1. Spirit Fanfics >
  2. Destinos Cruzados >
  3. Primeiro ato -maneira de julgar

História Destinos Cruzados - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Tenho essa fanfic desde o ano passado e nunca postei, espero que gostem, eu mesma me desempenhei muito trabalhando nela.

Capítulo 1 - Primeiro ato -maneira de julgar


Fanfic / Fanfiction Destinos Cruzados - Capítulo 1 - Primeiro ato -maneira de julgar

Essa era para ser uma história clichê... um romance entre o bem e o mau, felizmente eu vim mudar um pouco as coisas.

Meu nome é Lydia Myller, tenho dezoito anos. Eu sei que isso não é normal entre os humanos mas... eu atravessei o portal mágico, e sim, foi por querer. Agora eu vivo em Eldarya, um reino repleto de seres mágicos, enfrento esse mundo sozinha ou... era para ser assim, se a guarda de Eel não tivesse me encontrado eu teria morrido e agora moro no Quartel General da Guarda de Eel, no Refúgio...

Posso ser apenas uma humana mas vou provar que posso ser mais do que uma garotinha frágil.

Vou descobrir quem eu realmente sou! Me aguarde Eldarya!


* Em um lugar distante dali...*


Eu sou o Leiftan, não tenho muito a dizer mas vou dar um aviso, sou um Deamon, uma criatura perigosa que mata por prazer... isso mesmo e é melhor não mexer comigo se não quiser se machucar.

Sim, já matei vários usando apenas as mãos, mas o meu maior desejo é me tornar o imperador do império das Trevas... para isso eu passei a devastar vilarejos e matar seus moradores, infelizmente a maldita Guarda de Eel sempre atrapalha meus planos! Preciso me livrar deles... soube até que tem um membro humano, dizem que é uma garota, amo garotas... elas gritam e resistem mais a morte hahaha!

Será o fim deste mundo de paz... me aguarde Eldarya!


*Refúgio de Eel- amanhecer*

POV. Lydia


O relógio corria, a água pingava e as folhas das árvores balançavam ao som do vento... É manhã e eu estou de pé a frente dele, em sua sala preferida.

Ele olhava um pequeno livro que tinha em mãos, com um olhar sereno e calmo... algo estranho para o habitual dele...

*truf!*

- ah!

Me espantei e fui tirada de meus pensamentos quando ele fechou o objeto que tinha em mãos e levantou-se olhando fixamente com um olhar sombrio.

-abre mais os olhos! Fecha a boca! Olha para frente! Costas para trás! Barriga para dentro! Abre os pés! Junta os joelhos! Levanta a cabeça! Alinha os ombros!

Ezarel falou mais que depressa enquanto eu obedecia seus comandos

- ai... 

Minha posição não é das melhores, na verdade é bem vergonhosa. Mas eu evitei fazer qualquer comentário ou queixa, não quero que ele pense que sou fraca.

-hmmm... muito bem, pode descansar. - disse ele enquanto guardava seu livro em uma estante atrás do mesmo. E assim eu o fiz.

-ufa... - ofeguei com prazer em soltar o ar e relaxar os braços -já estava pensando que ficaria com câimbras...

- como é? Reclamando?! - o elfo virou-se para mim e cruzou os braços- Não foi você quem quis mudar de uniforme?

É verdade. Hoje tomei a loberdade de mudar de uniforme, sabe como é, aquela roupa que a Miiko me entregou quando cheguei era horrível e a roupa normal da guarda não era tão... "driscreta" como queriam que fosse, por isso eu tomei a liberdade de fazer meu próprio uniforme. Infelizmente tenho de me apresentar ao Ezarel, Lider da Guarda Absinto, para aprovar meu traje.

-sim mas...! Eu... não foi isso que eu quis dizer! E afinal de contas é culpa sua! Por me me manter naquela posição de boba!

Bati meu dedo em seu peitoral, arrancando um olhar de desprezo do elfo.

-ha! Não me faça rir - ele segurou minha mão- e outra coisa, não se oponha ao seu lider!

- idiota! Você é meu lider só de faz de conta, não é como se eu tivesse tido muita livre escolha para decidir. - resmunguei

- humf! Pelo visto eu tenho de educar você da forma correta...

- hã?

Ezarel pegou algo em cima de sua mesa, era semelhante a um chicote de cavalo, ele bateu levemente em sua mão e veio andando a mim sério.

- E-Ezarel... o-o que você...

Tentei me afastar mas bati as costas em uma parede e fui cercada por Ezarel que por sua vez, bateu uma de suas mão pouco acima da minha cabeça e com a outra segurava o chicote.

- E-Ez... -Ele olhou-me friamente e levantou o chicote -ah!

Minha única reação foi fechar os olhos com força e proteger meu rosto com as mão sobre ele, esperando pelo pior, porém nada aconteceu realmente, apenas dava-se para ouvir o som do vento ecoar pela sala e depois...

- puf...

Uma risada?

Abri os olhos e vi o Ezarel afogando-se em gargalhadas

-idiota... - gozou ele -achou mesmo que depois de tanto tempo eu fosse te castigar como um animal? Hahaha!

Esse elfo idiota... não acredito que fiquei na guarda dele.

- pois então senhor Ezarel... -Me curvei perante ele bolando brevemente meu plano de vingança

- isso mesmo, é assim que eu gosto -convencido, ele sorriu largo pelo meu ato mas enquanto isso aproximei dele e tomei-lhe o chicote

- acho que você não vai precisar mais disto, certo?

- o que? Não!

*CREC!* 

Parti o objeto ao meio e lancei no ar pela janela

- hmf! Para aprender!

O elfo pareceu em choque, ficou olhando os lados pela janela

- aah... eu não ia usar aquilo para nada mesmo, foi o Nevra quem me deu - disse ele voltando para perto de mim

- e dá próxima vez eu jogo você junto!

- você não tem o direito de me avisar de tal coisa, você não passa de uma escrava para mim

- quem é a escrava cogumelo azul?!

- você, sua baixinha

- arrogante!

- humana tola

- seu comedor de mel de uma figa!

- o que disse?!

Isso pode parecer imaturo de minha parte, mas ele realmente tira a calma, poderia até arrancar aquele sorriso lindo que ele tem de seu rosto.

- não sei como a Miiko pôde por um elfo tão idiota como líder da Guarda Absinto!

- ei! Apesar das provocações, eu sou bem responsável - acho que o magoei, pois ele parece um tanto bravo, mas nem tanto

- ha! Não me faça rir, elfo...

- posso ser mais responsável que você humana tola!

- a é?

- é!

Olhamos um para o outro com raios entre os olhos, permanecemos assim por alguns segundos até ouvir um barulho indesejado vindo de mim

*grrrrr*

Meu estomago. Não comi nada desde que levantei mais cedo

- e-eeh...

- ora, ora... me parece que alguém desobedeceu minhas ordens e veio direto para cá hoje cedo, antes mesmo de tomar café...

Ele pareceu convencido, não pude deixar de corar com a gafe cometida

- e-e daí?! A culpa é sua, eu fiquei nervosa com o que você diria da roupa, afinal fui eu quem escolhi

-é mesmo idiota, não? Em primeiro lugar, achei seu uniforme horrivel, em segundo não mandei você vir direto ao laboratório e em terceiro seria pior se eu não tivesse feito o mesmo

- hã? - Ezarel sorriu gentilmente e sentou-se em uma cadeira ao lado da janela - eu fiz o mesmo que você, tenho um relatório atrasado para entregar a Miiko e então vim para o Laboratório sem tomar café, apenas escrever

- aha! -apontei para ele vitoriosa - hipócrita! Você me dá ordens mas você mesmo não faz o que pedem

- eu sou um lider! Decido ou não o que faço - ele levantou-se e ficou perto a mim -diz isso para a Miiko, ela sabe o que um "líder" tem de fazer

- não me subestime humana tola -ele segurou meu nariz entre os dedos e apertou

- ai! Seu idiota!

- oh você é uma graça, pode ir agora escrava, tome seu café -ele abriu a porta para mim. O Ezarel é esse tipo de cavalheiro? -obrigada mas... e você?

- irei assim que terminar o relatório

- como quiser, adeus cogumelo azul -soltei uma leve risada gozando dele antes de sair -hora sua...! Vá antes que eu perda minha paciência!

- você já não tem -disse e sai do laboratório batendo a porta -idiota! -gritou ele furioso

Ezarel é um bom amigo, sim, ele pode ser um pouco rabugento, resmungão, chato, provocador, mas... em vez me criticar ele me ajudou... estendeu a mão para me ajudar. No começo não foi fácil, mas dá para se acostumar com a vida nesse mundo mágico cheio de mistérios e perigos.

- bom dia senhorita Lydia

Avistei Kero saindo da biblioteca com uma pilha de livros, ele parece não suportar levar isso tudo sozinho

- ah, bom dia Keroshane. Precisa de ajuda? Isso me parece pesado -peeguntei aproximando-me dele

- isso é muito gentil da sua parte senhorita

Por um instante ele quase derrubou os livros no chão, mas eu fui mais rápida e tirei metade daquele peso dos braços do Kero. - oh! hahaha, obrigado senhorita Lydia

- por nada Kero - de alguma forma, o chifre dele brilhou e os livros em seus braços foram facilmente arrumados. -acho que nunca irei me acostumar com isso...

- hã? Se acostumar com o que?

- aah...nada não, deixe isso de lado Kero. A onde vamos mesmo? - havia me esquecido que isso é normal em Eldarya, um mundo repleto de magia... - estamos indo para a forja, preciso fazer uma pesquisa importante que não pode esperar!

- estou logo atrás Kero!

Seguimos pela escadaria até a Sala das Portas e em seguida fomos para a forja.

- obrigado peloa ajuda, senhorita Lydia, eu assumo o resto daqui

- nesse caso, eu vou indo, tenho de tomar café da manhã, tchaau -acenei para ele e ele fez o mesmo- até logo. -sai dali em direção a despensa.

Kero é uma boa pessoa, ele é um pouco fácil de magoar mas é bom com explicações e tem muita paciência. Ele faz parte da guarda Reluzente e ajuda os novatos a fazer os testes para entrar nas guardas. Ele faz seu papel muito bem.

- ah, olá rapazes! -entrei na despensa e tive uma surpresa ao ver Nevra e Valkyrion. Nevra parecia chorar por alguma razão enquanto Valkyrion gozava dele. - algo errado com você Nevra?

- *snif* não e da sua conta! -ele parece bravo, mas seu rosto está vermelho - tem certeza? -apelei ainda.

- não se preocupe Lydia, isso é apenas uma fraqueza do Nevra - disse Valkyrion

- fraqueza? -repeti olhando para o vampiro. Haviam sebolas sob a mesa onde ele estava e uma faca em sua não. - ooh... entendi 

Dei uma leve risada olhando para Valkyrion que fez o mesmo.

- não vejo graça! - reclamou Nevra -eu odeio esses vegetais! São a pior coisa a serem cheiradas!

Nevra tem mesmo um bom olfato, por isso deve sentir-se incomodado com as cebolas... mas isso é bem hilário, fufu. 

-quer ajuda Nevra? Sou boa com essas coisas. -ele assentiu e eu fui lhe ajudar, o que posso dizer? Cozinhar não é o costume da maioria das mulheres? - uau, Lydia você é bem rápida - Valkyrion me elogiou admirado ao me ver cortar as cebolas.

- obrigada Valkyrion. Faz um pouco de tempo que não faço isso mesmo, sinto um tanto de saudades.

- pode ficar no meu lugar se quiser -disse Nevra sorrindo maliciosamente -não obrigada!

- se você diz...

Ele parou de me ajudar e passou a olharme. Nevra tem um sorriso bonito, esse foi o primeiro sorriso que eu vi ao chegar em Eldarya, mas apesar dele ser atrevido é muito rigoroso e gosta que sua guarda esteja sempre em primeiro lugar.

- com licença Lydia, poderia encher? Para não perder o costume, sabe? - Valkyrion sorriu alegre.

-sinto dizer isso mas eu não servia ninguém na minha casa, apenas preparava a mesa - mesmo assim peguei a garrafa de vilho e servi o Valkyrion. O sorriso dele não se vê todo dia entende?

- vai mesmo tomar tudo isso? Vinho pela manhã é... estranho -disse vendo o seu copo cheio, acho que exagerei.

- HA! Isso é como um lanchinho leve para o Valkyrion. -disse Nevra pondo algumas coisas em uma panela -se der a ele um barril de vinho, será o suficiente para ele ir daqui até o outro lado do mundo haha!

- eu não sou beberão assim Nevra!

- chega! Vamos terminar o café Nevra ou caso contrário eu vou deixar as cebolas com você! - ordenei e Nevra veio me ajudar

 -sim senhora! -ele sorriu

Valkyrion por outro lado, comeu e saiu depressa. Ele é um bom lider, meio calado mas bem direto, além de ser muito bom com armas o Valkyrion é meigo e gentil, ele é um bom amigo para mim.

Todos aqui são, quer dizer... outros... nem tanto.

- bom dia a todos - Miiko entrou na despensa bem na hora que havíamos terminado o preparo da refeição

- bom dia - respondi sentando-me ao lado dela na mesa - bom dia Miiko, dormiu bem? - Nevra pegou seu prato e sentou a nossa frente.

- já tive noites melhores, mas obrigada por perguntar - disse ela

- esteve ocupada está noite, não é? - perguntei bebendo um pouco de suco, os frutos deste mundo são ótimos para cidras -vejo pela sua expressão de cansada.

-sim, na verdade muitos problemas andam surgindo e por isso eu preciso arrumar uma solução para todos. Inclusive Lydia, o Ezarel já terminou o relatório que pedi? Vi você saindo de lá mais cedo e imaginei que estivesse ajudando aquele verme a terminar algo que pedi faz três dias!

Miiko gritou e eu cospi o que tinha na boca, engasguei por um minuto, três dias?! Que tipo de lider atraza um trabalho?! Ezarel...!

- credo! O que houve?! Não gostou do suco? -perguntou Nevra dando uma leve risada.

- vai responder ou não Lydia?! O Ezarel terminou o relatório?!

Ela parece brava...não gosto de enrolar a Miiko mas o Ezarel é uma boa pessoa... as vezes... ele merece se virar dessa depois de tudo que fez por mim.

- s-sim! É claro! Posso dizer que ele e o lider mais responsável da guarda inteira! Na verdade Miiko, ele só está esperando encontrar você cara a cara para lhe entregar em mãos, foi o que me disse mais cedo...!

Droga, odeio mentir assim... sinto que isso é de família, afinal tantos segredos ficam as escondidas de minha posse... espero não causar problemas para ninguém.

- oh... nesse caso eu vou terminar meus afazeres para me encontrar com ele e lhe agradecer -ela levantou da mesa para sair -com licença gente

- s-sem pressa... isso não faz bem para a sua saúde.

Disse e a Mikmo saiu. Assim eu suspirei de alívio em tee visto ela indo embora, sinto como se tivesse me livrado de um enorme peso sobre mim.

- oou, não gosto dessa cara que você faz quando algo não dá certo -disse Nevra ne olhando preocupado com a sobrancelha arqueada

- sim... é isso mesmo... -remexi a comida do meu prato. -eu queria ter poderes para concertar as coisas sem precisar de mentir.

- hã? Por que? Como assim? 

Olhei para o Nevra um tanto triste, ele e um bom amigo, não vejo mal em contar para ele. -sobre o Ez, o que você acha que ele fez realmente sobre o tal relatório da Miiko?

- bem... -ele pensou um pouco -ele descansou de mais comendo mel ontem, terminou as poções para entrega de última hora, então acordou cedo hoje e trombou comigo, em seguida contou que tinha esquecido do relatório e fui terminar, por isso não comeu hoje ainda, acertei?

Olhei para o Nevra boquiaberta, como sempre ele acertou em cheio.

- como... como?

- haha, desculpe Lydia mas eu já sabia de tudo, você sabe como eu posso irritante para o Ez a ponto dele me contar tudo.

Suspirei fundo e escorei a cabeça com as mãos.

- é... mas ainda assim eu menti e feio! O que a Miiko vai fazer quando ela descobrir? -olhei para o Nevra que ficou pensativo -bem... ela vai matar você e o Ezarel com certeza, mas não se preocupe fadinha, eu serei o primeiro a ir visitá-la em sua sepultura, haha!

- obrigada Nevra... -disse sarcástica -muito obrigada, não sabe como isso me anima...

- por nada, pra isso que servem os amigos!

E pensar que eu ainda falp bem desse sorriso metido dele...

- até logo Nevra, estarei por ai pondo a cabeça no lugar, caso precisem de mim...

Ele assentiu e eu sai para caminhar nos jardins. Na verdade, meu maior medo e tornar uma com a minha família misteriosa e passar a esconder segredos de todos... ou até mesmo mentir como ele fizeram para mim assim que acordei do coma.

- *suspiro*

Segui meu caminho distraída, pensando nas mentiras que contei, quando...

- oi senhorita Lydia!

Mesmo alguém chamando por mim, ignorei completamente e continuei andando.

- Lydia? Tá tudo bem?

Parei e virei para trás, era o Kero, ele estava levando alguns papéis nos braços.

- ah... oi Kero

- você parece triste, o que houve?

- nada não... -sorri fraco -é apenas uma bobagem minha sobre... a minha família e tudo mais...

- entendo, não consegue parar de pensar nas memórias perdidas, não?

Assenti, o Kero como nenhum outro tentou me ajudar, ele fez vários testes comigo e tudo que descobriu, "até onde eu sei", foi que eu sou uma humana não muito normal e mais nada.

- mas e você, a onde está indo com esses documentos?

- ah! Isso? A Miiko me pediu para buscar informações sobre uns certos... "desaparecimentos" que estão acontecendo ultimamente, todas as pistas indicam que está relacionado ao tráfico de pessoas no mercado negro de Eel -diz Kero arrumando seus óculos parecendo cem por sento calmo

- mercado negro?! -repito assustada

- sim, algumas pessoas do refúgio sumiram e o meu dever e procurar relatos e pistas das mesmas, ainda tenho de falar com pessoas que supostamente sabem de algo e... aah... se tivesse alguém para me ajudar...

- quer que eu ajude?

- Obrigado Lydia, mas eu preciso é de alguém da guarda Reluzente, sabe? Por ser a principal deve ser a primeira convocada para analisar a questão e mandar alguém para investigar. Infelizmente não temos esse pessoal ainda, então eu preciso discutir com a Miiko...

- entendo... -mesmo que eu implorasse, quem deixaria uma misera humana fazer algo tão importante? Só causaria transtorno.

-mesmo assim obrigado

- por nada... - disse sorrindo falso

- hmmm... ah! Você pode entregar isso para a Miiko no campo de treinamento? -Kero tirou de sua pilha de papéis um pergaminho enrolado junto a uma pena-caneta -para que é isso?

- é um segredo -ele piscou -e uma missão excelente para você como humana.

- hmm... suspeito

- haha, não digo mais nada, até logo senhorita Lydia. -ele levitou os papéis com o chifre e foi de volta para o QG.

Eu olhei aquele papel em minhas mãos comecei a imaginar coisas

- o que será isso? Bom! Só tem um jeito de descobrir!

Corri para o campo de treinamento depois do refúgio, nas planícies e logo avistei a Miiko impaciente olhando para os lados.

- ei! Miiko! -me aproximei dela para entregar o pergaminho - estava esperando por isso? 

Mostrei a ela o que vinha trazendo e a mesma ficou surpresa e um pouco confusa

- sim... o Kero pediu para você trazer?

- sim! Ele disse que era importante -entreguei o papel a ela e a mesma sorriu levemente -vai servir, obrigada

Assenei e quanto pretendia sair de lá ouvi sua voz séria me penetrar até a alma.

- a onde pensa que vai?!

- e-embora? -olhei para ela, agora seu sorriso ficou mais largo, ela parecia pensar em algo mirabolante

- fique! Quero que você me ajude com algo -Aquele Kero estúpido! Ele sabia que a Miiko precisaria de ajuda, então me mandou no lugar dele para se safar... -quer ser útil? Venha!

Segui a Miiko para perto de um grupo de pessoas, esses devem ser os recrutas para a Guarda.

- Certo pessoal! Hora de começar o treinamento! Seu desempenho irá levar você a guarda correspondente! - gritou a Kitsune, por que eu não tive um teste desse? Apenas me mandaram responder um questionário sem sentido e eu fiquei..."fui aceita" pelo Ezarel... -e você Lydia, irá me ajudar com os testes!

- HÃ????


Continua...



Notas Finais


Espero que tenham gostado, foi isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...