiu em um sussurro.

Fui até o jardim com a governanta me acompanhando, minha tia estava lendo um livro como sempre e tomando um refresco.

- Hinata- disse ela se levantando e me guiando para me sentar ao seu lado- Pode ir Chiyo.

- Com licença.

- O que foi tia? – Perguntei.

- Seu baile é amanhã à noite, espero que você se comporte, mostre que tudo que eu te ensinei não foi em vão, você é uma Hyuuga, eu não vou admitir erros, estarão aqui pessoas da corte, e um deles será seu marido, então por favor, colabore, estamos entendidas?

- Sim Senhora.

- Ótimo, pode voltar aos seus afazeres.

Pedi licença e sai, olhei para trás e vi que tinha saído da vista dela, corri o mais rápido possível para dentro, ergui o vestido, entrei passando por todos correndo, subi as escadas quase tropeçando.

- Hinata- me chamou Anko.

- Me deixe em paz- gritei.

Entrei no meu quarto batendo a porta e a trancando, encostei minhas costas na porta, me desmanchando em lágrimas, eu só queria ser feliz do meu modo e isso foi arrancado de mim, eu iria me casar com alguém que eu não conhecia, ficaria presa em um lugar desconhecido, com pessoas desconhecidas, meu direito de viver foi tirado de mim.

Me deitei na cama, por cima dos meus travesseiros, e ali fiquei até pegar no sono.

Algumas horas mais tarde, acordei, me levantei, abri a porta e havia uma bandeja com frutas e uma fatia de bolo em um prato com um bilhete ao lado.

Me abaixei, peguei a bandeja a colocando sobre uma mesinha ao lado, voltei a trancar a porta, me sentei na cama pegando o bilhete, era de Anko.

‘’ Sei que isso que está passando não é fácil, mas de uma chance para o pretendente, quem sabe a Senhora Agnes escolhe um bom rapaz? Levei esse lanche para você, coma tudo.

Com amor Anko ♡ ’’

Anko era amorosa comigo, escreveu o bilhete colocando um coração no final dele, dela eu não tinha nada a reclamar, desde meus 4 anos está conosco, se tornou uma irmã mais velha para mim, mas nada disso vai me fazer mudar o que sinto a relação a esse casamento.

Fiquei o resto da tarde no quarto, resolvi sair para tomar um banho, me vesti com uma vestido longo de mangas, estava ficando frio.

Desci até a biblioteca, fechando a porta atrás de mim, acendi o abajur de uma das mesas, peguei alguns livros e comecei a ler.

Estava no segundo livro quando ouvi passos vindo na direção da biblioteca, bateram na porta.

- Hina? Está ai? – Era Anko.

- Sim, estou.

Ela abriu a porta a fechando em seguida, se aproximou e se sentou ao meu lado.

- Está melhor?

Acenei com a cabeça.

- Sim mas, não quero que chegue amanhã.

Ela se aproximou pegando na minha mão.

- Por que você não foge? Eu ajudaria você a sair daqui, não gosto de te ver infeliz.

- Bem que eu queria, mas ela iria me encontrar, tia Agnes é bem conhecida e certamente me denunciariam a ela onde estou.

Anko suspirou, ela sabia que era verdade.

- Bom, está tarde, todos foram dormir, amanhã vai ser um dia cansativo.

- Anko- a chamei, ela me olhou nos olhos esperando eu falar- Se eu for sair dessa casa, e for morar com esse meu futuro esposo, você vai comigo, certo?

Ela suspirou.

- Eu não sei Hina, provavelmente não- Abaixei minha cabeça, permitindo uma lágrima cair- Mas sabe onde me encontrar, sou sua amiga para todo sempre.

Me levantei rápido e me propus a abraça-la pela cintura, Anko me apertou, passando uma de suas mãos em meus cabelos.

- Vem, vamos dormir.

Seguimos para o andar de cima, entramos no meu quarto, Anko me cobriu e como todas as noites me deu um beijo na testa.

- Boa noite Hina.

- Boa noite Anko.

Ela saiu do quarto me permitindo pensar, eu iria me casar com uma única condição; Anko teria que ir comigo para a nova casa e continuar sendo minha dona de companhia, dela eu não abro mão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...