1. Spirit Fanfics >
  2. Destino indesejável >
  3. O jantar.

História Destino indesejável - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi bolinhos.
Estão prontas?
Compartilhem o link da fic princesas♡
Boa leitura u.u

Capítulo 6 - O jantar.


Minta, minta... Essa palavra passava várias e várias vezes na minha mente. Eu sei que mentir não levará a lugar nenhum. Eu tenho que ser honesta com ele. Assim como sei que ele seria comigo.
 - Para um jantar.

Minhas palavras soaram tão horrivelmente. Um jantar a sós com alguém.
Ele me observava tentando ler minhas expressões faciais. Espero que ele não veja o meu desespero. Ele me olhou dos pés a cabeça novamente.
 - Está muito arrumada. Com quem é esse jantar Camila.
Suas palavras me acertaram como um soco. Ele estaria pensando que eu estaria o traindo? Ele viu minha demora para responder. Sua expressão foi de decepção. Eu tenho que fazer ele entender que isso não é o que parece.
 - Eu vou jantar com uma amiga. Digamos assim.
Ele arqueou uma sombrancelha. Ok, essa situação não poderia ficar maia tensa.
 - Ela tem nome?
Seu ciúmes bobos estava me deixando irritada. Eu seria incapaz de mentir ou engana-lo.
 - Lauren Jauregui.
Sua postura ficou tensa, vi que ele ficou mais irritado. Sua mão estava fechada em punhos. Como se estivesse tentando se controlar.
 - Você sabe que ela gosta de mulheres? E que ela tem...
Ele parou no meio da sua frase. Umas pessoas passaram e ficaram encarando a gente. Povo fofoqueiro. Já estava atrasada para o jantar, mas a curiosidade me consumindo.
 - Eu já sabia que ela gosta de mulheres, mas eu não...
 - Bom jantar para vocês...
Droga. Ele continuou andando sem olhar para trás. Ele não pode pensar o pior de mim. Eu amo ele. Por que ele não confia em mim? Isso me deixou irritada. Queria ri atrás dele e bater nele, gritar. Mas ainda tinha o jantar com Lauren. Apesar de querer ir atrás dele, eu também queria ir nesse jantar. Bem no fundo eu queria...
Fiz ao contrário do que meu coração pedia, continuei indo em direção a Lauren.
Entrei no restaurante e o homem veio até mim.
 - Boa noite srt.
O lugar era bonito e aconchegante. Pessoas conversam animadas enquanto comiam.
 - Boa noite. Lauren Jauregui já chegou?
Ele assentiu com a cabeça. Um nó se formou em meu estômago. O nervosismo estava presente, nunca havia deixado.
 - Por aqui...
 Segui o homem até uma mesa mais afastada das outras. Assim que avistei Lauren, meu coração errou uma batida. Ele está mais linda que nunca. Ela não me viu distraída olhando a hora em seu relógio. Me senti culpada por deixa-lá esperando. Ela levantou o olhar, que veio de encontro com o meu. Um sorriso surgiu nos seus lábios. O seu sorriso me fez perder o ar por um segundo. De novo ela está me fazendo sentir coisas que mesmo que eu quisesse seria difícil de explicar.
 - Boa noite Camila.
Sua voz firme invadiu meus ouvidos. Fazendo um alvoroço em meus estômago. Não sei por que sempre fico tão nervosa em sua presença.
 - Boa noite Lauren.
Ela fez um sinal para o homem sair. Veio até mim e puxou a cadeira gentilmente para me sentar. Seus olhos furtivos estavam no meu corpo. Eu me sentia levemente desconfortável.
Me sentei e ele voltou para seu lugar. Minha perna tremendo debaixo da mesa. Desejava que ela tivesse me abraçado, mas por que? Eu ansiava pelo seu contato. Isso não é normal. Eu acabara de me encontrar com o Shawn, ele é o único que eu deveria querer que me tocasse. Essa confusão está me deixando louca.
 - Está linda.
Suas palavras pareciam um eco na minha cabeça. Teve um efeito sobre mim. Seu elogio fez minhas bochechas corarem. Ela percebeu, pois deu um sorriso tímido. E que sorriso.
 - Quer fazer os pedidos?
Balancei a cabeça positivamente. Minha garganta seca. Peguei o copo com água, bebi quase todo o líquido.
 
[...]

Os pedidos chegaram e comemos entre conversas agradáveis.
 - Então, pretende investir na empresa dos Hanry's?
Ela deu a entender isso. Me deixando preocupada, pois achava que ela iria investir na nossa. Ela se mexeu desconfortavelmente em sua cadeira.
 - Minha mãe pensa ser uma jogada de gênio e que traria mais lucros para nós.
 Agora eu estava mais desconfortável. Ela percebeu minha aflição. Sabia que ela era nossa chance de salvar a nossa empresa. Sua mão tocou a minha por cima da mesa. O seu toque levou descargas por todos meu corpo. Seu toque, seu cheiro. Essa mulher me deixa totalmente desconcertada.
  As palavras de Shawn se acenderam na minha mente.

Ele sabia algo sobre ela que eu não sabia, mas como ele sabia? E o que? O que será que ela tem? Eu poderia perguntar, mas não o faria.
Tirei minha mão debaixo da sua para pegar minha taça de vinho. Na verdade isso foi só uma
desculpa, seu toque me deixou desconfortável. Será que ela sabia que meu corpo reagia a ela? Ela teria conhecimento disso?
O gosto do vinho era tão bom, apesar de não gostar de bebidas. Já estava na quarta taça. Ela me olhava curiosa.
 - Está tudo bem?
Minha mente trabalhando e imaginando o que Shawn sabe sobre ela que eu não.
 - Sim...
Fitei seus olhos curiosos. De repente, senti uma pontada na minha barriga.
 - Está viajando muito hoje.
Levei o garfo com franco ao molho a minha boca. Perfeito.
 - Só pensando.
Na verdade eu viajei muito essa noite. As palavras de Shawn me deixaram intrigada. Minha língua estava coçando para investigar. Queria sondar ela. Fazer perguntas. Então, achei melhor ocupar minha boca com comida.
 - Adoraria saber. Mas acho melhor não.
Ela levantou a sombrancelhas sugestiva. Dei um sorriso sincero. Gosto de conversar com ela. É bem diferente do que eu imaginara sobre o jantar.
 - São coisas sem importância. Mas adoraria saber sobre você.
Ela sorriu, me xingei mentalmente. Droga. Agora ela vai pensar que eu estou interessada. Sua se inclinou sobre a mesa para se aproximar de mim, como se fosse me contar um segredo.
 - Você terá que descobrir sozinha.
Um calafrio passou pelo meu corpo. Suas palavras eram de desafio. Como se ela realmente tivesse certeza de que era isso que eu faria.
 Algo me diz que ela quer atiçar ainda mais minha curiosidade. Ela colocou uma garfada em sua boca. A sua comida parece ótima. Olhei cada movimentou seu. Tão linda. Simplesmente maravilhosa. Qualquer mulher cairia aos seus pés.
 - Quer?
Sua pergunta me tirou dos meus pensamentos. Pensei por dois segundos. Balancei a cabeça positivamente. Ela levou seu garfo até minha boca.
 - Uh, perfeito.
Ela olhava fixamente para minha boca. Adoraria saber o que ela pensa nesse exato momento. Ela passou a língua sobre seus lábios. Eu observava tudo. Era tão palpável a tensão entre a gente, mas não era uma tensão ruim. É boa, uma tensão que faz meu corpo queimar.
 - Para de me encarar assim. Está me dando medo.
Senti minhas bochechas ficarem quentes. Abaixei a cabeça. Queria poder enfia-lá em algum lugar.
 - Cam...
 - Com licença. Vão querer sobremesa?
Olhamos ao mesmo tempo para o garçom.
 - O que deseja Camila?
Na verdade eu já estou satisfeita. Embora ainda queria mais vinho. O gosto é muito suave e doce.
 - Quero mais vinho.
Lauren me deu um olhar de reprovação. Eu estou bem, vinho não vai me deixar bêbada.
 - Só isso.
Ele foi e logo voltou com mais uma garrafa de vinho. Ele serviu minha taça e a de Lauren.
 Bebi um grande gole. Muito bom, acabei de conhecer minha paixão por vinhos.
 - Vai com calma Camila. Não se deixe enganar pelo doce sabor.
Deixei minha taça sobre a mesa. Encarei ela com um olhar indiferente. Me inclinei sobre a mesa.
 - Eu sei o que é bom para mim Lauren.
Ela levantou a mão em sinal de rendição. Dei uma risadinha. Ela fez o mesmo.

[...]

As horas se passaram tão rapidamente. A conversa com ela foi tão agradável.  Diferente do que eu pensara que ela era. Ela tem um lado divertido e legal. Ela é seria e discreta. Entre outros atributos.
- Vamos.
Ela se levantou e estendeu a mão para mim. Peguei sua mão, me levantei e senti minhas pernas moles.
 - Disse para não abusar do vinho.
Ela deu uma risada irônica. Revirei os olhos. Estava tonta demais para formular uma frase coerente. Saímos do restaurante. Sua mão está na minha costa. Seu toque fazendo minha pele queimar. Essa mulher tá me deixando louca apenas com esses poucos toques. Imagina, se... Não. Não imagino nada. Nem poderia, não posso e não quero.
Ela abriu a porta do seu carro para mim.
Me acomodei no banco. Esperando ela entrar no veículo. Logo estávamos entrando no transito lento. Ela olhava para mim discretamente. O silêncio pareava sobre nós. Um silêncio até confortável.
Quando o sinal ficou vermelho. ElaParecia perdida em seus próprios pensamentos. Eu desejei saber o que ela pensava. Ouvi a buzina do carro atrás de nós. Ela saiu dos seus pensamentos e começou a dirigir novamente.
Ela estacionou o carro na frente da minha casa. Eu desejava falar algo coerente, minhas mãos soavam. Meu estômago davam várias voltas, como se eu estivesse andando em uma montanha russa.
 - Obrigada pelo jantar.
Ela sorriu, o seu sorriso doce me fez perder os sentidos por um segundo. Eu me praguejei mentalmente. O que essa mulher quer fazer comigo? Por que ela me deixa louca? Por que eu quero que ela me toque? Tantas perguntas e nenhuma resposta. Pelo menos era assim que eu queria pensar.
Eu desejo ela mais perto, desejo, desejo. Ah. Isso é um caos! Como isso pode acontecer? Eu teria me dado conta antes! Ela estava ali tão perto de mim, eu poderia facilmente perder o juízo. Mas e se eu perdesse? Como eu poderia lhe da consequências?
 - Eu que agradeço, sua companhia foi maravilhosa Camila.
 Meu nome pronunciando por ela, era um dos meus sons favoritos. O modo doce como ela o fala. Meus olhos estavam cravados  em sua boca. Eu me perguntava, qual seria o gosto dos seus lábios?
Eles parecem tão atrativos. Eles me atraem de uma forma inexplicável. Eu poderia culpar a bebida. Talvez, esses pensamentos são absurdos! Eu com certeza culparia a bebida.
Ela se inclinou para frente. Eu prendi a respiração esperando pelo que viria pela frente. Eu ansiava que fosse o que eu queria. Senti seus lábios contra minha bochechas. Não pude deixar de deseja que fosse em outro lugar. Ela se afastou, mas eu ainda sentia minha pele arder com seu toque.
Decide que não poderia ficar mais nenhum segundo com essa mulher. Me despedi educadamente.
Entrei em casa sem ao menos olhar para trás. Toquei meu rosto no lugar que ela beijou. Um arrepio percorreu meu corpo. Seus lábios macios contra minha pele, isso só me fez querer mais. Era inevitável não pensar em outras coisas. Isso fez eu me senti um lixo. O peso dos meus pensamento me acertou em cheio
Eu traíra Shawn em pensamentos?

Notas Finais


Pobre Camilinha haha.
Toda confusa.
Desculpa decepcionar vcs. Mas por enquanto não pude deixar rolar mais nd.
Desculpa qualquer erro...
Fuis.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...