História Destinos Cruzados - Imagine Oh SeHun - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Abo, Alfa, Beta, Exo, Híbrido, Imagine, Imagine Exo, Imagine Sehun, Lobisomen, Oh Sehun, Ômega, Sehun, Universo Alternativo, Vampiro, Você
Visualizações 400
Palavras 1.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bem com vocês? Espero que sim viu rs 🌷

Uau eu estou atualizando muito rápido não é? rs
E se tudo der certo eu vou atualizar três vezes na semana. Podem gritar agora🤗
MAS QUEM VAI GRITAR SOU EU MESMO... PUTA QUE PARIU A GENTE JÁ TÁ PERTO DOS 300 FAVORITOS 😨😨😨
MEU DEUS EU VOU MORRER ANTES DE CHEGAR NISSO TUDO!

Boa leitura =

Capítulo 3 - Minha proteção.


Fanfic / Fanfiction Destinos Cruzados - Imagine Oh SeHun - Capítulo 3 - Minha proteção.

Eu tinha acabado de arrumar minha casa, estava sozinha na mesma enquanto meus pais estavam trabalhando como sempre. Era incrível como eles não tinha uma folga sequer do trabalho, não sei qual o problema do chefe deles em dar um dia na semana para ficarem em casa. Mas não, ele prefere que meus pais se matem no trabalho para conseguir dinheiro para ele. Não tinha nada para eu fazer no momento, então subi até meu quarto e peguei meu celular na que estava no carregador.

Olhei por um breve segundo para a janela de fora e percebei que a janela do quarto de Oh Sehun estava aberta mais uma vez. Já era a segunda vez que ele deixava aberta em todos esses meses morando aqui. Provavelmente sua namorava deva está em seu quarto, já que da última vez que abriu ela estava mas ele, quase transando, mas ok. Quando pensei em tirar os olhos de sua casa, observei uma movimentação em seu quarto e logo em seguida ele aparecer apenas de toalha.

Fiquei de boquiaberta ao ver seu corpo e o quando ele era lindo e sexy. Eu tinha um pouco de ideia de como seria o corpo dele, mas passaram das minhas expectativas dessa vez e olha, eu não estou achando nada ruim está vendo Sehun dessa forma. Será que ele vai tirar a toalha também? Mordi meus lábios e me aproximei mais um pouco da janela, observando ele se vestir de uma forma tranquila mas ainda sim bem sexy, para meu azar ele já estava com uma cueca por baixo, mesmo assim fiquei observando ele vestir as outras peças de roupas.

Quando ele se virou para a janela eu fiquei apavorada pois ele tinha olhado rápido para minha casa, e eu me abaixei as pressas, mas e esse inferno ainda tinha me visto. Eu só queria enfiar meu rosto em algum lugar e pedir para ele não ter me visto aqui olhando ele se trocar.

— Sabia que é muito feio ficar olhando os outros se trocando, senhorita? — ele falou bem alto e eu fiquei com ainda mais receio de me levantar para falar com ele. Que sorte a minha.  — Eu sei que está aí.

— Se não queria ser visto deveria ter fechado sua janela! — disse assim que fiquei em pé e fechei minha janela rapidamente. Meu coração estava disparado na hora e eu havia ficado com bastante vergonha do mesmo ter me visto. Que coisa feia _____ ficar bisbilhotando homens trocarem de roupa.

Tomei outro susto ao ouvir meu celular tocando e me despertando dos pensamentos. Caminhei até minha cama e observei o nome de minha mãe na tela, o que me fez revirar os olhos. Com toda a certeza ela está me ligando para pedir alguma coisa a mim.

- _______ você já foi pagar a conta? Você sabe que o banco vai fechar as dezessete horas da tarde não é? - arregalei meus olhos ao me lembrar dá conta de tinha que pagar. Apenas desliguei a ligação e corri para pegar o dinheiro e a conta, como eu me esqueci disso meu Deus! Era o que eu mais estava lembrando nesse dia e justo agora eu esqueci.

Peguei tudo e coloquei no bolso de meu short, incluindo as chaves de casa. Deixei a casa e tranquei a porta, corri o mais rápido para o banco mais próximo de mim, porém, ele ficava a quase dez quarteirões de mim e era quatro e meia da tarde em ponto. Por favor, me deixem entrar para pagar essa conta senão minha mãe vai me matar depois.

18:00 PM - No Banco.

Tinha acabado de sair do banco, em plena seis da noite. Como havia muitas pessoas lá dentro, eles deixaram apenas nos para pagar tudo e depois fechar. E advinha quem foi a última? Isso mesmo, euzinha aqui que sai por último. Eu estava com fome, cansada e só queria chegar em minha casa para comer e passar a noite toda dormindo, mas eu me encontrava um pouco longe ainda e como estava caminhando em passos devagar, iria passar meia hora para chegar em casa. Suspirei frustrada enquanto me arrastava para a casa. Forças pra mim!

Por um momento desviei meu olhar para meu lado e observei um homem me encarando enquanto caminhava junto de mim, apenas sorrir para ele que retribuiu. Ele deve está achando que eu sou doida por estar andando assim, então andei mais direito para ninguém achar que eu sou louca né. Havia algumas pessoas comigo, mas elas ficavam distantes a cada passo meu e o homem ao meu lado não parava de me olhar e caminha junto de mim. Foi nesse momento que eu tive um medo de que algo pudesse acontecer comigo.

Acelerei mais um pouco meus passos e ele faz a mesma coisa em poucos segundos, mas só quando virei uma dos quarteirões que eu comecei a correr, e ele também. Quando abri minha boca para gritar o homem agarrou meus cabelos, fazendo eu voltar para trás e cair no chão.

— Quem é você? Porque está fazendo isso? Me solta por favor. — me debati e ele ficou por cima de mim.

— Você é muito gostosa sabia? — senti seu cheiro de álcool e foi aí que eu soube que algo de ruim iria acontecer comigo.

— Por favor não faz isso comigo! Eu te imploro. — suas pernas ficaram na altura de meus braços prendendo eles para não poder sair de onde estava. — Para por favor.

— Hora errada, lugar errado. — foi o que ele falou e então a única coisa que me restou foi gritar, mas tinha sido em vão, suas mãos foram para para minha boca.

— Ela disse para soltá-la. — abri meus olhos com a voz que ouvi, mas não pude saber quem era pois a pessoa estava a minha frente. — Solta ela antes que eu faça isso.

— Você deveria sair daqui, se não quiser entrar na brincadeira. — O homem disse e riu em seguida.

— Perdão, mas esse tipo de brincadeira eu não faço com mulheres. — sua voz me parecia familiar, mas eu não lembrava quem poderia ser.

— Me ajuda por favor. — comentei chorando e fechei meus olhos quando a mão do homem foi para minha boca novamente. Só quando senti o peso sair de meu corpo, foi quando voltei a abrir meus olhos e levantei do chão rapidamente. Olhei em minha volta e não encontrei ninguém por perto, só as ruas vazias e sem ninguém perto de mim.

Eu corri, mas corri tão rápido que estava tropeçando em meu pé a todo o momento. Eu estava com medo de algo acontecer novamente e não ter ninguém para me ajudar dessa vez. Hoje foi uma sorte grande que eu tive, depois não posso mais ter isso.

Quando avistei minha casa do outro lado da rua, corri mais rápido até lá e tentei abrir a porta, mas estava trancada. Tirei as chaves do meu bolso e destranquei a porta logo entrando dentro de minha casa. Voltei a deixar trancado e acendi as luzes de casa. Tentei acalmar minha respiração e fui tomar um copo de água primeiro. Subi minhas escadas e lá no meu quarto fiquei andando em círculos para tentar me acalmar mais ainda.

Eu só queria saber quem foi a pessoa que me salvou daquele doido e para onde eles foram depois. Foi em questão de segundos que tudo aconteceu e não tinha floresta alguma por perto para eles se esconderem. Isso era tão misterioso, e sua voz era tão familiar pra mim.


Notas Finais


Vamos fingir que ninguém sabe quem foi e me digam o que acharam! ❤

Perfil: @Sweetback


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...