História Destinos Cruzados - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Visualizações 111
Palavras 1.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hellouuu amores, capítulo quentinho.

Capítulo 46 - Segurando


Preciso que fique com Kenshin – Sasuke disse assim que Itachi atendeu o telefone.

- Aconteceu alguma coisa?

Sasuke não respondeu. Respirando fundo para se acalmar falou. - Preciso resolver algumas coisas com Sakura.

- Que tipo de coisas? - Perguntou desconfiado.

- Itachi – Sasuke disse impaciente. - Você pode ou não?

- Obviamente, mas…

- Mas?

- Você deveria se acalmar – Itachi disse. - Seja o que for que você precise resolver com Sakura, nervoso assim não acho que…

- Não se intrometa – Sasuke o cortou. A mão que segurava o celular tremeu e Sasuke inspirou profundamente. - Eu só preciso que fique com Kenshin esta noite.

- Tudo bem – Itachi concordou.

~0~

- Qual o problema – Naruto perguntou quando Itachi encerrou a ligação.

- Não sei – Respondeu. - Mas Sasuke precisa de um tempo sozinho com Sakura.

~0~

Pedir para que Itachi ficasse com Kenshin não era umas das coisas que Sasuke se sentia confortável em fazer. Mas, era a única maneira dele ter certeza que Sakura não tentaria se esquivar de suas perguntas utilizando Kenshin como escudo. Não seria a primeira vez que ela faria isto.

Ele ainda não conseguia processar, ou ao menos tentar entender o motivo que a levara a esconder que havia recuperado a memória.

Céus! Ele já vinha estranhando o comportamento dela em relação a ele há alguns dias.

Não era tão nítido, mas estava lá. Ele percebera é claro, ele não era idiota. Mas o distanciamento e a falta de tentativas dela de o seduzir não passaram despercebidas por ele. Ele só se enganara pelo motivo.

Ele não estava satisfeita com o tanto que ele estava trabalhando nas últimas semanas e não fizera segredo disto para ele. Chegando até a dizer que ele deveria deixar outras pessoas fazerem o trabalho.

- Papai? - Kenshin o chamou o trazendo para o presente.

Guardando o celular no bolso Sasuke fitou Kenshin saindo do banho. - Estava falando com seu tio Itachi – Disse. - Parece que ele quer te levar para algum lugar.

- Verdade? - Kenshin perguntou animado. - Eu posso ir?

- Por mim tudo bem – Sasuke respondeu.

~0~

- Está tudo bem? - Gaara perguntou a Sakura assim que teve a chance de ficar a sós com ela.

- Ele descobriu… - Sussurrou.

Gaara apenas a olhou como se dissesse; “Eu avisei”

- Eu apenas… - preocupada, levou a mão a testa . - Deixei escapar sem querer.

- E agora ele está possesso - Gaara completou. - Quer que eu fale com ele?

- Não – Negou. - Isso o deixaria mais estressado e desconfiado ainda. - Explicou. - Foi uma sorte muito grande você e Kenshin chegarem naquele exato momento.

- O que vai fazer?

- Eu não sei – Disse retirando a carne do forno. - Estou muito tentada a me esconder no quarto Kenshin, e evitar essa conversa ao máximo.

- Você não é de fugir dos problemas... – Gaara disse. - Só seja honesta com ele.

- Eu realmente tenho medo da verdade – Confessou. - Sou uma covarde.

- Não, não é – Negou se aproximando dela. - Eu acredito que seja apenas muita coisa para você lidar. Você passou por muito. - Disse a abraçando. - Eu não conheço ninguém – Gaara a fez o encarar. - Que tenha passado por tudo que você passou e..

- Eu amo o fato de você ser o meu irmão - Sakura o cortou e o abraçou. Ela não queria falar sobre o que passara. Sobre o retorno de suas lembranças. Ela ainda estava tentando não focar em tudo que acontecera, estava tentando não cair no choro e querer morrer quando se lembrava de Sasori e o que ele fizera com ela.

Toda vez que as lembranças vinham ela se obrigava a não pensar. A focar na questão dos pais de Sasuke. Sentir raiva e ódio deles a ajudava empurrar as lembranças para longe, mesmo que temporariamente. - É bom ter alguém que me compreenda. -

- Quer dizer que se eu não fosse tão compreensível você não me amaria muito? - Perguntou divertido.

- É reconfortante ter alguém que fique do meu lado. - O olhou. - Shizune parece que é a defensora mais ferrenha do Sasuke atualmente, e Naruto e Itachi, bem… até quando eles não concordam com ele, eles acabam concordando.

~0~

- Onde você irá levá-lo? - Sakura perguntou contrariada enquanto Itachi esperava Kenshin terminar de arrumar suas coisas.

- Esqui aquático. Eu havia prometido para ele há meses e amanhã o dia será bastante quente. - Disse. - Me desculpe por avisar em cima da hora. - Pediu. - Mas estamos com a agenda bem cheia e não quis esperar mais.

- É seguro? - Sakura perguntou. - Quero dizer… Não é muito radical? Kenshin nunca fez isto antes.

- Eu vou cuidar dele. - Itachi levantou e se aproximou dela. - Nada de ruim vai acontecer. Ele só irá se divertir.

- Estou pronto!

- Pegou tudo?

- Sim, o papai me ajudou.

- Obedeça seu tio em tudo, ok? - Sakura se inclinou para o abraçar. - Não se esforce demais e não vá dormir tarde.

- Tudo bem, mamãe.

- Eu te amo!

- Também te amo!

- Então vamos, campeão? - Itachi perguntou.

- Vamos!

- Bom… - Gaara disse após Kenshin se despedir dele e de Sasuke. - Acho que também já vou indo.

- Não – Sakura falara rápido e alto demais. - Quero dizer, você pode dormir aqui. - Disse a ele sem fitar Sasuke.

- Gaara não mora tão longe – Sasuke interveio se aproximando de Sakura. - Não é preciso que ele durma aqui. - Disse rodeando sua cintura e a puxando para perto. - Você não irá escapar de mim – Sussurrou no ouvido delicado sem se importar com a presença de Gaara.

Sakura o olhou nervosa. Suas mãos suaram e ela sentiu como se tivesse cometido um crime que foi descoberto.

- Você me companha, Uchiha? - Gaara pediu notando o nervosismo de Sakura.

~0~

- Você a está assustando – Gaara disse assim que a porta do elevador se fechou.

- Não é da sua conta.

- Claro que é – Insistiu. - Minha irmã. Se esqueceu?

- Ainda não é da sua conta o que acontece entre ela e eu. - Sasuke praticamente rosnou.

- É totalmente da minha conta se ela se sentir ameaçada por você – Gaara disse sério. - Não sei qual o problema entre vocês – Mentiu. - Mas não a assuste, por que se ela sentir que precisa se afastar de você eu garanto que você nunca mais irá colocar seus olhos sobre ela e Kenshin novamente.

- Está me ameaçando? – Sasuke o segurou pelo colarinho. - Tem certeza que quer me ameaçar?

Seus nervos estavam a flor da pele. Esse idiota. Como ele se atrevia a pensar que ele faria algo que a assustasse. Algo que a faria fugir dele. Nunca! Ele nunca a machucaria intencionalmente.

Os olhos verdes de Gaara não se desviaram dos seus. - É só um conselho. - Disse enquanto Sasuke o fuzilava com o olhar.

~0~

Quando Sasuke retornara para a cobertura Sakura não estava na sala o esperando. Obrigando a se acalmar, Sasuke seguiu para o bar e se serviu de uma dose de uísque.

O líquido descendo por sua garganta quase não tivera sabor. Se servindo de mais duas doses Sasuke ponderou.

Irromper pela porta do quarto e exigir que ela lhe explicasse o motivo de ter mentido para ele ou esperar, esperar que ela mesma resolvesse se explicar.

Não, ele não era tão calmo. E, infelizmente, Sakura só se abria quando encurralada.

- Droga! - Xingou apertando o copo de vidro em sua mão. Ignorando a dor quando o copo se partiu e o vidro afundou em sua palma.

- Sasuke-Kun… - Ele se virou para fitá-la. Os cabelos estavam soltos e ele podia dizer que ela acabara de sair do banho. - Sua mão. - Ela apontou preocupada.

Sasuke seguiu o caminho para onde os olhos dela se fixaram e deixou que os cacos de vidro caíssem no chão junto com seu sangue.

Em um segundo Sakura tinha a mão direita dele entre as suas. - Isso parece fundo – Disse ignorando o olhar intenso dele sobre si. - Eu vou pegar o Kit de primeiros socorros e…

- Não – Sasuke a segurou com a mão esquerda. - Nós temos que conversar.

- Nós podemos fazer isso enquanto eu limpo este corte.

~0~

Ele tinha a visão do topo da cabeça rosa enquanto ela desinfetava o corte com um cuidado que o estava deixando exasperado.

Ele não se sentia tão nervoso como outrora e nem tão inclinado a arrancar a verdade dela custasse o que custasse.

Talvez, fosse devido ao fato dela não ter se trancado dentro do quarto para o evitar, ou pelo fato de que ele não queria que ela se afastasse ou sentisse medo dele.

Ele poderia ter se mostrada extremamente irritado para Gaara, mas a possibilidade de Sakura o temer, por mais ridícula que fosse o deixava com um aperto gelado na boca estômago. Ele daria a vida dele mil vezes se isso a mantivesse segura e bem. Ele não pensaria nem uma vez.

Ele nunca a machucaria. Não importa o quanto estivesse com raiva ou magoado.

- Desde quando? - Perguntou quando ela começou a enrolar sua mão em uma faixa. Ela não respondeu de imediato o que o fez perguntar novamente. - Sakura...

- Duas semanas.

“Duas semanas” a frase se repetiu em sua cabeça. Duas semanas que ela se lembrava de todos os horrores que vivera nas mãos de Sasori e ele não se dera conta. - Por que não me contou? - Perguntou.

- Porque - Sakura o fitou. - Primeiro eu queria colocar minhas lembranças em ordem e... eu estava tão confusa nos primeiros dias e aí…

- E aí? - Sasuke insistiu quando ela se calou.

- Eu… Pensei que fosse melhor deixar as coisas como estavam. - Confessou. - Para mim, pra você e Kenshin… - Se afastando Sakura se levantou.

Ela ainda não estava pronta para pedir a verdade sobe o envolvimento dos seus pais com Sasori. Ela ainda não estava pronta para perguntar quando ele soube e porque escondera dela essa informação.

Cerrando os punhos para conter a vontade de buscá-la, Sasuke, não se moveu.

Ele podia perceber o tanto que ela estava se segurando. Ele a conhecia. Por tudo que era mais sagrado ele a conhecia, apesar de ter deixado algo tão importante como o retorno de suas memórias passar despercebido.

Ele sabia que ela estava sofrendo e que também não estava lhe dizendo tudo. Estava tão claro enquanto ele olhava a dor e o medo nos olhos dela que quase o fazia querer chorar.

Então ele estava dividido entre fazer com que ela lhe dissesse tudo não importando o tanto que poderia fazê-la sofrer, ou esperar que ela estivesse pronta para contar tudo que lhe ia a mente.

Contrariando todos os seus instintos ele escolheu pela segunda. Embora o matasse por dentro não conseguir entender o motivo dela esconder a verdade dele, e de não entender o porquê dela não está confiando nele, de não estar confiando no que eles têm. Ele iria esperar.

Ele podia esperar. Só mais um pouco.

- Sasuke… Sakura sussurrou quando ele se aproximou.

As mãos dele rodearam a cintura fina e ele a trouxe para perto de si. - Tudo bem… - Disse enquanto inspirava o cheiro do xampu no cabelo dela. - Está tudo bem.

- Você não está bravo? - Sakura perguntou surpresa quando ele a puxou para mais perto.

- Sim – Sasuke respondeu. - Eu nunca estive tão bravo, eu estou bravo como o inferno. – Confessou a fazendo o fitar.

- Então…? - Sakura perguntou, e ele quase sorrira com a expressão confusa no rosto dela.

“Quase...”


 

Continua...


 


Notas Finais


Então galerinha. Gostaram do capítulo?. Bem, bem, esse capítulo começou de um jeito e terminou de outro, mas é só pra mostrar como o Sasuke consegue repensar suas atitudes um tanto muito autoritárias e manipuladoras e no fim consegue se segurar pelo bem da amada, não importando o quão puto ele esteja por ter sido "enganado".

Logo, logo posto mais um capítulo. Bjinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...