História Destino Incerto. - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Ashura Ootsutsuki, Chiyo, Danzou Shimura, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Indra Otsutsuki, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Itachi Uchiha, Kaguya Ootsutsuki, Kakashi Hatake, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shino Aburame, Shisui Uchiha, Toneri Otsutsuki, Tsunade Senju, Yamato
Tags Evoluçãonaruhina, Família, Hinata, Hyuuga, Italia, Medo, Naruhina, Naruto, Passado, Sasusaku, Uchiha, Uzumaki
Visualizações 81
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Parte I- Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Destino Incerto. - Capítulo 7 - Parte I- Capítulo 6

Durante semanas ficava sozinha na casa, minha tia saia para fazer os preparativos do casamento, Minato ficou encarregado de fazer todos os arranjos de flores, eu só saia do quarto para me alimentar ou tomar um pouco de sol no jardim de trás.

Meu vestido de casamento estava sendo feito por um dos maiores estilistas de Florença, ele veio em uma manhã de sábado medir meu tamanho e mostrar seus tecidos.

Agnes escolheu para mim um tecido fino, com uma cauda longa atrás, sem grinalda, disse que ia esconder muito o meu rosto, o vestido seria sem decotes, sem cortes longos, apenas uma abertura nas costas sendo trançadas por uma faixa dourada, na barra um fino detalhe em dourado para dar mais detalhe a faixa de trás, uma coroa de pedras azuis estava sendo confeccionada a mando do Lorde.

Todos sorriam, estavam alegres, todos menos eu.

Pensei por várias vezes tentar fugir, mas Anko não estava ali para me ajudar, nem Naruto e Minato sozinho não conseguiria, havia guardas por todos os lados, um deles me seguia a todo momento não me deixando sozinha.

Estava perdida.

Durante a noite, não conseguia segurar as lagrimas, sabendo que esse casamento arranjado estava chegando, Agnes me disse que faria um almoço antes do casamento, pois tinha mais algumas pessoas que eu deveria conhecer.

Dias depois.

Me vesti com um vestido longo azul de seda, cabelos presos em uma trança para o lado, uma nova dama me foi enviada, Adina era de idade, uma senhora de cabelos brancos com experiência com outras moças, ajudou a me arrumar durante o fim da tarde.

- Fique tranquila Senhorita, o lorde me parece um homem de respeito – disse-me ela.

- Não me importo com as suas qualidades ou defeitos, mesmo que eu me case com ele, não vou respeita-lo como marido.

- Mesmo se ele te conquistar?

- Isso não vai acontecer.

Ela era um pouco intrometida, não sabia sobre a minha angustia, só Anko sabia, e nossa, como ela me fazia falta.

As exatas 13 horas, desci para a sala de jantar, Agnes estava lá com o lorde, sua mãe, e com ele havia mais um jovem de aparentemente 13 anos.

- Senhorita Hyuuga – Me cumprimentou com um beijo em minha mão, eu o reverenciei – Esse é meu irmão caçula Indra

- Olá – disse a ele – É um prazer.

- O prazer é todo meu senhorita – disse Indra se reverenciando.

Vi em seus olhos o quão aflito estavam com esse casamento, e notei que ele viu a mesma coisa em meus olhos.

Respirei fundo, e me sentei a mesa com todos, o almoço foi servido, e a todo momento Agnes e lorde Otsutsuki comentavam sobre os preparativos do casamento, e a cada palavra, me subia a vontade de correr, fugir para bem longe.

- Hinata querida – me chamou Agnes – Está pálida, se sente bem?

- A sim tia, é que não tenho dormido muito bem, me desculpe – respondi com a voz embargada.

- Que tal tomar um ar? Indra pode te fazer companhia – Disse o lorde.

Sorri fraco.

- Claro – respondi – Quer ir?

Ele acenou concordando, pedimos licença e fomos para o jardim da frente, onde meu único amigo que ali ficou estava.

- Minato – o chamei – Esses é o irmão caçula do lorde, Indra.

Minato se reverenciou e ambos fizeram o mesmo.

- As rosas não estão querendo crescer senhorita, eles estão sentido a sua angustia.

Respirei fundo, permiti deixar uma lagrima cair.

- Eu sei Minato, mas não posso me deixar levar pelas emoções, o casamento está perto e, só me resta obedecer.

- Eu sinto muito – disse Indra – Sei que é um casamento arranjado, levei um susto quando vimos que temos quase a mesma idade, mas meu irmão tem um coração bom, ele se sente sozinho depois que a noiva dele morreu.

Ashura já foi noivo? Pensei sozinha.

- Não sabia que ele já ficou noivo uma vez.

- Sim, Maya Yuuhi, uma bela morena de olhos claros e cabelos longos, assim como os seus, morreu alguns dias antes do casamento, e isso deixou meu irmão destruído.

- Eu sinto muito.

No fim da tarde, depois de mostrar toda a casa para Indra, fomos até a baia dos cavalos, Atlas estava para fora sendo escovado, sorri, e ao mesmo tempo meu peito apertou em lembrar de Naruto.

- Senhorita Hyuuga – Agnes contratou um jovem para cuidar especialmente de Atlas, ele era um garanhão blindado, foi o cavalo mais caro que ela já comprou – Em que devo a honra?

- Oi Shino, vim ver meu garanhão e te pedir mais um.

Shino era irlandês, mas tinha os cabelos pretos arrepiados para cima e usava seu inseparável óculos de lente escura.

Apresentei Indra a ele, preparei Atlas enquanto ele preparava um manso para ele, montamos e começamos a cavalgar.

Pude conhece-lo melhor, era uma criança adorável, educado, e estava com um pé atrás sobre esse casamento assim como eu, mas nos tornamos amigos, isso era bom.

Estava anoitecendo, a Condessa Otsutsuki o chamou para ir embora, e assim fizeram, os acompanhei até a porta, Indra foi o última a sair, e quando dei um abraço, disse baixo em meu ouvido.

- Leia quando estiver sozinha.

Achei estranho, só ai notei um papel dobrado dentro da manga do vestido, ergui o braço para o papel não cair.

- Pelo menos, o caçula gostaram de você, a Condessa diz que ele é uma criança difícil. – disse minha tia.

- Sim, eu vou subir e descansar, foi um longo dia, com licença.

Minha tia assentiu e subi as escadas sem demonstrar ansiedade, ao chegar no meu quarto, Adina estava lá organizando meu baú.

- Adina poderia sair por favor, eu preciso descansar.

- Vou só terminar aqui e...

- Depois você termina, eu tive um dia exaustivo, preciso descansar – a interrompi.

- Tudo bem, com licença.

- Obrigado.

Assim que ela saiu, tranquei a porta e me sentei na poltrona, peguei o papel e desdobrei.

- Estranho – falei comigo mesma.

Desdobrei o papel vendo sua letra delicada, sorri, ele tinha uma caligrafia linda, mas o que estava escrito me preocupou.

‘’ A futura esposa de meu irmão.

Escrevi esse bilhete antes de te conhecer, sem receio se gostaria ou não de você, mas mesmo assim vou te dizer, tome cuidado com o meu irmão, tente de tudo para não se casar com ele, ele não é o homem que todos pensam que ele é, ele é rude, um homem ruim, por favor, tente fugir antes desse casamento acontecer.

Ps; Queime esse papel, deixe ninguém ver.’’

Suei frio, meu coração acelerou, pensei comigo mesma ‘’ Do que sua falecida noiva morreu?’’ Decidir saber, desci as escadas e encontrei minha tia na sala ouvindo música.

- Tia – a chamei – Eu estava pensando, o que houve com a noiva do lorde?

Minha tia me olhou surpresa, obviamente entendeu que Indra deve ter dito sobre ela para mim.

- Bom Hinata, foi anunciado a morte da Lady Maya a muitos anos, só o que se sabe é que ele se suicidou, o motivo, o lorde nunca quis dizer, só sabemos que ela estava sozinha na casa de campo, enquanto o lorde estava resolvendo assuntos particulares, devia ser uma mulher perturbada, tinha de tudo e mesmo assim tirou a própria vida.

Engoli seco.

- Entendi.

- Por que a pergunta? Indra falou algo?

- Não exatamente, só me disse que o lorde ficou mais solitário depois da morte dela, uma fatalidade.

- Sim.

Voltei para meu quarto com uma dúvida na cabeça; Ela se matou? Ou foi assassinada por ele?

De uma coisa eu tinha certeza, de qualquer forma, eu estava correndo perigo me casando com ele, e mesmo se eu contar sobre o bilhete, ninguém vai acreditar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...