História Destino, talvez? ( starco) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Jackie Lynn Tomas, Janna Ordonia, Lua Butterfly, Marco Diaz, River Butterfly, Star Borboleta, Thomas "Tom" Lucitor
Tags Marco, Star
Visualizações 32
Palavras 1.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Mistério
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem vindos meus amores
espero que gostem e boa leitura

Capítulo 1 - - capitulo 1 -


[ 12 anos antes ]

Uma menina de cabelos amarelos como o sol,  pele branca igual da neve,  olhos azuis iguais ao céu claro,  mas infelizmente algumas pessoas mais quietas esconde as piores dores do que se pode imaginar...

Star Butterfly, 8 anos.

Mora com seu "pai",  que se diverte com outras mulheres e volta toda noite bêbado e agressivo para casa,  a mãe, cansada disso quis fugir e conseguiu, mas deixou a Star ali com ele. O passar dos dias ele bate nela sem motivos deixando marcas roxas em seu corpo,  cresceu ouvindo várias merdas vindo da boca do seu pai, dizendo que sua mãe fugiu por culpa dela, não aguentou a própria filha e a deixou.

Star chorava todas as noites se perguntando, por que sua mãe a deixou sozinha, por que não levou junto. E que tem saudades do carinho da mãe

[...]

Agora...

                          *..∗̥✩ 
                .⃝☀‧₊° Star on,  Covilhã, Portugal [06:10AM]
                   ─────────

Sinto-me despertar, abro lentamente os olhos sentindo uma temperatura meio quente vindo da janela que vinha de encontro com meu rosto, e soltei uma risada disso.

Bom dia para você também, sol

Me levanto e vou ao banheiro fazer minhas necessidades, tomo meu banho e em seguida escovo meus dentes.

Saio da banheiro depois de ter terminado, e vou ao meu guarda roupa abrindo-o procurando uma peça de roupa para vestir

Me agacho para pegar as roupas íntimas e dou uma olhada nos meus pulsos, que estavam um pouco roxo.

Reviro os olhos e bufo baixo

Acho que vou ter que ir de casaco para escola, de novo.

Penso, e logo pego a roupa e visto-a por completo

Coloco uma calça meio rasgada no joelho e um casaco vermelho,  ponho brincos pequenos e prendo meu cabelo fazendo um rabo de cavalo.

Que merda de cabelo, tinha quer ser cheio você?

Discuto com meu cabelo tentando fazer o rabo de cavalo, mas a xuxinha estoura, e bufo soprando o cabelo que foi ao rosto

Ri-o um pouco e finalmente término meu rabo de cavalo,  saio da quarto e desço as escadas pegando minha mochila, que já estava com os materiais prontos

E vejo ele, o idiota do meu pai deitado no sofá cheio de vômito em sua roupa e cheirando a vodka pura.

Cruzo os braços o olhando irritada, até que tive uma idéia, só para provocar-lo

Ponho minha mochila nas costas e ando na ponta dos pés para não fazer barulho, abro a porta devagar e saio de casa

E fecho a porta com força fazendo um barulho alto, que fez o idiota cair do sofá de susto,  Ri-o dele com a mão na boca para ele não me ouvir e saio dali

Dou uma respirada longa sentindo o aroma das flores da beira da estrada, é muito bom sentir esse cheiro de manhã,  um cheiro de flores aromatizadas molhadas

Aperto um pouco o passo para não me atrasar para escola, e paro na padaria para tomar um café rápido

Pago meu café e espero a moça fazer,  olho em volta reparando nos móveis

Nunca tinha reparado nessa padaria por aqui

Penso, um garoto de cabelos castanhos e um casaco igual ao meu para na minha frente, e o olho surpresa e um pouco confusa

Pode me dar licença por favor? - Perguntou o garoto, com um copo plástico de café nas mãos, e olho para trás e vejo uma lata de lixo no chão atrás de mim

Oh, m-me desculpe. - Solto uma risada sem graça dando licença a ele, que jogou o copo plástico no lixo e foi até o caixa pagar seu café e em seguida foi embora

A moça termina de fazer meu café e me entrega, eu agradeceria e saio dali bebendo meu café ao longo do caminho

É meu segundo ano nessa escola e até hoje não arrumei nenhuma amizade,  Deuses da lua por favor, faça ter novos alunos legais na escola

Junto minhas mãos olhando para cima com olhos fechados e abro em seguida, dou um gole no meu café olhando para frente e vejo o garoto da padaria

Ele parece ser da minha idade

Penso, mas dou de ombros e término de beber meu café e jogo numa lixeira próxima

Logo vejo o portão da escola e bufo um pouco desanimada

Aí senhor...

Franzi um pouco as sobrancelhas vendo o garoto da padaria entrar na mesma escola que eu estudo

Será que os deuses ouviram?

Dou um grito baixo animada e atravesso a rua correndo e entro na escola

Eu tinha uma amiga, ela se chamava Janna, mas ela foi pro lado daquelas meninas que só querem encrenca na escola então nós afastamos uma da outra

De vez em quando nos conversa, mas é bem rápido

O sinal toca e todos vocês para suas salas de aula,  entro na sala e recebo os tais olhares de todos e reviro os olhos

Perderam alguma coisa em mim por acaso?

Penso, e me sento na última carteira da fileira do canto, e na cadeira da frente estava o mesmo garoto

Algumas meninas olhava para ele e cuchivava entre si, mas parecia que ele não se importava muito com isso

Abaixei minha cabeça esperando a professora chegar, até que ouço a portar se abrir e uma voz feminina dizer "Bom dia alunos" e levanto minha cabeça

Hoje temos um aluno novoem nossa escola, pode vir se apresentar para turma por favor. - Disse a professora apontando pro quadro negro, e o garoto da minha frente se levantou e foi até o quadro negro ficando de frente com a turma

Olá meu nome é Marco e tenho 20 anos e blá blá blá. - Respondeu o garoto de deboche e eu ri baixinho e ele olha para mim

Sinto minhas bochechas esquentarem um pouco e desvio nossos olhares

A professora permite ele se sentar e fez, e a aula seguiu em frente

Horas se passaram até o sinal da saída toca e todos gritam de aprovação

( A: o sinal de intervalo já tinha passado)

Todos saíram da sala, menos o Marco e a meninas que gostam de se achar pros outros

Elas me olharam feio e o Marco seguiu o olhar delas, e olhou para mim

Ok, tô saindo. - Respondi colocando minhas mãos para cima me rendendo e guardo meu material, e logo saio da sala deixando eles ali

Vou ao banheiro e fico dentro de umas cabines pegando um dos cadernos e começo a escrever

21.03.2021
Hoje até que foi legal ir pra escola, ninguém mexeu comigo pelo menos.
Espero encontrar minha mãe um dia e tentar entender por que ela me deixou naquela noite com o idiota do meu pai

Ouço a porta do banheiro se abrir junto de passos pesados, e entrou numa cabine se trancando lá também, dei de ombros de continuei escrevendo no meu diário

Termino de escrever e guardo o material,  ouço a porta do banheiro abrir escaranradamente junto alguns barulhos de saltos no chão

E bateu na cabine de onde eu estava

ABRA ESSA PORTA Ô LOIRA OXIGENADA, EU SEI QUE ESTA AI! - Gritou a garota dando socos na porta e me mantive calada

Jackie deixe ela. - Disse uma das garotas com uma voz fina e baixa

Janna?

CALA A BOXA JANNA, ANDA SUA VAGABUNDA SAIA JA DAÍ. - Respondeu Jackie, e continuou a bater na porta

O que vocês querem agora? - Respondi, com a voz trêmula com pouco de medo

QUERO SABER DE ONDE VOCÊ CONHECE O MARCO, E QUERO QUE SAIBA QUE ELE É MEU, NÃO SUA VAGABUNDA. - Respondeu Jackie irritada

E-eu o conheci na padaria hoje cedo, mas não é nada demais, eu não penso em namorar com ele. Eu sou que nem você, que pega os garotos e depois descarta igual lixo. - Digo com firmeza e debochado na voz

Ela sussurrou "Ah sua filha da-" e bateu forte na porta, quebrando a trinca da porta e sorriu vitoriosa para mim

Me puxou pelo cabelo para fora da cabine e me sentou no chao, enquanto as outras meninas ficaram no olhando cuchichando entre elas

O que vai Jackie, me bate? - Respondi a olhando irritada, com as mãos fechadas em punhos

Ah minha querida não vou fazer nada, não agora. - Riu debochada e fez gestos com as mãos obrigando as rirem também, e revirei os olhos

Ela pegou minha mochila e abriu, jogando todos os materiais no chão e em seguida chutou

Quando ia me levantar uma das menina afundou minha cabeça me fazendo sentar novamente no chão

Não...

Jackie pega diário nas mãos e balança olhando para mim

E não que lixo sabe escrever. - Sorriu sarcástica e abriu meu diário e começou a ler

Espero encontrar minha mãe um dia e tentar entender por que ela me deixou naquela noite com o idiota do meu pai. - Leu Jackie, fingindo ser um poeta experiênte. Parece que a loira oxigênada perdeu a mamãezinha. - Disse manhosa olhando para mim

Tá querendo atenção vai pro circo garota. - Cruzo os braços e viro o rosto

Olha aqui garota, o Marco nunca vai gostar de você e sabe por que? Por que você é sem sal, chata e nerd, e ninguém gosta de nerd. - Disse Jackie dando passos até mim e colocou seu dedo em minha testa me empurrando.

Ela ia partir para cima de mim, quando nós ouvimos um soco forte e alto atrás da Jackie, e a mesma se vira 


Próximo?


Notas Finais


comente o que achou e favoritem
(momento de mendigaçao)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...