História Destino Traçado - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 2
Palavras 1.087
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiiiiiii queridíssimos leitores
essa é minha primeira história desses garotos maravilhosos
antes de começar, alguns breves avisos

primeiramente eu quero dizer que não conheço muito bem o BTS (Bangtan Boys, como preferirem chamar) como muitas pessoas conhecem, por isso se alguma parte estiver sem sentido vocês podem me dar um toque que eu corrijo o mais rápido possível, mas também quero avisar que esse é um universo alternativo, então sim, algumas coisas vão ser bem diferentes da vida real.

mas não se preocupem tanto com os erros porque estou fazendo esta história junto com minha best friend. Ela é louca por esses garotos kkkk. Como vcs podem notar esse é um prólogo e ainda por cima é só a parte 1. Por ser um prólogo, vai apenas mostrar como a história se inicia. A parte dois pode demorar um pouquinho então peço-lhes paciência.

até mais e boa leitura

Capítulo 1 - Prólogo parte 1: Pela Janela


Fanfic / Fanfiction Destino Traçado - Capítulo 1 - Prólogo parte 1: Pela Janela

Narrador- terceira pessoa

 

Era manhã naquele grande reino e o sol já dava um "olá" com seus primeiros raios dourados que eram visíveis por detrás das imensas montanhas. A princesa que já estava desperta antes mesmo do sol dar as caras abriu seus olhos cansados após ouvir duas batidas a porta seguidas de uma voz conhecida.

 

- senhorita..? Já está de pé? - a doce voz da senhora soou abafada por trás da porta.

 

Elisa se espreguiçou e bocejou alto antes de responder a mais velha.

 

- sim, já estou acordada. - fez força com os braços para se deitar na cama.

 

- com sua licença, minha majestade. - a criada abriu um pouco a porta para que a princesa pude-se ver seu corpo e se curvou antes de entrar por completo no grande e majestoso quarto marcado por cores pastéis, o que transmitia um ar delicado ao ambiente.

 

- não precisa de tanta formalidade comigo Marie. - virou seu corpo para a beirada da cama procurando sua pantufa com as pés até achá-los de vez e colocá-los. - Não sou como meu pai.

 

- sim senhorita. - se curvou novamente. - sei disso, já havia me dito antes. Mas devo seguir as regras minha majestade, caso contrário o meu rei irá se enraivecer.

 

- sim, eu sei que meu pai é muito rigoroso com tais regras, mas vamos esquecer isso, de qualquer forma. - levantou-se da cama e foi até a enorme janela sentando-se em um sofá acolchoado. - já estava acordada antes de você bater a porta.

 

- oh, certo. Desculpe minha audácia em questionar a senhorita, mas porque continuou deitada se já estava desperta? - se aproximou da princesa.

 

- nunca me incomodei com suas perguntas Marie, e eu só estava refletindo um pouco, ou melhor, lembrando de algumas coisas. - fechou os olhos parecendo lembrar do que pensava.

 

- coisas como o que? - se inclinou um pouco, mas não muito já que a senhora já era baixinha.

 

- da minha infância... Da minha mãe...

 

- sente muita falta dela não é?

 

- sim, muita Marie. E você não sabe o quanto.

 

- sim, eu sei. Todos nós sentimos falta dela. Era uma pessoa rigorosa como o seu pai, mas com certeza era porque ela se importava conosco e queria nos proteger, mas não deixava de ser uma pessoa muito bondosa.

 

- sim... - apenas confirmou com a cabeça baixa e a mente distante. - bom, mas era apenas isso. - levantou-se num pulo, quase assustando Marie. - temos um dia inteiro pela frente.

 

Disfarçou sua expressão tristonha mudando logo de assunto para espantar os seus sentimentos que já faziam seu coração doer. Foi até seu grande guarda roupa.

 

- o que deveria vestir hoje? - abriu a porta percorrendo seus olhos pelos diversos modelos de vestido.

 

- hoje vai ser um dia especial. Seu pai está preparando uma surpresa. - disse animada com um sorriso amarelo se lembrando do aviso que devia dar a princesa.

 

- é mesmo? - virou seu rosto para onde Marie estava vendo a mesma confirmar sua pergunta balançando de leve a cabeça. - você tem alguma idéia do que seja? - se virou completamente para Marie indo em sua direção olhando atentamente para o rosto da senhora a espera da resposta para sua pergunta.

- parece que você vai encontrar alguém que não vê a um bom tempo. - está frase fez Elisa franzir a testa.

 

- quem pode ser? - perguntou mais para si mesma colocando a mão no queixo fazendo esforço para lembrar-se. - não me vem ninguém a mente.

 

- de qualquer forma, seria bom você se vestir bem para este encontro.

 

- você está certa. Então venha cá me ajudar a me vestir. - sorrio pegando de leve a mão da senhora a puxando até seu guarda roupa.

 

- não será necessário minha princesa. - impediu Elisa de puxá-la, pousando levemente sua mão enrugada sobre a dela. - Eu já pedi que chamassem o costureiro. Você já pode se arrumar para encontrá-lo.

 

- nossa, parece que essa pessoa que irei encontrar é realmente muito importante. É apenas impressão minha ou você está evitando me dizer quem é? - perguntou colocando suas mãos na cintura e se inclinando até Marie.

 

- não é que eu não queira dizer. É uma surpresa e eu quero manter discrição. Agora, vamos te vestir para encontrar logo o costureiro.

 

~~

 

Já havia terminado de fazer as medidas para o vestido e logo Elisa poderia voltar para pegá-lo na sala quando o mesmo já estivesse pronto. Logo que passou pela porta da sala onde estava junto com Marie e Alfred, a princesa pode notar a correria dos criados em arrumar tudo.

 

- nossa! Tudo está realmente bem agitado hoje. - Elisa disse.

 

- nem me fale. - comentou Alfred, o mordomo, ao se aproximar de Elisa.

 

- muito obrigada por estar cuidando de tudo tão bem Alfred. - agradeceu.

 

- eu que agradeço minha majestade. - Alfred se curvou.

 

- Marie, poderia me fazer companhia, por favor? Preciso terminar de me arrumar. - voltou sua atenção para Marie que estava ao seu lado. A encarou esperando por uma resposta.

 

- sim senhorita. - se curvou para Elisa.

 

- obrigada, até mais tarde Alfred e boa sorte. - as duas se curvaram e ele fez o mesmo em resposta.

 

Elas se viraram e seguiram seu caminho até o quarto, que não ficava muito longe. Caminharam um pouco pelo longo corredor, mas um som de carruagem chamou a atenção das fazendo-as cessar seus passos. Mas Elisa já tinha o histórico de ser muito curiosa e não era agora que ela mudaria, por isso resolveu se aproximar da janela do corredor e espiar o que acontecia do lodo de fora.

 

- senhorita..? – sussurrou Marie ao se aproximar para ver o que Elisa observava.

 

Ao olhar pela vidraça na direção do jardim, Elisa pode ver duas silhuetas saírem da grande carruagem. Umas das silhuetas ela identificou como sendo a de um soldado por causa de seu uniforme, já a outra se vestia com grande elegância e Elisa não pode ver muito bem de quem se tratava, mas com certeza já sabia que era alguém da realeza.

 

Será que era esta pessoa de quem Marie falava? Independente disso, Elisa não reconhecia tal pessoa, talvez por vários fatores - como o ponto de vista e a luz do sol - que colaboraram para que Elisa não pudesse ver bem o rosto do tal alguém.

 

CONTINUA...


Notas Finais


eai minhas Bangtan's Girls, o que vcs acharam? podem comentar a vontade, sintam-se livres
até o próximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...